O seu guia completo para enfrentar o primeiro ano de faculdade

Iniciar a graduação é um período marcante na vida de qualquer pessoa. Afinal, esse é o primeiro passo em direção a sua carreira, não é mesmo? Acontece que o primeiro ano de faculdade pode ser desafiador, já que você precisa construir uma nova rotina para dar conta das diferentes demandas que surgem nessa fase inovadora.

No meio de provas mais difíceis, atividades intensas e amizades incríveis, é natural se sentir perdido e encantado com tudo o que está acontecendo. No entanto, é fundamental manter em mente que estar ali é, sobretudo, um lugar de estudo e aprendizado. Pensando nisso, preparamos este guia completo para você mandar bem no primeiro ano de faculdade e entrar na graduação com o pé direito.

Neste artigo, respondemos às principais dúvidas que todo calouro tem quando entra na faculdade. Aproveite para anotar as melhores dicas e colocá-las em prática. Acompanhe!

A escolha do curso ideal: como realizá-la com sucesso?

Começamos com a pergunta mais comum entre todos os alunos do Ensino Médio: como escolher o curso perfeito para mim? Podemos responder essa pergunta com apenas uma palavra: autoconhecimento. No entanto, sabemos que ela engloba diversas atitudes que precisam ser cumpridas para que a tomada de decisão seja feita com sucesso.

Então, por que o autoconhecimento tem essa posição de destaque? Ele é a base fundamental para tomar as decisões mais coerentes com a sua realidade. Por exemplo, digamos que você não gosta de Matemática e Física, e prefere as ciências humanas. Será que faz sentido escolher um curso que exige muito conhecimento dessas duas matérias?

Talvez seja mais interessante optar por uma graduação na área das ciências humanas, em que você consegue aprofundar os seus conhecimentos específicos e trabalhar habilidades e técnicas coerentes com suas preferências. É por isso que conhecer quais são os seus gostos, seus pontos fortes e fracos e tudo aquilo que motiva suas ações é um dos passos mais importantes para escolher o curso certo.

Para intensificar o desenvolvimento do autoconhecimento, você precisa identificar quais são as crenças que limitam o seu potencial, como as famosas frases “eu não consigo fazer essa conta” ou “eu não entendo essa parte da história da humanidade”. Ao perceber quais são essas frases que guiam seus estudos, é possível chegar ao motivo por trás delas e trabalhar essas crenças que impedem o seu sucesso.

Com isso, fica muito mais fácil traçar pequenas metas e objetivos alinhados com suas preferências, orientando a sua tomada de decisão. Em seguida, você precisa conhecer quais são as oportunidades que as universidades oferecem. Afinal, durante o Ensino Médio, dificilmente escutamos sobre profissões menos famosas, como a Aquicultura.

A nossa dica para realmente identificar quais são as carreiras que mais se ajustam à sua realidade e preferência é analisar as áreas de conhecimento que existem. Hoje, o Ministério da Educação (MEC) prevê as seguintes áreas:

  • Ciências Agrárias;

  • Ciências Biológicas;

  • Ciências Exatas e da Terra;

  • Ciências Humanas;

  • Ciências da Saúde;

  • Ciências Sociais Aplicadas;

  • Engenharias;

  • Linguística, Letras e Artes.

Cada uma delas conta com cursos específicos. Nesse sentido, se você já sabe que prefere Ciências Humanas, por exemplo, o mais indicado é pesquisar as graduações que compõem essa área, como História, Filosofia e Ciências Sociais. Lembre-se, no entanto, que existem cursos que misturam diferentes ciências, como a Psicologia, fazendo parte da saúde e das humanas.

Agora que você já intensificou o seu autoconhecimento e identificou qual é a melhor ciência para você, chegou a hora de tomar a decisão definitiva e optar pelo curso ideal. Provavelmente, com a sua pesquisa inicial, você já deve ter em mente algumas carreiras a serem seguidas, certo? Considerando essa lista, é necessário cumprir o seguinte passo a passo:

  • conhecer qual é a realidade de mercado para as profissões em alta selecionadas;

  • entender como funcionam as modalidades de ensino, como presencial, a distância e semipresencial;

  • descobrir sua preferência entre grau bacharelado ou licenciatura;

  • conhecer a grade curricular dos cursos em questão, analisando cada disciplina e percebendo como você se sentiria estudando sobre os assuntos listados;

  • entender qual é o material didático utilizado pelos professores;

  • conversar com veteranos e alunos já formados, caso seja possível, para conhecer a realidade do curso;

  • analisar quais são as áreas que o profissional pode exercer seus conhecimentos, lendo sobre as possíveis carreiras;

  • identificar como funciona o dia a dia depois de formado;

  • conferir quais são as habilidades e competências que precisam ser desenvolvidas para alcançar o sucesso nessa área.

O que considerar ao escolher a Instituição de Ensino certa para você?

Agora que você já escolheu o seu curso, é preciso tomar mais um passo na jornada profissional e selecionar a Instituição de Ensino (IE) que será responsável pela sua educação. Assim como o tópico anterior, esse momento é delicado e exige uma pesquisa profunda sobre a qualidade de ensino, infraestrutura e oferta de oportunidades da faculdade, pois é ela que orientará a sua carreira.

Então, o que é preciso ser analisado para que a escolha seja feita com perfeição? O primeiro passo é conferir a qualificação do MEC. Afinal, ele é o responsável por atestar a qualidade da IE e, ainda, garantir que ela corresponda às necessidades da carreira em questão. Por meio de diversos instrumentos de avaliação, o órgão oferece um parâmetro geral para você identificar se a instituição oferece os benefícios que você precisa.

Existem alguns fatores que você deve avaliar para ter certeza de que a sua IE é responsável e oferece boas oportunidades de estudo e, é claro, fortalecimento da sua carreira. Afinal, você passará alguns anos dentro dessa faculdade e precisa de um apoio institucional coerente com o mercado atual. Nos próximos tópicos, explicamos quais são os itens que devem ser analisados com calma:

  • indicadores de qualidade: Índice Geral de Cursos (IGC) e Exame Nacional de Desempenho dos Estudante (ENADE), ambos avaliados pelo MEC e podem ser conferidos na sua plataforma;

  • qualificação do corpo docente: identifique o currículo dos professores, o nível de especialização e as publicações feitas em revistas de renome nacional e internacional;

  • grade curricular: analise se as disciplinas estão de acordo com as exigências do mercado e como elas são abordadas na graduação;

  • oferta de atividades extracurriculares: perceba se a IE oferece grupos de estudos, possibilidade de participação no Centro Acadêmico e núcleos de pesquisa e extensão;

  • oportunidades de bolsas de estudo e períodos de mobilidade: se você deseja fazer intercâmbio, verificar a possibilidade de realizá-lo com bolsa é uma ação imprescindível;

  • inserção no mercado de trabalho: verifique como a IE oferece oportunidades de inserção no mercado, como estágios qualificados e parcerias com empresas influentes.

Com as análises feitas em relação à qualidade de ensino, está na hora de considerar outros aspectos, como a infraestrutura oferecida, a localização da faculdade, a facilidade de contato com o suporte ao aluno e a sua mensalidade, caso seja uma universidade particular. Assim, é possível colocar todos os prós e contras em uma balança e tomar uma decisão coerente com a sua realidade, gostos, ambições e vocação.

Além disso, se desejar, é possível agendar uma visita no campus para conhecer o espaço físico, analisando profundamente a qualidade da infraestrutura e o atendimento oferecido para os futuros alunos. Essa pequena ação facilita a sua decisão e evita a criação de expectativas que ultrapassam a realidade da graduação.

Por fim, a última dica que compartilhamos com você é uma ação que comentamos nos outros tópicos: conversar com profissionais e alunos da área. Afinal, ter uma visão real de como aquela instituição funciona, quais são seus pontos positivos e negativos, auxilia na tomada de decisão e oferece uma informação privilegiada para você ter certeza da sua escolha.

Como aproveitar as oportunidades que a graduação traz?

Agora que você já selecionou o curso e a IE certa, e entrou na graduação dos sonhos, está na hora de aproveitar o seu primeiro ano de faculdade e enfrentá-lo com muito sucesso e realizações! Para tanto, separamos dicas especiais que ajudam você a potencializar essa primeira etapa e aproveitar cada oportunidade. Confira!

Esteja aberto aos novos círculos sociais

Que a faculdade é um período de inovação e transformação todo mundo sabe. No entanto, para garantir que essa oportunidade realmente seja aproveitada, é importante estar aberto para as novas amizades e para a criação de círculos sociais diferentes. Afinal, ainda que esse seja um momento acadêmico, ele também é uma parte importante da sua vida social.

Portanto, aproveite para conhecer pessoas diferentes e experimentar amizades que fogem do que você estava acostumado no Ensino Médio, lembrando de sempre ter responsabilidade para que nenhum imprevisto prejudicial aconteça. Com isso, você consegue trabalhar suas crenças limitantes e garantir boas oportunidades sociais e até profissionais no futuro.

Além da participação de atividades extracurriculares, uma excelente forma de fortalecer seu círculo de amizades é indo a festas e confraternizações, inclusive dos veteranos. Esses eventos marcam o início de uma vida universitária e permitem o desenvolvimento das suas habilidades sociais. 

Conheça as oportunidades do curso escolhido

Se você seguiu nossas dicas anteriores, já deve conhecer quais são as melhores oportunidades do curso, certo? Agora, chegou a hora de colocá-las em ação e aproveitar aquilo que garante os melhores benefícios para a sua carreira. Converse com o coordenador do curso e com o núcleo de apoio pedagógico para identificar quais são as melhores opções para você.

Assim, é possível participar de um novo grupo de pesquisa e extensão, iniciando sua atuação logo no primeiro ano da faculdade. Isso é excelente para a construção de um currículo rico que fará diferença no mercado. Além disso, permite o conhecimento aprofundado da realidade de trabalho e aprimora sua qualificação.

Lembre-se de que ao conhecer todas as oportunidades, é possível montar um plano de longo prazo. Por exemplo, digamos que a sua universidade oferece a possibilidade de realizar um período de intercâmbio no exterior. No entanto, você precisa ter pelo menos 30% do curso concluído e, ainda, ser fluente em outro idioma. Nesse primeiro ano, você pode separar um tempo para preparar-se e, quando chegar na terceira fase, realizar sua inscrição para o processo seletivo.

Participe de eventos extracurriculares

No tópico anterior explicamos que a participação em grupos de pesquisa é uma excelente forma de aproveitar as oportunidades que a graduação oferece. Para além deles, você pode — e deve! — investir nos eventos extracurriculares para potencializar o seu currículo, fortalecer a sua rede de contatos, aprimorar suas habilidades e competências e criar experiências profissionais.

O fato é que existem muitas formas de participar dessas atividades. Um dos exemplos mais clássicos é o envolvimento em palestras e workshops específicos da área, mas você também pode criar grupos de estudo com seus colegas, integrar equipes de pesquisas de outras universidades e tornar-se monitor de disciplinas mais básicas da primeira fase.

Além disso, há sempre a possibilidade de iniciar um estágio não obrigatório a partir da segunda fase, dando seus primeiros passos na sua carreira. Para isso, você pode entrar em contato com a coordenação e descobrir quais são as parcerias que a sua faculdade tem com empresas locais e enviar seu currículo para elas.

Organize sua leitura

A leitura tem um papel muito importante na graduação. Não é nenhum mistério que os alunos do ensino superior precisam ler artigos acadêmicos e destrinchar os livros clássicos da sua área de atuação, já que é por meio deles que você consegue ter uma base teórica sólida e, então, colocar o que foi aprendido em ação.

Acontece que a carga de leitura é muito maior do que o Ensino Médio, fazendo com que muitos estudantes tenham dificuldades no primeiro ano de faculdade. Para evitar que isso aconteça e garantir que você assimile todos os conteúdos necessários, é fundamental organizar o seu processo de leitura.

Que tal separar os seus horários e dedicar meia hora de leitura por dia? Assim, é possível mantê-la sempre em dia e garantir que você leu os artigos certos dentro do prazo dado pelo professor. Ainda, isso facilita a sua familiarização com esse tipo de estudo, diminuindo o peso da cobrança no final do semestre.

Invista no seu network

Por fim, não poderíamos deixar de falar sobre o network, não é mesmo? Essa palavra refere-se a sua rede de relacionamentos e parcerias estabelecidas na sua carreira. Dessa maneira, quanto mais rico for o seu ciclo de relacionamentos, melhores oportunidades você terá no futuro, garantindo uma boa entrada no mercado.

E tem melhor lugar para investir no seu network do que a graduação? Afinal, você está em um ambiente com professores qualificados e especialistas, colegas engajados e que também buscam crescimento e, é claro, oportunidades para participar de eventos que só agregam o seu currículo.

Para garantir que você tire bom proveito desse ambiente, procure manter um bom relacionamento com as pessoas, conversando com os professores e compartilhando suas ideias com eles. Além de trabalhar o seu potencial, eles podem reconhecer suas habilidades e convidá-lo para uma atividade extracurricular que lança sua carreira.

Criando uma rotina de estudos: é possível manter a organização?

Sobreviver ao primeiro ano da faculdade não se resume na utilização das oportunidades, você também precisa manter a sua organização e ter uma rotina de estudos eficiente. Isso porque é com base nela que você poderá aprofundar seus conhecimentos e ter excelentes resultados nas provas e trabalhos em grupo.

Se você já tem uma rotina concreta que utilizou no Ensino Médio, pode utilizá-la na faculdade e perceber se ela ainda mantém-se eficiente nessa nova etapa. Assim, é possível ajustá-la de acordo com suas necessidades atuais até encontrar aquela que faz sentido para você.

Por outro lado, se você ainda não tem uma rotina clara, está na hora de criá-la. Para isso, você precisa identificar qual forma de estudo oferece mais resultados para você, como:

  • escrever: muitos alunos preferem escrever os assuntos principais logo após as aulas, para fixar o conteúdo;

  • escutar: outros optam por ler em voz alta suas anotações para assimilar o que foi aprendido;

  • leitura: ainda, há a opção de ler os artigos e anotações para aprendê-los.

Lembre-se de que você pode misturar cada forma de estudo e fazer as combinações que mais se ajustam ao seu estilo de aprendizagem. Aproveite a primeira fase para ir testando até encontrar aquela que traz efeitos positivos na sua realidade acadêmica, analisando os resultados das provas e trabalhos e comparando com o método escolhido.

Além de determinar a melhor forma de estudo, você também precisa organizar os seus horários para garantir que ela realmente seja colocada em ação. A melhor forma de fazer isso é separar os momentos de estudo e lazer em blocos de tempo. Por exemplo, além dos 30 minutos de leitura diária, que tal separar mais 30 minutos para revisar o conteúdo do dia?

Isso faz com que o estudo para provas se torne muito mais fácil, já que você revisou constantemente a matéria e conhece os principais tópicos que precisam ser aprofundados para garantir uma excelente nota. O ideal é encontrar um bom horário para fazer isso e comprometer-se com essa meta, realizando todos os dias.

Em pouco tempo, essa tarefa torna-se um hábito e você sente as vantagens de estudar todos os dias. Entretanto, procure seguir os horários à risca, combinado? Isso porque o tempo de descanso e lazer também é fundamental para relaxar a mente e preparar-se para os próximos estudos.

Como conciliar emprego e estudos?

Você já deve ter percebido que a gestão de tempo é uma das habilidades mais importantes para ter sucesso nos estudos, não é verdade? Não só na organização da sua rotina, como também na presença nas aulas e na participação de eventos, todas essas atividades envolvem o conhecimento dos seus horários e o comprometimento em segui-los.

Acontece que muitos estudantes precisam trabalhar e estudar ao mesmo tempo, seja com um emprego temporário, seja com um estágio não obrigatório. Isso dificulta a sua organização e acaba colocando em risco a sua aprendizagem. Mas, não se preocupe! Existem formas práticas de conciliar essas duas esferas.

A dica mais importante para realizar essa tarefa com sucesso é pensar como um gestor. Nós explicamos: você precisa aprender a gerir suas próprias atividades com responsabilidade e dedicação. Então, imaginar a sua realidade como a rotina de uma empresa é uma tarefa que facilita a gestão de tempo e mantém a sua organização em dia.

Partindo para um exemplo prático, podemos pensar no final do semestre: aqui, você precisa entrar em dois trabalhos da faculdade e realizar uma prova na mesma semana. Para completar, seu chefe cobrou a presença no horário certo, já que é uma semana decisiva na organização em que você trabalha. O que você faz?

Uma opção é organizar o seu dia a dia durante essa semana para dar conta de tudo. Então, separe a sua rotina pode se basear nos seguintes passos:

  • domingo: separe o tempo livre para finalizar o primeiro trabalho, ajustando os últimos detalhes. Aproveite para conferir o segundo trabalho e definir o que precisa ser feito no próximo dia;

  • segunda-feira (entrega do primeiro trabalho): no tempo livre, ajuste o segundo trabalho conforme o que foi determinado no dia anterior. Separe um tempo para determinar o que precisa ser estudado para a prova.

  • terça-feira (entrega do segundo trabalho): procure descansar no tempo livre e, caso precise, inicie os estudos para a prova;

  • quarta-feira: estude os conteúdos mais difíceis para a prova, revisando ao final;

  • quinta-feira: estude as matérias que sobraram e revise todos os conteúdos.

  • sexta-feira (prova): utilize o tempo livre para descansar e não estude.

E mais, para que essa rotina funcione, você também precisa realizar uma ação importante: fazer as atividades com antecedência. Imagine se você deixasse para fazer todos os trabalhos na semana que utilizamos como exemplo? Com certeza sua rotina seria mais pesada e o resultado não seria muito satisfatório.

Com essas dicas, temos certeza de que você conseguirá encarar o primeiro ano de faculdade com muita tranquilidade e sucesso. Lembre-se de escolher uma IE de qualidade e que ofereça oportunidades únicas no mercado. Nos cursos da UCL, por exemplo, você participa de projetos de pesquisa e atividades de extensão que apresentam parcerias com empresas de renome nacional, além de ter uma equipe docente especialista e qualificada à sua disposição.

Para finalizar, não se esqueça de seguir todas as nossas dicas para aproveitar as melhores oportunidades da sua IE e criar uma rotina de estudos eficiente para encarar o primeiro ano com foco e determinação! Assim, a sua jornada profissional começará com muito sucesso e você poderá colher os melhores frutos da sua carreira no futuro.

E então, o que achou do nosso conteúdo? Se você está pensando em ingressar em uma faculdade privada, confira o nosso e-book e descubra como iniciar a sua graduação sem se endividar!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"