Tudo o que você precisa saber sobre o ensino EAD

Um dos maiores avanços que a tecnologia trouxe para a educação foi a possibilidade de os estudantes poderem frequentar um curso superior a distância. O ensino EAD amplia o acesso às faculdades, permitindo que os alunos assistam às aulas sem nem mesmo precisar sair de casa.

Diante da dificuldade em conciliar trabalho com educação, da distância entre casa e faculdade ou de diversas outras razões, muitas pessoas se veem impossibilitadas de frequentar um curso presencial, pois essa modalidade de ensino é bastante inflexível em seus horários e formas de acesso.

A graduação a distância, por outro lado, oferece toda a flexibilidade que os estudantes precisam, permitindo que qualquer pessoa consiga seu diploma, independentemente de onde estejam ou do quão apertada seja sua rotina diária.

Se você ainda não sabe como funciona a educação a distância, não se preocupe! Acompanhe o post de hoje para saber tudo sobre o assunto!

O que é ensino EAD?

Para quem não sabe, a educação a distância (EAD) é uma modalidade de ensino que oferece às pessoas a possibilidade de fazer uma graduação superior, cursos de capacitação, pós-graduação ou especialização sem nem mesmo precisar sair de casa.

Para frequentar as aulas, resolver exercícios e interagir com os outros estudantes, você precisa apenas de um computador, celular ou tablet com acesso à internet. As aulas e demais materiais ficam disponíveis no site ou aplicativo da faculdade e podem ser acessados quando e onde o estudante quiser.

Essa não é uma modalidade de ensino exclusiva dos dias atuais. Ela já existe há um bom tempo, muito antes do advento da internet. A diferença é que, antigamente, os cursos eram feitos por correspondência, e isso tornava o processo muito limitado.

Receber os materiais por correio, sem a possibilidade de conversar com professores, tirar dúvidas ou interagir com outros colegas, fazia com que esses cursos não fossem tão aprofundados quanto os presenciais.

Nos dias de hoje, porém, o avanço da tecnologia tornou o ensino EAD equiparável ao presencial, pois permite que os estudantes assistam às aulas por meio de vídeos online, troquem ideias com seus professores por e-mails ou chats e ainda interajam com seus colegas nos fóruns digitais da instituição.

Além de tudo isso, as instituições de ensino superior que oferecem a modalidade EAD também possuem polos presenciais que dão apoio aos estudantes. Neles, é possível acessar laboratórios, bibliotecas, salas de aulas para aplicação de provas, entre muitas outras facilidades que complementam o aprendizado.

Em resumo, o ensino EAD dá aos estudantes toda a flexibilidade necessária para conciliar o aprendizado com outras atividades. Dessa forma, elimina-se qualquer obstáculo capaz de impedir o investimento na educação, como falta de tempo, dificuldade de locomoção ou até mesmo as despesas para pagar a faculdade, tendo em vista que os cursos a distância costumam ser mais baratos que os presenciais.

Quais são as diferenças entre ensino EAD e ensino híbrido?

Para responder a essa pergunta, é preciso traçar algumas diferenças entre o ensino a distância e o presencial. Só assim, será possível compreender o que é um curso híbrido. Veja a seguir quais são as características principais de cada modalidade:

Ensino presencial

Esse é o modelo padrão adotado pela maioria das universidades. Ao ser aprovado no vestibular ou Enem, o estudante deverá efetuar sua matrícula na instituição de ensino escolhida e optar pelo turno em que deseja estudar: noturno, vespertino ou matinal.

A graduação dura em média 4 ou 5 anos, dependendo do curso escolhido. Todas as aulas são ministradas dentro da própria faculdade, de acordo com a grade curricular da instituição. Para ser aprovado em cada semestre, o aluno deve obter as notas mínimas exigidas pelo curso e não exceder os limites de faltas em cada disciplina.

A presença em sala de aula é verificada por meio de uma chamada feita pelos professores, geralmente no início e no final das aulas. Em regra, o aluno que exceder 20% de faltas será reprovado na disciplina, devendo repeti-la no semestre seguinte.

A obtenção do diploma ao final do curso depende da aprovação em todas as disciplinas, do cumprimento de atividades complementares e estágio profissionalizante e da entrega de um trabalho de conclusão de curso (TCC), que geralmente é feito sob a forma de uma monografia dissertativa.

Como o ensino presencial exige que os estudantes se desloquem até a faculdade em horários determinados todos os dias, ele não oferece muita flexibilidade, principalmente na reposição de faltas. Ou seja, se você não puder comparecer a uma aula, não será possível assisti-la novamente mais tarde.

Ensino EAD

Como já mencionamos, os cursos EAD estão se tornando cada vez mais populares graças ao advento da internet. Boa parte das instituições de ensino que já ofereciam cursos presenciais também estão investindo na educação a distância.

Para entrar na faculdade, as formas de ingresso a distância são basicamente as mesmas da presencial. É possível fazer vestibular, Enem, pedir transferência, obtenção de novo título e, em alguns casos, é exigido somente uma entrevista com o estudante que comprovadamente se formou no ensino médio.

A principal diferença entre o ensino EAD e o presencial está no fato de que as aulas são ministradas a distância, ou seja, não é necessário que o estudante se desloque até a faculdade para assisti-las. Mas isso não quer dizer que os critérios de aprovação em cada semestre sejam diferentes: ainda é necessário obter uma pontuação mínima em cada disciplina e manter a frequência acima de 80%, em regra.

Nesse caso, porém, a presença não é contabilizada por meio de uma chamada feita pelos professores, e sim por meio de atividades que devem ser entregues em prazos específicos ao longo do semestre.

No ensino EAD, todos os conteúdos e materiais ficam disponibilizados ao aluno por meio da plataforma online da instituição. Dessa forma, é possível acessá-los quantas vezes quiser, podendo, inclusive, assistir às aulas repetidamente para reforçar o aprendizado.

Apesar de toda essa flexibilidade, o curso ainda exige que as provas finais de cada período sejam realizadas nos polos presenciais da faculdade e a defesa do TCC seja feita pessoalmente. Os critérios para a obtenção do diploma são os mesmos do curso presencial.

Ensino híbrido

Agora que as diferenças entre o ensino EAD e o presencial estão esclarecidas, fica muito mais fácil compreender o que é o ensino híbrido ou semipresencial. Aqui, como o próprio nome já diz, temos uma mistura entre os elementos das duas modalidades anteriores. Ou seja, parte do curso é presencial e outra parte é ministrada a distância.

Porém, para entender qual é a proporção entre essas partes, é preciso deixar claro que os cursos híbridos podem ter dois focos diferentes, direcionando-se mais às atividades presenciais ou à EAD.

No caso dos cursos focados na atividade presencial, apenas 20% do seu conteúdo pode ser ministrado a distância. Ou seja, o estudante ainda deverá comparecer à faculdade para assistir às aulas e participar de atividades com outros estudantes. A presença continua sendo contabilizada por meio de chamadas.

O conteúdo a distância serve principalmente para reforçar aquilo que foi transmitido presencialmente em sala de aula. Diversos materiais de apoio ficam disponíveis na plataforma online da faculdade e os estudantes precisam cumprir as atividades dentro do prazo estipulado pelos professores para serem aprovados no final do semestre.

Já os cursos híbridos com foco no ensino EAD oferecem maior flexibilidade, porém, sem retirar o contato direto e em tempo real com professores e outros alunos. As aulas são ministradas em tempo real via satélite ou por meio de um streaming online que acontece em polos de apoio da faculdade, localizados estrategicamente em cidades e locais mais isolados.

Essa é uma excelente alternativa para estudantes que não podem se deslocar até a instituição principal para assistir às aulas todos os dias. Geralmente, os cursos semipresenciais são ministrados uma ou duas vezes por semana, dando maior liberdade aos alunos. O conteúdo transmitido fica disponível na plataforma digital posteriormente, podendo ser acessado a qualquer momento.

A grande vantagem dos cursos híbridos está no fato de que eles unem as vantagens de ambas as modalidades: dão mais liberdade aos alunos e ainda incentivam o contato presencial com a instituição para tirar dúvidas com o corpo docente, interagir com outros estudantes e realizar atividades práticas.

O diploma tem a mesma validade que o do ensino presencial?

Como já mencionamos, o ensino a distância carregou consigo uma impressão negativa por muito tempo, devido principalmente ao fato de que os cursos por correspondência não contavam com a mesma qualidade que os presenciais e, muitas vezes, não eram sequer reconhecidos como uma graduação válida.

Atualmente, esse cenário se modificou, mas, infelizmente, muitas pessoas ainda pensam que o ensino a distância não conta com a mesma excelência que o presencial. Não é à toa que existem boatos que afirmam que o diploma EAD não tem a mesma validade que os outros.

Antes de mais nada, devemos deixar claro que a validade de um diploma de curso superior não depende da modalidade em que ele foi obtido, e sim do reconhecimento do Ministério da Educação. Se um curso não é devidamente credenciado e autorizado pelo MEC, ele não tem permissão para emitir um diploma de graduação, independentemente de ser presencial ou a distância.

Logo, se um curso EAD é devidamente credenciado, o seu diploma possui exatamente a mesma validade que o presencial. Na verdade, a modalidade de ensino não é sequer mencionada nesse documento, pois é totalmente irrelevante.

O preconceito existente em relação ao ensino EAD é totalmente infundado nos dias atuais, até mesmo porque existem vários cursos a distância que contam com um conceito muito maior que os presenciais. Para avaliar a qualidade de uma instituição e descobrir se os cursos oferecidos por ela são válidos, basta acessar o site do e-MEC.

O conceito do MEC para os cursos e faculdades variam entre notas de 1 a 5, sendo que 1 e 2 são consideradas insatisfatórias. Dessa forma, a qualidade de uma graduação não deve ser julgada pela sua modalidade de ensino, e sim pelo seu reconhecimento perante o mercado.

Qual é o perfil do aluno EAD?

Diante das muitas diferenças que existem entre o curso EAD e o presencial — principalmente em relação à flexibilidade do primeiro — é comum que o perfil dos alunos que optam por uma modalidade ou outra também seja diferente.

Via de regra, o estudante EAD tem muito mais maturidade e disciplina que o presencial, afinal, ele é o responsável por permanecer com o conteúdo do curso em dia. Como as aulas e materiais ficam disponíveis na internet para serem acessados a qualquer momento, é preciso ter muito autocontrole para manter uma rotina de estudos e não deixar as aulas se acumularem.

Justamente por isso, é comum que boa parte desses estudantes sejam pessoas que já estão inseridas no mercado de trabalho ou já cursaram uma graduação antes e já sabem como se organizar para tirar o maior proveito possível do novo curso. Mas nada impede que um estudante que acabou de sair do ensino médio também opte pelo ensino EAD.

Mesmo que alguém não tenha disciplina suficiente para lidar com a flexibilidade oferecida por uma graduação a distância, ele acabará desenvolvendo autonomia suficiente ao longo do curso e se tornará uma pessoa muito mais responsável e organizada.

Como o ensino EAD utiliza uma metodologia ativa — na qual o estudante é o agente central no seu aprendizado —, muitas habilidades visadas pelo mercado de trabalho serão aprimoradas, como proatividade, comprometimento e organização.

Enquanto no ensino presencial os alunos se sentem dependentes dos professores e da própria instituição de ensino, na educação a distância, as coisas são diferentes. O professor passa a ser visto como um orientador que vai guiar seus passos em direção ao conhecimento, porém sem segurar suas mãos. O caminho a ser percorrido é de sua própria responsabilidade.

Além disso, o ensino EAD também é extremamente vantajoso para alunos que sentem dificuldade em interagir com outras pessoas. O ambiente virtual facilita o contato entre estudantes e professores, incentivando essa interação por meio das atividades e dos fóruns de discussão. Nesse caso, a tecnologia é uma excelente aliada para vencer a timidez.

Por fim, é comum que os estudantes EAD sejam — ou se tornem — pessoas muito mais familiarizadas com a tecnologia. Afinal de contas, seus estudos dependerão inteiramente da internet e das habilidades em usar o computador, tablet ou celular. Mais uma vez, essas habilidades são essenciais no mercado de trabalho.

Quais são as vantagens dessa modalidade de ensino?

Agora que já deixamos claro o que é o ensino EAD e quais são suas principais características e diferenças em relação às outras modalidades de ensino, é hora de finalmente analisarmos quais são suas vantagens. Afinal, por que um estudante deveria escolher um curso a distância em vez de um presencial?

Para responder a essa pergunta, vamos listar a seguir quais são os principais benefícios que essa modalidade de ensino pode trazer. Confira!

1. Flexibilidade

Diante de tudo que falamos aqui, não há dúvidas de que a maior vantagem de um curso a distância é a flexibilidade que ele proporciona. Não há nada melhor do que ter a liberdade de assistir às aulas quando e onde você quiser, sem ficar preso aos horários e locais estipulados por uma faculdade presencial.

Tal flexibilidade permite que muitos estudantes que não tinha condições de frequentar a faculdade — seja por não conseguir conciliar a rotina de trabalho com os estudos ou por dificuldades de acesso e locomoção — possam iniciar a sua graduação superior.

Poder estudar no seu próprio ritmo é o sonho de qualquer estudante, pois, dessa forma, é possível escolher os horários e locais mais favoráveis ao perfil de cada um. Adaptar os estudos à sua rotina diária, e não o contrário, permite que o curso a distância seja mais bem aproveitado.

2. Baixos custos

Uma instituição EAD possui baixas despesas com infraestrutura, pois não precisa de prédios com muitas salas de aula, secretarias, cantinas, estacionamentos etc. Por outro lado, consegue sustentar um número muito maior de alunos, já que não está limitada por essas questões espaciais.

Tudo isso é refletido no valor da mensalidade dos cursos a distância, que é bem inferior quando comparado aos cursos presenciais. É possível economizar até 40% apenas nesse aspecto.

Mas a economia não para por aí! O ensino EAD também gera impacto nas despesas emergentes, ou seja, aquelas que surgem em função da faculdade. Exemplos disso são os gastos com transporte público, alimentação, materiais didáticos, entre outros.

Diante da possibilidade de assistir às aulas quando e onde você quiser, não será necessário se preocupar com o deslocamento até a faculdade ou com o que lanchar durante os intervalos da aula, nem mesmo com alguns materiais, já que a própria faculdade disponibiliza apostilas digitais para complementar os estudos. Ou seja, você diminuirá consideravelmente as despesas em cada um desses pontos.

Em resumo, o ensino EAD é capaz de diminuir a maior parte dos gastos gerados por uma graduação, e isso aumenta o acesso à educação, permitindo que estudantes sem condições de arcar com os custos de uma faculdade presencial possam estudar sem grandes dificuldades, ainda mais se obtiverem uma bolsa ou descontos pela própria instituição.

3. Preparo estudantil

Ao exigir maior autonomia e proatividade dos seus estudantes, o curso a distância faz com que eles desenvolvam habilidades que são muito apreciadas no mercado de trabalho. Como já mencionamos, o perfil de um estudante EAD é bastante valioso nesse cenário, tendo em vista que ele geralmente demonstra mais maturidade e organização que muitos outros estudantes recém-formados.

Com isso, além de oferecer um ensino de qualidade, a educação a distância também prepara seus alunos para muitos desafios do mercado de trabalho que serão enfrentados no futuro. Atualmente, é até comum que algumas empresas tenham preferência por estudantes formados nessa modalidade.

E se você pensa que o ensino EAD não desenvolve os conhecimentos práticos que um curso superior deve trabalhar, está muito enganado! Apesar de a maior parte do conteúdo ser transmitido a distância, o aluno precisa cumprir horas de estágio profissionalizante para se formar e ainda deverá comparecer periodicamente aos polos presenciais da faculdade para executar atividades práticas e provas finais que avaliarão seus conhecimentos.

Em outras palavras, um curso EAD oferece tudo que os estudantes precisam para se destacarem profissionalmente: preparo acadêmico, prático e pessoal.

4. Infraestrutura

Já mencionamos que as faculdades EAD não precisam de muitas salas de aulas e outras facilidades para funcionar — o que impacta nos seus custos —, porém, isso não quer dizer que elas não ofereçam uma boa infraestrutura para dar apoio a todos os alunos e complementar seu aprendizado.

O MEC exige que todas as instituições de ensino que oferecem a modalidade de ensino EAD possuam um ou mais polos presenciais capazes de oferecer todo complemento que um curso precisa para garantir uma boa formação.

Dessa forma, ao se matricular em uma graduação a distância, você estará livre para visitar esse polo e usufruir de tudo que sua infraestrutura proporciona, como laboratório na faculdade, bibliotecas, salas de informática, e ainda será possível se reunir com professores ou monitores esporadicamente para orientações e aplicação de provas.

No caso de instituições presenciais que também oferecem cursos a distância, os estudantes ficam livres para visitar o campus principal sempre que quiserem, aproveitando tudo que ele tem a oferecer.

5. Interatividade

Ao falarmos sobre o perfil de estudantes EAD, deixamos claro que essa modalidade de ensino é uma excelente escolha para estudantes que sentem dificuldade ou vergonha de interagir com outras pessoas, bem como é uma opção vantajosa para quem deseja ficar mais familiarizado com a tecnologia.

Esses dois aspectos se devem ao fato de que a plataforma digital do ensino EAD incentiva ao máximo a interatividade do aluno com o próprio sistema de ensino e com os outros estudantes e professores.

No ensino presencial, apesar de o aluno ter um contato direto e em tempo real com os seus tutores, esse contato é geralmente limitado aos horários de aula ou monitoria. Já no ensino a distância, essa barreira não existe. Os professores e monitores estão disponíveis a qualquer momento, já que o contato com eles ocorre principalmente por meio da plataforma online.

Os fóruns de discussão e as atividades do curso também encorajam a interação entre os próprios estudantes, e tudo isso contribui para a formação de um networking que pode ser muito útil no futuro.

Por fim, apesar de o contato presencial ser limitado nos cursos a distância, isso não quer dizer que ele seja inexistente. Como já mencionamos, as provas finais devem ser feitas nos polos presenciais da faculdade, bem como a apresentação do TCC, que deverá ser defendido presencialmente perante uma banca de docentes.

Como deu para perceber, os cursos a distância conseguem unir o melhor dos dois mundos. Além de oferecer uma educação de qualidade, essa é uma modalidade que facilita a vida dos alunos e amplia o acesso à educação ao dar muito mais liberdade ao aprendizado!

Se você ainda tem alguma outra dúvida em relação ao ensino EAD, deixe um comentário neste post e teremos prazer em respondê-lo!