Engenharia de Estruturas: o novo curso de pós-graduação da UCL

Ser um profissional multidisciplinar e expandir suas competências é uma das melhores formas de destacar-se no mercado de trabalho, certo? Nesse contexto, a pós-graduação em Engenharia de Estruturas tem ganhado grande destaque entre as pessoas que têm interesse nesse campo.

O objetivo dessa especialização é aprofundar o conhecimento sobre os mais diversos tipos de estruturas que podem fazer parte de um projeto, além do domínio de normas e tecnologias que integram esse universo.

E você? Já ouviu falar dessa área? Aproveite a chance de conhecê-la melhor!

A importância de cursar uma pós-graduação em Engenharia

Seja em um cenário de crise, seja pela grande competitividade do mercado de trabalho, um fato cada vez mais claro é que fazer uma especialização é um investimento estratégico para quem deseja ser um profissional atualizado, ativo e com boas oportunidades.

Nesse contexto, a pós-graduação é uma das alternativas mais procuradas pelos engenheiros que desejam expandir suas perspectivas de carreira. Como a Engenharia é uma área muito ampla, adquirir conhecimentos mais específicos é um enorme diferencial de qualificação.

Vale a pena, portanto, apostar nessa ideia e esforçar-se para garantir um novo título. Além da contribuição para o currículo, um dos fatores mais importantes dessa experiência é preparar melhor o aluno para lidar com os desafios da sua área de atuação.

É interessante refletir sobre os seus objetivos profissionais, antes de escolher um curso que realmente possa agregar valor. No caso da Engenharia de Estruturas, não há dúvidas de que esse é um tema relevante para quem quer seguir no setor de construção civil.

O curso de Engenharia de Estruturas da UCL

Depois de repensar sobre a relevância de investir em uma pós-graduação na área, o próximo passo é conhecer a composição do curso de Engenharia de Estruturas.

A prioridade da UCL com essa nova oportunidade é oferecer uma formação completa, que envolva todos os aspectos da estrutura de um projeto, como qualidade, documentação, durabilidade, dimensionamento e segurança, entre outros.

A carga horária total é de 360 horas, com previsão de duração de 18 meses (com aulas em sábados alternados), seguindo a composição curricular abaixo:

  • Introdução à Análise Matricial das Estruturas;

  • Introdução ao Método dos Elementos Finitos;

  • Mecânica dos Sólidos;

  • Fundações;

  • Estruturas de Madeira;

  • Estruturas de Pontes;

  • Estruturas em Concreto Armado;

  • Estruturas Metálicas;

  • Estruturas Mistas;

  • Alvenaria Estrutural;

  • Concreto;

  • Metodologia Científica – Elaboração do TCC/Projeto de Intervenção.

Com essa descrição, dá para perceber que são conhecimentos presentes na Engenharia Civil, mas que nem sempre são aprendidos com tanta profundidade. Logo, o papel do curso é reforçar a compreensão desses assuntos para que o profissional se torne um especialista em estruturas e fundações.

Atividades do engenheiro pós-graduado em estruturas

Uma das preocupações de quem está pensando em escolher uma pós-graduação certamente é a demanda do mercado de trabalho por esse tipo de especialista. As possibilidades de atuação naturalmente fazem parte do interesse do profissional.

Então, considerando a Engenharia Estrutural, é possível citar atividades que geralmente fazem parte do seu dia a dia. Veja a seguir algumas delas.

Criação de projetos estruturais

O engenheiro se encarrega de montar uma representação da estrutura pensada para cada projeto, levando em conta todos os fatores importantes para que ela se materialize. Tal função requer muita habilidade com cálculos e com softwares de dimensionamento estrutural, já que hoje em dia tudo isso é apresentado de forma digital.

Escolha das cargas de cada estrutura

Não pense que montar um projeto é apenas criar um desenho bonito e que atenda às demandas do cliente. Para definir a estrutura ideal é preciso considerar suas forças atuantes, que são as cargas de cada material que faz parte desse esquema.

Um problema que não pode acontecer, por exemplo, é haver uma sobrecarga dos elementos que coloque em risco a parte estrutural. Em determinados contextos, deve-se considerar ainda a possibilidade de eventos como abalos sísmicos, nevascas, incêndios etc.

É essencial conhecer as características dos materiais, seus pesos e aplicações. O entendimento das normas técnicas também costuma ajudar nesse momento de decisão.

Cálculo dos esforços e das deformações

Para completar as ocorrências, não se pode negligenciar a possibilidade de deformação. O engenheiro precisa estar ciente disso, embora a tecnologia tenha evoluído tanto nos últimos tempos que essa parte pode ser automatizada.

Utilizando softwares específicos, fazer esses cálculos se torna um processo bem prático e rápido. O diferencial está em conhecer a necessidade de fazer diferentes combinações de cargas para evitar prejuízos significativos.

Demarcação dos elementos estruturais

Uma outra tarefa do engenheiro de estruturas é definir quais são as dimensões dos elementos que fazem parte da estrutura planejada. Se o material escolhido for madeira ou aço, por exemplo, isso implica diferenças consideráveis, de acordo com as propriedades de cada um deles.

Finalização e acompanhamento dos projetos

A parte final consiste em fechar todos os detalhes dos planos estruturais e entregar as informações para o cliente. Em alguns casos, quando é contratado para isso, o engenheiro se responsabiliza por acompanhar todo o andamento da obra. Pode ser, porém, que o seu trabalho acabe na entrega do projeto.

Após saber disso tudo, é fácil perceber, enfim, que se trata de uma área que envolve enorme responsabilidade. Ao mesmo tempo, essa é uma carreira com boas expectativas de crescimento e de lucratividade — afinal, garantir uma estrutura segura para toda obra deve ser uma prioridade (ou, pelo menos, deveria).

Fique atento! É importante não considerar apenas a alternativa de trabalhar como engenheiro. O segmento acadêmico também atrai muitas pessoas, sem contar ainda que há espaço em setores como o financeiro, o comercial e o bancário.

Em geral, a formação em Engenharia é bem valorizada pelo mercado, o que facilita que o profissional diversifique as suas funções durante sua trajetória. O que mais importa é que ele tenha sempre a consciência de que investir constantemente em capacitação é essencial para se manter bem colocado em qualquer que seja o campo escolhido.

E, então, gostou de conhecer melhor a Engenharia de Estruturas? Lembre-se de que escolher uma boa instituição de ensino para estudar é imprescindível para o seu sucesso!

Agora, aproveite para seguir as nossas redes sociais e manter-se sempre informado! Confira os perfis da UCL no Facebook, Instagram, YouTube e Twitter.