Faculdade de engenharia civil: descubra mais sobre o curso

Chegou o momento de dar o primeiro passo para a sua vida acadêmica, mas você ainda está em dúvida se realmente é a faculdade de Engenharia Civil que deve fazer? Além de uma autoanálise sobre os seus objetivos pessoais e profissionais para o futuro, é essencial ler e pesquisar o máximo sobre a área desejada.

Assim, você compreenderá mais a respeito de como é a graduação, com o que pode atuar uma vez formado e por que essa profissão é tão importante para o desenvolvimento social da nação. Para ajudá-lo nesse processo, preparamos um post completo, com informações que vão deixá-lo a par de tudo que o espera no ensino superior. Curioso para conferi-las? Então acompanhe nosso post!

Veja como é a faculdade de Engenharia Civil

Neste primeiro tópico, vamos trazer alguns detalhes técnicos do curso, os dados sobre a procura dele em nível nacional e, de quebra, quais as distinções entre Engenharia Civil e Arquitetura, para pôr fim às confusões que ocorrem a respeito de ambas as áreas. Confira com atenção!

Foco da graduação

A Engenharia é uma área que tem uma segmentação efetiva já na graduação, diferentemente de muitas outras, que contam com uma formação com conteúdos que se estendem a diversos ramos da profissão. É por isso que o universitário nunca faz faculdade apenas de Engenharia, como ocorre na Administração, no Marketing ou em Sistemas de Informação.

Ao contrário, é preciso que seja eleito um dos tipos de Engenharia (a ênfase da formação), como Civil, Elétrica, Biomédica, Mecânica, de Produção ou de Petróleo, para que a capacitação dele seja direcionada a um determinado domínio do saber que será aplicado no exercício da carreira.

No caso da primeira, a Civil, trata-se do conhecimento necessário para que o aluno, uma vez formado, esteja apto a gerenciar, fiscalizar e conduzir a execução de obras que vão desde simples residências até complexas estruturas de usinas de geração de energia.

Por isso, há uma necessidade tão grande de imersão no conteúdo específico do segmento, uma vez que ele é vital não só para a criação e manutenção do patrimônio individual dos cidadãos, mas para o desenvolvimento social, econômico e de infraestrutura de qualquer município ou mesmo nação.

Distinções entre Engenharia Civil e Arquitetura

Por serem profissões que atuam em conjunto, muitas pessoas confundem Engenharia Civil e Arquitetura e até acham que, na prática, elas são a mesma coisa. Porém, isso não é verdade! O arquiteto é aquele que concebe o projeto da obra e todas as peculiaridades estéticas que ela terá, envolvendo, por exemplo, disposição do espaço, luminotécnica, paisagismo, climatização etc.

Já o engenheiro, como dito no tópico anterior, é o responsável por tirar esse projeto do papel. Ou seja, ele garante que o orçamento para a construção seja respeitado, que as especificações do terreno sejam avaliadas, que o material usado seja de qualidade e, em especial, que a segurança da edificação seja alcançada tanto durante a execução da obra quanto depois da finalização dela.

Tipo de curso

O curso de Engenharia Civil é um bacharelado que conta com 10 semestres, um estágio curricular e atividades complementares para uma formação multifacetada e sólida para o mercado de trabalho. Geralmente, os interessados nele procuram pela modalidade presencial, com aulas que podem ser de manhã ou à noite.

Porém, há muitas pessoas que não contam com uma agenda flexível ou mesmo tempo livre disponível porque já trabalham e têm diversas obrigações de cunho pessoal. Se esse é o seu caso, saiba que a Portaria nº 370/2018, publicada pelo MEC e pelo Conselho Nacional de Educação, autorizou a oferta dessa graduação no formato a distância.

Ou seja, você não precisa mais abrir mão de investir no seu futuro por não poder (ou ter como) comparecer regularmente às aulas em dias úteis da semana. Na UCL, por exemplo, a graduação também ocorre de forma online, permitindo uma maior autonomia e flexibilidade na rotina de estudo dos alunos.

Como? Da seguinte maneira: 70% da carga de estudos da faculdade é realizada por meio de uma plataforma virtual, a ESO, que conta com videoaulas, exercícios e atividades das disciplinas. Já o restante, os outros 30%, são aulas teóricas e práticas em laboratório ou as avaliações do semestre, que acontecerão exclusivamente em encontros semanais/quinzenais previamente marcados aos sábados.

Nível da procura dos vestibulandos pela faculdade de Engenharia Civil

A última edição das Sinopses Estatísticas da Educação Superior, que são elaboradas pelo Inep, serviu para comprovar algo que já é dito nos corredores e salas de aula de muitos colégios: a faculdade de Engenharia Civil é a primeira opção de curso de milhares de vestibulandos.

Tanto é que, segundo o levantamento, ele aparece como o quinto curso mais procurado em todo o país. Para se ter ideia, das 8.286.663 matrículas realizadas em 2017 em todo o território brasileiro, 358.553 foram feitas apenas nessa graduação.

Para completar, esse número representa 29,26% do total de 1.225.243 vagas que fazem parte do segmento de Engenharia, Produção e Construção, que contempla todas as modalidades de engenharias, além da faculdade de Arquitetura e Urbanismo. Com isso, o ramo se destacou como o mais procurado entre todas as vertentes disponíveis.

Além disso, um dado interessante que também é apontado no informe do Inep é que, dessa quantidade de matrículas na Engenharia Civil, 82,72% (296.628) se concentram nas instituições particulares de ensino.

Ou seja, elas são as responsáveis por quatro a cada cinco profissionais que se formam e ingressam no mercado atualmente. Um resultado bastante expressivo e que só demonstra o papel de relevância delas na educação de nível superior.

Conheça as áreas de destaque do curso

Muitos vestibulandos acreditam que, além de estudar exatas para faculdades de Engenharia durante o período do vestibular, será preciso se dedicar a uma infinidade de disciplinas que envolvem números e equações durante o curso em que foram aprovados — o que está longe de ser verdade!

Prova disso é a matriz curricular da faculdade de Engenharia Civil, que é bem vasta em conteúdo e segmentada em áreas que contribuem para a completa capacitação do aluno para o mercado de trabalho. Abaixo, você confere quais são elas!

Ciências exatas

Nas ciências exatas, são vistas disciplinas que aprimoram o raciocínio lógico e abstrato para a resolução de problemas que vão de custos orçamentários até equações de resistência de estruturas. Veja algumas delas:

  • Cálculo I e II;

  • Geometria Analítica;

  • Física I, II e III;

  • Probabilidade e Estatística;

  • Química Básica.

Aplicação de materiais

Já na área de aplicação de materiais, por outro lado, os conteúdos abordam os aspectos técnicos do uso dos principais materiais em construções, como madeira, concreto, metal etc. Abaixo, você fica a par de alguns deles:

  • Estruturas de Madeira;

  • Estruturas de Concreto Armado I, II e III;

  • Estruturas Metálicas;

  • Mecânica dos Sólidos I e II;

  • Mecânica dos Fluidos.

Tecnologia e planejamento de construções

Em tecnologia e planejamento de construções, o aluno se aprofunda nos elementos que fazem parte de um projeto e nos meios disponíveis para a manipulação digital deles, como softwares. Entre as matérias que fazem parte dessa área, estão:

  • Lógica Matemática e Computacional;

  • Programação de Computadores;

  • Arquitetura e Urbanismo;

  • Desenho Técnico.

Saneamento, construção e instalações

Na quarta área, você estuda os requisitos que vão permitir a construção da obra, a utilização do solo, a escolha das estruturas e fundações e os sistemas de abastecimento e escoamento de água e esgoto das edificações. Abaixo, você conhece algumas que são vistas aqui:

  • Saneamento Básico;

  • Obras de Terra e Fundações;

  • Construção Civil I e II;

  • Hidráulica;

  • Teoria das Estruturas I e II;

  • Instalações Prediais.

Gestão de projetos

Por fim, há a área de gestão de projetos, na qual os alunos desenvolvem as habilidades necessárias para a atuação, a administração e a fiscalização em diferentes projetos, conforme os aspectos legais da profissão. Como exemplo das disciplinas que você estudará, estão:

  • Empreendedorismo;

  • Administração Geral;

  • Gerenciamento de Projeto;

  • Segurança, Ergonomia e Higiene;

  • Direito Empresarial.

Saiba como se dar bem durante o curso

Até aqui, você conferiu como é a estrutura da faculdade de Engenharia Civil e quais são as áreas de destaque na grade do curso. Agora, vamos falar de algumas dicas que vão ajudá-lo a ter um bom desempenho ao longo dos semestres e permitir, inclusive, que você tenha mais oportunidades de crescimento na sua carreira. Confira, abaixo!

Atente para os estudos

A primeira delas é redobrar a atenção quanto aos seus estudos. Para isso, crie uma rotina na qual você antecipa as tarefas e os trabalhos da faculdade e programa periodicamente as revisões dos conteúdos vistos em sala de aula. Dessa forma, você evita procrastinações, acúmulo de matérias e, principalmente, notas baixas.

Encare os estágios como oportunidades de crescimento

O estágio é uma etapa obrigatória da matriz curricular do curso de Engenharia Civil. Porém, isso não significa que você deva fazer apenas um durante toda a sua graduação. Ao contrário, o indicado é que você use esse período para atuar no máximo de áreas com as quais você se identifica.

Assim, dá para conhecer a fundo as demandas do mercado de trabalho, ter a vivência laboral em diferentes empresas, ganhar experiência e, acima de tudo, identificar qual o ramo supre melhor as suas expectativas profissionais.

Não falte às aulas em laboratório

Uma terceira dica é não faltar às aulas de laboratório. Isso porque é nelas que a teoria é aliada à prática e que você tem uma interação mais dinâmica e versátil com os professores e os seus colegas. Além disso, esse é o momento em que os estudantes podem fazer experimentos, compreender melhor a aplicação de conceitos e teorias, manusear materiais e ferramentas e por aí vai.

Invista na iniciação científica

Fora as aulas em laboratório, é interessante que você invista na iniciação científica. Afinal, tanto a produção de trabalhos quanto a elaboração de pesquisas contribuem para ampliar o seu senso crítico e o seu conhecimento teórico na sua área de formação. De quebra, ela ainda valoriza o seu currículo e pode ser o pontapé inicial para uma carreira dedicada à academia.

Participe de eventos da área

Ao decorrer dos semestres, é comum ocorrerem feiras, seminários, congressos, palestras, simpósios, workshops e outras atividades que envolvem não apenas o corpo docente da faculdade, mas também profissionais que atuam no mercado e, muitas vezes, são referência na área. Portanto, não perca a chance de participar do máximo possível deles.

Tenha em mente que esses momentos são ótimos para tirar dúvidas sobre a sua profissão, saber curiosidades de determinadas áreas, se aprofundar nas tendências do mercado e muito mais.

Desenvolva o seu networking

Por último, aproveite a convivência com os colegas, os docentes e os demais alunos da instituição de ensino para desenvolver o seu networking. Isso porque, ao criar (e alimentar) uma rede de contatos, você tem a oportunidade de saber em primeira mão a respeito de processos de seleção e recrutamento, pode receber indicações para estágios e vagas efetivas, participar de programas desenvolvidos pelos professores etc.

Explore as principais áreas da Engenharia Civil

Uma vez formado e devidamente cadastrado no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA) do seu estado, você pode atuar em diferentes setores que vão muito além da construção civil, que é, sem dúvidas, o mais tradicional. Veja alguns exemplos:

  • segurança do trabalho: fiscalizando o cumprimento das diretrizes legais que envolvem a segurança e a integridade dos trabalhadores nas obras;

  • produção de materiais: gerindo a produção em larga escala dos materiais que são utilizados em construções, reformas e reparos de edificações;

  • saneamento e tratamento do esgoto: projetando a rede de saneamento básico, de esgotamento sanitário e distribuição de água municipal;

  • geotecnia: avaliando os impactos das obras nos solos e subsolos e como elas podem provocar o cisalhamento, a deformação e a ruptura deles.

Descubra qual é o perfil desse profissional

O perfil do profissional da área é uma evolução direta do perfil do estudante de Engenharia. Afinal, é durante a faculdade que você desenvolve as principais competências para ingressar no mercado e fazer o seu nome como um engenheiro diferenciado, dedicado e meticuloso. Por isso, abaixo, você confere quais são as características mais frequentes dele e que serão trabalhadas ao decorrer do curso.

Gosta de números e cálculos

Os cálculos são algo corriqueiro no dia a dia de um engenheiro civil. Portanto, é interessante que você aprecie a matemática e a física, tenha uma postura analítica, saiba interpretar projetos de forma abstrata e se habitue a usar os números para resolver os problemas de diferentes etapas do seu trabalho.

Sabe ser organizado

Durante a rotina laboral, você lidará com centenas de documentos, desde desenhos e mapas até orçamentos e notas — uma quantidade que só aumentará à medida que você assumir mais obras. Isso sem falar, é claro, das planilhas virtuais e arquivos em nuvem.

Logo, é necessário adotar a organização como lema no seu trabalho, para evitar dificuldades em encontrar algum item online ou passar por perrengues com o sumiço de algum papel que seja relevante para o projeto ou comprobatório de gastos, por exemplo.

É adaptável a qualquer ambiente

Além do que foi falado, uma das características mais marcantes do perfil de um engenheiro é que ele é capaz de se adaptar a qualquer ambiente.

Isso porque, a cada obra, ele trabalha com profissionais distintos e explora locais que têm as próprias particularidades e demandas — um projeto de um prédio em um centro histórico, por exemplo, é completamente diferente de um projeto de um shopping center à beira-mar. Portanto, o profissional precisa ser versátil, capaz de liderar a equipe e não ter medo de encarar novos desafios.

Saiba como está o mercado de trabalho para o ramo

Há pouco, nós falamos sobre o perfil do profissional de Engenharia Civil e, inclusive, as principais áreas dessa profissão, para que você soubesse mais sobre as atividades que pode desempenhar uma vez formado e o que é preciso para se destacar no mercado.

Porém, você deve estar curioso para saber aspectos mais técnicos do ramo, como a faixa de rendimentos mensais, a média de horas trabalhadas e o nível de empregabilidade no mercado, não é mesmo? Por isso, a gente reuniu todas essas informações a partir dos dados fornecidos pelo portal Salário e da sondagem nacional do 27º Boletim Radar, produzido pelo Ipea. Confira abaixo!

Piso salarial

Antes de tudo, é importante citar que o engenheiro, independentemente do ramo no qual vai atuar (civil, elétrico, mecânico etc.), tem piso salarial que estabelece o recebimento de 6 salários mínimos — no valor vigente anual — por uma rotina laboral de até 6 horas por dia, de acordo com a Lei nº 4.950-A/66.

Porém, caso o profissional tenha uma jornada de trabalho acima de 6 horas diárias, ele deverá receber do contratante um acréscimo de 25% no salário para as horas excedentes. Ou seja, esses dois regimes são o que norteia o exercício da sua futura profissão.

Jornada semanal

Como mostrado no tópico anterior, o engenheiro pode ser contratado para atuar 30 horas semanais ou ter uma jornada de trabalho superior a isso — que, geralmente, é o padrão adotado em construtoras, órgãos públicos, empresas privadas etc. Por conta disso, como apontado pelo portal Salário, a grande maioria dos formados na área atua por cerca de 42 horas semanais.

Média de rendimentos

Conforme o portal Salário indica, a faixa de ganhos de um engenheiro civil é de R$ 7.488,12. Ou seja, o retorno financeiro para um profissional da área é alto.

Além disso, aqueles que atuam nas posições de sênior e master em grandes empresas tiram, mensalmente, entre R$ 10.101,07 e R$ 15.692,88, respectivamente. Abaixo, você confere quais as seis cidades que mais se destacam, com salários superiores à média apresentada pela pesquisa (em ordem crescente):

  • Brasília (DF): R$ 8.601,77;

  • Vitória (ES): R$ 8.653,68;

  • Boa Vista (RR): R$ 8.858,00

  • São Paulo (SP): R$ 8.873,07;

  • Santos (SP): R$ 9.085,67;

  • Rio de Janeiro (RJ): R$ 9.346,31.

Taxa de ocupação

Por fim, mas não menos importante, há a taxa de ocupação do ramo. Segundo o Ipea, ela gira em torno de 95,72%, ficando apenas atrás das taxas de Odontologia (96,22%) e Medicina (97,07%). Ou seja, para cada 100 profissionais formados, 95 estão ativos no mercado de trabalho. Esse número não só é bastante expressivo, como também comprova a constante oportunidade de empregos em todas as regiões do país.

Entenda do que você precisa para se dar bem na Engenharia

Para concluir nosso post, vamos falar sobre alguns dos principais aspectos que você precisa aprimorar para se destacar no mercado de trabalho para Engenharia Civil e, consequentemente, alcançar melhores cargos, um maior reconhecimento profissional e, principalmente, uma carreira sólida na área. Veja quais são eles!

Mantenha o interesse em estar sempre atualizado

Um bom profissional não se acomoda ao se formar e obter o diploma. Muito pelo contrário, ele reconhece a importância da renovação do conhecimento e como a pós-graduação é indispensável para conseguir esse feito.

Por isso, ele dá continuidade aos estudos (seja com uma especialização, seja com um MBA) para se manter atualizado, conhecer de antemão novos processos, técnicas e metodologias de trabalho que são as novas apostas do ramo, ampliar a rede de contatos que começou ainda no bacharelado e desenvolver novas competências.

Amplie sua capacidade de liderança

Outro ponto relevante é a capacidade de liderança, uma vez que a rotina laboral de um engenheiro é repleta de projetos que ele deve assumir não só para guiar os demais profissionais envolvidos, mas principalmente para se responsabilizar por qualquer erro ou acidente que possa acontecer.

Logo, ter pulso firme, saber tomar decisões difíceis, manter-se resiliente frente a problemas e conseguir resolver eventuais atritos na equipe são características cruciais para alguém em posição de chefia e que só um líder de verdade tem.

Desenvolva a sua comunicação

Um terceiro e último aspecto é a comunicação. Isso porque uma oratória simples e direta é essencial para quem trabalha diariamente com pessoas diferentes e funções ainda mais distintas, desde pedreiros e encanadores até arquitetos e projetistas. É isso que permitirá que haja um entendimento e, principalmente, um alinhamento generalizado quanto a suas ideias, direcionamentos e, em especial, ordens.

Como você viu, a faculdade de Engenharia Civil é bastante dinâmica, focada no desenvolvimento de habilidades e competências dos alunos e, de quebra, preparatória para um mercado com excelente taxa de absorção de formados na área e ótimas oportunidades de carreira. Não é à toa que a procura por ela é tão alta em todo o país!

Por isso, entre em contato com a gente, informe-se sobre o nosso processo seletivo e invista já no seu futuro!