O guia prático para fazer networking

“Como fazer networking de maneira otimizada e torná-lo um fator de mudança na minha carreira?” — eis uma dúvida recorrente de muitos profissionais que buscam não apenas melhorar o próprio desempenho no trabalho, como também desfrutar de mais possibilidades na trajetória laboral.

Isso acontece porque, assim como você, eles almejam crescer na profissão, desenvolver-se e ter novos desafios — aspectos que podem, sim, ser alcançados por meio de uma rede de contatos sólida e produtiva.

Pensando nisso, preparamos um post completo que servirá para tirar todas as suas dúvidas sobre o assunto e ajudá-lo a usar essa ferramenta para alavancar o seu sucesso e realização. Acompanhe!

O que é networking?

Networking é um termo em inglês bastante usado tanto no meio acadêmico quanto no ambiente de trabalho de empresas para definir a capacidade de construir, moldar e manter uma rede de contatos (isto é, a network) — portanto, não confunda quando usar network ou networking, certo?

Essa prática, que é cada vez mais visada e necessária em um mercado em constante mudança e inovação, é uma ferramenta indispensável para quem deseja começar seu plano de carreira ou, até mesmo, mudá-lo independentemente da profissão que segue, ou se possui um perfil mais extrovertido ou introvertido.

Afinal, não são poucos os casos de profissionais na ativa que buscam desempenhar novas funções ou, quem sabe, ter uma experiência em um novo segmento. A razão por trás da importância dessa rede está no fato que ela cria uma gama de oportunidades únicas para o seu futuro.

A começar pela troca de informações e conhecimento privilegiado, a indicação para vagas que você almeja e a possibilidade dos seus contatos se tornarem referências do seu trabalho e competência.

Além disso, com ela, você amplia seu leque de ofertas de trabalho — isso vale, inclusive, para outros campos de atuação dentro da sua área de formação — e abre o caminho para futuras parcerias em projetos e negócios.

Mas não acaba aí, pois quem deseja investir em seu lado empreendedor e se tornar dono da própria empresa, por exemplo, pode usar o networking para encontrar fornecedores, clientes e potenciais investidores. Ou seja, não faltam vantagens quando se faz o uso correto dele.

Como fazer networking?

“Certo, eu entendi qual o conceito de networking e a importância dele para a minha carreira. Porém, como fazê-lo de maneira eficiente?”, você deve estar se perguntando. Por esse motivo, reunimos algumas dicas para você colocá-lo em prática e, inclusive, aperfeiçoá-lo presencialmente e no meio digital.

Afinal de contas, o online cada vez mais desponta como uma poderosa ferramenta para formar uma base de conexões sólida e com enorme potencial para quem almeja uma trajetória laboral ascendente. Portanto, fique atento às sugestões!

Aprenda a fazer networking presencial

Planeje-se

Sim, antes de ir a um evento, envolver-se em um programa acadêmico, participar de uma reunião ou integrar uma confraternização da empresa, é fundamental se planejar de forma estratégica sobre como fazer networking.

Avalie, por exemplo, quais temas e assuntos vão dominar as conversas nessas situações, as pessoas que vão estar presentes e quais instituições e marcas elas representam (especialmente aquelas com quem deseja ter uma conexão) e a maneira correta de abordar os outros e divulgar seus méritos, seus diferenciais, suas conquistas e suas habilidades.

Dessa maneira, você otimiza seu tempo, não desperdiça as oportunidades e se torna mais apto a se adaptar a diferentes situações — uma vez que já previu os cenários possíveis e as melhores formas de sair das famosas “saias justas”.

Esteja presente

Você não vai desfrutar de todo o poder do networking se ficar enfurnado dentro de casa. Por isso, aproveite cada momento e se faça presente nos lugares em que seus potenciais contatos estão. Participe de palestras e congressos, se inscreva em oficinas e workshops e aceite os convites que surgirem para jantares e celebrações (inclusive os happy hours) com colegas e supervisores.

Além disso, não deixe de lado as oportunidades que o ambiente acadêmico pode proporcionar a você, em especial quando está fazendo uma pós-graduação, como MBA ou especialização. Lembre-se de que tanto os seus colegas quanto os seus professores podem se tornar peças-chaves para a construção de uma carreira bem-sucedida.

Troque contatos

Saber como fazer networking não se resume apenas a conversar, interagir e passar um tempo de qualidade com nomes importantes no seu campo de atuação. É mais que isso, visto que o importante — a rede de contatos que pode abrir portas e servir para potenciais indicações — é construído a médio/longo prazo a partir desses momentos.

Por essa razão, não se esqueça de um passo crucial: trocar contato, como telefone, e-mail ou perfil em determinada rede social, para continuar a aproximação com essas pessoas e, assim, trocar informações, criar vínculos e gerar identificação — por meio de ideias, propostas e desejos similares para o futuro.

Aprimore-se

Por mais que você já esteja atuando há algum tempo e tenha uma boa formação, nunca pare de se aperfeiçoar. Entenda que essa é uma dica valiosa para não se tornar o tipo de pessoa que estagna na profissão, não vê chances de crescimento ou desenvolvimento e tem dificuldades em enfrentar os desafios do mercado de trabalho.

De quebra, o aprendizado constante valoriza o seu currículo, mostra o seu interesse em se manter atualizado e colabora para construir uma imagem de um profissional que está apto a se adaptar e ser sempre o melhor naquilo que faz.

Com isso, você abre as portas para que tanto profissionais com quem você convive quanto aqueles que está conhecendo agora se mantenham interessados nas suas qualificações e tenham assuntos em comum para compartilhar e debater com você — quiçá ser pauta para novas conversas, novos encontros e novas reuniões.

Monte um círculo de confiança

Saber como fazer networking requer inteligência para identificar um grupo de contatos intermediários, ou seja, aqueles que podem fazer a ponte com quem você deseja se envolver. Essas conexões podem ser amigos, colegas de trabalho, fornecedores, parceiros de negócios, colegas de curso, professores etc.

Isto é, gente com quem há um convívio e uma relação mais íntima. Por isso, faça um exercício e pense quem se enquadra nesse perfil. Uma vez que você tenha esses nomes, monte seu círculo de confiança e procure saber quem integra a rede de contatos deles.

A partir daí, será necessário participar dos mesmos eventos que eles e pedir que seu conhecido apresente-o ao profissional desejado. Assim, haverá uma maior abertura para você interagir, trocar contatos e estabelecer vínculos.

Aprenda a fazer networking digital

Esteja nas plataformas certas

O principal ponto de partida para o networking digital é fazer parte das plataformas em que não apenas outros profissionais se encontram, como também instituições nacionais e internacionais de diferentes áreas (ensino, tecnologia, finanças, saúde etc.) marcam presença.

Um ótimo exemplo disso é o LinkedIn — que conta com 29 milhões de usuários só no Brasil, conforme divulgado em artigo da Veja. Aliás, vale ressaltar, que o site ainda conta com empregadores que divulgam vagas e recrutamentos para compor o quadro de colaboradores deles e grupos nos quais é possível interagir, debater e estabelecer contato com diferentes públicos.

Outro exemplo é o Behance, gerenciado pela Adobe, que funciona como uma vitrine digital para projetos e portfólios de profissionais da arquitetura, do marketing e de outros campos de atuação afins de ambos, como design de interiores, design de móveis, publicidade e jornalismo.

Utilize programas e aplicativos que turbinem o seu perfil

Fora criar e se manter ativo em uma plataforma, como o LinkedIn ou o Behance, é de grande valia contar com programas e aplicativos que ajudem você a medir e a turbinar sua presença online. O Klout — disponível para iOS e Android — é um deles, uma vez que lhe auxilia a saber qual o seu impacto virtual.

Isto é, o seu alcance nas redes sociais e a capacidade de engajar pessoas com comentários, compartilhamentos e afins. Além disso, ele permite identificar os conteúdos que mais despertam a atenção dos seus contatos — fazendo com que você saiba o que publicar e que tipo de discussão promover — e o melhor horário para postar e ter mais visibilidade.

Promova seu currículo virtualmente

Promover seu currículo virtualmente também é importante. Isso porque plataformas voltadas para o meio o profissional, como as que citamos, contam com seções em que é possível destacar:

  • experiências anteriores;

  • formação acadêmica;

  • idiomas que domina;

  • portfólio e referências;

  • mostras de trabalhos e publicações;

  • conquistas e premiações;

  • habilidades, técnicas e competências;

  • publicações e projetos voluntários.

Cada um desses tópicos permitem aos demais descobrir seu perfil profissional com mais facilidade e, acima de tudo, possam se identificar com a sua imagem e o que ela representa (qualificações, diferenciais, interesses etc.). Dessa forma, será mais fácil maximizar a rede de contatos e conquistar novas oportunidades.

O que não pode faltar na sua rede de relacionamentos?

De uma forma geral, é importante que a sua rede de relacionamentos conte com três grupos de networking que possuem funções e qualidades específicas capazes de ajudá-lo a alcançar de forma mais rápida seus objetivos.  

Para isso, é necessário dividir os seus contatos de acordo com o tipo de conexão que você tem com eles. Contudo, lembre-se: ter um excesso em um deles ou, pior, a ausência de algum não é indicada, pois pode prejudicar a eficiência da sua rede. Abaixo, explicamos quais são essas categorias e suas características:

  • grupo referencial: formado por pessoas que podem reafirmar o que você diz e servir como referência caso precise de uma indicação e/ou apoio para uma promoção, uma oferta de emprego ou eventuais parcerias;

  • grupo informativo: composto por quem detém o poder da informação. São aqueles que sempre sabem de antemão o que vai acontecer na empresa, que estão por dentro dos detalhes de recrutamento de uma grande marca, que conhecem o indivíduo que vai assumir o cargo de chefia do setor etc;

  • grupo influenciador: constituído por pessoas de destaque e relevância no mercado, já que estão em cargos de importância e desempenhando papéis vitais para as instituições que representam. São aqueles que podem contratar, oferecer parceria, gerar uma oportunidade de trabalho etc.

Quando ativar sua rede de relacionamentos?

Como dito anteriormente, o networking começa a partir de um primeiro contato no qual você interage com as pessoas, se apresenta e, consequentemente, troca telefone, e-mail, endereço e afins com elas.

Porém, não basta só o bom e velho “toma lá, dá cá” de cartões. É preciso ativar essa conexão posteriormente. Ou seja, criar um diálogo, preparar um terreno para uma maior aproximação e, assim, gerar um vínculo que levará fulano e beltrano a fazerem parte da sua rede de relacionamentos.

Entretanto, a questão que fica é quando e como fazer essa ativação? Para a primeira dúvida, saiba que não há uma regra específica, mas que é de bom tom que esse segundo contato ocorra em até, preferencialmente, uma semana depois do evento ou ocasião em que você conheceu os demais profissionais.

O motivo disso, é que mais tempo que esse prazo pode afetar tanto a sua capacidade quanto a dos demais de recordar detalhes do encontro e dos indivíduos envolvidos neles — especialmente se nada disso foi planejado.

Já quanto à forma de fazer ativação é bastante simples: adicione os outros nas plataformas que mencionamos neste post (e produza conteúdo que seja do interesse deles), envie um e-mail em datas comemorativas e especiais e encontre afinidades que sirvam como justificativa para novos compromissos em conjunto.

É recomendado excluir alguém da sua rede?

Ao longo deste post, falamos sobre a definição de networking e como criar uma rede de relacionamentos que o ajude no processo de solidificação da sua carreira, especialmente a longo prazo. Contudo, para fazê-la realmente funcionar é preciso não somente ter quantidade, mas principalmente qualidade.

Por isso, é fundamental geri-la constantemente para ter o equilíbrio necessário quanto a esse quesito. Na prática, isso significa alimentá-la de forma retroativa por meio da troca de informações e conhecimentos e da criação de pontes para futuros encontros e parcerias.

Além disso, quando preciso, você deve, sim, remover aqueles contatos que não acrescentam nem contribuem para a sua estratégia de crescimento profissional. Abaixo, nós reunimos dois casos para exemplificar quando isso será necessário. Veja:

Conexões movidas apenas por interesse

Embora haja um planejamento em fazer as conexões com os nomes certos, eventualmente você vai se deparar com um ou outro contato movido apenas por interesse. Isto é, aquele que depois do primeiro encontro não se esforça em nutrir um relacionamento nem sequer interagir por cordialidade.

Contudo, quando ele precisa de um favor sabe exatamente onde procurá-lo. Para completar, ele nunca retribui o auxílio prestado e logo volta a se afastar após conseguir o que deseja. Nessas situações, não há o que pesar a favor dele, visto que nenhum vínculo foi formado. Ao contrário, só há pontos negativos! Portanto, exclua quem tem um comportamento “sanguessuga”.

Contatos que não são da sua área nem de áreas afins

O segundo caso é quando ocorre o networking quase exclusivamente com gente que pertence a outros segmentos e funções que nada tem a ver com o que você desempenha ou quer desempenhar.

Por exemplo, você deseja progredir com sua carreira na área de tecnologia, mas está montando sua rede de relacionamento com quem atua com medicina e biomedicina. Percebe a falta de foco nesse processo e como ela é prejudicial?

Entretanto, não entenda errado! Você pode (e deve) ter uma rede de contatos diversificada, desde que priorize aqueles que são da sua área ou de áreas afins para torná-la, de fato, produtiva para alcançar seus objetivos.

Uma dica é se basear na regra de 80%-20%. Sendo o primeiro para o grupo que citamos (que é o do seu interesse) e o segundo para quem é de outro campo de atuação. Dessa maneira, você pode ficar atento se os percentuais fogem a esse limite e excluir o excesso para deixar a balança equilibrada novamente.

Que dicas de marketing pessoal podem ser úteis para networking?

Para finalizar nosso post, reunimos algumas dicas de marketing pessoal que vão ajudá-lo a ampliar sua capacidade de fazer networking. Afinal, construir (e vender) uma imagem profissional sólida é essencial para promover corretamente seus méritos, habilidades e competências e, acima de tudo, se destacar de forma efetiva no mercado de trabalho. Veja quais são elas:

Cuide da sua aparência

A primeira dica, como não pode deixar de ser, trata-se de cuidar da sua aparência. A razão disso é óbvia: a forma como você se apresenta em um determinado local passa uma mensagem — mesmo que não seja a desejada — sobre quem você é e o seu valor como profissional.

Logo, estar vestido de forma inadequada/exagerada ou se descuidar quanto ao visual (barba, cabelo, maquiagem etc.) em meio a diferentes públicos e ambientes põem em xeque seu bom senso, credibilidade e seriedade.

Dessa forma, toda essa exposição gerada é negativa e prejudicial à sua imagem, afastando (ou mesmo minando) toda e qualquer possibilidade de eventuais parcerias e oportunidades de trabalho.

Fique atento à sua postura

Assim como a aparência, a sua postura corporal diz muito sobre você. Duvida? Então basta imaginar uma situação hipotética, como uma palestra em que dois profissionais da sua área serão os oradores. O primeiro fica a todo instante de braços cruzados, olhando para baixo e curvado — isso, inclusive, ao se dirigir à plateia.

O segundo é o oposto. Ele se mantém ereto, com os braços soltos e olhando diretamente para o público enquanto fala. Dito isso, qual deles você sente que está mais preparado, disposto e à vontade nesse ambiente? Qual postura corrobora para passar uma imagem de autoridade sobre o assunto debatido?

Por esse motivo, evite se portar como o primeiro caso. Lembre-se sempre de que cada gesto e cada ação corporal são importantes para mostrar que você está seguro e confortável com a ocasião.

Não misture vida pessoal e profissional

Seguiu as últimas duas sugestões? Excelente. Porém, não cometa o deslize de, em um primeiro contato com aqueles que deseja estabelecer seu networking, misturar vida pessoal e profissional.

Imagine o quão desconfortável é estar em um ambiente acadêmico ou corporativo — onde as pautas principais das conversas são o mercado de trabalho, os avanços tecnológicos, as inovações da área em que todos atuam etc. — e ser abordado por alguém que solta opiniões passionais (e, em muitos casos, preconceituosas) sobre política, classe social, religião, sexualidade e por aí vai.

Constrangedor, não é mesmo? O pior é que, com essa atitude, as chances de despertar a antipatia nos demais ou mesmo ofender e magoar os outros são enormes. Portanto, atenha-se ao que, de fato, é a proposta da ocasião e principalmente o que você deseja alcançar com ela: o aumento da sua rede de relacionamentos.

Valorize a pontualidade

Outra dica simples é ser pontual. Sempre. Isso porque, culturalmente, criou-se o hábito de marcar um compromisso e chegar somente após o horário estabelecido — e isso não apenas ser tolerado, mas aceito como normal.  

Contudo, esse é um (péssimo) hábito que não pode ser levado para o ambiente profissional. E o motivo é simples: se você não consegue honrar com reuniões, convenções ou outros eventos pré-estabelecidos há dias ou semanas — sempre dando as mais diferentes desculpas —, como poderá se comprometer com prazos para projetos e negócios vitais para uma empresa?

Portanto, aprenda a gerenciar sua agenda e principalmente o tempo para mostrar comprometimento e empenho com tudo aquilo com o que você se envolve.

Saiba se comunicar (e se expressar)

A última sugestão tem a ver com a sua capacidade de se comunicar. Todavia, não nos referimos exclusivamente ao uso do português correto e à utilização de uma linguagem adequada ao ambiente em que se está. Vai além disso.

Basta lembrar que você vai interagir e tentar formar vínculos com diferentes pessoas (de cargos variados) nas mais distintas situações. Algumas vão ter mais tempo para esse contato, porém, outras não.

Por esse motivo, será indispensável saber se expressar de maneira clara e objetiva. Caso contrário, você pode desperdiçar a chance de vender sua imagem de maneira eficaz para o mercado. Por isso, aperfeiçoe sua argumentação, sua aptidão em expressar ideias e sua habilidade em sintetizar as informações ao seu respeito.

Agora que você já sabe como fazer networking tanto presencialmente quanto no meio online, o que não pode faltar nele e está por dentro das dicas de marketing pessoal para potencializá-lo, não perca tempo e construa uma rede de contatos sólida que o ajudará a construir uma carreira de sucesso!

Aproveite e assine a nossa newsletter para ficar por dentro de outros temas e assuntos que vão complementar a sua formação e trajetória profissional!