Graduação a distância: como o mercado encara essa formação?

Quando chega o momento de dar o próximo passo na formação, muitos jovens ficam em dúvida se devem ou não fazer uma graduação a distância. Isso porque essa modalidade vem crescendo bastante nos últimos anos, mas ainda há muitos mitos a respeito dela. Um deles é que o mercado de trabalho vê com maus olhos quem não se gradua em um curso presencial — o que, acredite, é uma grande mentira!

Tanto é que é cada vez mais comum encontrar profissionais, inclusive em cargos gerenciais em grandes empresas, que optaram por essa alternativa, ao entrarem no ensino superior, e que, agora, investem em uma pós-graduação no mesmo formato, pelos benefícios que ela oferece.

E é justamente para falar sobre isso e sanar as principais dúvidas que surgem a respeito da graduação EAD/online que preparamos este post. Acompanhe!

Qual o cenário atual da graduação a distância no país?

De acordo com as últimas Sinopses Estatísticas da Educação Superior, realizado pelo MEC e pelo Inep, cerca de 18,56% das 8.048.701 de matrículas realizadas em 2016 foram na graduação a distância (uma média de 1.494.418). Desse percentual, a esmagadora maioria está nas faculdades particulares: 1.371.817 alunos — isto é, 91,79%.

Esse não é, entretanto, o único dado impressionante sobre ela que trouxemos para este post. Para se ter ideia, já são disponibilizados mais de 1.662 cursos EAD/online, sendo que as faculdades particulares saem na frente e oferecem 72,98% deles, enquanto as instituições públicas de ensino não ultrapassam a marca de 20,99%.

Quanto aos polos EAD/online, já existem 5.133 em todo o território nacional, e são as regiões Sudeste, Nordeste e Sul as que têm a maior quantidade: 1.995, 1.130 e 1.119, respectivamente. Além disso, a graduação a distância tem um volume de concluintes bastante alto. Em 2016, graduaram-se 230.717 pessoas. Na graduação presencial, o total foi de 406.331. Se comparamos as proporções de entrada e saída de estudantes em ambas as modalidades, pode-se afirmar que a primeira já forma muito mais gente no Brasil.

Quais as vantagens dessa modalidade?

Você viu um panorama de como está a graduação a distância e percebeu que, de fato, ela não para de crescer e ganhar relevância em todo o país. No entanto, deve estar se perguntando quais os fatores que motivam isso, não é mesmo? Reunimos as principais vantagens dos cursos EAD/online:

Inexistência de ambiente físico

A primeira delas é que não há um ambiente físico que você precisa frequentar diariamente para acompanhar as aulas. Ao contrário, é possível ter acesso a elas por meio de uma plataforma, o chamado Ambiente Virtual de Aprendizagem (AVA).

Com isso, pessoas que moram em municípios que não têm uma instituição de ensino superior não precisam ter que se locomover até outra cidade ou mesmo se mudar para outra localidade para se graduar, o que, muitas vezes, representa despesas altas. É possível estudar de casa e contar com todo o suporte necessário de forma online!

Mensalidade mais em conta

Outra vantagem é que a mensalidade da graduação a distância é mais em conta, já que, por não haver um espaço que requer corpo de funcionários, equipamentos e manutenção predial recorrente, o preço final do curso é reduzido. Com isso, você não fica com o seu salário comprometido e o melhor: pode economizar e até investir em cursos, oficinas e workshops para complementar a sua formação.

Horário flexível

Além da inexistência de um ambiente físico, também há outro ponto favorável nos cursos EAD/online: os seus horários de estudo são flexíveis. Como as videoaulas, o fórum e o material didático ficam disponíveis na plataforma, você tem total autonomia para definir em que dias vai acompanhar as aulas e quantas horas vai dedicar à leitura, à resolução de exercícios e afins.

Para quem já trabalha, essa é uma excelente saída para dar continuidade à própria formação sem precisar abrir mão do emprego, especialmente quando você contribui ativamente com o orçamento familiar.

Quais as diferenças entre diploma EAD/online x presencial?

Um questionamento bastante recorrente entre quem está analisando se faz ou não um curso EAD/online é se o diploma da graduação a distância tem o mesmo peso e a mesma validade que o recebido ao concluir a graduação presencial.

Por falta de conhecimento sobre o assunto e velhos mitos que insistem em se propagar, muitos temem que o currículo fique em desvantagem na hora de se candidatar a processos seletivos. Se você também compartilha dessa dúvida, pode ficar tranquilo! Não há absolutamente nenhuma distinção entre eles que coloque um em desvantagem em relação ao outro.

A titulação concedida — independentemente de ser bacharel, licenciado ou tecnólogo — é aceita normalmente em editais de chamada de concursos públicos para candidatos com nível superior, além, é claro, de poder ser utilizada para a matrícula em cursos de pós-graduação (sejam eles lato sensu, sejam eles stricto sensu).

Quais as qualidades desenvolvidas durante o curso?

Como mencionamos no início deste post, a ideia de que o mercado tem preconceito com a graduação EAD/online é errada, afinal, as empresas estão muito mais preocupadas em averiguar quais são as habilidades e as competências que o diferem de outros candidatos e que fazem de você um profissional ímpar.

Fazer um curso a distância proporciona a você o desenvolvimento de características muito valiosas e requisitadas no ambiente de trabalho, como proatividade, autonomia, disciplina e resiliência. Tudo isso porque o aluno EAD/online é responsável pelo próprio cronograma de estudo, o que exige dedicação, maturidade e um alto nível de organização.

Como você viu, a graduação a distância é uma ótima alternativa para quem deseja se formar, mas não pode acompanhar um curso presencial. Além disso, é uma modalidade em franco crescimento em todo o país e que o mercado de trabalho, inclusive, vê com bons olhos. Por isso, não perca tempo e matricule-se já!

Para saber mais sobre graduação e vida acadêmica, assine a nossa newsletter!