ENEM 2017: o que todo estudante precisa saber

 

O Exame Nacional do Ensino Médio é um dos momentos mais aguardados pelos estudantes. Afinal, é a oportunidade de testar seus conhecimentos e, principalmente, garantir sua entrada em uma universidade.

Porém, com as recentes mudanças promovidas pelo MEC, as dúvidas sobre o processo aumentaram para quem vai fazer as provas do ENEM pela primeira vez.

Pensando nisso, preparamos um post especial com todas as informações sobre o assunto — além, é claro, de dicas indispensáveis para você garantir um ótimo resultado. Acompanhe!

Quais são as principais mudanças do ENEM?

Em 2017, o ENEM sofreu algumas mudanças significativas que abrangem desde a inscrição até a realização das provas. Por esse motivo, reunimos as principais a seguir para explicar o que são e como essas alterações podem impactar sua experiência durante o exame.

Valor da inscrição

A primeira mudança diz respeito ao valor da taxa de inscrição do ENEM. Muitos estudantes achavam que o valor permaneceria similar ao de 2016, que era de R$ 68,00. Contudo, em 2017, ele passou a ser de R$ 82,00. O aumento está ligado a uma correção monetária realizada pelo Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais.

Isenção da taxa de inscrição

Se você pretende solicitar a isenção da taxa de inscrição é preciso ficar atento, já que também houve uma mudança nesse aspecto. Antes, estavam isentos automaticamente os estudantes que concluíam o Ensino Médio em escola pública e aqueles que possuíam família de baixa renda.

Agora, além dessas duas alternativas, há possibilidade de isenção para aqueles que participam de programas sociais. Para ter acesso a esse benefício é preciso, no ato da inscrição, informar o CPF ao sistema que, por sua vez, vai atestar a autenticidade da informação no CadÚnico, o Cadastro Único para Programas Sociais.

Certificação do Ensino Médio

Essa mudança, diferentemente das demais, atinge uma parcela específica que sempre estava presente na realização do ENEM. Trata-se daqueles participantes que utilizavam o resultado do exame para obter a certificação do Ensino Médio, não para concorrer às vagas em universidades e demais instituições de ensino que oferecem cursos de graduação.

Por isso, a partir de 2017, ele vai passar a ter apenas uma finalidade: o acesso dos estudantes ao ensino superior no Brasil, independentemente da região ou da cidade escolhida por você ao se inscrever no Sisu, o Sistema de Seleção Unificada.

Troca das datas das provas

Outra modificação é em relação às datas de realização das provas. Nas edições anteriores, os participantes sempre fizeram em dois dias seguidos: sábado e domingo. Porém, depois de consulta pública realizada pelo MEC, o exame passa a ser realizado em dois domingos consecutivos.

Com a mudança, é possível ter uma semana a mais para revisar conteúdos, investir na resolução de simulados ou mesmo descansar a mente caso você já esteja seguro de que assimilou adequadamente todos os conteúdos para o ENEM.

Divisão das matérias

Devido à troca das datas de realização das provas, houve, em paralelo, uma alternância na divisão das matérias. Antes, aqueles que prestavam o exame tinham que realizar no primeiro dia a redação e as provas de linguagens e matemática. Já as demais áreas de conhecimento, por sua vez, ficavam para o segundo dia.

Desta vez a redação e a prova de linguagens será acompanhada da prova de ciências humanas. Enquanto isso, o exame de matemática passa a ser concomitante ao de ciências da natureza. Portanto, é preciso redobrar os cuidados para se preparar corretamente de acordo com os temas específicos de cada dia.

Como o exame funciona?

Há pouco você leu sobre as principais mudanças ocorridas no ENEM em 2017. Agora, você vai conferir um passo a passo pensado para minar suas dúvidas sobre o processo, que vai desde o momento da inscrição até a hora de concorrer a uma vaga na universidade.

Além disso, explicamos também o que é o famoso conceito de TRI utilizado pelo MEC durante a validação das suas respostas e como ele pode impactar positiva ou negativamente a sua nota.

Inscrição

Para começar, você deve fazer a sua inscrição no site do INEP, o Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais, durante o período estipulado pelo MEC para esse processo. Para isso, será necessário ter em mãos os seguintes dados: RG, CPF e endereço da sua residência.

Uma vez inseridas essas informações e o município no qual você deseja realizar a prova, será o momento de criar uma senha para que apenas você tenha acesso à “página do participante” na plataforma. Nela, será possível ver, por exemplo, os seus resultados.

O próximo passo é indicar qual idioma você deseja para a prova de língua estrangeira — inglês ou espanhol. Nessa fase é importante escolher com sensatez, afinal, essa decisão pode impactar (e muito) o seu desempenho!

Por fim, é hora de emitir a GRU, a Guia de Recolhimento da União, ou solicitar isenção — disponível para estudantes com família de baixa renda, inscritos em programas sociais ou que estejam matriculados no 3º ano em escola da rede pública de ensino.

Lembre-se que é possível, no ato da inscrição, indicar a necessidade de atendimento especializado ou específico nos dias das provas. O primeiro é destinado a quem possui deficiências físicas, como dificuldade parcial ou total de locomoção. Já o segundo é voltado para quem tem doenças crônicas ou está gestante, por exemplo.

Definição do local das provas

Uma vez confirmado o pagamento da GRU ou a isenção, conforme previsto no regulamento, você terá acesso, por meio da plataforma, ao cartão de confirmação de inscrição. Nele vai estar contido, além dos seus dados, o local das provas.

É importante ressaltar que, embora você possa indicar o município onde queira realizá-las, a escolha do espaço físico (a instituição) é feita exclusivamente pelo MEC.

Realização das provas

As datas nas quais as provas vão ser aplicadas ocorrerão em dois domingos seguidos. Conforme já citamos, o primeiro dia será destinado à redação e às provas de ciências humanas e linguagens. Já o segundo, por sua vez, será voltado às provas de matemática e ciências da natureza.

Vale ficar atento a um detalhe importante: o tempo de duração não é o mesmo nos dois dias. Enquanto no primeiro você vai ter 5 horas e 30 minutos para concluir todas as questões e finalizar a redação, no segundo o período será de 4 horas e 30 minutos.

Resultado

Você concluiu as provas e está ansioso pelo resultado e as possibilidades que ele acarreta, não é mesmo? Contudo, será preciso esperar pelo MEC. A divulgação das notas se dá um par de semanas depois da realização do ENEM na sua “página do participante”.

Para conferi-las de acordo com cada área específica do conhecimento, basta entrar na plataforma com o número do seu CPF e a senha que foi gerada à época da inscrição.

Sisu

Ciente do resultado, você vai participar do Sistema de Seleção Unificada para concorrer, com os demais estudantes que realizaram o ENEM — de acordo com a sua modalidade, seja concorrência ampla ou por cotas — um vaga em dois cursos que desejar.

A candidatura pode ser realizada, por meio do site do Sisu, não apenas para universidades e instituições de ensino do seu estado, mas também para as demais regiões do país. Durante os dias em que o processo de seleção ocorrer, haverá, a cada 24 horas, a geração de uma nova nota mínima, a chamada nota de corte.

Para que você permaneça concorrendo, é necessário ter a média final de todas as áreas de conhecimento superior à nota de corte. Como é possível escolher duas opções de cursos, redobre a sua atenção, pois, se você for selecionado na primeira opção, estará automaticamente fora da segunda.

Porém, caso você não seja selecionado na primeira chamada em nenhuma das duas alternativas, será possível participar da lista de espera que é formada pelos participantes classificáveis.

Conceito de TRI

Você tem dúvidas sobre como a sua nota será calculada? Se sim, saiba que nesse processo é utilizado o conceito de TRI, isto é, a Teoria de Resposta ao Item. Se você não a conhece ou mesmo nunca ouviu falar a respeito, não se preocupe, nós a explicamos para você.

Essa metodologia é utilizada para detectar aqueles participantes do ENEM que acertam questões por meio de “chutes”. Para tanto, cada área de conhecimento é dividida em 3 blocos — de forma irregular pelo caderno de questões — de acordo com o seu nível de dificuldade: fáceis, médias e difíceis.

Se você acerta muitas perguntas difíceis e erra aquelas consideradas fáceis e médias, o sistema de correção de gabaritos vai utilizar esse conceito e entender que há algo incomum quanto às suas respostas. O motivo disso é que, matematicamente falando, o correto é justamente o oposto.

Com isso, o valor dessas questões, por mais que estejam certas, será reduzido e a sua nota final vai ser menor que o esperado. É por esse motivo que, mesmo que você e seus amigos tenham acertado a mesma quantidade de questões, cada um terá uma nota final individual.

Por que se dedicar ao exame?

Uma dúvida recorrente entre os estudantes do Ensino Médio é por que se dedicar aos estudos para obter um bom resultado no ENEM se há outras opções de vestibular em paralelo a ele. Acontece que o Exame Nacional do Ensino Médio funciona como uma porta de entrada democrática ao ensino superior no país.

Para se ter ideia, ele é aceito por inúmeras instituições, tanto públicas quanto privadas, nas cinco regiões do Brasil. Ou seja, você tem mais liberdade de escolha e pode avaliar uma série de aspectos — como concorrência, infraestrutura e qualidade de ensino — ao tentar uma vaga na graduação.

Além disso, a nota do ENEM pode ser utilizada por você para obter financiamento estudantil, como o FIES, ou bolsa de estudos, como o ProUni, caso deseje fazer um curso em uma universidade particular. Mas não acabam aí as particularidades do ENEM.

Afinal, já é possível usar esse exame, inclusive, como processo seletivo em mais de 20 universidades portuguesas, conforme levantado pelo G1. Ou seja, a gama de opções para o futuro de quem se dedica à prova é vasta.

É por essa razão que o ENEM é cada vez mais visto como um investimento para quem deseja ter uma carreira de sucesso, estabilidade financeira, independência e ser bem-sucedido.

Que dicas todo estudante pode aproveitar?

Depois de ter lido sobre a importância da prova do ENEM, nada melhor do que se preparar e potencializar os estudos para garantir a aprovação desejada, não é mesmo? Por isso, reunimos, a seguir, algumas dicas que vão ajudar você nessa missão.

Monte um cronograma de disciplinas

A nossa primeira dica é bastante simples: estabeleça um cronograma de estudos. Ele será nada mais do que um planejamento que vai ajudar você a se organizar e otimizar o seu aprendizado. Para começá-lo, delimite os dias e horários em que você vai ler ou realizar exercícios.

Feito isso, determine quando você vai estudar matemática, física, biologia, português e assim sucessivamente. É importante que você encontre um espaço para cada disciplina e, de fato, equilibre o tempo dedicado para cada uma delas.

Afinal, a variação de matérias impede que você fique saturado do mesmo assunto e o principal: auxilia você a ficar nivelado em todas as áreas de conhecimento cobradas no ENEM para que seu resultado seja ainda melhor do que o esperado.

Escreva uma redação semanalmente

Uma dica que também será de grande valia para os seus estudos é escrever uma redação por semana. Você pode se valer, por exemplo, do assunto mais frequente naquele período e dissertar sobre ele. Esse é um exercício de aperfeiçoamento que traz muitas vantagens, a começar pela cronometragem do tempo.

Isso acontece porque você pode monitorar quantos minutos são necessários para concluir a redação e, a partir disso, trabalhar para que seu texto seja mais ágil e fluido. Além do mais, você tem contato com diferentes temas e amplia sua bagagem de conhecimento, o que permite que você tenha mais embasamento ao escrever sobre os mais variados assuntos.

Outro ponto importante é que o hábito de escrever constantemente vai auxiliar você a identificar, revisar e corrigir seus erros mais frequentes, sejam eles de coesão textual, de origem gramatical ou mesmo aqueles problemas ortográficos que sempre passam despercebidos.

Faça simulados

Ao estudar para o ENEM, que tal potencializar o aprendizado incluindo simulados como atividade complementar aos seus estudos? Você pode baixar pela internet diferentes versões do exame e, literalmente, simular como se estivesse fazendo o deste ano.

Uma sugestão muito boa, inclusive, é separar as áreas de conhecimento conforme as recentes mudanças feitas pelo MEC. Dessa forma, a experiência fica mais realista, e você também pode analisar o tempo que leva para concluir todas as 180 questões.

Fora isso, há simulados que contêm algumas ou mesmo todas as questões retiradas de edições anteriores do Exame Nacional do Ensino Médio, o que é um excelente termômetro para você avaliar seu desempenho atual.

Tire suas dúvidas

Seja ao fazer os simulados, realizar exercícios ou mesmo no ato de ler, é comum que surjam dúvidas. Afinal, você precisa formular perguntas e identificar problemas para obter respostas. Por isso, não as ignore! Elas são fundamentais para que você compreenda, de fato, o que está estudando e não apenas decore o conteúdo.

Tenha sempre em mente que às vezes aquele questionamento, por mais “bobo” que pareça, pode se tornar uma ou mais questões nas provas do ENEM. Portanto, anote todas suas dúvidas e recorra, sempre que necessário, aos seus professores para saná-las. Eles serão grandes aliados para o seu aprendizado!

Utilize técnicas de estudo

Outra dica para estudar para o ENEM é adotar técnicas que amplifiquem a sua capacidade de memorização e assimilação do conteúdo. Um exemplo é a técnica pomodoro, que se baseia em 4 ciclos de 25 minutos — nos quais você vai se dedicar à realização de exercícios e/ou leitura — e 3 ciclos de descanso de 5 minutos entre eles.

Ao término da primeira hora, há um quarto período de descanso, mas dessa vez de 30 minutos. Essa metodologia tem como principal intuito garantir que você realize as atividades que se propõe sem interrupções ou distrações. Com isso, sua produtividade e seu nível de concentração aumentam.

Elabore resumos das matérias

Essa é uma dica que pode ser bastante útil para os seus estudos se você for o tipo de estudante com dificuldade em absorver conteúdos históricos e geográficos, por exemplo. Isso é possível porque, ao mesmo tempo em que você lê os livros de história e geografia, você vai fazendo anotações e montando resumos em tópico que vão ajudar a fixar os pontos mais importantes do texto.

Assim, quando precisar encontrar determinado assunto ou relembrar algum fato, não será preciso ler páginas e mais páginas novamente. Ao contrário, basta recorrer a esse material que você mesmo criou.

Mantenha a leitura em dia

A leitura é um aspecto essencial no seu dia a dia e que não pode ser deixado de lado se você deseja alcançar um bom resultado e, consequentemente, começar uma graduação em uma instituição de ensino superior. Mas não se engane: ler mais não quer dizer se restringir apenas a conteúdos para as provas do ENEM.

Ao contrário, você pode (e deve) ter como objeto de leitura coisas que lhe agradam e despertam o seu interesse, como livros, revistas etc. Todos esses materiais vão ser de grande valia para ampliar seu vocabulário e sua interpretação textual.

Tenha um ambiente de estudo tranquilo e organizado

Além das dicas anteriores, não deixe de atentar ao local onde você estuda. O motivo disso é que a desorganização é um fator que estimula a distração e a procrastinação. Por isso, ao terminar de ler este post, arrume sua mesa ou escrivaninha e deixe o espaço dedicado para seus livros, cadernos e demais materiais.

Outro ponto com o qual você deve redobrar os cuidados é o silêncio no momento em que você se dedica aos estudos. Assim como a falta de organização, o barulho é um grande inimigo da concentração e da produtividade. Portanto, sempre dê preferência aos cômodos que sofram o mínimo de interferência dos barulhos externos.

Use a tecnologia a seu favor

Uma dica bastante útil — da qual muitos estudantes tendem a não se dar conta — é usar a tecnologia como uma aliada. Afinal, redes sociais e aplicativos, sejam no computador ou no telefone, não funcionam apenas para fins de entretenimento. Existe muito conteúdo desenvolvido para ajudar pessoas que querem ampliar o aprendizado.

Por exemplo, você quer melhorar a leitura e a escrita em inglês para a prova do ENEM? Então se inscreva em canais no YouTube que são comandados por nativos, como o Anglo-Link e o Learn English with Papa Teach Me, que trazem dicas e macetes para uma melhor compreensão do idioma.

Já para os smartphones, há aplicativos, como o História do Brasil e o Redação Nota 1000, que abrangem conteúdos essenciais para a redação e a prova de ciências humanas com questões e exercícios rápidos e práticos, por exemplo.

Descanse adequadamente

Por fim, mas não menos importante, trate de descansar adequadamente! Lembre-se que de nada adiantará você passar o dia (ou mesmo a noite) estudando se não dormir adequadamente por, no mínimo, oito horas diárias.

O sono desempenha um papel fundamental no seu bem-estar físico e psicológico, ou seja, além de ajudar você a recuperar energia, ter mais disposição e garantir as defesas do organismo contra doenças e infecções, ele também traz benefícios para o bom funcionamento do seu cérebro.

Um dos benefícios mais valiosos e importantes para quem é estudante é que ele ajuda a evitar a fadiga mental que pode afetar drasticamente a sua capacidade de memorizar e se concentrar. Portanto, assim como você deve criar o hábito de seguir um cronograma de estudos, desenvolva uma rotina de descanso apropriada.

Agora que você já sabe tudo sobre o ENEM, é hora de se preparar para as provas e garantir a aprovação em um curso do ensino superior. Dessa forma, você vai trilhar o seu caminho para ter uma carreira profissional de sucesso.

Por isso, não deixe de seguir nossas dicas para você maximizar o seu aprendizado e assimilação de conteúdos e garantir um ótimo resultado!

Aproveite também e assine já a nossa newsletter para receber outros macetes essenciais para intensificar o seu estudo!