Engenharia de Segurança do Trabalho: como atuar na área?

Você provavelmente já sabe que o diploma de graduação não é mais garantia de uma carreira de sucesso no Brasil. Nos últimos anos, o mercado profissional mudou bastante no nosso país, trazendo novos desafios e oportunidades para os trabalhadores. Quem busca ampliar suas opções têm uma alternativa atrativa na engenharia de segurança do trabalho.

Essa é uma área bastante promissora, principalmente depois de avanços legislativos recentes. Você quer saber mais sobre como se capacitar para atuar nesse campo? Acompanhe as informações que trouxemos e tire todas as dúvidas sobre a formação e o mercado de trabalho para especialistas no assunto!

O que faz um engenheiro de segurança do trabalho?

Esse profissional trabalha diretamente no setor de segurança do trabalho de empresas pequenas, médias ou grandes. A legislação brasileira regulamenta essa área e, entre outras normas, obriga que cada organização tenha serviços especializados em engenharia de segurança e medicina do trabalho. Detalhes desse atendimento dependem do número de funcionários da empresa e do risco da atividade principal.

Entre as principais atividades do engenheiro de segurança do trabalho estão:

  • fazer avaliações ambientais;

  • analisar as condições de segurança e saúde no local de trabalho;

  • elaborar laudos sobre insalubridade ou periculosidade;

  • participar de perícias trabalhistas;

  • criar projetos de prevenção de acidentes e promoção da saúde;

  • desenvolver ações educativas e mobilizar os funcionários;

  • proteger o trabalhador de riscos com máquinas e estruturas;

  • mapear os perigos de acidentes pessoais, ambientais e materiais;

  • fazer cumprir os métodos e técnicas orientados na legislação;

  • garantir o uso do equipamento de proteção;

  • realizar treinamentos de segurança com os colaboradores.

Como pode ser visto, a rotina de trabalho do engenheiro de segurança tem o objetivo de proteger todos os colaboradores. Dessa forma, ele tem o propósito de evitar acidentes, minimizar riscos e acompanhar o bem-estar dos funcionários no exercício da profissão.

O cumprimento dessas funções também traz retorno para a empresa, que, além de se manter de acordo com a legislação, tem seus custos diminuídos. Afinal, a rotatividade de colaboradores, os danos materiais e as perdas de produtividade por acidentes, doenças ou absenteísmo afetam diretamente o negócio.

Quem pode atuar nesse cargo?

É importante saber que existem diferentes níveis profissionais exercendo funções no setor de segurança do trabalho. O curso técnico nessa área, por exemplo, pode ser feito por qualquer pessoa que tenha terminado o ensino médio. O cargo de engenheiro de segurança do trabalho, entretanto, só pode ser exercido por profissionais formados em cursos de engenharia ou arquitetura.

A profissão é regulamentada pela Lei 7.410, publicada em 1985, que afirma em seu primeiro artigo:

O exercício da especialização de Engenheiro de Segurança do Trabalho será permitido exclusivamente:

“I — ao Engenheiro ou Arquiteto, portador de certificado de conclusão de curso de especialização em engenharia de segurança do trabalho, a ser ministrado no país, em nível de pós-graduação”.

Logo, arquitetos ou engenheiros (de diversos cursos) precisam fazer uma pós-graduação para exercer funções no setor de segurança do trabalho. Profissionais de outras áreas podem fazer o curso de especialização, mas não conseguirão ocupar o cargo. Nesse caso, eles não serão engenheiros de segurança do trabalho, mas apenas especialistas no tema.

O que se estuda no curso?

A pós-graduação em Engenharia de Segurança do Trabalho é um programa bastante completo e diverso. O curso tem carga horária de 602 horas e envolve conhecimentos de psicologia, equipamentos, legislação e saúde, entre outros. Veja em detalhes o currículo da especialização:

  • introdução à engenharia de segurança do trabalho;

  • psicologia na engenharia de segurança do trabalho, comunicação e treinamento;

  • legislação e normas técnicas;

  • gerência de riscos;

  • ergonomia;

  • prevenção e controle de riscos em máquinas, equipamentos e instalações;

  • proteção contra incêndio e explosões;

  • o ambiente e as doenças do trabalho;

  • higiene do trabalho;

  • proteção do meio ambiente;

  • administração à engenharia de segurança;

  • importância estratégica da gestão integrada de segurança, meio ambiente e saúde no trabalho;

  • tópicos especiais em segurança e saúde no trabalho;

  • metodologia da pesquisa.

Qual é a importância do setor de segurança do trabalho nas empresas?

A atuação do engenheiro e de outros membros da equipe de segurança do trabalho é fundamental em qualquer organização. O local e as particularidades profissionais trazem diversos riscos para os colaboradores de uma empresa. Por isso, é papel dela oferecer suporte para garantir a saúde de todos.

Isso é realizado pelo setor de engenharia de segurança do trabalho. Daí surge a extrema importância que os processos dessa área têm. Além de melhorar as condições profissionais dos funcionários, o engenheiro também ocupa um cargo estratégico, pois ajuda na gestão dos recursos humanos e no aumento da produtividade dos serviços.

Depois de conquistar o reconhecimento dos gestores da empresa, um dos maiores desafios do engenheiro é mobilizar os funcionários. Para obtenção de resultados significativos no setor, é importante que a segurança e a saúde façam parte da cultura de todos. Quando se alcança uma participação efetiva, o trabalho apresenta mais frutos.

Como está o mercado de trabalho na profissão?

Conforme falamos, todas as empresas que têm funcionários sobre o regime da Consolidação das Leis do Trabalho (CLT) são obrigadas a implantar o setor de engenharia de segurança do trabalho. Essa regra, por si só, já mostra que vale a pena investir na carreira, devido ao amplo mercado disponível.

A mudança de visão dos empresários acerca desse trabalho promove ainda mais valorização do engenheiro. O salário e as condições do cargo têm melhorado bastante nos últimos anos, já que a função está deixando de ser vista como algo obrigatório e passando a ser encarada como ponto estratégico na empresa.

Em média, o salário desses profissionais é mais de 8 mil reais por mês. A expansão da área continua acontecendo mesmo em períodos de crise, o que é um aspecto muito positivo para quem deseja seguir carreira nesse campo. Ela tem apresentado crescimento maior do que outros nichos das engenharias.

Entre os principais empregadores dos engenheiros de segurança do trabalho estão as indústrias, as construtoras e os hospitais. Há vagas tanto no setor público quanto no privado. E, além do trabalho diretamente nas empresas, é possível obter um bom retorno financeiro atuando de forma autônoma em consultorias.

O curso de pós-graduação em engenharia de segurança do trabalho é, sem dúvida, uma boa alternativa para engenheiros e arquitetos. Ele não abre apenas novas oportunidades na carreira; os conhecimentos adquiridos na especialização também podem ser utilizados como diferenciais nos diversos campos de trabalho que já sejam ocupados pelos profissionais.

E então, o que achou deste post? Tem alguma dúvida sobre o curso ou a profissão? Deixe um comentário logo abaixo!