Como manter a motivação nos estudos: conheça 7 dicas

Há fases da vida em que precisamos nos dedicar mais para atingir determinados objetivos, não é verdade? É o caso de um estudante que está prestes a fazer um vestibular para entrar na faculdade ou passar por uma semana de provas, por exemplo. Nesses momentos, resgatar uma boa dose de motivação nos estudos é essencial!

Quando estamos motivados, conseguimos um rendimento melhor, o que favorece a conquista dos resultados desejados. Acontece que entre a teoria e a prática existem algumas dificuldades, afinal, nem sempre estamos tão animados e focados assim.

Você já percebeu isso na sua rotina? Quer saber o que fazer para manter a motivação em alta? Veja só as dicas que separamos:

1. Pensar positivo

A primeira coisa com que você deve se preocupar é afastar os pensamentos negativos. Na maioria das vezes, são eles que causam desânimo e preguiça para você continuar firme com os seus objetivos.

Nessa etapa de estudos, entre os mais comuns estão: “não vai dar tempo de estudar tudo”, “eu não consigo entender essa matéria”, “eu nunca consigo acertar esse tipo de exercício”, “eu não vou me lembrar disso na hora da prova”, “isso não entra na minha cabeça”.

Ter esse tipo de pensamento é normal, até mesmo pelo nervosismo e pela ansiedade que vivemos quando algo importante está para acontecer. Contudo, o mais importante é não deixar que eles invadam a sua cabeça e prejudiquem o seu desempenho nos estudos.

Da mesma forma que pensamentos positivos podem imobilizar o seu progresso, pensar em coisas positivas é capaz de ajudá-lo a progredir cada vez mais. Acredite no seu potencial e dê sempre o seu melhor!

2. Ter um bom plano de estudos

Outro passo fundamental para não se perder no caminho é montar um planejamento completo de tudo o que você precisa estudar, considerando o tempo disponível que você tem para isso.

É importante organizar a sua rotina, para estabelecer um cronograma de estudos. Divida todas as tarefas que você tem pela frente, de acordo com a sua programação diária, definindo metas que precisam ser cumpridas.

Por exemplo, ler X páginas de um livro todos os dias, fazer uma redação por semana, dedicar meia hora diariamente para conferir as notícias do que está acontecendo no mundo, resolver uma lista de exercícios etc.

Você é quem deve decidir quais serão os seus objetivos — sejam eles diários, semanais, quinzenais, mensais ou como preferir. Isso vai facilitar que você visualize quais são as suas responsabilidades e ainda vai dar um empurrãozinho para que você cumpra com todas elas. Missão dada é missão cumprida, não é mesmo?

3. Reconhecer as pequenas vitórias

Já que você determinou pequenas metas, não deixe de reconhecer e comemorar as pequenas vitórias. Provavelmente, todos os dias você terá razões para se sentir vitorioso por ter executado o que estava previsto e continuar seguindo em busca do seu objetivo.

Não pense que isso quer dizer fazer festas para celebrar ou qualquer coisa parecida. O reconhecimento das metas atingidas deve servir justamente de incentivo para você seguir em frente — e não como motivo para perder o foco.

De vez em quando, vale até se presentear com algum benefício, como uma ida ao cinema, uma saída com amigos ou um tempo de descanso, mas esteja certo de que toda a sua programação está em dia, antes de tomar uma decisão como essa e correr o risco de atrasar os seus planos.

4. Programar pausas

Ainda que você esteja disposto a viver uma rotina intensa de estudos, vale lembrar que as pausas são indispensáveis para a sua produtividade. Por isso, elas não devem ser vistas como uma falha, mas como um ingrediente necessário de uma rotina produtiva.

Se você pensar bem, os intervalos são ótimas oportunidades para libertar-se um pouco do cansaço e retomar a concentração. É bem difícil permanecer 100% atento a um conteúdo por muitas horas seguidas — mesmo que você queira, o próprio cérebro perde o foco em algum momento.

Digamos que é quase impossível passar um dia inteiro debruçado sobre livros e materiais, sem perder a motivação. Então, planeje algumas pausas durante os seus estudos para recuperar o fôlego.

Apenas tome cuidado para que isso não se torne tão recorrente a ponto de prejudicar a sua performance. A cada uma hora de estudo, por exemplo, reserve cinco minutos para movimentar o corpo, ir ao banheiro, tomar água, entre outras necessidades básicas. Deixe a sua mente distrair e depois a chame de volta com ainda mais força!

5. Identificar uma estratégia de estudo

Uma coisa que ajuda muitos estudantes é perceber qual forma de estudar funciona melhor para eles, apostando nessa estratégia como forma de garantir motivação e uma performance mais eficiente.

Se você ainda não identificou o melhor método para o seu perfil, talvez isso demore um tempo — mas vale a tentativa. Experimente fazer resumos, elaborar mapas mentais, criar associações mnemônicas, gravar explicações, intercalar disciplinas e outros que você conhecer.

Não há regras ou uma técnica que seja muito melhor do que as outras. Tudo depende de como você se sente mais confortável estudando. A partir dessa descoberta, você vai perceber que a obrigação de estudar vai ficar mais leve e motivante.

6. Eliminar as distrações

Não há nada mais desmotivador do que ter que estudar com uma tentação por perto. Um sofá aconchegante, uma televisão ligada, um celular cheio de notificações dos amigos, a conversa dos familiares ao fundo etc.

Seja qual for o fator de distração, certamente ele vai desviar a sua atenção e reduzir as suas chances de aprendizado. Logo, o ideal é evitar esse tipo de situação para não acabar passando o dia todo “estudando” sem eficácia alguma — sem falar na sensação constante de que você poderia estar fazendo outra coisa.

Portanto, tente ficar livre de todo tipo de distração. Encontre um local tranquilo para estudar e deixe principalmente as tecnologias para os horários de intervalo.

7. Ter uma rotina saudável

Por último, não se esqueça de que o seu corpo é como uma máquina que precisa funcionar bem para absorver e memorizar os conteúdos estudados. Sendo assim, a sua saúde deve ser uma prioridade — caso contrário, dificilmente você continuará motivado.

Além de uma alimentação saudável e equilibrada, cuide dos momentos de descanso e preserve a qualidade do seu sono. Os exercícios físicos também são recomendados para produzir hormônios relacionados ao prazer e ao bem-estar.

Para completar, nunca perca de vista o seu objetivo maior. É nele que você deve pensar, quando estiver esgotado e necessitar de forças para continuar. Como diz a crença popular, o único lugar em que o sucesso vem antes do esforço é no dicionário.

E aí? O que você achou das nossas dicas para manter a motivação nos estudos? Se gostou deste tipo de post, assine já a nossa newsletter e continue acompanhando os nossos artigos!