Saiba a importância da gestão e manutenção na tecnologia da informação

Buscando uma carreira bem sucedida na área de tecnologia? Temos boas notícias! Em um contexto de grande competitividade entre empresas e de um perfil cada vez mais crítico por parte dos consumidores, a tecnologia da informação se tornou uma chave para o sucesso de um negócio, por isso, tem sido muito valorizada no mercado de trabalho.

A gestão e a manutenção de uma arquitetura de dados é sinônimo de experiências positivas para clientes. Isso ocorre porque a TI é capaz de promover mais segurança de dados, um aumento de produtividade e a diminuição de erros — entre outros benefícios — à gestão.

Por essas e outras, o terreno é excelente para quem quer se especializar em TI e aumentar a renda. Se você ainda não conhece essa área, está no lugar certo. Neste conteúdo completo sobre o assunto, abordaremos os principais pontos da atuação em tecnologia da informação. Acompanhe!

O que é a tecnologia da informação?

Para quem é da área de Engenharia ou para os mais chegados à computação, a tecnologia da informação (TI) provavelmente já é uma velha conhecida. No entanto, nem todo mundo sabe exatamente qual é o conceito por trás dessa atuação.

Em primeiro lugar, você sabe o que significa tecnologia, certo? Apesar de já ser parte do senso comum que tecnológico é tudo o que envolve máquinas, robôs e internet, a etimologia desse termo é bem mais ampla: tecnologia é todo conjunto de técnicas que não é natural, ou seja, que foi criado pelo homem.

Então, podemos inferir que a TI envolve procedimentos, métodos e artifícios utilizados em torno da informação, que é o objeto dessa tecnologia. Mas que tipo de informação? Essa é uma ótima pergunta — e sobre a qual muita gente não dá a devida importância.

No meio empresarial e industrial, as informações são mais do que um banco de dados: são oportunidades de negócio. Ao gerenciar estrategicamente a coleta, o processamento e a transmissão de dados, a empresa é capaz de adquirir um valioso aparato para tomada de decisões, otimização de processos e outros benefícios que veremos à frente.

De modo resumido, a área de tecnologia da informação em uma empresa é responsável por buscar soluções e facilidades em tudo o que se refere a:

  • hardwares;

  • softwares;

  • bancos de dados;

  • canais de comunicação;

  • redes etc.

Ou seja, tudo o que tem a ver com o armazenamento, a análise e a troca de informações: uma área que ganhou espaço, sobretudo, com o advento dos recursos digitais. Afinal, hoje em dia, computadores comportam quantidades surpreendentes de dados.

Sem o auxílio de técnicas específicas, o ser humano não é capaz de lidar com materiais tão complexos. Por isso, as áreas de TI e correlatas atreladas à era digital, como o Desenvolvimento de Sistemas e a Engenharia da Computação, são profissões em alta no Espírito Santo e, aliás, praticamente no mundo todo.

A infraestrutura de TI

Para que você entenda melhor a aplicação prática da TI, vamos falar sobre um de seus principais pilares, a infraestrutura. Funciona assim: todas as decisões de uma empresa são arquitetadas com base em processos que integram esforços de muitos setores.

Quando há a interação com o cliente, por exemplo, podemos dizer que estamos na superfície. Por trás desse contato, há todo um sistema de informações que sustenta a operação. Na base de uma infraestrutura de TI estão:

  • os servidores: que são sistemas computacionais equipados com processadores e capazes de comportar redes, bancos de dados e mídias;

  • o data center: que é o centro de processamento de dados, isto é, um ambiente próprio para storages (armazenamento) e ativos de rede (switches);

  • e o NOC: sigla para Network Operations Center, em que trabalham os profissionais que monitoram e administram as redes.

O service desk está no centro da informação: é o coração da tecnologia da informação. Enquanto o conhecido help desk refere-se ao atendimento ao cliente, o service desk é o ponto de cruzamento das informações entre suporte e usuários e da elaboração de estratégias.

Nessa área, há o registro, o tratamento e o acompanhamento de dados relacionados à prestação de serviços ou ao desenvolvimento e à venda de produtos. O principal objetivo do service desk é fornecer a todos os setores da empresa valiosas informações sobre incidentes, tarefas e oportunidades.

No topo, estão as redes locais e os projetos desenvolvidos com base nos sistemas e equipamentos da tecnologia da informação. Toda essa estrutura é útil não apenas para melhorar as entregas para usuários finais (clientes), como também para melhorar a comunicação interna e otimizar processos entre parceiros.

A TI no contexto da era da informação

Os impactos da gestão e da manutenção em tecnologia da informação são positivos para a empresa. Lidar corretamente e de forma estratégica com dados e sistemas é sinônimo de agilidade e produtividade na organização. De modo geral, podemos dizer que a TI ajuda a materializar todos os benefícios da era da informação.

Esta, que é também conhecida como a era digital, constitui uma grande transição nos modos de produção da humanidade — parte da Indústria 4.0 ou da chamada 4ª revolução industrial. Para que possamos contextualizar, vale relembrar as características de cada uma das eras técnico-científicas que já conhecemos:

  • a 1ª revolução industrial (1760-1830) foi marcada pela mecanização nas fábricas e pelo impulsionamento de ferrovias, com a descoberta da máquina a vapor;

  • a 2ª revolução industrial (1850-1870) foi fomentada pela descoberta da eletricidade e dos motores de combustão interna, o que proporcionou a expansão de siderúrgicas e metalúrgicas;

  • a 3ª revolução industrial (1960-1990), por sua vez, trouxe a telecomunicação e os primeiros sistemas computadorizados.

A 4ª revolução industrial, que vivenciamos hoje, é responsável por uma nova reestruturação nos processos empresariais e industriais. As palavras de ordem desta nova era são:

  • o aprimoramento na coleta e no tratamento de dados, por meio do desenvolvimento da Artificial Intelligence (AI) e do Machine Learning;

  • o alcance de mais produtividade e agilidade nas tomadas de decisões, compartilhadas entre homens e máquinas, ou seja, é possível extrair melhores resultados ao trabalhar com robôs que têm autonomia;

  • o processamento de informações em tempo real, graças à interoperabilidade de sistemas — ou seja, a transmissão instantânea de dados entre máquinas.

Em relação à característica da interoperabilidade, podemos citar como grandes responsáveis os avanços em big data, no armazenamento em nuvens e a Internet of Things (IoT), que interliga dispositivos inteligentes em rede.

Não é à toa que não param de pingar tendências e atualizações nos modelos de estrutura de TI. Entre algumas das inovações mais interessantes para os próximos anos estão:

  • nuvens híbridas: que são nuvens públicas para a integração de informações;

  • omnichannel: que mescla canais de vendas on e off-line, de modo que o atendimento ao cliente seja personalizado e contribua com uma experiência positiva;

  • intelligence edge: que dá aos próprios dispositivos geradores de dados a capacidade e a autorização para tratar a própria massa de informações, de modo a diminuir a sobrecarga da infraestrutura de TI;

  • planejamento geográfico: que se baseia, sobretudo, em redes de parcerias para manutenção de uma infraestrutura de TI democratizada;

  • intent-base networking: que consegue prever as necessidades tecnológicas do negócio para que sejam implantadas soluções antes que o funcionamento de rede seja comprometido.

Enfim, há uma série de novidades e tendências que envolvem a tecnologia da informação surgindo a todo o momento. Esse é um dos motivos que levam a gestão e a manutenção de TI a ser um fator determinante da posição competitiva de uma organização.

Qual é a necessidade da TI no mundo contemporâneo?

Diante de tudo o que já vimos nesta leitura, você já deve ter percebido que o mundo contemporâneo é um terreno favorável para a tecnologia da informação. Agora, vamos apresentar um novo conceito que pode reforçar ainda mais essa visão: o de mercado disruptivo.

Disrupção, de acordo com a Harvard Business Review, é a capacidade que uma empresa tem de se colocar em posição de desafio com outras mais estabelecidas ou com mais recursos. De modo específico, negócios disruptivos são aqueles que conseguem extrair mais resultados de seus esforços.

Um exemplo de inovação disruptiva, ainda segundo o artigo de Harvard, é o de organizações que focam na qualidade de seus serviços ou produtos antes de apresentá-los aos clientes mais lucrativos. Dessa forma, ao alcançar os padrões planejados, a empresa vende mais e mais caro.

Mas então, como extrair mais dos recursos já existentes na empresa? Uma boa resposta é: investindo na tecnologia da informação. Com a infraestrutura de dados implantada e corretamente gerida, o negócio passa por um salto em sua competitividade, já que há o desenvolvimento de projetos para processos críticos.

Agora, vamos conhecer alguns dos principais benefícios que uma estratégia de TI traz às empresas. Confira!

Aumento da produtividade

Tomar decisões às claras e com uma boa base de informações é sempre mais certeiro do que se basear em dados pobres ou apenas em intuição. Embora alguns gestores ainda tenham uma mentalidade mais fechada para essa necessidade, aos poucos, temos percebido como o tratamento de dados fornece oportunidades de negócio positivas.

Maior engajamento entre os colaboradores

Colaboradores integrados em uma rede de comunicação eficaz e com uma boa arquitetura de informação trabalham melhor. Então, o engajamento coletivo é uma consequência possível e muito positiva para a empresa, além de ser um objetivo a ser buscado: equipes motivadas fazem parte de uma estratégia de TI de sucesso.

Mais segurança de dados

A segurança da informação tem a ver com a proteção de sistemas do ataque de hackers. Esse é um dos muitos atributos da TI que garantem benefícios significativos no negócio. Basicamente, a tecnologia da informação analisará vários pontos que tratam da segurança de dados e redes.

Melhora na comunicação

A gestão e a manutenção na TI quase sempre andam lado a lado com a disponibilidade de sistemas e informações. Assim, dados são encontrados com mais facilidade e há uma grande mobilidade no acesso a relatório. O resultado? A comunicação — interna e externa — é significativamente melhorada.

Otimização do relacionamento com clientes

Há uma otimização no relacionamento com clientes justamente porque há toda uma arquitetura de informações sendo trabalhada por trás das interações diretas. Assim, as operações passam a ser direcionadas de acordo com objetivos estratégicos e uma base sólida.

Redução de custos

Outro grande benefício da gestão e da manutenção em TI é a redução de custos no longo prazo. Embora uma estratégia de tecnologia da informação exija algum investimento inicial, a arquitetura de dados e as redes integradas possibilitam resultados visíveis e movimentos mais certeiros, ou seja, há redução de erros que poderiam levar a custos desnecessários.

Por que fazer manutenção da tecnologia da informação?

Com tanta vantagem e o excelente alinhamento da TI com as necessidades do mundo contemporâneo, não é difícil entender por que essa área é valorizada, não é? Agora, mais do que uma implantação de uma arquitetura de informação e o atendimento às tendências, é essencial ter uma boa manutenção da infraestrutura.

Afinal, faz parte de uma maturidade estratégica entender que, sem acompanhamento constante, os resultados ficam aquém de sua potencialidade — e isso serve não apenas para a TI. O que chamamos de manutenção preventiva é o que garante o bom funcionamento das estruturas.

Por isso, veja quais são os três pilares da tecnologia da informação que devem ser constantemente monitorados e aperfeiçoados.

Performance: o primeiro pilar da TI

Sistemas funcionando com excelente performance: esse é o primeiro pilar. A tecnologia da informação preza, sobretudo, pela agilidade nas trocas e no tratamento de dados. Nesse aspecto, a área reflete as necessidades e as exigências da era digital. Por isso, a manutenção preventiva serve para manter todas as operações a pleno vapor.

Economia: o segundo pilar da TI

Podemos dizer que uma estratégia eficiente é a que garante melhores resultados com a economia ou a limitação de recursos. Aliás, essa é a síntese dos negócios disruptivos, como vimos. Por isso, outra base da manutenção em TI é corrigir rapidamente ou mesmo evitar erros que possam levar a gastos desnecessários.

Uma boa gestão na tecnologia da informação permite que falhas sejam detectadas com agilidade e solucionadas antes que haja prejuízos.

Segurança: o terceiro pilar da TI

O terceiro pilar da tecnologia da informação é a segurança. Mínimas brechas na proteção de dados podem significar grandes perdas, pois se tornam uma possibilidade de exploração criminosa.

Como já falamos, dados são oportunidades de negócio. Por isso, qualquer deslize na segurança pode representar estratégias perdidas, parcerias comprometidas ou consequências ainda piores. Nesse sentido, a manutenção preventiva serve para impedir esses riscos.

Gestão e TI: como interferem uma na outra?

Entender sobre empreendedorismo e gestão é importante em qualquer área atualmente. Em gestão e manutenção da tecnologia da informação, não é diferente. Profissionais capacitados em TI precisam ter um perfil de liderança, com características que ajudem a:

  • alcançar o bom desempenho nos processos cotidianos;

  • manter a equipe engajada com a cultura de inovação;

  • identificar falhas e trabalhar com base em retornos para estar em contínuo avanço;

  • acompanhar resultados e buscar novas otimizações etc.

Por isso, as áreas de gestão e de TI se interferem mutuamente, em uma relação de interdependência e de complementação mútua. Para começar, os gestores da empresa têm nos dados da tecnologia da informação sua base para operações e decisões.

Por outro lado, a equipe de TI precisa de um bom gerenciamento para que haja cumprimento de objetivos e um direcionamento de prioridades. Por isso, preste atenção a algumas das principais atribuições da governança em tecnologia da informação.

Acompanhamento de processos

O acompanhamento de processos engloba a implementação da infraestrutura e permanece durante todas as etapas de manutenção preventiva. Sem um planejamento de ações, a arquitetura de TI pode ficar desalinhada em relação aos propósitos da empresa e às expectativas do mercado.

É por conta disso que a gestão deve se preocupar com a definição de uma taxonomia de serviços. Isto é, classificar as rotinas, os responsáveis e os produtos da TI de modo que as operações corram com maior fluidez.

Controle de desempenho

Em relação ao desempenho, a gestão de TI também é protagonista. A governança precisa estar sempre preocupada com a aplicação de metas e a revisão de erros. Em contrapartida, é a tecnologia da informação que cumpre esse mesmo papel, mas em uma proporção global no âmbito da organização.

Com a gestão organizando e revisando os serviços de TI, assim como o contrário ocorrendo ao mesmo tempo, a perspectiva é de que as operações sejam cada vez mais inteligentes. Essa responsabilidade com a qualidade se reflete em uma cultura com foco em resultados.

Promoção da transformação digital

A gestão da tecnologia da informação também deve promover uma transformação no ambiente e até mesmo nos valores da empresa com base no preceito da inovação. Trata-se de um redesenho no modo como as equipes lidam com os novos padrões e a associação dos recursos digitais.

Por isso, algumas boas práticas são o desenvolvimento da equipe — para que a cultura de dados seja cada vez mais estabelecida — e a busca por atualização constante, não apenas na área de TI, mas em todos os setores da empresa.

A tudo isso, soma-se a necessidade de uma cultura de feedback. Os objetivos são claros: manter as operações da tecnologia da informação alinhadas aos propósitos da empresa e proporcionar um ambiente de genuína motivação por parte de profissionais que se sentem valorizados e relevantes nas decisões do negócio.

Qual é a importância da qualificação em TI?

Bem, depois de toda essa leitura, você provavelmente percebeu a relevância da área de TI na atualidade. Ainda mais quando levamos em conta o desenvolvimento de pesquisas em inteligência artificial e a implicação da vida em rede. Tudo isso colabora para um terreno fértil à tecnologia da informação.

Nesse sentido, o profissional de TI ganha espaço e é cada vez mais valorizado no mercado de trabalho. Para lidar com tantas responsabilidades, o perfil nessa área exige habilidades como a visão estratégica de negócios, o bom relacionamento interpessoal e a abertura para inovações.

Mais que isso, o profissional precisa ter domínio técnico em diversos segmentos de atuação, como o cloud computing, a análise de dados e a integração de sistemas. Não é pouca coisa, concorda? Por isso, a qualificação na área, mais que bem-vinda, é essencial.

A boa notícia é que existem opções para todos os gostos e necessidades: desde graduações e tecnólogos até cursos técnicos e de especialização. Algumas das atuações são:

  • liderança de equipes em TI;

  • gestão de cibersegurança;

  • consultoria de inovação;

  • data marketing;

  • gestão de projetos em TI;

  • estratégias de negócios;

  • gestão de arquitetura e hardware;

  • big data;

  • inteligência de mercado;

  • análise e desenvolvimento de sistemas;

  • segurança em redes;

  • programação, e por aí vai.

A especialização em alguma dessas atuações da tecnologia da informação ou mesmo na gestão de TI é uma boa pedida para quem quer se estabelecer em um mercado sólido.

Além disso, vale a pena reforçar que o profissional não precisa trabalhar em empresas diretamente relacionadas à tecnologia digital. As técnicas de análise, armazenamento e transmissão de dados são necessárias em organizações dos mais variados nichos.

E então, qual é a importância da gestão e manutenção na TI?

Como você viu, a tecnologia da informação é a uma materialização dos avanços conquistados com a era da informação. Diante do contexto atual e, sobretudo, da emergência dos negócios disruptivos, a importância da TI não é mais discutível — o que garante a forte aceitação de profissionais especializados no mercado.

Investir em gestão e manutenção de TI é um grande passo para conquistar novas oportunidades e extrair o melhor que a cultura de dados tem a oferecer em termos de competitividade. Vale a pena se especializar no segmento, já que a atuação exige um amplo conhecimento técnico e um perfil de inovação e liderança.

Para concluir, a tecnologia da informação é uma área ampla, repleta de oportunidades e em franco crescimento. Desse modo, é uma excelente opção para quem busca o desenvolvimento de carreira ou mesmo para quem quer se aventurar por novos ares com ótimas chances de retorno positivo.

Por isso, que tal começar a se capacitar agora mesmo? É fácil: entre em contato com a UCL! Conheça nossas opções de cursos em graduação, pós-graduação e qualificação profissional e aproveite as oportunidades.