O que é robótica e por que você precisa se importar?

Se você é um jovem antenado em relação às novidades do mercado, já deve ter uma noção do que é robótica. Já reparou que cada vez mais tecnologias são introduzidas em diversos ramos de atuação? Seja para montar carros ou realizar cirurgias médicas e diagnósticos, as máquinas já realizam várias funções em nossa sociedade.

Alguns filmes de ficção científica até mostram cenários obscuros em que os robôs escravizam os seres humanos, não é mesmo? Quando olhamos para a realidade, percebemos que máquinas e homens devem trabalhar lado a lado, em prol da qualidade de vida de todos.

Com o passar dos anos, esse tipo de tecnologia ganhou importância expressiva no mercado de trabalho. Por isso, é fundamental conhecê-la e estar preparado para o futuro. Este post vai ajudá-lo a entender o que é robótica e quais as características dessa importante área de atuação. Tenha atenção em sua leitura e aproveite esse conhecimento!

O que é robótica?

A robótica é uma ciência responsável por desenvolver tecnologias presentes em computadores, sistemas, softwares e robôs. Seus circuitos integrados controlam partes mecânicas e automáticas.

O termo robótica surgiu no início do século XX, mas foi popularizado apenas em 1950. O motivo? O lançamento do livro “Eu, Robô”, do autor de ficção científica Isaac Asimov. A obra levantou diversas discussões sobre a relação entre homens e máquinas.

Desde a Primeira Revolução Industrial, robôs e outros equipamentos são utilizados para aumentar a produtividade das empresas. Assim, os robôs industriais tiveram as suas primeiras aplicações. Depois disso, as transformações não pararam e, atualmente, essas tecnologias continuam a aprimorar a qualidade de inúmeros produtos.

Quais são as tendências dessa área?

Agora que você já compreendeu o que é robótica, conheça alguns dos setores mais beneficiados pelo uso dessa tecnologia!

Indústrias

O ambiente de trabalho em fábricas e galpões oferece diversos riscos para a saúde humana. Qualquer descuido ou escorregão de um profissional pode causar acidentes, paralisações da linha de produção ou, em casos mais extremos, a perda de vidas humanas.

Lembre-se, ainda, de que muitas atividades são extremamente repetitivas. Caso um operador humano seja escalado para realizá-la, há grandes chances de ele ficar estressado e desconfortável, além de correr o risco de desenvolver lesões e outros problemas de saúde.

Dessa forma, é essencial aplicar práticas que aumentam a segurança de todos, e a robótica é uma delas. O uso de máquinas e robôs possibilitou a criação de processos mais rápidos e eficientes. Com isso, os robôs são programados para trabalhar por períodos maiores, sem que a qualidade da produção seja afetada.

Medicina

A cirurgia robótica já é realidade em vários hospitais do mundo. Diversas patologias são tratadas com métodos que causam menos dores e traumas aos pacientes, graças ao uso de robôs e sistemas de automação. A aplicação dessa tecnologia permite ainda que intervenções cirúrgicas sejam realizadas a distância. Os procedimentos são precisos e não estão sujeitos à possibilidade de falhas humanas.

Fisioterapia

Ainda na área da saúde, a robótica tem se destacado por sua efetividade na reabilitação de pacientes acometidos por lesões medulares e vítimas de acidente vascular encefálico. Portadores de outras patologias, como esclerose múltipla e paralisia cerebral, também foram beneficiadas com o uso da terapia robótica e têm mostrado evolução em seus tratamentos.

Tecnologia espacial

A aplicação espacial da robótica tem mostrado alta relevância, e isso não é de hoje. Já no início da década de 1980, o “braço robótico” demonstrou sua utilidade. Hoje, com recursos ainda mais avançados, os robôs são programados para a execução de diversas ações de exploração e inspeção no espaço.

Indústria automobilística

Em terras nacionais, a indústria de automóveis busca melhorar seu rendimento e seus processos produtivos, para ter mais competitividade no mercado global. Com isso, a robótica tomou conta das linhas de montagem desse setor.

As novas fábricas, implantadas por montadoras recém-chegadas ao país ou mesmo pelos antigos nomes do ramo automobilístico, são a prova dos avanços em automação industrial. A robótica está presente em diferentes etapas da produção de automóveis, sobretudo nas linhas de soldagem e pintura.

Automação residencial

Você já imaginou a possibilidade de controlar todos os dispositivos de uma residência a partir de recursos do seu aparelho celular? Pois saiba que a automação residencial torna esse sonho uma realidade e tem ganhado muito espaço no mercado atual.

Com o desenvolvimento de novas técnicas, é possível criar sistemas integrados que controlam, por exemplo, as lâmpadas dos cômodos, os equipamentos eletrônicos e os sistemas de irrigação do jardim.

O projeto de uma casa moderna exige profissionais capacitados, que saibam utilizar a criatividade para criar um ambiente sustentável e agradável. E esse trabalho pode ser facilitado com o uso de novas tecnologias. Além do mais, ainda é possível fomentar a acessibilidade e tornar uma residência inclusiva para qualquer tipo de pessoa.

O planejamento multidisciplinar de um projeto exige a presença de pessoas familiarizadas com a robótica e com outras questões da automação residencial.

Quais cursos podem ser feitos?

Muito se discute sobre o uso de robôs em nossa sociedade. Algumas pessoas acreditam que eles são prejudiciais, pois, em tese, substituem o homem e acabam com várias oportunidades de emprego. Em um primeiro momento, tal ideia pode até estar correta, mas há um grande equívoco nessa análise.

As tecnologias surgem a partir de estudos e pesquisas realizadas por seres humanos. Como o mercado tem aceitado cada vez mais robôs e sistemas automatizados, devemos formar profissionais capacitados e preparados para superar esses desafios.

Consequentemente, existe uma grande demanda por trabalhadores especializados em robótica e outros ramos de tecnologia. Esses novos campos de trabalho, na maioria dos casos, oferecem maior remuneração, além de favorecer o aumento da qualidade de vida para a sociedade como um todo.

Realizar um curso de robótica e manter-se atualizado nessa área é, portanto, um passo significativo para quem se projeta como um profissional do futuro. E isso só é possível se você começar pelo ensino superior, ou seja, a graduação é um período primordial para quem deseja ter sucesso na carreira.

Abaixo, mostraremos alguns dos principais exemplos de cursos que incluem o conhecimento em robótica. Confira!

Engenharia Biomédica

Apesar de ser um curso novo em nosso país, a Engenharia Biomédica oferece boas oportunidades de crescimento. Como já foi dito, os hospitais já utilizam novas tecnologias e precisam de profissionais capacitados para monitorar e desenvolver máquinas que auxiliem o trabalho de médicos e enfermeiros.

Além disso, é possível atuar em indústrias para planejar novos produtos, equipamentos e metodologias de trabalho.

Engenharia Elétrica

Os circuitos elétricos garantem o funcionamento de sistemas, softwares, equipamentos e robôs. Por causa disso, a Engenharia Elétrica é outra área a ser escolhida por quem deseja trabalhar com novas tecnologias.

As disciplinas tradicionais dos cursos de Engenharia — como física e cálculo — também aprofundam o conhecimento nas áreas de circuitos elétricos, do eletromagnetismo e da eletrônica digital.

Engenharia de Controle e Automação

Um engenheiro de Controle e Automação é responsável pela criação de sistemas automatizados. Esse curso surgiu devido à enorme demanda por profissionais multidisciplinares e que pudessem trabalhar com os conceitos básicos da engenharia e das novas tecnologias. Eles podem atuar em diversos setores, como metalurgia, mineração, automobilismo e saúde.

Engenharia Mecânica

A graduação em Engenharia Mecânica prepara os alunos para projetar, implementar, operar e realizar a manutenção de sistemas mecânicos de diferentes funcionalidades. Esse profissional encontra portas abertas em vários setores industriais, a exemplo das áreas naval, aeronáutica, automobilística, dentre muitas outras.

Ao longo do curso, o estudante também tem contato com princípios da automação e da robótica. As pesquisas e atividades desenvolvidas em laboratórios, em sala de aula ou mesmo em estágios fornecem conhecimento sobre tecnologias e mecanismos mais avançados do cenário atual.

Engenharia de Produção

O engenheiro de produção alinha a bagagem teórica geral das engenharias aos métodos de gestão. Assim, ele pode atuar entre as funções técnicas e as atividades administrativas de uma indústria. Entre suas funções, estão o planejamento e o gerenciamento dos recursos da organização — materiais, financeiros e humanos — para obter melhorias na qualidade e nos resultados dos processos produtivos.

E onde entra a robótica nessa história? Simples: embora a tecnologia das máquinas siga por um caminho evolutivo, não se pode predizer que o capital humano será totalmente extinto dos setores industriais. Ao contrário, é preciso administrar essa junção de inteligências, pois, antes de qualquer coisa, é o ser humano quem comanda as ferramentas tecnológicas e deve se preparar para lidar com elas.

Nesse sentido, vemos mais uma missão para o engenheiro de produção, que já faz a ponte entre a administração de recursos e sua aplicação técnica. Esse profissional terá, ou melhor, já tem um elemento a mais para gerenciar nesse cenário: os robôs.

Tecnologia da informação

Saindo um pouco do campo das engenharias, chegamos aos cursos na área da tecnologia da informação. Ciências da Computação, Sistemas de informação e Análise e Desenvolvimento de Sistemas são algumas opções para quem se interessa por programação e desenvolvimento de softwares.

Os conceitos de TI já estão, há tempos, relacionados aos cursos de robótica, e não é à toa que podemos chamar essas duas áreas de ciências irmãs. Ambas se complementam no processo de criação tecnológica, sendo a primeira responsável por desenvolver hardwares e softwares, e a segunda articulada para processar as informações e executar as ações programadas.

Qual é o perfil de quem trabalha com tecnologia?

Não basta entender o que é robótica, é preciso saber como se preparar para conseguir as melhores oportunidades na área. Descubra a seguir as características principais de um bom profissional de tecnologia.

Atualização profissional

Quando se trata de tecnologia, pode esperar ser bombardeado por tendências e mudanças em um ritmo acelerado. Então, para não ficar para trás, é fundamental que o candidato se mantenha atualizado.

Além de escolher um curso superior de qualidade, é importante ficar antenado com tudo o que acontece nessa área. A dica é acompanhar revistas, blogs e fóruns online para não ficar de fora de nenhuma novidade. Na faculdade, participe de eventos como palestras, simpósios e workshops.

Desenvolvimento das soft skills

Principalmente na área de exatas, somos acostumados a pensar que somente o conhecimento científico e técnico (chamado de hard skills) é que vai destacar um profissional no mercado. Isso é um grande erro.

Atualmente, é imprescindível desenvolver também as soft skills, que são habilidades ligadas ao nosso comportamento e ao modo como nos relacionamos com as pessoas no trabalho.

Uma das competências é a empatia, capacidade de saber se colocar no lugar do outro. Você vai trabalhar em equipe e precisa conviver com colegas que pensam de uma forma diferente de você. Assim, deve ouvir ideias e pontos de vista que podem colaborar para os bons resultados de um projeto.

Outra soft skill é a flexibilidade, necessária para o profissional aceitar desafios e para se abrir para o aprendizado, mesmo que seja de uma área que não tenha relação com a sua.

Não podemos deixar de mencionar a resiliência, essencial para ascender na carreira. Quem é resiliente consegue enxergar o lado bom das situações e não deixa se abater pela pressão da rotina profissional.

Ampliação do networking

Desde a faculdade, é necessário que o aluno comece a formar sua rede de contatos profissionais, também chamada de networking. É recomendado se aproximar de professores, de colegas de estágio e sempre participar de eventos, aproveitando a oportunidade para conhecer outros profissionais.

Como se preparar para prestar vestibular para a área?

Gostou de compreender o que é robótica e quer saber como se preparar para mandar bem no vestibular dessa área? Veja algumas dicas a seguir!

Faça o resumo das matérias

Como o volume de assuntos cobrado no vestibular é grande, uma maneira de facilitar os estudos é fazer o resumo dos tópicos. Assim, você ganha agilidade na revisão e consegue estudar mais em menos tempo.

Aprimore a habilidade de interpretação de textos

Uma habilidade fundamental para o vestibular é a interpretação de textos. Entender o que é pedido vai facilitar a resolução dos exercícios e também a pensar nos argumentos da redação.

Para isso, o aluno deve ler livros, revistas e notícias da internet para ficar craque na construção dos textos e na compreensão da mensagem que querem transmitir.

Realize simulados e provas anteriores

Não deixe de treinar! Faça simulados e exercícios de provas anteriores para descobrir quais são suas maiores dificuldades e também o tempo que você leva em cada enunciado. Desse modo, dá para focar a revisão nos pontos mais importantes e também desenvolver um jeito de resolver as questões com mais rapidez.

É isso! Sabemos que escolher uma carreira não é tão simples. Como existem várias opções, é normal ficar com dúvidas e incertezas nessa hora. Você deve analisar as oportunidades do mercado e ver qual delas mais se encaixa em seu perfil.

Se gostou de saber o que é robótica e se interessou por essa área, já foi dado o primeiro passo na direção da sua escolha profissional. Observe que esse é um dos ramos tecnológicos que mais crescem no mundo e, em um curso de robótica, você poderá aproveitar os conhecimentos que precisa para alcançar uma carreira de sucesso.

Gostou de entender mais sobre o universo da robótica?

Fique por dentro de outras dicas de carreira: é só assinar a nossa newsletter!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"