Engenharia de Controle e Automação: as razões para escolher esse curso

Se você gosta de Exatas e quer um curso com boas perspectivas profissionais, considere fazer Engenharia de Controle e Automação, também chamada de Mecatrônica.

É uma carreira com alta demanda, visto que as indústrias precisam, cada vez mais, automatizar seus processos — com o intuito de diminuir custos, elevar a produção e também a qualidade.

Dessa forma, quem escolhe essa graduação pode ficar tranquilo, pois a empregabilidade é alta, principalmente no setor industrial. O engenheiro pode trabalhar com robôs, desenvolver novos sistemas e maquinários ou aperfeiçoar e fazer a manutenção dos já existentes.

Quer conhecer 5 razões pelas quais apostar nessa carreira? Confira nosso post e entenda também qual o perfil do estudante de Engenharia, como é a grade curricular do curso e como o profissional pode se destacar no mercado!

Qual é o perfil do estudante de Engenharia?

Quem escolheu fazer Engenharia certamente tem habilidades com raciocínio lógico e cálculos. Sentir-se à vontade com os números é um pré-requisito para quem escolhe esse ou outro curso superior na área de Exatas. Isso porque as disciplinas básicas englobam noções de Matemática, Física, Química, Cálculo e Estatística.

O estudante que sonha em se tornar engenheiro tem um perfil analítico e gosta de resolver problemas. Para isso, é importante ser organizado, saber planejar e se valer de estratégias para driblar os desafios. Deve também ter um olhar atento aos detalhes, evitando que pequenos erros prejudiquem seus projetos.

Sem contar que a tecnologia anda lado a lado com a área de Controle e Automação, por isso é importante, desde a faculdade, manter-se atualizado e disposto a aprender sobre as inovações do setor.

No curso você vai se preparar para desenvolver ferramentas e sistemas que otimizam alguma atividade e facilitam a vida das pessoas. Por isso, o aluno dessa área deve ser bem criativo e ter um perfil inventivo.

Curso exige dedicação

Quem quer se dar bem na carreira deve se preparar ainda na graduação. Para isso, precisa estudar bastante, ser participativo em todas as aulas, aproximar-se dos professores e não deixar uma dúvida passar em branco. As disciplinas são complexas — por isso, juntar-se aos colegas e formar grupos de estudos são boas estratégias.

O aluno deve se dedicar também às aulas práticas, em laboratório de pesquisa na faculdade, que vão prepará-lo para o dia a dia da profissão. Ele deve se informar sobre projetos de pesquisa, de iniciação científica e monitoria, além de cursos de extensão e atividades complementares que o curso oferece. Desse modo, terá uma formação ainda mais completa.

É importante também estar presente em eventos, como simpósios, palestras e até workshops, dentro e fora da instituição de ensino.

Se possível, é necessário estudar uma segunda língua durante a graduação. Hoje, existem cursos gratuitos pela internet, que vão preparar você para trabalhar em uma multinacional — cujos cargos exigem níveis avançados ou fluência em um segundo idioma.

Afinal, vale a pena fazer Engenharia de Controle e Automação?

A Engenharia de Controle e Automação ou Mecatrônica é uma área do conhecimento que estuda as novas tecnologias e ferramentas relacionadas aos campos da mecânica, eletrônica e computação.

Desse modo, é um curso bastante completo, que prepara o aluno para atuar com o projeto, análise, desenvolvimento e adaptação de sistemas de automação. A carreira, portanto, pode se voltar para setores variados, como indústria de base, indústria automobilística, bem como as áreas de informática, segurança e até saúde.

A graduação tem origem nas Engenharias Mecânica e Elétrica e na Informática e surgiu diante da necessidade de ter um profissional com conhecimentos e habilidades nessas áreas para atender à demanda do mercado.

Quer saber o que faz um engenheiro de automação? Pense na imagem de uma indústria, como a automobilística, em que robôs realizam uma série de funções que seriam perigosas para o trabalhador. Pois bem, esses sistemas robóticos são desenvolvidos e monitorados pelo engenheiro mecatrônico.

Você pode ver a atuação dele aí mesmo na sua casa: é só olhar o sistema que faz sua impressora funcionar ou a facilidade que o controle remoto da televisão proporciona para você. Toda essa automação é fruto do trabalho desse profissional.

Assim, o engenheiro mecatrônico é a figura ideal para atuar na modernização dos processos industriais, uma transformação pela qual as grandes empresas estão passando para vencer a concorrência e ter mais agilidade e economia na produção.

Além disso, o profissional pode trabalhar em projetos para o aproveitamento de resíduos e voltados para uma produção mais segura e sustentável.

Diante desse contexto, se você gosta de estudar Exatas e quer uma área com alta demanda e crescimento, a dica é cursar Engenharia de Controle e Automação.

Quais as 5 razões para ser um engenheiro de controle e automação?

Quer conhecer 5 razões pelas quais essa carreira é a ideal para você? Veja a seguir:

1. Possibilidades de atuação variadas

A Engenharia Mecatrônica une os conhecimentos e competências de várias áreas, por isso é uma graduação que oferece uma formação muito ampla.

O profissional — de acordo com seu perfil e ambições de carreira — tem vários segmentos a explorar. Acompanhe abaixo as possibilidades de atuação.

Indústria

Um setor que oferece muitas vagas é o industrial, principalmente nas áreas petroquímica, siderúrgica, metalúrgica, portuária, de mineração e automobilística. O profissional pode trabalhar também em sistemas de tratamento de água e esgoto e em usinas de geração de energia.

Serviços

Mas não é só isso! O engenheiro mecatrônico pode atuar ainda na área de serviços, com projetos de automação residencial e predial. Sabe aqueles dispositivos que ligam as luzes e o ar-condicionado de uma casa somente com um simples toque de celular? Pois bem, é um trabalho feito por esse profissional.

Ele também pode atuar no desenvolvimento de sistemas de automação no setor de segurança, voltados para bancos, lojas e supermercados, por exemplo.

Saúde

Você sabia que o engenheiro de automação pode trabalhar também na área de saúde? Isso mesmo: ele atua no desenvolvimento e manutenção corretiva e preventiva de equipamentos hospitalares. É um ramo em crescimento, principalmente com a ascensão da tecnologia na área da saúde, que permite cirurgias remotas com a utilização de robôs.

Informática

O profissional pode trabalhar também na área de informática, projetando sistemas e desenvolvendo softwares. Nesse segmento, ele desenvolve ainda modelos matemáticos para a representação de peças e processos. Com isso, é possível a realização de testes virtuais anteriores à sua produção — o que reduz custos e aumenta a segurança.

2. Boa média salarial

Muita gente que vai escolher um curso superior tem curiosidade de saber qual a média salarial para a carreira até mesmo para decidir se vale a pena. No país, a carreira de Engenharia tem um salário mínimo profissional, regulado em legislação. Dessa forma, é estabelecido um piso de acordo com a carga horária diária de trabalho:

  • 6 horas: 6 salários mínimos;

  • 7 horas: 7,25 salários mínimos;

  • 8 horas: 8,5 salários mínimos.

A média salarial para o Engenheiro de Controle e Automação de acordo com a consultoria de emprego Catho é de R$ 6.198,22. Já na consultoria Love Mondays, o valor médio de salário para a profissão é de R$ 7.004,00.

É uma média salarial, mas como essa carreira tem alta demanda, profissionais que se especializam em algum segmento da área e se mantêm atualizados podem conseguir remunerações maiores.

3. Possibilidade de empreender

O curso é interessante para quem sonha em ter o seu próprio negócio e gerenciar equipes. Isso porque o aluno recebe noções de Economia, Direito, Gestão de Projetos e Marketing.

Dessa maneira, ele estará apto para empreender na área de automação residencial, robótica voltada para o setor da saúde ou ainda no desenvolvimento de softwares para otimizar a produção.

4. Carreira em crescimento

Como dissemos, a área de automação tem um mercado aquecido e boas perspectivas de crescimento. Isso porque qualquer indústria (independentemente do porte) que quer se adequar ao mercado atual vai precisar de um engenheiro mecatrônico.

Quem não quer entrar na faculdade sabendo que não vão faltar empregos na área depois de formado?

5. Profissão do futuro

A indústria 4.0, também chamada de quarta revolução industrial, começa a dar os primeiros passos no país. É uma transformação que vai modificar os modelos de negócios e processos produtivos, com o uso de dispositivos inteligentes — utilizados desde a fabricação até a entrega do produto final ao consumidor.

Desse modo, a tendência é aumentar a demanda por profissionais da área de automação para desenvolver, atualizar e aperfeiçoar os sistemas robóticos — além de adaptar softwares voltados para a produção dessas fábricas mais inteligentes.

Como é o mercado de trabalho para o engenheiro da área?

Depois de formado em Engenharia de Controle e Automação, para poder atuar legalmente na área, o profissional deve fazer o registro no Conselho de Engenharia de seu Estado — autarquia que regula, fiscaliza, controla e orienta o exercício profissional dos engenheiros.

Com o diploma e registro, o recém-formado encontra um mercado de trabalho amplo e aquecido. Isso porque a modernização dos parques fabris diante da economia globalizada e da maior concorrência entre as empresas é constante. Portanto, o engenheiro de automação se torna o profissional-chave nessa transformação.

Além disso, as áreas de automação residencial e predial também estão em crescimento, com dispositivos que trazem conforto e segurança. No segmento da saúde, a robótica tem proporcionado cirurgias cada vez mais precisas e seguras, por isso é considerada um campo em expansão para esses profissionais.

Saiba ainda que a Engenharia de Controle e Automação está entre as profissões em alta no Espírito Santo.

Como é o curso de Engenharia de Controle e Automação?

Ficou entusiasmado com as atividades que o engenheiro de controle e automação pode desempenhar e com as ótimas oportunidades profissionais? Então chegou a hora de conferir como é esse curso superior.

É uma graduação do tipo bacharelado, com duração de 5 anos. O programa do curso é bastante dinâmico, pois une teoria e muitas aulas práticas.

Então se você se sente desmotivado com um conteúdo maçante, com muita leitura, pode ficar tranquilo. Isso porque, nessa formação, o aluno põe a “mão na massa”, pois várias disciplinas são trabalhadas nos laboratórios de pesquisa.

Matriz curricular

As disciplinas básicas da matriz curricular são Matemática (Álgebra Linear, Geometria Analítica, Equações Diferenciais), Física (Física I, II e III e Física Experimental), Química (Química Básica e Química Tecnológica) e Cálculo (Cálculo I, II e III e Cálculo Numérico).

Entre os assuntos mais específicos dessa faculdade estão as disciplinas de:

  • Lógica Matemática e Computacional;

  • Circuitos Elétricos;

  • Eletrônica de Potência;

  • Conversão de Energia;

  • Controle Automático;

  • Materiais e Sensores;

  • Máquinas Elétricas;

  • Fenômenos de Transporte;

  • Sistemas de Energia;

  • Programação Aplicada;

  • Instrumentação Industrial;

  • Sistemas Embarcados;

  • Princípios da Robótica;

  • Projetos de Máquinas;

  • Programação de Computadores;

  • Mecânica Geral;

  • Eletrônica;

  • Mecânica dos Sólidos;

  • Sistemas Digitais;

  • Teoria das Redes;

  • Processos Industriais;

  • Elementos de Máquinas;

  • Hidráulica e Pneumática;

  • Introdução à Visão Computacional.

O aluno tem aulas também de Sociologia e Antropologia, Probabilidade e Estatística, Economia da Engenharia, além de Segurança, Ergonomia e Higiene. As disciplinas de Direito Empresarial, Administração Geral, Empreendedorismo e Gestão de Projetos são interessantes para quem quer trabalhar na área de gestão ou ter o próprio negócio.

Estágio

Como todos os cursos de Engenharia, a de Controle e Automação também tem o estágio supervisionado obrigatório de 300 horas ao final do curso. A dica para o estudante é aproveitar ao máximo essa oportunidade.

É uma etapa importante para conhecer as rotinas da área, aprender com profissionais mais experientes e até mesmo para descobrir algum segmento na Mecatrônica com o qual ele mais se identifica.

Assim, um bom estagiário de Engenharia é alguém proativo e sempre aberto ao aprendizado. É essencial que ele mantenha uma boa relação interpessoal com supervisores e colegas da profissão e peça feedbacks para que consiga entender melhor suas dificuldades e potencialidades.

Muitos alunos torcem o nariz por conta da exigência do estágio, porém é um momento fundamental para preparar o futuro profissional para o mercado de trabalho. Além disso, muitos estágios são remunerados — o que dá aquela forcinha no orçamento.

TCC

Ao final do curso, o aluno precisa fazer também o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Para esse trabalho, ele recebe a orientação de um professor para pesquisar sobre um assunto da área de seu interesse ou trabalhar no desenvolvimento de algum produto — como a ideia de um sistema automatizado. Depois, defende o TCC para uma banca examinadora.

O que considerar para escolher seu curso de engenharia?

Se você está decidido a fazer o curso de Engenharia de Controle e Automação, precisa saber como escolher a melhor instituição de ensino superior. Estamos falando de um investimento de tempo (5 anos) e dinheiro voltado para o seu futuro profissional, por isso é preciso saber como tomar a melhor decisão.

Saiba que as faculdades não são todas iguais; você deve observar uma série de aspectos que vão fazer a diferença na sua formação. Antes de tudo, verifique se a instituição de ensino e o curso têm autorização do Ministério da Educação (MEC) e como é a avaliação pelo órgão.

É importante também verificar a formação do corpo docente. Professores com boa qualificação conseguem transmitir os conhecimentos e habilidades da profissão, além de orientarem melhor os alunos quanto aos caminhos que a carreira proporciona.

Pesquise ainda sobre a matriz curricular da graduação: é importante que seja equilibrada, ou seja, mescle teoria e prática, e, principalmente, que esteja atualizada quanto às tendências da área.

Em algumas instituições de ensino, existe ainda a possibilidade de estudar Engenharia EAD/Online, uma boa opção para alunos que não conseguem se deslocar até a instituição de ensino com tanta frequência. Porém, a modalidade ainda não está disponível para todas as engenharias.

Infraestrutura

É importante que a instituição de ensino disponha de um espaço confortável e bem estruturado. Avalie, portanto, as condições de sala de aula, biblioteca, bem como os equipamentos tecnológicos oferecidos.

No caso de cursos de Engenharia, é fundamental que a faculdade ofereça laboratórios de pesquisa em diferentes áreas. Assim, você recebe uma formação prática completa e se forma mais preparado para atuar no mercado de trabalho.

Bolsas e financiamentos

Sabemos como é difícil para muitos alunos arcar com as mensalidades da faculdade. Ao mesmo tempo, como construir uma carreira sem fazer o curso de graduação?

A alternativa são as bolsas (de monitoria e pesquisa) ou financiamentos, como o FIES, que muitas instituições oferecem. Pesquise sobre essas possibilidades e não adie o sonho de ter um diploma de ensino superior.

Vivência internacional

Há ainda faculdades que propiciam a vivência internacional. Elas oferecem programas em que o aluno cursa parte da graduação no exterior em instituições de renome. É uma ótima oportunidade para conhecer outras culturas, colegas estrangeiros e até mesmo a forma de trabalho e linhas de pesquisa dos centros universitários de outros países.

São muitos dados que você precisa coletar para saber se a instituição de ensino é de qualidade. O primeiro passo é explorar o site e redes sociais da faculdade e já reunir as principais informações.

Vale também fazer uma visita pessoalmente ao local e conhecer de perto a infraestrutura. Se for possível, converse ainda com coordenadores de curso, professores, alunos e ex-alunos para tirar todas as suas dúvidas.

Como se destacar profissionalmente nessa área?

O diploma na área de Engenharia de Controle e Automação abre diversas portas no mercado de trabalho. Porém, como toda carreira, é importante que o profissional se mantenha atualizado para se destacar da concorrência.

Assim, é necessário ficar por dentro das inovações tecnológicas do setor, acompanhar revistas e sites atualizados e participar de eventos da área. Fazer um curso de pós-graduação, como especialização ou MBA, também conta pontos no currículo.

Além disso, o engenheiro deve se preocupar com sua postura no ambiente organizacional e desenvolver algumas competências para se dar bem na carreira. Confira a seguir:

Flexibilidade

O mercado de trabalho é bastante dinâmico e as empresas buscam profissionais flexíveis, ou seja, que se adaptem a mudanças e não tenham medo de encarar desafios. Por isso, mostre-se disponível para novos projetos, esteja aberto para aprender e para assumir novas funções ou trabalhar com equipamentos diferentes, se necessário.

Resiliência

Você já ouvir falar em resiliência? É a capacidade de não se abater frente a um cenário de muita pressão ou a uma situação desfavorável. Profissionais com essa competência são valorizados pelos gestores, pois, mesmo diante da crise ou de problemas em algum projeto, conseguem seguir em frente.

Na verdade, não quer dizer que são pessoas frias, mas sim que conseguem enxergar além. Para elas, o fracasso não é somente um fracasso, mas uma oportunidade de aprendizado na carreira.

Aliás, profissionais resilientes costumam ter um bom relacionamento interpessoal com os colegas e também têm mais chances de conseguir promoções, principalmente para assumir cargos de liderança e gestão.

Visão sistêmica

Para trabalhar em uma indústria, por exemplo, o engenheiro não pode se fechar somente em sua atividade. É importante conhecer o negócio de forma global, ou seja, ter uma visão sistêmica.

Assim, o profissional consegue entender melhor toda a organização e, dessa maneira, pensar em soluções e estratégias mais eficazes para o sucesso do negócio.

Proatividade

Profissionais preparados para o futuro precisam ser proativos. O que isso significa? Devem fazer acontecer, ou seja, antecipar cenários e buscar soluções para o sucesso da empresa. É importante ter iniciativa, contagiar sua equipe com o trabalho e estar de olho nas tendências do setor.

Boa comunicação

Muita gente tem a ideia de que quem trabalha com números, como os engenheiros, atua de forma isolada. Pelo contrário: é forte a atuação em equipe e, para que o trabalho seja eficiente, é necessário ter uma boa comunicação.

O profissional deve transmitir suas ideias com clareza, seja em uma conversa, e-mail ou reunião. Além disso, deve saber como defender seu ponto de vista e também saber como escutar o outro.

A Engenharia de Controle e Automação é um curso para quem gosta de lidar com tecnologia para otimizar processos produtivos e também para facilitar a vida das pessoas. O mercado de trabalho para a carreira é bastante aquecido e, o melhor, com oportunidades variadas de atuação.

Quer fazer a graduação nessa área em uma instituição de ensino superior de qualidade? Conheça o curso de Engenharia de Controle e Automação da UCL e comece a preparar seu futuro profissional!