O futuro da Engenharia será desafiador. Saiba como se preparar!

Sabemos que os engenheiros encontram um mercado de trabalho bastante aquecido, apesar dos momentos de crise. Afinal, são responsáveis por projetos que fazem indústrias e empresas funcionarem, movimentando a economia.

Contudo, é preciso considerar que, assim como em outras áreas, o profissional enfrenta desafios e deve estar preparado para encarar o futuro da Engenharia se quiser crescer na carreira. Estamos falando das mudanças que a tecnologia propicia nos modos de produção e na sociedade, dos aspectos relacionados à sustentabilidade ambiental, das tendências no segmento, entre outros fatores.

Ficou interessado em conhecer mais sobre os próximos passos da Engenharia? Então não perca nosso post e descubra quais habilidades você precisa desenvolver e os cursos com maiores oportunidades de crescimento. Boa leitura!

O impacto das novas tecnologias na área da Engenharia

Quem quer acompanhar o futuro da Engenharia precisa ficar de olho nas tendências, especialmente em relação às transformações tecnológicas nessa área. Vivemos em uma era digital, um novo paradigma para os engenheiros, que estão diante de novos modelos de negócio e de formas de produção, principalmente com os avanços da robótica e da inteligência artificial. 

Indústria 4.0

Se você quer entender melhor o que vem por aí, memorize este conceito: Indústria 4.0. Também conhecida como quarta revolução industrial, ela já é uma realidade em países desenvolvidos e está chegando ao Brasil.

E o que a Engenharia tem a ver com isso? Tudo! As empresas estão se adaptando a essa nova fase, automatizando cada vez mais seus processos por meio de dispositivos inteligentes. Afinal, a competitividade é alta, inclusive pelo avanço de empresas globais, e ninguém quer ficar para trás. Então não é de se estranhar que, para fazer essa transformação digital, a demanda por engenheiros de diferentes segmentos será cada vez maior.

Mas você pode pensar que não é de hoje que as indústrias utilizam robôs, é só lembrar a linha de produção da indústria automobilística. É que, quando falamos de Indústria 4.0, estamos associando a robótica a funcionalidades diferenciadas, à interpretação de um alto volume de dados e à conectividade de toda a cadeia de produção por redes inteligentes.

Além disso, é preciso ter qualidade nos produtos e serviços aliada à redução de custos, outro aspecto em que a tecnologia vem para garantir rapidez e eficiência nas etapas de trabalho.

Preocupação ambiental

No entanto, não dá para ter um avanço tecnológico desenfreado sem se preocupar com sustentabilidade ambiental e eficiência energética, questões que, para serem gerenciadas, também exigem engenheiros altamente capacitados.

As empresas precisam, além de seguir a legislação, comprometer-se com sua responsabilidade social, investindo em uma produção sustentável para se destacar no mercado e conquistar novos consumidores.

Novas perspectivas de trabalho

Todas essas mudanças abrem novas perspectivas para a Engenharia, seja para a criação de startups que venham inovar processos, seja em companhias já existentes, mas que buscam profissionais que tiveram uma boa formação e que se mantenham atualizados.

O que é esperado do profissional

Uma dúvida muito comum de quem quer se preparar para o futuro da Engenharia é saber quais competências devem ser desenvolvidas para ser reconhecido profissionalmente.

Em primeiro lugar, é preciso escolher uma instituição de ensino reconhecida para adquirir os conhecimentos científicos e técnicos na área. Ficar antenado a cursos que abordem as tendências e participar de eventos também vai fazer a diferença na sua carreira.

Outro ponto é se informar, aprender sobre as novas tecnologias e dominar um segundo e até terceiro idioma. Dessa forma, você consegue entrar com facilidade em multinacionais e até se candidatar a um emprego no exterior.

Soft skills

O que muitos profissionais desconhecem é que não são somente as hard skills (habilidades que descrevemos acima) que são importantes para o mercado de trabalho. É essencial desenvolver também as soft skills, competências relacionadas ao comportamento e à postura no ambiente corporativo. 

Por exemplo: não adianta o engenheiro ter feito uma boa graduação, ter experiência profissional, falar inglês e conhecer as inovações de sua área se ele tiver dificuldades no relacionamento interpessoal dentro da empresa. 

Confira a seguir as principais soft skills, habilidades do profissional do futuro.

Inteligência emocional

Esse é um termo que tem se tornado bastante popular, visto que é uma característica valorizada pelas empresas. Estamos falando da capacidade de entender as próprias emoções (e ter um controle sobre elas) e as do próximo.

Imagine uma situação em que seu superior chega até você e dá um feedback negativo a respeito de um projeto. O que você faria? Caso não tenha equilíbrio emocional, pode se descontrolar e falar o que não deve, colocando seu emprego em risco. No entanto, se souber como controlar seus impulsos, pode tentar entender o erro e melhorar em um próximo projeto.

Assim, você passa a ver os problemas de maneira mais positiva e também consegue “respirar fundo” antes de dar uma resposta atravessada, que pode pôr em risco sua carreira.

Pessoas que utilizam a inteligência emocional mantêm bons relacionamentos interpessoais no ambiente corporativo, o que facilita o trabalho em equipe e a troca de ideias.

Flexibilidade

A flexibilidade é, talvez, uma das soft skills mais importantes para o profissional do futuro. É necessário entender que, ao contrário de antigamente, em que a pessoa começava e terminava a vida profissional na mesma função, hoje é necessário sair da zona de conforto e enfrentar desafios.

O que queremos dizer é que o profissional deve estar preparado para atuar em novos projetos, trabalhar com novas tecnologias, assumir áreas diferentes e até estar disposto a trabalhar com colegas de gerações diferentes — o que pode propiciar uma rica troca de experiência.

Boa comunicação

Não dá para ter um desenvolvimento de carreira sem uma comunicação eficiente. O profissional deve saber como expressar suas ideias e opiniões com clareza e ter capacidade de saber ouvir o próximo.

Isso é importante em reuniões, bate-papos com colegas, no momento de redigir um e-mail para seu superior sobre um assunto importante e até para fazer networking.

Empatia

Saiba se colocar no lugar do próximo — pode parecer estranha a recomendação de ter empatia no local de trabalho, porém saiba que ela vai fazer a diferença na sua conduta profissional. Isso porque é necessário cultivar uma relação de respeito com os colegas da empresa para, dessa maneira, ter harmonia no ambiente organizacional, o que certamente vai melhorar o trabalho em equipe e a produtividade.

Proatividade

Ser proativo é, em linhas gerais, uma competência do profissional antenado com o futuro. Trata-se da capacidade de antever cenários, buscando soluções antes que os problemas venham a tomar grandes proporções.

A proatividade é essencial também para que o engenheiro consiga enxergar oportunidades que podem ser decisivas para sua ascensão profissional. 

Criatividade

As empresas querem crescer e, para isso, precisam desenvolver produtos e serviços inovadores ou ainda aperfeiçoar seu sistema de produção com novas tecnologias. Nesse sentido, vão valorizar os engenheiros mais qualificados e que também sejam criativos, apresentando soluções diferenciadas para o negócio.

Os cursos com maiores oportunidades de crescimento

Se você busca uma profissão com alta empregabilidade, precisa entender como funcionam os cursos de Engenharia. São graduações da modalidade bacharelado, com duração de 5 anos, e que apresentam um conteúdo bem variado e atualizado, mesclando disciplinas teóricas e práticas, com muitas aulas em laboratório.

São formações que exigem do aluno, além do cumprimento da grade curricular, o estágio supervisionado e o desenvolvimento do trabalho de conclusão de curso (TCC).

Quer conhecer as opções para ter uma carreira de destaque na Engenharia? Acompanhe a seguir os cursos que estão em alta.

Engenharia Civil

Apesar de ser um ramo bem tradicional, a Engenharia Civil também oferece boas perspectivas ao profissional que quer se preparar para o futuro. É que as tecnologias também chegaram aos projetos e canteiros de obra, otimizando a gestão do cronograma, de materiais e da produtividade das construções.

As inovações estão presentes ainda nas questões de segurança dos empreendimentos e no controle de qualidade, atividades importantes para o bom andamento das obras. Há softwares, inclusive, que otimizam desde o estudo de viabilidade até a pós-entrega.

Se você quer criar, planejar, gerenciar e fazer a manutenção de obras residenciais, prediais ou ainda de rodovias, hidrovias, pontes e aeroportos, pode apostar nessa carreira. Os profissionais que acompanham as novidades, que aprendem a lidar com as ferramentas tecnológicas e se valem da criatividade em seus projetos vão construir uma carreira de sucesso nessa área.

Engenharia da Computação

A Engenharia da Computação é uma área estritamente ligada às tendências tecnológicas, visto que o profissional está apto para atuar com sistemas, software e hardware. Assim, encontra espaço em empresas de todos os tamanhos e setores, ou seja, é um mercado aquecido e só tende a aumentar com a transformação digital.

As atribuições do engenheiro de computação são variadas e incluem a criação e gerenciamento de projetos de redes de computadores, a área de automação industrial e até o desenvolvimento de sistemas digitais, robôs e aplicativos.

Engenharia de Controle e Automação

Quando se fala nos desafios da engenharia com as novas tecnologias, o engenheiro de controle e automação assume um papel especial. Como ele atua no desenvolvimento e gerenciamento de projetos de automação industrial, é bastante requisitado por companhias que buscam se adaptar à Indústria 4.0.

A graduação em Engenharia de Controle e Automação, também chamada de Mecatrônica, prepara o profissional para o desenvolvimento e o gerenciamento de máquinas e equipamentos que participam das etapas automatizadas do setor industrial. Assim, esse profissional está apto a trabalhar com sistemas de controle, robótica e adaptação de softwares para otimizar os processos produtivos, melhorando a segurança e a qualidade e reduzindo os custos.

Além de trabalhar na indústria, ele encontra oportunidades na área da saúde, com equipamentos hospitalares, automação residencial e, ainda, na área de desenvolvimento de softwares.

Engenharia de Produção

As empresas que estão se preparando para o futuro de modo a inovar e superar a concorrência buscam profissionais da Engenharia de Produção. É que essa área se volta para projetos com o objetivo de aumentar a produtividade e a qualidade de serviços e produtos e de reduzir custos.

O profissional assume, dessa maneira, um papel estratégico, já que ele tem o conhecimento para lidar com a gestão de equipes, finanças, projetos e materiais — sem contar que pode assumir ainda cargos na área de logística. Ele tem, portanto, uma visão sistêmica do negócio, o que permite atuar em várias frentes e propor melhorias para o processo produtivo.

Engenharia Biomédica

Os grandes avanços da Medicina se devem ao desenvolvimento tecnológico de sistemas e de equipamentos que permitem diagnósticos mais precisos, tratamentos cada vez mais eficazes e menos invasivos e ferramentas voltadas para os cuidados preventivos. No entanto, como a área da saúde pode ter alguma relação com a Engenharia? São segmentos que estão interligados na Engenharia Biomédica, um ramo novo e bastante promissor.

Quem escolhe essa área pode atuar em desenvolvimento, gerenciamento e manutenção (preventiva e corretiva) de equipamentos médicos, biomédicos e odontológicos. Pode trabalhar ainda com a criação de softwares voltados para esses aparelhos.

Dessa maneira, o engenheiro biomédico pode atuar em hospitais, clínicas médicas, centros de saúde, laboratórios farmacêuticos e de análises clínicas, bem como em empresas especializadas em manutenção hospitalar. No setor industrial, o profissional pode trabalhar no projeto e desenvolvimento de soluções e de equipamentos para a área da saúde. 

Engenharia de Petróleo

O petróleo é um produto central na economia, dessa forma é uma área em alta quando se trata da Engenharia do futuro.

O profissional desse segmento atua nos processos de exploração e produção de petróleo e gás. Desse modo, sabe lidar com:

  • novas tecnologias do setor;
  • exploração de derivados de petróleo;
  • gerenciamento de sua comercialização e transporte;
  • avaliação dos riscos ambientais das etapas de produção.

O engenheiro encontra espaço em refinarias, petrolíferas, indústrias petroquímicas e pode ainda atuar como consultor ambiental nesse segmento.

Engenharia Química

A Engenharia Química é uma área ampla e que tende a crescer ainda mais. É responsável pelos processos de extração e transformação de matérias-primas em produtos, como cosméticos, combustíveis, tintas, tecidos, alimentos, entre outros segmentos.

É um engenheiro que participa ativamente dos processos produtivos e suas tecnologias, garantindo sua otimização e controle de qualidade. O profissional ganhou ainda mais destaque porque pode atuar para que a indústria produza sem agredir o meio ambiente. Desse modo, estão entre suas atribuições:

  • elaboração de requisitos técnicos para manipulação e descarte correto de produtos químicos;
  • medidas de controle de poluição;
  • tratamento de resíduos industriais.

As principais tendências para o futuro da Engenharia

Se você quer se formar como engenheiro e busca se preparar para o futuro, precisa ficar por dentro das principais tendências da área. Veja a seguir.

Questões ambientais

Não há como negar que o desenvolvimento trouxe junto a degradação dos recursos naturais. Mas será que precisa ser assim, com tantas tecnologias desenvolvidas? Esse é um assunto em alta na Engenharia, visto que a sustentabilidade ambiental é uma preocupação não só dos governos, mas também de empresas de diferentes setores.

Dessa maneira, terão destaque os engenheiros que se dedicarem às questões relacionadas ao meio ambiente, como:

  • desenvolvimento de equipamentos e processos que reduzam o uso da água;
  • criação de sistemas de controle de poluentes;
  • projetos relacionados a tratamentos de resíduos;
  • recuperação de áreas degradadas;
  • gestão de recursos hídricos;
  • legislação e licenças ambientais.

Eficiência energética

Seguindo ainda a pauta de sustentabilidade ambiental, uma tendência no futuro da Engenharia é pensar em ações estratégicas para otimização do uso da energia. Nesse contexto, ganham destaque os engenheiros que desenvolvem processos, sistemas e tecnologias que reduzem o consumo energético ou que passam a utilizar fontes alternativas de energias, como a solar e a eólica.

Para as empresas, há interesse na contratação de profissionais qualificados nessa questão, pois significa redução de custos, além de uma produção ecologicamente correta.

Aquecimento da construção civil

A construção civil, que sentiu as oscilações na economia nos últimos anos, teve uma retomada no Brasil. Com o aquecimento do setor, houve aumento a contratação de pessoal qualificado, como os engenheiros.

Segundo uma pesquisa da Michael Page, a procura por determinados profissionais da área teve um crescimento de 300% de janeiro a setembro de 2019. Assim, vagas como gerente de novos negócios, gerente de vendas e outras voltadas para o gerenciamento de obras estão movimentando as contratações no setor.

Produção automatizada e inteligente

Com a transformação digital, cada vez mais as empresas terão que contar com uma produção mais automatizada e inteligente. É o avanço da robótica, que vai permitir um controle autônomo das etapas da cadeia produtiva por meio de sistemas que conseguem identificar falhas, possibilitando fazer adaptações e manutenções quando necessário.

Estamos falando da expansão da inteligência artificial, na qual máquinas podem aprender funções humanas. É, portanto, uma área com boas oportunidades para os engenheiros, que vão desenvolver e gerenciar esse tipo de processo para trazer mais eficiência na produtividade.

Tecnologia na área da saúde

Os engenheiros podem fazer carreira também buscando qualificação em tecnologias na área da saúde. É um mercado com boas possibilidades e que busca se expandir com o desenvolvimento de soluções em equipamentos e sistemas voltados para o diagnóstico, prevenção e tratamento na Medicina e na Odontologia.

Multidisciplinaridade

É importante ainda ter em mente que o futuro da Engenharia será marcado pela multidisciplinaridade. Dessa maneira, não é por que o profissional é da área civil, por exemplo, que não pode empreender, gerenciar pessoas e até mesmo se envolver em questões relativas ao meio ambiente.

Então, quem busca crescer deve ter uma visão mais aberta sobre os diferentes processos que envolvem sua atuação para buscar cursos de capacitação que possam complementar a formação e valorizar seu currículo. Por isso, mesmo depois de graduado, fique de olho em cursos de especialização e MBA para dar um salto na sua carreira.

Como escolher o curso que mais combina com você

Falamos sobre as boas perspectivas na Engenharia e sobre os cursos que estão em alta para quem almeja uma carreira de sucesso. No entanto, não basta apenas ter afinidade com essa área, é necessário saber como escolher a graduação que mais combina com seu perfil e que atenda às suas expectativas profissionais.

Reflita sobre o nicho com o qual você gostaria de atuar

Em geral, nas Engenharias, você vai trabalhar com cálculo e raciocínio lógico. Entretanto, cada área tem um direcionamento diferente. Dessa maneira, é necessário refletir sobre seus objetivos profissionais, o local que gostaria de atuar e quais funções têm mais a ver com você.

Em muitos cursos, por exemplo, existe ainda a possibilidade de empreender, ou seja, de criar e gerenciar um negócio próprio. Se você tem espírito de liderança, pode apostar nesse direcionamento para sua carreira.

Pesquise sobre a grade curricular do curso

Pode ser difícil entender como é o trabalho de cada área dentro da Engenharia. Uma dica é pesquisar a grade curricular dos cursos de seu interesse nos sites das próprias faculdades. Como o conteúdo traz muitas disciplinas práticas, fica fácil saber o que você vai encontrar na rotina profissional.

Converse com os profissionais que já atuam no segmento

Falando em rotina profissional, um bom jeito de descobrir como é a de cada curso é conversando com quem já atua na área. Tire suas dúvidas com esses engenheiros e descubra sobre os principais desafios e perspectivas de carreira.

Busque orientação em uma instituição de ensino de referência

Por último, não deixe de entrar em contato ou de visitar instituições de ensino superior de referência em cursos de Engenharia, como a UCL. É uma maneira de conhecer cada graduação e conversar com professores e coordenadores.

Na UCL, por exemplo, você vai descobrir uma infraestrutura completa para uma formação de qualidade. A instituição conta com laboratórios equipados, tecnologias na área e tem o diferencial de oferecer uma matriz curricular que acompanha as novidades do mercado.

Mesmo diante de tantos desafios, saiba que o futuro da Engenharia oferece boas oportunidades para profissionais que fazem a graduação em uma instituição de ensino de qualidade, acompanham as tendências e estão sempre em busca de novos aprendizados.

E aí? Ficou interessado em saber mais detalhes sobre os cursos de Engenharia? Conheça todas as opções da UCL e comece a construir sua carreira!

Deixe um comentário

Por favor, seja educado. Nós gostamos disso. Seu e-mail não será publicado e os campos obrigatórios estão marcados com "*"