Vai morar em república na Grande Vitória? Confira 11 dicas

Receber a notícia de ter passado no vestibular é uma grande conquista. Depois, surgem outros desafios, durante a vida universitária, como organizar a nova rotina ou dividir a casa com pessoas até então desconhecidas. Não por acaso, há diversas repúblicas na Grande Vitória para abrigar os estudantes que vêm de fora.

A verdade é que essa realidade talvez não seja tão simples assim, afinal, pelo menos no início, a convivência pode requisitar alguns ajustes, até que comece a fluir bem.

Quer saber como se preparar para isso? Leia o post a seguir e confira as dicas que separamos para facilitar o seu dia a dia!

1. Mantenha o espaço organizado

A primeira instrução para viver bem com outras pessoas é tentar, ao máximo, deixar organizado o espaço que vocês compartilham. Quando isso não acontece, a chance de virar uma bola de neve e gerar atritos é bem maior.

Essa é uma boa dica, principalmente quando os moradores já não têm muita habilidade para a organização. Quanto mais desorganizados ou desleixados, maior deve ser o esforço para não deixar que a bagunça tome conta, inclusive, do local de estudos.

Existem repúblicas que contam com uma pessoa para organizar a casa regularmente, mas também é um pouco cruel deixar tanto trabalho para ela (até porque, normalmente, ela precisa dar conta de outros afazeres, como lavar e passar roupas etc.).

Faça a sua parte e não deixe as coisas espalhadas. Se você não tem que dividir o quarto, talvez possa optar por deixá-lo um pouco mais desordenado. Em todo caso, preocupe-se com as áreas comuns e evite que os seus itens sejam perdidos, danificados, entre outros problemas. Lembre-se de que ninguém é obrigado a viver na desordem.

2. Defina uma série de regras

Ao entrar em uma república que já existe, procure saber se há algo combinado entre os moradores, para começar a seguir o que já foi estabelecido. Caso esteja montando uma nova casa, seja o primeiro a propor que algumas regras sejam definidas.

Fazer esse tipo de acordo é ótimo para reduzir os conflitos e facilitar a convivência. Para isso, vale reunir todo mundo e respeitar as considerações de cada um, ponderando o que deve ser estabelecido como regra ou não — o famoso consenso.

Nesse aspecto, diversos tópicos precisam ser levados em conta, como limpeza dos cômodos, ocorrência de festas, serviços que devem ser contratados, divisão de contas, limites de privacidade e barulho, entre outros.

Em alguns casos, até mesmo hábitos simples precisam ser discutidos, para não gerarem problemas: sabe aquela pessoa que suja a louça e não lava nunca o que ela mesma usou? Pode ser que seja necessário definir alguma regrinha para isso.

3. Faça um cronograma de afazeres

Depois de estabelecer as regras de funcionamento da casa e de conduta dos moradores, você pode montar um cronograma de afazeres, para que o planejamento seja cumprido sem sobrecarregar ninguém.

Tarefas importantes como tirar o lixo, pagar uma conta, limpar o banheiro, entre várias outras, precisam de um responsável. Sendo assim, é melhor fazer essa divisão para que, no fim das contas, elas não deixem de ser realizadas.

4. Fique atento aos pagamentos

Outra questão fundamental para quem vai morar em república é estar sempre consciente dos gastos que isso implica. Muitas vezes, o nome do colega é que está em jogo, e deixar de contribuir com a sua parte pode gerar problemas sérios para ele ou mesmo fazer com que você seja expulso da casa.

Logo, é imprescindível ser organizado com as suas finanças, para não perder nenhuma data ou acabar sem dinheiro para cumprir com os seus compromissos. Aliás, se todos não fizerem o mesmo, o risco de tomar banho frio ou de ficar sem internet na hora em que mais precisar é grande!

5. Conserve o imóvel e o que tem dentro dele

Mesmo que a casa não seja sua, saiba que a conservação do imóvel está sob responsabilidade dos moradores. Isso costuma ser um ponto crítico do contrato, e o proprietário (ou a imobiliária) pode ser bem severo, quando vocês forem devolvê-lo — ou seja, o descuido é capaz de causar muitos gastos e dores de cabeça.

Da mesma forma, o que tem dentro da república também deve ser conservado e bem cuidado. Na maioria das vezes, os familiares dos moradores é que acabam contribuindo com os móveis, eletrodomésticos e outros equipamentos.

Então, nada mais justo do que ter o bom senso de manter tudo em ordem para preservar a casa, certo? Essa preocupação deve se estender ainda aos convidados que frequentam e fazem uso do ambiente. O seu papel é deixar bem claro quais são as regras para amigos e visitantes.

6. Evite surpresas

Outra boa recomendação para quem não quer problemas com os moradores é evitar que eles sejam surpreendidos — principalmente com situações ou notícias negativas.

Esse é um dos motivos que confirmam a importância de estabelecer o acordo geral da república. Para citar um exemplo, em alguns locais o combinado é não permitir festas em dias de semana, já que isso pode atrapalhar a rotina de estudos ou de trabalho dos outros.

Agora, imagine a reação de um morador ao chegar cansado em plena terça-feira e perceber uma comemoração acontecendo em sua casa? Pode até ser que ele deixe passar, mas, se isso não estava acordado, o correto é que não aconteça.

O mesmo ocorre ao trazer namorados (as) para a casa. Será que todos concordam? Por isso, todos os pontos devem ser conversados, para que as surpresas desagradáveis sejam evitadas.

7. Não mexa no que não é seu

Aquela guloseima especial que você estava aguardando para comer sumiu. Seu iogurte preferido não está mais na geladeira. A blusa que você ia usar hoje não está no seu armário. O sabonete que você comprou ontem também desapareceu.

Quem acha isso legal? Ainda que algumas pessoas se incomodem mais ou menos do que outras, é provável que a maioria concorde que esse tipo de coisa não deve acontecer sempre.

Compartilhar a casa não significa ter que dividir todo o resto, portanto, não mexa no que não é seu — e, se por acaso precisar de algo, pergunte antes de pegar. A comunicação deve ser priorizada, para não gerar nenhum mal-entendido. 

8. Busque fazer programas em conjunto

Apesar das dificuldades, essa experiência também tem que ter suas vantagens, não é mesmo? E isso não quer dizer apenas economizar com a divisão das contas.

É claro que, com a correria do dia a dia, pode não ser tão fácil conciliar a agenda de todo mundo, mas, sempre que possível, é legal que os moradores façam atividades juntos. Isso ajuda a aproximar as pessoas, estreitar as amizades e deixar a rotina mais leve.

Talvez os gostos e preferências sejam bem diferentes, mas, respeitando as características de cada um, certamente será possível achar um programa agradável. Mesmo que seja comer uma pizza, jogar videogame, assistir a um filme ou simplesmente ficar conversando por um tempo.

Esses momentos são importantes para construir boas memórias e fazer com que cada pessoa tire algo bom dessa fase da vida.

9. Marque reuniões periódicas

Um encontro inicial é indispensável para definir as normas de convivência, porém, outros podem ser necessários para atualizar a conversa. Demandas, preferências e opiniões das pessoas vão mudando ao longo do tempo. Por essa razão é natural ter que rever o combinado da república.

A chegada de novos moradores provavelmente, inclusive, exigirá, provavelmente, essa revisão das regras. Esta é, portanto, uma dica que merece ser seguida: faça reuniões periódicas. Comece avaliando se o andamento da casa está mesmo como era esperado ou se existem arestas para serem aparadas. Troque ideias e realize todos os ajustes que forem necessários.

10. Encontre um bom lugar

Sabe uma coisa que influencia na convivência e até no bom humor dos integrantes de uma república? A localização da casa. Ter um lugar que atenda às expectativas dos moradores é algo que faz toda a diferença.

Se, por exemplo, o perfil da turma é mais agitado, optar por um bairro muito tranquilo é capaz de trazer problemas constantes — e vice-versa. Escolher um local muito distante da faculdade ou do trabalho também pode causar um certo cansaço ou estresse

11. Procure resolver os conflitos

É natural que algumas coisas sejam desagradáveis nesse caminho. Conviver não é uma missão fácil, e até com a nossa própria família as divergências acontecem, não é verdade?

O segredo para não tornar essa experiência muito ruim é tentar sempre resolver os conflitos que surgirem. Arrastar um problema por muito tempo vai deixar o clima péssimo, inclusive para as pessoas que nem estiverem envolvidas no atrito.

Então, não deixe de favorecer o diálogo em todas as suas relações dentro da casa. Se for preciso, dê o primeiro passo para buscar uma solução conjunta. Exponha os seus argumentos com tranquilidade e tente entender o lado do outro.

Às vezes, uma pequena falha de comunicação causa uma confusão enorme. Como as personalidades são diferentes, nem todo mundo vai ter o mesmo entendimento e atitudes que você teria. Sendo assim, não hesite em fazer o possível para que a harmonia seja um ponto de destaque da sua casa.

Por fim, seguindo essas dicas, tendo respeito pelo outro e não dando motivos para confusões, morar em república ou em qualquer outro lugar certamente será bem mais tranquilo. Isso faz toda a diferença para o seu bem-estar e até para o seu desempenho na faculdade, sabia?

O que você achou das nossas sugestões? Se você gosta desse tipo de conteúdo, aproveite para assinar a nossa newsletter e continuar recebendo outras publicações como esta!

Campus UCL Manguinhos / Campus UCL Campo Grande