Em busca da independência financeira? Confira estes 5 passos

Muitas pessoas ganham dinheiro, mas nem todas buscam a independência financeira. Quer aprender a diferença entre as duas situações?

Quem faz parte do primeiro grupo consegue se sustentar por meio do seu trabalho e até tem um certo nível de liberdade financeira, ou seja, tem qualidade de vida no presente e consegue fazer alguns planos de médio prazo.

Já as pessoas que conquistam a independência financeira chegam a um patamar que não precisam mais receber um salário para pagar suas contas. Isso porque desenvolveram ao longo dos anos maneiras diferentes de ganhar dinheiro. Devido a isso, elas podem sair do mercado de trabalho antes mesmo da aposentadoria (caso desejem).

Essa ideia parece impossível para você? Então, leia este post com atenção e descubra maneiras de começar a construir uma independência para seu futuro!

1. Tenha um bom currículo

O primeiro passo para ter dinheiro é saber como ganhar mais, certo? E para isso não existe segredo: é preciso valorizar seu perfil profissional e conquistar mais espaço no mercado de trabalho. Sendo assim, investir em educação é fundamental (mesmo se for preciso conciliar emprego e estudo).

A construção de um currículo diferenciado permite que você cresça na empresa em que trabalha, conquiste cargos executivos em outros locais ou até mesmo abra seu próprio negócio e impulsione muito a sua renda. Independentemente de qual desses caminhos escolherá, a capacitação profissional é a etapa para chegar a eles.

Uma orientação importante nesse ponto é que você deve buscar atividades que goste de realizar. Trabalhar com prazer proporciona muito mais chances de gerar uma boa renda, afinal, ao realizar um serviço que não dá ânimo, é bem mais difícil encontrar motivação para apresentar diferenciais e se capacitar cada vez mais.

Não acredite nas pessoas que dizem que uma carreira deve ser escolhida apenas visando ao salário ou que determinadas profissões não dão dinheiro. Existem vários casos de sucesso que provam que é possível se dar bem em qualquer área — e, quando você gosta do trabalho, torna-se mais simples produzir bons resultados.

Além da motivação, é importante enriquecer o currículo com experiências e conhecimentos. Dificilmente, um curso de graduação vai ser suficiente para garantir um bom salário no mercado atual. Por isso, vale a pena fazer uma pós-graduação estratégica na área em que você deseja crescer. Dessa forma, é possível atrair melhores oportunidades profissionais.

2. Tenha controle financeiro

Além de continuar a se especializar e aumentar sua renda com promoções no emprego, é fundamental montar um planejamento, se você quer ter independência financeira. Quando não há controle sobre as finanças, o dinheiro vai embora antes que a pessoa perceba, mesmo quando se tem um alto salário.

A regra geral é sempre gastar menos do que ganha. Pode parecer óbvio à primeira vista, mas, acredite, muita gente não segue essa norma. Você mesmo pode estar deixando a desejar nesse ponto. Então, vejamos: quanto tem sobrado na sua conta ao final do mês? Se não sobra nada ou se o valor é muito pequeno, está na hora de melhorar.

Existe uma maneira muito clara de ter certeza do quanto você gasta: registre todas as movimentações financeiras e analise os custos. Essa tarefa se tornou bem mais fácil depois que foram desenvolvidos aplicativos de controle financeiro. Você anota a sua renda, assim como todas as contas que pagar e todas as compras que fizer.

Ao final do mês, você consegue avaliar o padrão de consumo e saber em que categorias é possível economizar. Por exemplo, pode descobrir que tem gastado mais do que esperava em programas de lazer e entretenimento. Colocar um teto de gastos é a melhor estratégia para minimizar os custos e ter mais dinheiro.

3. Estabeleça metas de olho no futuro

A independência é um plano de longo prazo, mas, se você não começar em algum momento, nunca conseguirá chegar até ela. O ideal é olhar para as suas contas hoje e definir metas que o ajudem nesse objetivo. Não espere ganhar mais dinheiro para iniciar a organização financeira. Nesse caso, a constância é mais importante do que o valor poupado.

Mesmo que você só possa juntar pouco dinheiro atualmente, prepare-se desde já. Aos poucos, a quantia reservada pode ir aumentando, de acordo com a melhoria na sua renda. O importante é ter objetivos definidos — como o valor que você deseja ter daqui a alguns anos ou a idade que sonha em parar de trabalhar sem depender da renda da aposentadoria.

Depois de traçar esses objetivos, você consegue calcular uma quantia mensal para ir montando aos poucos a reserva de que precisa. Ao pensar em todos os detalhes, fica mais fácil economizar dinheiro e manter a disciplina, afinal, vai valer a pena deixar de fazer alguns gastos hoje para usufruir de mais conforto e segurança no futuro.

4. Evite dívidas e juros

Esses são os dois principais vilões da independência financeira. Manter o controle do orçamento exige que você fuja de juros abusivos ou de grandes dívidas, como empréstimos e financiamentos. Tomar decisões desse tipo por impulso pode desequilibrar suas finanças por muito tempo e atrapalhar bastante os seus planos.

Fique atento para pagar todas as contas em dia — atrasar um pagamento do cartão de crédito ou entrar no cheque especial gera juros muito altos. Além disso, prefira realizar suas compras à vista ou em poucas parcelas. Dividir em muitas vezes o valor de um produto dá a ilusão de que há mais dinheiro disponível para gastar.

Evitar compras não planejadas e controlar o uso do cartão de crédito é essencial. O mais indicado é que, para fazer aquisições mais caras, você se programe. Assim, além de não impactar o orçamento, é possível aproveitar descontos no pagamento à vista.

5. Invista seu dinheiro

O último passo na busca da independência financeira é um dos mais importantes: depois de descobrir como poupar dinheiro, você precisa saber onde investi-lo, para que ele se multiplique. Existem várias opções de investimentos que oferecem bons rendimentos. Algumas diferenças fundamentais entre elas são a quantia mínima exigida e o nível de risco.

Investimentos como a poupança ou o Tesouro Selic, por exemplo, podem ser feitos a partir de valores mais baixos e não oferecem quase nenhum risco. Já comprar ações na bolsa de valores requer uma quantia maior, e você corre riscos significativos.

O ideal para aproveitar o melhor de cada investimento, minimizando o perigo, é diversificar. Nunca colocar toda a sua reserva em apenas uma opção, mas, sim, dividir o dinheiro em várias modalidades. Antes de decidir isso, pesquise com cuidado. E lembre-se de reinvestir os rendimentos, para aumentar a sua reserva.

Com esse passo a passo, você já sabe que é possível alcançar a independência financeira nos próximos anos. Não deixe de buscar melhorias na sua carreira e de seguir as dicas de controle do orçamento que compartilhamos. Assim, fica mais fácil realizar os seus sonhos!

Gostou deste post? Para acompanhar mais conteúdos que contribuam para o seu sucesso profissional e financeiro, assine a newsletter do blog!