Como é o mercado de trabalho de Engenharia Química?

Você sempre gostou das aulas de Química da escola, tem vontade de trabalhar na área, mas não se imagina fechado em um laboratório? E se nós contarmos para você que existe uma carreira que atende a esse seu perfil e ainda oferece boas oportunidades profissionais?

mercado de trabalho de Engenharia Química é promissor e possibilita atuar em diferentes segmentos. É uma área dinâmica, voltada, principalmente, para os processos industriais, ideal para quem busca desafios, gosta de tecnologia e sonha até mesmo em assumir cargos de gestão.

Ficou interessado? Então confira nosso post, saiba como é a graduação em Engenharia Química, o que faz esse profissional e como está o mercado de trabalho nessa área! Acompanhe e comece a planejar seu futuro profissional!

Como é a graduação na área?

O curso superior em Engenharia Química é uma graduação do tipo bacharelado, com duração de 5 anos. É oferecido nas modalidades presencial e semipresencial (em algumas instituições de ensino). É um curso que une teoria e muita prática, por conta das aulas em laboratório.

Nos primeiros semestres, o aluno tem as disciplinas mais básicas das engenharias, como Matemática, Física e Informática. E, durante todos os períodos, acompanha muitas aulas voltadas para a Química (Básica, Orgânica, Inorgânica, Analítica, Tecnológica e Físico-Química).

Nos últimos anos da graduação, o conteúdo se volta para temas mais específicos, como:

  • Fenômenos de Transporte;

  • Termodinâmica;

  • Mecânica dos Sólidos;

  • Mecânica de Fluidos;

  • Transferência de Calor e Massa;

  • Balanço de Massa;

  • Cálculo de Reatores;

  • Eletroquímica e Corrosão;

  • Ciências dos Materiais;

  • Processos Industriais Bioquímicos;

  • Controle de Sistemas;

  • Projeto de Processos;

  • Engenharia do Meio Ambiente.

Nessa graduação, o estudante também é preparado para gerenciar um negócio, pois tem aulas de Administração Geral, Empreendedorismo e Direito Empresarial.

Estágio e TCC

Ao final do curso, é necessário ainda elaborar um Trabalho de Conclusão de Curso (TCC) e apresentá-lo a uma banca examinadora. Além disso, para obter o diploma, o aluno deve fazer o estágio obrigatório — etapa importante para ele conhecer os segmentos dentro da profissão, ter contato com engenheiros mais experientes e acompanhar como é a rotina para quem escolhe seguir essa carreira.

Em muitos casos, quando o estagiário demonstra proatividade e se mostra comprometido com a atividade, pode, inclusive, ser efetivado na empresa, depois de concluir o ensino superior.

O que faz um engenheiro químico?

O engenheiro químico participa dos processos de transformação físico-química dos produtos e está preparado para atuar em todas as etapas industriais. Dessa forma, a fabricação de muito itens que utilizamos ou consumimos no dia a dia contou com o trabalho desse profissional: pode ser o alimento industrializado, a tinta da parede, o combustível do carro e o sabonete, entre inúmeros outros produtos.

O profissional pode atuar para melhorar a produtividade, aperfeiçoar tecnologias, garantir a qualidade ou buscar meios para que a indústria seja mais sustentável — controlando a emissão de poluentes ou fazendo o tratamento de resíduos, por exemplo.

Como é o mercado de trabalho de Engenharia Química?

Em primeiro lugar, para começar a atuar na área, além de ter o diploma do curso superior, é preciso estar registrado no Conselho Regional de Engenharia e Agronomia (CREA), órgão que regula e fiscaliza a profissão.

Com o registro em mãos, o recém-formado encontra diferentes oportunidades, em cidades pequenas, médias ou metrópoles. É, portanto, um campo com alta empregabilidade, porque muitas indústrias dependem da Engenharia Química para funcionar. As áreas que mais empregam esse profissional são as indústrias de:

  • polímeros;

  • tintas;

  • cosméticos;

  • fármacos;

  • papel e celulose;

  • tecidos;

  • material de construção;

  • petróleo.

O mercado de trabalho de Engenharia Química é interessante porque o profissional pode trabalhar em diversas áreas, como:

  • projeto (construção de instalações e escolha de equipamentos e tecnologias para a indústria);

  • produção (processos e equipamentos);

  • gestão (processos e equipes);

  • pesquisa e desenvolvimento de novos materiais;

  • vendas técnicas (equipamentos e produtos específicos da indústria química);

  • consultoria (área ambiental).

O profissional pode conseguir crescer ainda mais na carreira em segmentos que estão em alta, como o do biocombustível, na área de redução de danos ambientais ou ainda no controle de qualidade — visto que a competitividade entre as indústrias é alta, bem como a exigência do consumidor.

Além disso, indústrias de diferentes ramos e portes contratam o engenheiro químico para elaborar estratégias que aumentem a produtividade e reduzam os gastos — tudo sem comprometer a segurança dos processos ou causar danos ambientais.

Qual é o salário desse profissional?

Se você ficou animado com as informações sobre o mercado de trabalho de Engenharia Química, vai gostar de saber da remuneração. O piso salarial do engenheiro químico é definido pela Lei 4.950-A, de 1966, que estabelece os valores de acordo com a carga horária diária:

  • 6 horas — 6 salários mínimos;

  • 7 horas — 7,25 salários mínimos;

  • 8 horas — 8,5 salários mínimos.

É preciso destacar que estamos falando de pisos salariais. Assim, se o profissional adquire experiência, realiza uma pós-graduação, domina um segundo idioma e consegue cargos mais altos, como o de gestão, a remuneração vai aumentar.

Para o estagiário na área, de acordo com a consultoria de empregos Catho, o salário é de R$ 1.191,20.

Por que escolher uma faculdade reconhecida no mercado?

Ficou animado com as perspectivas profissionais da Engenharia Química? Realmente, é uma profissão que sempre está aquecida. Para que o profissional consiga as melhores oportunidades, é importante escolher uma faculdade de referência, com bom reconhecimento no mercado.

É necessário que a instituição de ensino tenha um corpo docente qualificado e uma infraestrutura adequada, principalmente em relação a laboratórios e equipamentos direcionados às aulas práticas. Dessa maneira, o aluno recebe uma formação mais completa e fica preparado para entrar no mercado de trabalho.

Outros pontos importantes para avaliar ao escolher uma faculdade são a possibilidade de fazer iniciação científica, a oferta de atividades complementares e o apoio da instituição ao aluno no momento em que ele procura estágio.

Viu só como o mercado de trabalho de Engenharia Química é repleto de possibilidades? Se você se identifica com essa área, escolha uma boa faculdade, dedique-se aos estudos e comece a trilhar uma carreira de sucesso!

E aí? Gostou das nossas dicas de carreira? Quer acompanhar outros posts como este? Então siga as nossas páginas no Facebook, Instagram, Twitter e YouTube!