Separamos 4 cursos de tecnologia para você atuar nessa área

Os avanços digitais vieram para ficar e inauguraram uma nova era, com transformações na sociedade, na educação, na saúde, no mercado de trabalho e nos negócios. É só pensarmos em como o smartphone ganhou uma importância especial na vida das pessoas.

Diante desse cenário, os cursos de tecnologia ganham destaque para quem busca uma área em ascensão. Assim, se você está pesquisando qual faculdade fazer e se preocupa com as perspectivas profissionais, precisa considerar a área de Tecnologia da Informação (TI).

Para ajudá-lo nessa escolha, desenvolvemos este post. Continue a leitura e descubra por que há forte demanda por profissionais de tecnologia, quais os 4 melhores cursos da área e o que você precisa fazer para se destacar nesse mercado!

A indústria 4.0 e a demanda por cursos de tecnologia

O mundo digital provoca mudanças em todos os aspectos da sociedade, especialmente nos modos de produção e nos modelos de negócio. A conectividade, as inovações na tecnologia da informação e o desenvolvimento da robótica vêm transformando também a indústria.

A indústria 4.0, ou quarta revolução industrial, apresenta um novo paradigma na maneira de funcionamento dos negócios, com o uso cada vez maior de dispositivos inteligentes interconectados e com a descentralização dos processos de produção.

De onde surgiu o conceito

O conceito dessa nova era tem origem na Alemanha — na Feira de Hannover de 2011. A ideia foi uma iniciativa do governo daquele país, junto com empresas de tecnologia e centros de pesquisa, para modernizar a indústria local. Não vai demorar muito para que também seja uma realidade em outros países, como o Brasil.

O uso de robôs não é novidade para a indústria, mas o que essa nova fase traz é o uso de máquinas que podem realizar funções cada vez mais complexas, como análise de dados em alta velocidade, e que “conversem” entre si.

A conexão de máquinas vai criar redes inteligentes em toda a cadeia de produção, permitindo um controle autônomo de cada etapa, ou seja, são robôs com capacidade para identificar e agendar as manutenções, adaptar processos ou ainda prever falhas.

Além disso, são avanços que vão permitir fazer uma customização da produção — atendendo a  necessidades e preferências dos consumidores — e também reduzir os custos e consumo de energia.

Demanda por profissionais de tecnologia

A indústria 4.0 apresenta, portanto, modificações no cenário econômico, maior competitividade das indústrias e um novo papel dos profissionais. As máquinas inteligentes e os novos processos operacionais vão abrir uma demanda forte para especialistas em tecnologia — principalmente na área de pesquisa e desenvolvimento.

As empresas também vão precisar de pessoas para fazer uma adaptação de seus processos para esse novo conceito, como engenheiros mecatrônicos, de computação e analistas de sistemas, entre outros.

É importante destacar que o sucesso da indústria 4.0 está estritamente ligado à segurança dos sistemas de informação. Dessa maneira, abre-se espaço para profissionais desse nicho, que vão trabalhar para garantir uma produção sem nenhum transtorno e sem causar prejuízos com falhas de transmissão ou vazamento de dados.

É uma mudança de paradigma, assim como foram as revoluções industriais anteriores. Trata-se de uma tecnologia industrial com extrema rapidez, precisão e eficiência.

Oportunidades

A área da tecnologia encontra um mercado aquecido em todo o país. É, por exemplo, uma das profissões em alta no Espírito Santo.

O estado conta com grandes empresas — como Samarco Mineração, ArcelorMittal Tubarão, Petrobras e Vale — além da atividade portuária. Por isso, é uma região com boas oportunidades para os profissionais.

Não é só na indústria que o pessoal de TI encontra bons cargos. O futuro do varejo e as facilidades que o desenvolvimento de novos sistemas digitais trazem para empresas e consumidores também passam pelo talento de especialistas em tecnologia.

O que você precisa saber para trabalhar nesse mercado

Já deu para perceber que a área de tecnologia é a ideal para quem busca uma carreira que está em alta e cuja demanda só tende a crescer nos próximos anos, mas, por mais afinidade e facilidade de aprendizado que você tenha com esse universo, é obrigatório buscar qualificação adequada.

Muitos jovens têm uma postura autodidata — uma competência muito valiosa para o mercado de trabalho. Isso não é, entretanto, suficiente para ter uma vantagem competitiva e se destacar para os melhores cargos e salários.

Importância do ensino superior

É fundamental que você faça uma faculdade, para adquirir conhecimento teórico e competências técnicas para se tornar um profissional qualificado. Além disso, a graduação vai mostrar a você as diversas possibilidades de atuação na área.

O ensino superior se divide em 3 modalidades (tecnólogo, bacharelado e licenciatura), sendo que o primeiro tem um viés mais prático e duração menor, de 2 a 3 anos, o segundo é a formação clássica, com duração média de 4 anos, e a licenciatura é o formato de graduação para quem quer ser professor da rede básica.

Assim, se você quer se tornar um profissional de TI, vai encontrar opções, principalmente nos formatos de bacharelado e tecnólogo. Analise os cursos de tecnologia e descubra qual se encaixa melhor em seu perfil.

Você pode escolher entre as faculdades de:

  • Engenharia de Controle e Automação;

  • Engenharia da Computação;

  • Sistemas de Informação;

  • Análise e Desenvolvimento de Sistemas.

Detalhamos as características de cada uma dessas graduações. Acompanhe!

4 melhores cursos para trabalhar com tecnologia

Se você está interessado em trabalhar com tecnologia, já sabe que é necessário fazer uma graduação na área para se destacar no mercado. Ao pesquisar os cursos, tenha a precaução de escolher uma instituição de ensino superior de qualidade.

Avalie os conteúdos programáticos, verificando se há uma abordagem mais prática e atualizada, afinal, você deve sair preparado para conquistar uma vaga de emprego. É importante, ainda, conhecer a infraestrutura, como os laboratórios, além da qualificação do corpo docente.

Dessa maneira, você fica tranquilo, pois sabe que terá uma formação completa para atuar na área.

Está curioso para conhecer os 4 melhores cursos de tecnologia? Confira abaixo:

1. Engenharia de Controle e Automação (Mecatrônica)

É uma área que mescla conhecimentos das Engenharias Elétrica e Mecânica e de Informática. Dessa maneira, permite ampla atuação.

O engenheiro de controle e automação trabalha no desenvolvimento e na execução de projetos relacionados à automação industrial. É, portanto, uma profissão com um mercado aquecido, por conta da competitividade entre as grandes indústrias e da modernização de seus parques tecnológicos.

O profissional pode projetar, operar e fazer a manutenção de máquinas e equipamentos que fazem parte dos processos automatizados de indústrias de diferentes segmentos. Além disso, tem a capacitação para gerenciar projetos e sistemas de controle e automação, trabalhar com robôe adaptar softwares para a produção industrial.

O engenheiro busca soluções para aumentar a segurança e a eficácia nos processos, bem como para reduzir os custos do negócio.

É uma área que tem ampla atuação na indústria — como de petróleo e gás, metalurgia, siderurgia, automobilística e mineração —, mas também encontra espaço em outros setores, como:

  • serviços — automação residencial e predial;

  • saúde — na área de equipamentos hospitalares (inclusive robóticos);

  • informática — com o desenvolvimento de modelos matemáticos de peças e processos, desenvolvimento de softwares e projeto de sistemas digitais.

Matriz curricular

Nos primeiros semestres da graduação, o aluno tem contato com as disciplinas mais gerais, como: Matemática, Cálculo, Física, Química, Desenho Técnico, Mecânica e Estatística.

Ao longo do curso, o conteúdo programático se volta mais para as habilidades práticas, para que o estudante entenda, por exemplo, o que é robótica. Assim, são abordadas disciplinas como:

  • Programação de Computadores;

  • Circuitos Elétricos;

  • Processos Industriais;

  • Eletrônica;

  • Materiais e Sensores;

  • Máquinas Elétricas;

  • Fenômenos de Transporte;

  • Instrumentação Industrial;

  • Sistemas de Energia;

  • Sistemas Digitais;

  • Princípios da Robótica;

  • Projetos de Máquinas.

A matriz curricular contempla também temas voltados para os profissionais que queiram trabalhar de forma autônoma ou abrir a própria empresa — o aluno acompanha disciplinas como Administração Geral, Direito Empresarial, Gerenciamento de Projetos e Empreendedorismo.

O curso de Engenharia de Controle e Automação tem duração de 5 anos. Ao final da graduação, é obrigatória a realização do estágio supervisionado — uma oportunidade para o aluno conhecer de perto a rotina e processos dessa área, além de aprender com profissionais mais experientes.

2. Engenharia da Computação

A Engenharia da Computação é o segmento que trabalha com hardware, software e sistemas. Com a indústria 4.0, haverá ainda mais perspectivas no mercado de trabalho, pois ele se tornará um dos profissionais-chave nas empresas.

O engenheiro dessa área pode projetar e construir computadores e acessórios, elaborar e coordenar projetos de redes de computadores, de automação industrial e de sistemas com microprocessadores para aplicação científica ou industrial. Mas não é só, pois ele tem competência para atuar também com:

  • criação de sistemas digitais e robôs;

  • desenvolvimento e aperfeiçoamento de aplicativos para smartphones;

  • criação de softwares;

  • big data, no desenvolvimento de algoritmos para analisar o volume de dados que circulam na internet;

  • gestão de sistemas industriais e comerciais;

  • segurança de dados;

  • pesquisa de novas tecnologias e tendências.

Assim, encontra espaço em indústrias que fabricam computadores e de outras áreas com processos automatizados, departamentos de TI de empresas de todos os portes, desenvolvedoras de softwares, empresas de telecomunicações, bancos e institutos de pesquisa.

As indústrias com atuação externa, cujos processos passam por um alto padrão de exigência a fim de enfrentar a competitividade com outros países, abrem vagas para profissionais especializados em sistemas computacionais.

O engenheiro de computação pode ainda ter seu próprio negócio, com suporte na área de TI para empresas ou desenvolvimento de hardware e software.

Matriz curricular

No início da graduação em Engenharia da Computação, são abordados conteúdos mais gerais, que são a base do conhecimento da Engenharia. Assim, nos primeiros semestres, o aluno tem disciplinas como:

  • Cálculo;

  • Geometria Analítica;

  • Química Básica;

  • Desenho Técnico;

  • Lógica Matemática e Computacional;

  • Física;

  • Estatística;

  • Circuitos Elétricos.

Na sequência, os temas ficam mais aprofundados, e o conteúdo programático passa a contar com disciplinas como:

  • Programação Aplicada;

  • Eletrônica;

  • Organização e Arquitetura de Computadores;

  • Materiais e Sensores;

  • Banco de Dados;

  • Linguagem de Programação;

  • Rede de Computadores;

  • Sistemas Digitais;

  • Controle Automático;

  • Engenharia de Softwares;

  • Sistemas Embarcados;

  • Computação Gráfica;

  • Análise de Algoritmos;

  • Redes Industriais.

Para os alunos que sonham em abrir a própria empresa, são tratadas disciplinas como Direito Empresarial, Administração Geral, Gerenciamento de Projetos e Empreendedorismo.

O curso de Engenharia da Computação é do tipo bacharelado e tem duração de 5 anos. Ao final da graduação, é obrigatória a realização do estágio supervisionado.

3. Informática (Sistemas de Informação)

O profissional da área de Sistemas de Informação é requisitado por empresas de diferentes segmentos e portes. Isso porque ele trabalha no desenvolvimento de sistemas de informação e automação, bem como no gerenciamento do fluxo de informação em redes de computadores, garantindo que os dados circulem de forma segura e eficiente.

É, portanto, essencial que as organizações contem com um especialista nessa área, para melhorar a gestão, garantindo processos mais rápidos e eficientes (com a eliminação de tarefas repetitivas) e redução de custos. É o profissional que atua também com suporte técnico, fazendo a manutenção de redes, banco de dados e sistemas.

Ele também pode desenvolver softwares de acordo com as necessidades dos usuários, como programas para facilitar a comunicação interna das empresas. Trabalha também com a funcionalidade de sites, para que o acesso ocorra de forma adequada.

Outro campo de atuação é o de modelagem matemática, em que situações reais são simuladas e utilizadas para a prevenção de problemas. Quem se interessar pode ainda trabalhar de forma autônoma, com consultoria em TI.

Matriz curricular

A graduação em Informática (Sistemas de Informação) mescla teoria e prática, a fim de formar um profissional altamente capacitado para atuar em diferentes segmentos de TI.

Nos primeiros semestres, o curso trabalha disciplinas variadas, entre elas:

  • Comunicação e Linguagem;

  • Lógica Matemática e Computacional;

  • Inglês para a Informática;

  • Engenharia de Software;

  • Algoritmos e Estruturas de Dados;

  • Arquitetura de Computadores;

  • Probabilidade e Estatística.

Ao longo do curso, o conteúdo programático torna-se mais prático e são abordados temas como:

  • Análise e Projeto de Sistemas;

  • Tecnologia Web;

  • Banco de Dados;

  • Redes de Computadores;

  • Programação Avançada de Sistemas;

  • Projeto de Infraestrutura de TI;

  • Engenharia de Interface;

  • Gestão de Qualidade de Software;

  • Segurança da Informação;

  • Inteligência Artificial Aplicada;

  • Internet das Coisas — IoT;

  • Desenvolvimento de Sistemas Web.

O curso de Informática (Sistemas de Informação) também prepara o aluno para empreender, por isso a matriz curricular apresenta disciplinas como: Fundamentos da Administração, Gestão de Processos de Negócio, Gestão de Projetos, Empreendedorismo em Tecnologia, Economia Empresarial e Negociação Eletrônica e Marketing Digital.

A graduação é do tipo bacharelado e tem duração de 4 anos. É obrigatória a realização do estágio supervisionado.

4. Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Gosta de tecnologia e quer trabalhar com programação? Então o tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de Sistemas é o curso ideal para você.

O analista de sistemas domina todos os aspectos que envolvem a programação, como criação, implementação, manutenção e sua otimização. O objetivo é oferecer melhor desempenho, segurança, funcionalidade e qualidade de sistemas computacionais e softwares.

Com isso, é um profissional bastante procurado pelas empresas que buscam aperfeiçoar seus processos na área de TI — ganhando mais eficiência e segurança nas operações ou ainda oferecendo uma experiência diferenciada aos consumidores, principalmente nos serviços digitais.

Entre as principais atribuições do analista estão:

  • análise, projeto e construção de sistemas;

  • modelagem de dados;

  • gerência de configuração de sistemas;

  • administração de redes de computadores;

  • administração de banco de dados;

  • otimização de interfaces;

  • gerenciamento de projetos.

O profissional pode atuar em empresas de tecnologia de diferentes portes, em setores de TI de empresas de qualquer segmento ou ainda prestar consultoria na área.

Matriz curricular

O curso superior em Análise e Desenvolvimento de Sistemas no formato tecnólogo prepara o aluno para o mercado de trabalho, por isso há ênfase em disciplinas mais voltadas para a prática.

Acompanhe abaixo os conteúdos abordados:

  • Lógica Matemática e Computacional;

  • Inglês para a Informática;

  • Probabilidade e Estatística;

  • Análise e Projeto de Sistemas;

  • Algoritmos e Estrutura de Dados;

  • Engenharia de Software;

  • Arquitetura de Computadores;

  • Segurança da Informação;

  • Empreendedorismo em Tecnologia;

  • Engenharia de Interface;

  • Redes de Computadores;

  • Banco de Dados;

  • Sistemas Operacionais;

  • Tecnologia Web;

  • Desenvolvimento de Sistemas Móveis;

  • Gestão de Qualidade de Software.

O aluno precisa, ao final do curso, cumprir também o estágio obrigatório.

A vantagem do tecnólogo em Análise e Desenvolvimento de sistemas é sua curta duração. Em 5 semestres, você tem um diploma de ensino superior com bom reconhecimento no mercado.

O profissional consegue construir uma carreira sólida em pouco tempo, o que permite também ingressar mais rápido em cursos de pós-graduação na área — como especialização ou MBA (Master in Business Administration).

São cursos que vão valorizar o currículo, trazer uma vantagem competitiva ainda maior e garantir cargos e salários melhores.

Como se destacar na área de tecnologia

Você já sabe que o mercado de trabalho está de braços abertos para os profissionais de TI, certo? Porém, você não pode ficar parado e precisa se destacar na concorrência. Quer algumas dicas de como construir uma carreira bem-sucedida na área de tecnologia? Confira a seguir:

Esteja atualizado

As transformações no mundo da tecnologia ocorrem a todo momento. Assim, é fundamental que você acompanhe as tendências da área. Como fazer isso?

  • realizando cursos, como treinamentos ou especializações;

  • participando de eventos, como seminários, palestras e workshops do segmento;

  • acompanhando sites e revistas especializadas.

Faça networking

Esteja aberto para novos contatos profissionais. Construir o networking pode começar ainda na faculdade, no contato com professores que são profissionais da área ou ainda no estágio supervisionado. A realização de cursos de pós-graduação também pode dar uma forcinha para você conhecer outras pessoas que atuam com tecnologia.

Manter um bom relacionamento é importante para a troca de experiências, futuras parcerias para quem busca empreender ou ainda para indicação de vagas de emprego.

Aprenda novos idiomas

Um profissional que quer crescer na carreira de TI deve aprender outro idioma, de preferência o inglês. Assim, é possível acompanhar artigos atualizados da área e até manter contato com especialistas de outros países.

Além disso, muitas empresas têm negócios fora do Brasil e exigem de seus colaboradores o conhecimento de um segundo idioma.

Seja flexível

O mercado de TI é bastante dinâmico, por isso você deve demonstrar flexibilidade para trabalhar em novos cargos, assumir projetos diferentes e estar aberto a novos conhecimentos.

O bom profissional desenvolve a capacidade de adaptação para trabalhar com novos processos ou equipamentos. Além disso, ele se arrisca, ou seja, sai da zona de conforto para assumir desafios e ganhar reconhecimento.

Tenha uma visão sistêmica do negócio

Muitos profissionais são experts em seu segmento, porém só têm olhos para o seu próprio departamento. Os gestores valorizam pessoas que consigam ter uma visão sistêmica do negócio, ou seja, que se interessem por conhecer o funcionamento dos outros setores e também do mercado.

Isso é necessário para entender a importância do seu trabalho dentro da organização e, assim, buscar soluções inovadoras.

Utilize a inteligência emocional

Quando a gente pensa em tecnologia, logo pensa no conhecimento técnico como diferencial de um profissional, mas, hoje, as empresas valorizam também as competências comportamentais dos candidatos. Dessa maneira, é importante desenvolver a inteligência emocional no trabalho.

Lidar com pressão, prazos apertados e cobranças do ambiente corporativo não é para qualquer um. Por isso, saem na frente aqueles que têm autocontrole, conseguem receber feedbacks negativos sem se abater, são empáticos, enxergam os desafios como oportunidade de aprendizado e valorizam o trabalho em equipe.

Essas características promovem a harmonia no clima organizacional, aumentando a motivação e a produtividade dos colegas. Além disso, esses profissionais desenvolvem o autoconhecimento, enxergando com clareza suas potencialidades e dificuldades, o que facilita no momento de buscar a qualificação certa para aperfeiçoar seu trabalho.

Seja proativo

Além da inteligência emocional, é essencial que você seja proativo no ambiente de trabalho. Demonstre entusiasmo, iniciativa e fique de olho nas tendências da área, para que você consiga antever cenários e trazer melhores resultados para a empresa.

Agora você já sabe que os cursos de tecnologia vão garantir uma carreira promissora. São áreas com mercado de trabalho aquecido e que só tendem a crescer nos próximos anos. Se você busca uma formação superior que tenha alta empregabilidade, pode apostar sem medo em um segmento de TI.

Ficou interessado nas 4 graduações em tecnologia que apresentamos neste post? Entre em contato com a UCL e obtenha mais detalhes sobre esses cursos!