Faculdade de marketing: saiba como construir uma carreira na área

Você se interessou por fazer a faculdade de Marketing, mas ainda sabe pouco sobre o ramo, o mercado de trabalho para os recém-formados e, inclusive, os detalhes do próprio curso? Você não é o único que está nessa situação!

Prestes a concluírem o ensino médio, muitos jovens começam a identificar as habilidades e as competências que têm, relacionando-as com as carreiras que podem seguir, mas não sabem ao certo como ou onde encontrar informações que os ajudem a bater o martelo sobre o que, de fato, querem para o futuro. 

Justamente por isso, preparamos um post completo sobre como é a graduação em Marketing e sobre as perspectivas profissionais para quem se gradua na área, para você sanar de vez as suas dúvidas. Acompanhe!

Fique por dentro de como funciona o curso

Vamos começar com uma série de informações a respeito de como ingressar na faculdade de Marketing, que, conforme as sinopses estatísticas do Censo de Educação Superior 2016, teve mais de 139.472 matrículas em todo o país. Veja:

Ingresso na faculdade

O ingresso em uma instituição de ensino superior pode ser feito por meio do vestibular tradicional ou do Exame Nacional do Ensino Médio. Isso porque é cada vez mais comum que faculdades particulares aceitem a nota no Enem como parte do processo seletivo de novos alunos ou mesmo como substituto dele. 

O desempenho no Enem pode, inclusive, ser utilizado para obtenção de bolsas e financiamentos que são concedidos pelo Ministério da Educação, como é o caso do Fundo de Financiamento Estudantil (FIES) e do Programa Universidade Para Todos (Prouni).

Tipo de graduação

A graduação em Marketing pode ser encontrada tanto como curso de bacharelado quanto como curso tecnológico. O segundo formato é o mais usual, pois a duração é de dois anos, em média, e ele traz aulas mais técnicas e com conteúdos mais práticos para os alunos.

É, portanto, uma formação focada na profissionalização do estudante e na imersão dele no mercado de trabalho, para que, assim, ele já esteja preparado para começar a própria carreira e lidar com a rotina laboral nas mais distintas companhias, sejam elas do setor privado, sejam elas do setor público.

Também é possível encontrar essa graduação na modalidade presencial e a distância, que surge, justamente, como uma alternativa para aqueles que, devido a motivos pessoais (como trabalho, filhos, moradia distante da faculdade etc.), não podem nem tem tempo de acompanhar as aulas em horário e local pré-estabelecidos.

Se esse é o seu caso, é importante saber mais a respeito do ensino EAD, para tirar dúvidas sobre ele e, principalmente, para entender que essa é a alternativa para que você não abra mão de se formar e ter um diploma.

Grade curricular

A grade curricular da faculdade de Marketing tem um viés multifacetado muito forte. Na prática, isso significa que você não vai aprender apenas sobre assuntos da sua área de formação. Ao contrário, vai sair da sua zona de conforto e expandir o seu conhecimento sobre áreas interligadas a ela.

Uma característica que, sem dúvidas, é essencial para a preparação de profissionais que podem atuar em cenários que vão do empresarial e varejista ao político e cultural.

  • Comportamento Organizacional;
  • Fundamentos do Direito;
  • Economia Empresarial;
  • Direito Empresarial;
  • Matemática Financeira;
  • Comunicação e Linguagem;
  • Pesquisa de Marketing e Comportamento;
  • Gestão de Conflitos e Negociação;
  • Marketing de Varejo;
  • Gestão de Projetos;
  • Inovação e Desenvolvimento de Produtos;
  • Marketing Digital;
  • Comércio Exterior;
  • Gestão de Produtos e Marcas.

Cursos complementares

Vale mencionar que fazer cursos complementares à sua formação superior é um grande diferencial para a sua preparação para o mercado de trabalho. A razão disso é que não é só a graduação em Marketing que é multifacetada, a carreira nessa área também é.

Logo, os profissionais precisam ser versáteis, capazes de se adaptar e aptos a trabalhar com diversas tecnologias, ferramentas e sistemas. Por isso, não importa qual segmento você escolha. Desde já, invista no aprendizado de:

  • um segundo idioma — inglês, em especial, já que é um ramo muito globalizado e com vários jargões norte-americanos;
  • programas de edição de imagem e vídeo, como os do pacote Adobe (Photoshop, Illustrator, Premiere etc;)
  • formatação no Excel — visto que o uso dele para fluxo de caixa, controle de fornecedores e acompanhamento de projetos é frequente na área.

Entenda como funciona a carreira em marketing

O marketing é bastante extenso e engloba segmentos que muitas pessoas nem mesmo imaginam. Não é à toa que, quando novos estudantes começam a graduação, uma grande parcela deles fica indecisa sobre qual seguir.

Neste tópico, nós vamos apresentar os principais segmentos e, de quebra, esclarecer algumas dúvidas comuns sobre a área que confundem (e muito) a cabeça dos interessados em se graduar nela. Veja:

Marketing é o mesmo que publicidade?

Esse é, certamente, um dos maiores questionamentos de quem está se informando sobre a área para decidir se a segue ou não como carreira, afinal, é comum ver profissionais de um ramo atuando no outro. É preciso, porém, deixar claro que a resposta é não. 

Basta ter em mente que o marketing é o responsável pelo relacionamento das marcas com clientes e funcionários, pelo planejamento dos canais de venda, pela formulação do posicionamento institucional e pela estratégia de divulgação publicitária de produtos e serviços que as empresas comercializam.

A publicidade, por sua vez, representa esse último campo de atuação que mencionamos. É o âmbito no qual são planejados os anúncios e as campanhas online e offline, conforme o público-alvo, o orçamento e os objetivos das companhias.

São dois segmentos bastante conectados e que influenciam um no outro. Não é para menos que muitas organizações de grande porte têm um setor próprio, com publicitários atuando ao lado dos profissionais de marketing, enquanto aquelas pequenas e de médio porte costumam contratar agências de publicidade.

E quanto ao profissional de Relações Públicas? É do mesmo ramo?

Além da publicidade, há outro ramo que costuma ser frequentemente lembrado como sendo um desdobramento do marketing: o de relações públicas. O que ocorre, no entanto, é que, mais uma vez, trata-se de uma área ligada intrinsecamente às atividades de marketing.

O motivo disso está no fato de o RP — como é chamado quem trabalha com relações públicas — ser a figura que lida com construção e manutenção da imagem da marca, responde pela comunicação com a sociedade e realiza eventos e ações promocionais com a mídia para anunciar novidades da empresa.

Por conta disso, esse profissional está sempre alinhado com o posicionamento institucional e com as diretrizes de relacionamento que são estabelecidos pelo setor de marketing, nunca podendo atuar de forma paralela ou independente. As duas áreas não são, portanto, a mesma coisa, certo? 

Em quais áreas o profissional de marketing pode atuar?

Esclarecidas as confusões em torno de marketing, publicidade e relações públicas, vamos, enfim, falar um pouco mais dos ramos nos quais você pode trabalhar depois de formado. Confira com calma todos eles e veja como o mercado conta com muitas oportunidades para o profissional de marketing!

Marketing empresarial

O primeiro da nossa lista é o marketing empresarial, que, certamente, é um dos segmentos mais conhecidos e popularizados, justamente pela presença em companhias de diversos setores. Nele, você gerencia todos os aspectos ligados à marca que representa, desde o conceito e a construção da imagem institucional dela até as estratégias para aumentar a visibilidade e o volume de vendas da companhia. 

Por essa razão, atua-se com posicionamento público da empresa, estudos de mercado, distribuição de canais de atendimento, investimentos em mídia paga, identidade de produtos e/ou serviços, pesquisas de satisfação do cliente e muito mais. Em suma, é um trabalho que constrói diariamente o relacionamento da marca com o (potencial) consumidor final.

Endomarketing

O endomarketing, por outro lado, é o oposto do marketing empresarial. É uma área com interesses afins aos dos recursos humanos. Isso porque o foco aqui não está em quem está do outro lado e é responsável pelo consumo, mas, sim, no capital humano da organização — que é o alicerce de qualquer empresa.

Não é para menos que essa vertente desenvolve diversas ações e atividades internas para melhorar o ambiente de trabalho, solidificar a cultura organizacional e reduzir a rotatividade de colaboradores.

Do contrário, esse cenário de baixas recorrentes no corpo de funcionários pode se tornar um problema capaz de trazer grandes prejuízos para as empresas, principalmente as que têm ciclo produtivo ou trabalham exclusivamente com atendimento direto ao público.

Marketing político

Por sua vez, os que trabalham com marketing político são os responsáveis pela construção e pela manutenção da imagem tanto de candidatos quanto de figuras em exercício de mandatos em cargos eletivos nos níveis:

  • municipal: prefeitos e vereadores;
  • estadual: governadores e deputados estaduais;
  • federal: presidente, senadores e deputados federais.

São eles que desenvolvem a estratégia de publicidade em época eleitoral, traçam a presença de mídia paga e espontânea nos meios de comunicação, definem o formato do relacionamento do cliente com o eleitorado, planejam a adequação do discurso ao público-alvo das campanhas, cuidam da divulgação de projetos, propostas e emendas com os partidos, lidam com escândalos e casos de denúncias criminais etc.

Marketing digital

Quando você atua com marketing digital, assume o planejamento, a execução e o acompanhamento de campanhas online que visam não só a reforçar o material publicitário divulgado nas mídias offline, como também visam a promover anúncios segmentados por nicho na internet e utilizar as mídias sociais para viralização espontânea de conteúdo entre os usuários.

Não é à toa que cada vez mais empresas veem no direcionamento do tráfego virtual para páginas institucionais ou e-commerces uma forma de sair do status quo de se comunicar com o público-alvo e bater as metas de vendas, aliando uma maior geração de leads com um mais expressivo retorno sobre investimento (ROI).

Marketing de performance

O profissional que trabalha com marketing de performance está diretamente ligado ao que atua com marketing digital. Isso porque o primeiro é o responsável por monitorar a evolução das campanhas online e gerar relatórios de desempenho para que o segundo identifique os problemas decorrentes da estratégia traçada que estão impactando os resultados do trabalho.

Ao escolher esse segmento, as métricas vão fazer parte da sua rotina laboral. Você vai acompanhar e calcular, por exemplo, o avanço ou a perda de potenciais leads, a quantidade de cliques em anúncios, o alcance e o engajamento em plataformas, sites e redes sociais e por aí vai.

Marketing de varejo

O marketing de varejo é uma vertente do marketing que foca, como o próprio nome deixa claro, nas estratégias de promoção e venda no comércio varejista.

Os profissionais que trabalham com isso atuam, geralmente, com cartela de clientes e promovem análises personalizadas sobre os fatores positivos e, principalmente, negativos que podem ou não estar influenciando o consumidor a procurar os concorrentes diretos, como:

  • a qualidade do produto/serviço; 
  • a precificação;
  • o visual merchandising;
  • o ponto de venda;
  • a sazonalidade;
  • o investimento em e-commerce.

Logo, é uma área de atuação bastante dinâmica — uma vez que trabalha com números e busca constantemente por resultados — e que está sempre em reinvenção para que lojas, armazéns, galerias, boutiques e afins alcancem o lucro esperado.

Conheça duas opções para seguir após concluir a faculdade de Marketing

Os estudantes de marketing têm a oportunidade de trabalhar em vários meios e ter uma carreira capaz de se reinventar constantemente. Tudo o que é preciso é apenas explorar a fluidez do ramo e angariar experiência em novos segmentos de atuação.

É justamente por essa razão que o mercado tem se tornado cada vez mais competitivo e com profissionais extremamente qualificados competindo por um mesmo cargo, especialmente quando ele é ofertado por empresas de grande porte e visibilidade social — algo que, como é de se imaginar, traz um peso extra a qualquer currículo.

Por esse motivo torna–se indispensável atualizar o seu conhecimento sobre as práticas do marketing no ambiente empresarial e na relação com clientes, fornecedores e funcionários, tornar-se especialista em uma determinada área e conhecer quais as novidades do mercado para o seu setor. 

Para alcançar esses objetivos, há duas opções a serem seguidas, assim que você termina a sua faculdade: fazer uma segunda graduação ou investir em uma pós-graduação. Abaixo, nós falamos mais a respeito delas:

Pós-graduação lato sensu

A pós-graduação lato sensu é o caminho natural da sua formação e dá continuidade ao aprimoramento do conhecimento, das habilidades e das competências que você adquiriu no decorrer da graduação. Ao todo, existem dois cursos que você pode realizar:

  • a especialização: que tem um escopo curricular voltado para aprofundar os seus saberes teórico e prático em um determinado ramo, fazendo de si um especialista;
  • o MBA: que tem um escopo curricular voltado para capacitá-lo a desenvolver um perfil gerencial e, assim, assumir cargos de gestão operacional e estratégica dentro de uma organização.

Como exemplos, podemos citar a especialização em Marketing Digital, o MBA em Gerenciamento de Projetos e o MBA em Gestão Estratégica de Varejo.

Segunda graduação

Já uma segunda graduação, que ocorre em áreas afins àquela da sua formação, é capaz de funcionar como um complemento que o diferencia frente aos seus concorrentes e lhe fornece um background de conhecimento e referências muito mais amplo sobre o mercado de trabalho.

Se você, por exemplo, tem, um diploma em marketing, é uma boa ideia se graduar em um curso de Administração, Gestão Financeira, Publicidade ou Relações Públicas. Com isso, desenvolve novas habilidades e expande o seu know-how, podendo atuar em diferentes empregos, assumir projetos mais complexos ou até mudar de profissão, caso deseje.

Saiba como está o mercado de trabalho

Já falamos sobre como é a graduação em Marketing, as opções complementares que você tem para turbinar a sua formação e se qualificar ainda mais e, inclusive, quais segmentos pode seguir. 

Agora, é o momento de saber mais a respeito de como está o mercado de trabalho e sobre o que os alunos desse curso podem esperar para o próprio futuro profissional. Para isso, trouxemos alguns dados importantes apresentados no 27º Boletim RADAR, que é elaborado pelo renomado Instituto de Pesquisa Econômica Aplicada. Confira:

Renda média 

Quem faz faculdade de Marketing não tem com o que se preocupar! Isso porque os rendimentos do profissional da área giram em torno de R$ 3.910,86. À medida que você ganha experiência e tem um plano de carreira dentro da empresa na qual trabalha — podendo ser promovido para ocupar cargos de gestão ou mesmo direção do setor —, as expectativas são ainda melhores.

Para se ter ideia, de acordo com levantamento do portal Salário, os gerentes de marketing ganham aproximadamente R$ 7.106,77 em todo o país. Por sua vez, conforme outra sondagem, os diretores de marketing tem um retorno financeiro ainda maior, alcançando R$ 17.199,56.

Nível de ocupação

“Certo, entendido, mas e quanto ao nível de empregabilidade para recém-formados? Há risco de eu me formar e acabar desempregado?”. Você deve estar se questionando isso, com total razão. Saiba que os números são favoráveis para essa profissão, ok?

O percentual de ocupação é de 93,30% para cada 100 novos graduados — uma taxa que está entre as 20 maiores apresentadas pelo Boletim RADAR (18º). Um excelente resultado que, sem dúvidas, está diretamente ligado à gama de opções de ramos no qual você pode exercer seus conhecimentos.

Jornada de trabalho

A jornada de trabalho do profissional de marketing fica na média de 41,47 horas semanais. É preciso, no entanto, levar em conta que a sua rotina laboral pode ser maior ou menor, de acordo com o cargo que você exerce (assistente, analista, coordenador, diretor etc.) e o ramo no qual atua.

Além disso, quem trabalha, por exemplo, com eventos, área política e varejo costuma ter semanas ou mesmo meses mais intensos ao longo do ano — isto é, em períodos sazonais de festas e/ou datas comemorativas. 

O motivo? Simples: é que os respectivos clientes ou marcas que representam querem aumentar nessas ocasiões a visibilidade e o nível de penetração de mensagem nas mais diferentes camadas sociais.

Descubra as tendências da carreira em marketing

Para encerrar nosso post, não podemos deixar de abordar algumas das principais tendências da carreira em marketing: o marketing de conteúdo e a gestão de mídias sociais. Ambos os segmentos têm sido essenciais nos últimos anos para empresas de todos os portes que querem ter mais lucratividade e crescer dentro do mercado e sabem que, para isso, é preciso:

  • reduzir o investimento publicitário pago em mídias tradicionais (como o rádio, a televisão e o jornal);
  • maximizar o alcance das campanhas de marketing digital;
  • gerar conteúdo exclusivo para clientes e potenciais clientes que trazem visibilidade, engajamento e, em especial, vendas para a marca;
  • ampliar e personalizar os canais de atendimento ao consumidor;
  • fortalecer o posicionamento social, os valores e os princípios da instituição;
  • aumentar de forma orgânica a atração e a procura virtual por produtos e/ou serviços que comercializam.

Tudo isso porque o meio online ganhou um papel de destaque no relacionamento de marcas e clientes, em especial com aqueles da geração millennial. Logo, é indispensável que as organizações consigam se adaptar ao avanço da tecnologia na vida das pessoas e adotar estratégias de comunicação menos dispendiosas e mais eficientes para alcançá-las, divulgar o que oferecem e conquistar novos consumidores.

Como viu, a faculdade de Marketing não só prepara você para o mercado de trabalho, como qualifica-o a lidar com um vasto panorama de possibilidades de atuação que trazem bom retorno financeiro e, acima de tudo, estabilidade profissional. Isso tudo, sem mencionar, é claro, que é uma área que exige constante atualização e interesse em ter uma formação contínua, com uma segunda graduação ou uma pós-graduação. É, portanto, uma carreira bastante promissora!

Aproveite para assinar agora a nossa newsletter e ficar por dentro de todas as informações e curiosidades sobre o curso!