Trabalho voluntário e carreira: como essa relação pode ser benéfica?

Trabalho voluntário e carreira são duas coisas que combinam bastante. As pessoas que já viveram a experiência do voluntariado podem comprovar isso, tanto que normalmente incentivam muito esse tipo de prática. A verdade é que doar o seu tempo para alguém ou para uma causa é uma atitude que deve ser feita de forma espontânea e verdadeira.

Contudo, não é um problema considerar as vantagens que isso pode gerar para a sua vida profissional, não é mesmo? Até porque a nossa evolução como ser humano impacta na pessoa que somos no ambiente de trabalho.

Quer saber um pouco mais sobre esse assunto? Acompanhe a leitura e aproveite para refletir!

Quais são os benefícios do trabalho voluntário para a carreira?

Antes de mais nada, vamos considerar o que é um trabalho voluntário. De forma simples, podemos entender uma ação voluntária como uma atividade de caráter social que é feita sem haver uma contrapartida financeira.

Ou seja, uma pessoa que trabalha em um asilo ou qualquer instituição de caridade está fazendo um bem para a sociedade, mas não é um trabalho voluntário se ela recebe uma remuneração por isso. Ao mesmo tempo, essa pessoa pode dedicar parte do seu tempo livre para apoiar um outro projeto por livre e espontânea vontade, o que a caracteriza como voluntária.

A intenção de participar de uma iniciativa como essa é contribuir para que os propósitos do projeto ou da instituição sejam cumpridos. Ao mesmo tempo, essa é uma grande chance do voluntário favorecer a sua própria formação. Veja a seguir quais são os principais benefícios envolvidos.

Conhecer outras culturas e realidades

Sair da sua zona de conforto não é uma atitude fácil, mas necessária para promover o seu crescimento como pessoa. Ao se deparar com realidades distintas da sua, a pessoa aprende a ser mais sensível, compreensiva e adaptável.

O mais surpreendente é que não é necessário sair do país para viver essa experiência, embora os voluntariados internacionais também sejam muito interessantes e proveitosos. A questão é direcionar a nossa atenção para um lugar diferente, seja um país distante ou um bairro da nossa própria cidade. Em sua maioria, são pessoas que passam por dificuldades no dia a dia e têm muito a nos ensinar nas coisas simples da vida.

Desenvolver novas habilidades

O voluntariado deve exigir que alguma atividade seja desempenhada, afinal, estamos falando da realização de um trabalho sério e que demanda comprometimento. Logo, a ocasião não deixa de ser propícia para aprimorar habilidades que você já possui ou que vai desenvolver do zero.

Por exemplo, existem pessoas que se dispõem a dar aulas sobre assuntos que dominam, enquanto outras não têm a mínima ideia de como construir uma casa e, de repente, se veem como ajudantes de obra. Além dessas competências específicas, outras costumam ser desenvolvidas: comunicação, empatia, proatividade, liderança, etc. 

Expandir o networking

Fazer amizades e construir novos relacionamentos nada mais é do que expandir o seu networking. Talvez você não pense nisso de imediato, mas todo encontro é uma oportunidade de troca. No caso do trabalho voluntário, é comum ter que se relacionar com várias pessoas, desde aquelas que estão participando da mesma vivência até os organizadores do programa. Nunca dispense nenhum contato!

Motivar a criatividade e o espírito colaborador

Quem participa de um voluntariado tende a expandir a sua mente e a se sentir mais motivado para colocar suas ideias em prática. É como se essa experiência despertasse a vontade de fazer mais coisas e ajudar mais pessoas. Tanto que a maioria dos voluntários continua seguindo esse caminho, ainda que nem sempre nos mesmos projetos.

Esse é um benefício que favorece tanto o espírito de colaboração quanto a criatividade e a vocação empreendedora. Inclusive, muitos negócios nascem no contexto do trabalho voluntário e da identificação de necessidades no mercado.

Enfim, esses são apenas alguns exemplos dos benefícios gerados e que se relacionam com a carreira — até porque, no fim das contas, todo profissional é um ser humano em construção. Aqueles que buscam pelo desenvolvimento acumulam pontos a seu favor e o voluntariado é uma das formas de fazer isso.

Quais tipos de trabalho você pode contribuir?

A motivação é a parte mais importante desse processo, visto que não faltam oportunidades para colocar essa ideia em prática. Projetos sociais no mundo inteiro precisam de voluntários e buscam esse tipo de contribuição, o que você precisa fazer é apenas encontrar aquele que mais combine com o seu perfil e objetivos.

Se preferir, escolha uma atividade que tem mais a ver com a sua carreira, pois a relação deve ser mais direta na hora de conseguir experiência profissional e montar o seu currículo. De toda forma, tente não desconsiderar nenhuma chance, pois cada uma delas tem algo a oferecer.

Com uma pesquisa na internet é possível encontrar várias possibilidades em ONGs, associações e instituições diversas. Vale também procurar ao seu redor, buscando na sua cidade ou região por projetos que não são tão divulgados na mídia.

Para ter uma ideia das ações mais praticadas, dentre elas podemos encontrar: construir moradias para populações carentes, ajudar na educação de crianças e adolescentes, cuidar de pessoas doentes, fazer turismo social, auxiliar comunidades vítimas de desastres naturais, entre outras.

Como destacar o voluntariado em seu currículo?

Por fim, vamos esclarecer como o trabalho voluntário pode ser sinalizado no seu currículo. O ideal é que isso seja feito de forma sutil, mas que não deixe de ser citado para que o recrutador saiba que você é uma pessoa que se interessa por esse tipo de ação.

Então, a dica é adicionar um tópico de atividades complementares para listar que tipos de experiências você tem além dos empregos anteriores e da sua formação acadêmica. Ao falar do voluntariado, descreva as funções que você desempenhou e de quais projetos participou durante determinado tempo.

Viu só como trabalho voluntário e carreira têm tudo a ver? O importante é que a sua contribuição seja feita de coração, mas nada impede que você aproveite os seus benefícios para aumentar as suas chances de conseguir uma boa oportunidade no mercado. Quem não quer contratar uma pessoa sensível e comprometida com a sociedade, não é mesmo? Porém, não deixe de se preocupar com a sua formação técnica também!

Se ainda tem dúvidas de como construir um currículo, aproveite para conferir nosso post que oferece um passo a passo completo para montar a sua apresentação profissional!

Como estudar nas férias? Confira nossas dicas!

Todo mundo merece um pouco de descanso, não é mesmo? Tanto a rotina de estudos quanto a de trabalho são capazes de deixar qualquer pessoa cansada ao longo do ano. Porém, os momentos de folga também podem ser aproveitados para aprender e estudar nas férias, o que não é uma ideia tão ruim assim.

O segredo é saber organizar o seu tempo para conciliar as duas coisas e não acabar ainda mais esgotado. Você está pensando em dar um gás nos estudos nesse período? Acompanhe as nossas dicas para cumprir essa missão com sucesso!

5 dicas para estudar nas férias sem deixar de aproveitar

Estar de férias normalmente é sinônimo de ter mais tempo livre, pois somos dispensados dos compromissos diários com a escola ou com o trabalho. Isso significa que dá para encaixar outras atividades na rotina, sem contar que dá para estender as horas de sono e, quem sabe, até tirar um cochilo durante o dia.

Na verdade, cada pessoa tem as suas preferências para descansar e também se divertir. Enquanto alguns preferem ficar em casa para assistir séries no modelo “maratona”, outros gostam mais de sair ou viajar, por exemplo. Então, o ideal é conseguir aproveitar ao máximo sem necessariamente deixar os estudos de lado. Será mesmo que isso é possível? Veja quais são as nossas sugestões!

1. Pense em uma programação

Não deixe que as suas férias sejam jogadas ao acaso, sem qualquer tipo de plano. Embora haja quem não goste de ter uma vida muito planejada, a organização do seu tempo será importante para conciliar estudo, diversão e descanso. Portanto, vale a pena pensar em uma programação que equilibre esses três fatores de uma forma agradável.

A ideia é criar uma espécie de agenda com tudo o que você pretende fazer durante a sua folga: assistir determinado filme, visitar um amigo, ler um livro que está parado há tempos, aprender uma nova habilidade, fazer programas familiares, enfim, o que quiser. Distribua as suas horas considerando ainda os compromissos habituais (tipo ir ao dentista ou fazer um exercício físico) para perceber qual será o tempo disponível para estudar sem ficar sobrecarregado.

Você pode definir que estudará por duas horas todas as manhãs para ficar com as tardes e noites livres. Ou talvez prefira se dedicar por uma tarde inteira três vezes na semana. Encontre o seu ponto de equilíbrio e crie metas realistas para cumprir.

2. Revise os assuntos complexos

Na época das aulas, os dias costumam ser mais corridos e isso pode dificultar a dedicação para um assunto que você considera complexo — o que também é algo muito pessoal. Sendo assim, aproveite esse momento “relax” para se concentrar em temas que oferecem maior grau de dificuldade.

Parece chato estudar algo que você não se identifica tanto justamente nas férias, não é verdade? Mas pense diferente: é bom aproveitar a mente descansada para encarar esse desafio.

Sem pressa, retome os conteúdos e se esforce para compreendê-los. Leia com calma, busque materiais complementares e tente se livrar de todas as adversidades. Essa pode ser a melhor oportunidade de aumentar o seu rendimento e resolver pendências para não prejudicar os seus resultados no futuro.

3. Cuide do seu sono

Pode até ser que você não seja grande fã de ficar horas a mais na cama, porém, tenha a certeza de que dormir bem é um critério fundamental para o seu desempenho. Acontece que, no dia a dia nem sempre conseguimos descansar tão bem, seja pelas preocupações naturais do cotidiano, seja pelas inúmeras tarefas acumuladas.

Aliás, quem nunca virou uma madrugada para estudar para uma prova no dia seguinte? O problema é deixar que isso vire um hábito capaz de afetar o seu bem-estar e, consequentemente, a sua produtividade.

Já que as férias chegaram, coloque o seu sono em dia para realmente ter a sensação de que está descansando o corpo e a cabeça. Evite exageros até mesmo quando estiver se divertindo, para depois conseguir voltar à rotina com a energia revigorada.

4. Consuma conteúdos interessantes

Uma ótima dica para conciliar estudo e diversão é procurar alternativas de aprendizado. Ou seja, não é necessário ficar o dia todo debruçado sobre um livro para aprender algo, pois existem conteúdos ricos que são produzidos de outras formas.

Três exemplos disso são filmes, séries e documentários. Esse tipo de entretenimento pode ser muito interessante e enriquecedor, basta escolher as temáticas certas. É possível ainda estudar pela internet, assistindo videoaulas ou visitando sites especializados no seu objeto de estudo.

Aplicativos para celular também fazem companhia em momentos de espera ou pequenos intervalos, mais uma forma de aprender nas horas vagas. Quem está focado em dominar um idioma estrangeiro, por exemplo, tem uma grande variedade de opções para escolher.

Que tal programar visitas a museus, feiras ou exposições? Eventos da sua área de interesse são boas ocasiões inclusive para expandir o networking. A intenção é variar os estímulos e as fontes de conteúdo, fugindo dos modos tradicionais que já são explorados durante a época de aula.

5. Valorize o tempo de lazer

Por último, não cometa o erro de estudar ou dormir demais durantes as suas férias. Como já foi dito, o segredo é organizar o seu tempo e equilibrar as atividades. De nada adianta ficar insatisfeito por não ter aproveitado o suficiente seu período de folga. De fato, a organização será sua maior aliada para curtir tudo o que quiser e cumprir com o cronograma de estudos.

Então, quando estiver se divertindo, tente distrair a mente e usufruir de todas as oportunidades. Da mesma forma, fique focado nas horas que reservar para estudar, já que ser eficiente vai garantir que os seus planos não sejam prejudicados. Valorize cada momento e não se esqueça das responsabilidades que fazem parte da busca por um futuro de sucesso!

Viu só como estudar nas férias não é uma missão impossível? Considere todas as dicas que listamos aqui para começar a pensar no recesso e montar a sua programação!

Se você gostou do post e quer continuar conferindo outras publicações como esta, siga os nossos perfis nas redes sociais. Fica bem mais fácil acompanhar tudo pelo Instagram e Facebook!

Invista na pós-graduação em Engenharia de Petróleo e Gás Natural

Você sabia que a área de Engenharia de Petróleo e Gás Natural conta com um mercado atraente e com boas taxas de empregabilidade? Para os engenheiros em atuação, ou futuros profissionais do ramo, essa é uma opção de carreira que merece atenção.

Preparamos este post para que você entenda como é o curso de pós-graduação e quais as possíveis áreas de atuação para o engenheiro de petróleo e gás natural. Leia com atenção e coloque mais esse item na sua lista de objetivos profissionais!

Afinal, o que é estudado na pós-graduação em Engenharia de Petróleo e Gás Natural? 

O curso de especialização capacita os profissionais a desenvolverem suas atividades como engenheiros no mercado de óleo e gás. A demanda de investimentos nesse setor tem sido crescente, o que garante boas possibilidades de carreira para os interessados em aprofundar seu conhecimento na área.

A pós-graduação é do tipo especialização lato sensu e confere ao aluno o título de especialista em Engenharia de Petróleo e Gás Natural. A carga horária total do curso é de 360 horas e corresponde a 18 meses de estudos aplicados.

Essa especialização é destinada tanto aos que fizeram graduação em Engenharia de Petróleo quanto aos engenheiros de outras áreas. Profissionais de Física, Matemática, Química e Geologia também fazem parte do público-alvo do curso.

A grade curricular da pós-graduação é dividida em 4 módulos, compostos pelas seguintes disciplinas:

  • Introdução à Engenharia de Petróleo e Gás Natural;
  • Geofísica e Geologia do Petróleo e Gás Natural;
  • Fenômenos de Transporte Aplicados à Engenharia de Petróleo e Gás Natural;
  • Engenharia de Reservatório I e II;
  • Engenharia de Poço I e II;
  • Engenharia de Produção I e II;
  • Engenharia de Gás Natural I e II;
  • Gestão de SMS;
  • Análise Empresarial de Projetos de Investimento;
  • Metodologia de Pesquisa Científica.

Depois do contato com os conteúdos abordados, para concluir a pós-graduação o aluno deve desenvolver um Trabalho Final de Curso.

Qual o cenário do mercado de trabalho para essa área?

Os profissionais da área de Engenharia de Petróleo e Gás Natural contam com altas taxas de empregabilidade. As oportunidades de trabalho são encontradas tanto no setor público quanto em organizações de iniciativa privada, em empresas petrolíferas, refinarias e indústrias petroquímicas.

O mercado é aquecido, considerando que o Brasil tem o petróleo como um dos pontos fortes da economia nacional. Apesar da demanda crescente, ainda há poucos profissionais com especialização na área, o que coloca os pós-graduados em um patamar elevado de qualificação.

A exploração de petróleo em toda a costa brasileira e as atividades voltadas aos reservatórios de pré-sal colocam o engenheiro desse ramo em uma posição bastante requisitada, sobretudo na região sudeste. Além do setor petrolífero, o profissional também pode atuar no desenvolvimento de biocombustíveis, com foco em soluções que garantam sustentabilidade.

No mercado nacional, o pós-graduado em Engenharia de Petróleo e Gás Natural já encontra boas oportunidades, e com remuneração atraente. Mas também é possível pensar nas chances de carreira internacional, visto que empresas multinacionais do ramo petroquímico estão sempre à procura de profissionais com alta qualificação.

Quais são as possibilidades de atuação?               

O engenheiro de petróleo pode atuar em várias etapas das atividades desenvolvidas por empresas do ramo: desde a descoberta e exploração de novos poços e jazidas de petróleo e gás até a comercialização e o transporte dos produtos.

Conheça as principais áreas de atuação para o pós-graduado em Engenharia de Petróleo e Gás Natural!

Procura de reservatórios

Uma das possibilidades para o engenheiro de petróleo inclui o planejamento para fazer a descoberta de novos reservatórios de gás natural e jazidas de petróleo. Para isso, o profissional avalia as características físicas dos locais a serem explorados e os recursos disponíveis.

Exploração de petróleo

O engenheiro que atua diretamente na exploração de petróleo e gás deve ter sólido conhecimento técnico para definir como a perfuração pode ser feita — sem oferecer riscos ao ambiente e prejuízos financeiros à empresa.

Consultoria

O pós-graduado ainda pode trabalhar sem vínculos empregatícios e atuar como consultor especialista, prestando serviços para empresas ambientais e do ramo petrolífero. As consultorias são feitas para avaliar os riscos das atividades de exploração dos recursos naturais, além de outras questões pertinentes à função.

Desenvolvimento de equipamentos

Desenvolver e supervisionar a produção de novos equipamentos também é uma das atividades possíveis para o engenheiro de petróleo e gás. As máquinas e instrumentos projetados são utilizados em indústrias petroquímicas, refinarias e plataformas marítimas.

Comercialização, transporte e distribuição

Outra boa opção de carreira para quem segue os estudos na área da Engenharia de Petróleo e Gás Natural é o mercado comercial e logístico. Seguindo por esse ramo, o engenheiro pode atuar na comercialização e distribuição dos materiais e equipamentos, assim como focar no setor de exportação e importação.

Por que cursar a pós em Engenharia de Petróleo e Gás Natural na UCL?

Dedicar tempo e investimento capital ao aprimoramento profissional é uma decisão inteligente para quem quer melhores oportunidades de carreira. Entretanto, para adquirir um aprendizado sólido e que possa ser convertido em desempenho prático diferenciado, é fundamental contar com uma instituição de renome e qualidade.

A UCL se preocupa em transmitir um ensino de excelência, com potencial para transformar a vida profissional dos alunos. Conheça os benefícios e diferenciais do curso de pós-graduação em Engenharia de Petróleo e Gás Natural da UCL:

  • abordagem técnica e com foco na prática das operações de perfuração e produção de petróleo e gás;
  • corpo docente altamente qualificado, com professores experientes e especializados na área;
  • curso consolidado, que já formou várias turmas e que permite o intercâmbio com casos reais de profissionais que conquistaram uma carreira de destaque;
  • aprendizado teórico consistente, aliado ao instrumental prático que reforça o conhecimento acerca dos serviços das indústrias petrolíferas.

Então, não restam mais dúvidas. Para impulsionar sua carreira como engenheiro, vale muito a pena investir em uma pós-graduação em Engenharia de Petróleo e Gás Natural. Com amplas possibilidades de atuação e mercado aquecido, seja você um especialista para se destacar nesse cenário!

Preparado para uma guinada na vida profissional? Conheça o curso de Engenharia de Petróleo e Gás Natural da UCL e atualize suas definições de carreira!

O futuro da Engenharia será desafiador. Saiba como se preparar!

Sabemos que os engenheiros encontram um mercado de trabalho bastante aquecido, apesar dos momentos de crise. Afinal, são responsáveis por projetos que fazem indústrias e empresas funcionarem, movimentando a economia.

Contudo, é preciso considerar que, assim como em outras áreas, o profissional enfrenta desafios e deve estar preparado para encarar o futuro da Engenharia se quiser crescer na carreira. Estamos falando das mudanças que a tecnologia propicia nos modos de produção e na sociedade, dos aspectos relacionados à sustentabilidade ambiental, das tendências no segmento, entre outros fatores.

Ficou interessado em conhecer mais sobre os próximos passos da Engenharia? Então não perca nosso post e descubra quais habilidades você precisa desenvolver e os cursos com maiores oportunidades de crescimento. Boa leitura!

O impacto das novas tecnologias na área da Engenharia

Quem quer acompanhar o futuro da Engenharia precisa ficar de olho nas tendências, especialmente em relação às transformações tecnológicas nessa área. Vivemos em uma era digital, um novo paradigma para os engenheiros, que estão diante de novos modelos de negócio e de formas de produção, principalmente com os avanços da robótica e da inteligência artificial. 

Indústria 4.0

Se você quer entender melhor o que vem por aí, memorize este conceito: Indústria 4.0. Também conhecida como quarta revolução industrial, ela já é uma realidade em países desenvolvidos e está chegando ao Brasil.

E o que a Engenharia tem a ver com isso? Tudo! As empresas estão se adaptando a essa nova fase, automatizando cada vez mais seus processos por meio de dispositivos inteligentes. Afinal, a competitividade é alta, inclusive pelo avanço de empresas globais, e ninguém quer ficar para trás. Então não é de se estranhar que, para fazer essa transformação digital, a demanda por engenheiros de diferentes segmentos será cada vez maior.

Mas você pode pensar que não é de hoje que as indústrias utilizam robôs, é só lembrar a linha de produção da indústria automobilística. É que, quando falamos de Indústria 4.0, estamos associando a robótica a funcionalidades diferenciadas, à interpretação de um alto volume de dados e à conectividade de toda a cadeia de produção por redes inteligentes.

Além disso, é preciso ter qualidade nos produtos e serviços aliada à redução de custos, outro aspecto em que a tecnologia vem para garantir rapidez e eficiência nas etapas de trabalho.

Preocupação ambiental

No entanto, não dá para ter um avanço tecnológico desenfreado sem se preocupar com sustentabilidade ambiental e eficiência energética, questões que, para serem gerenciadas, também exigem engenheiros altamente capacitados.

As empresas precisam, além de seguir a legislação, comprometer-se com sua responsabilidade social, investindo em uma produção sustentável para se destacar no mercado e conquistar novos consumidores.

Novas perspectivas de trabalho

Todas essas mudanças abrem novas perspectivas para a Engenharia, seja para a criação de startups que venham inovar processos, seja em companhias já existentes, mas que buscam profissionais que tiveram uma boa formação e que se mantenham atualizados.

O que é esperado do profissional

Uma dúvida muito comum de quem quer se preparar para o futuro da Engenharia é saber quais competências devem ser desenvolvidas para ser reconhecido profissionalmente.

Em primeiro lugar, é preciso escolher uma instituição de ensino reconhecida para adquirir os conhecimentos científicos e técnicos na área. Ficar antenado a cursos que abordem as tendências e participar de eventos também vai fazer a diferença na sua carreira.

Outro ponto é se informar, aprender sobre as novas tecnologias e dominar um segundo e até terceiro idioma. Dessa forma, você consegue entrar com facilidade em multinacionais e até se candidatar a um emprego no exterior.

Soft skills

O que muitos profissionais desconhecem é que não são somente as hard skills (habilidades que descrevemos acima) que são importantes para o mercado de trabalho. É essencial desenvolver também as soft skills, competências relacionadas ao comportamento e à postura no ambiente corporativo. 

Por exemplo: não adianta o engenheiro ter feito uma boa graduação, ter experiência profissional, falar inglês e conhecer as inovações de sua área se ele tiver dificuldades no relacionamento interpessoal dentro da empresa. 

Confira a seguir as principais soft skills, habilidades do profissional do futuro.

Inteligência emocional

Esse é um termo que tem se tornado bastante popular, visto que é uma característica valorizada pelas empresas. Estamos falando da capacidade de entender as próprias emoções (e ter um controle sobre elas) e as do próximo.

Imagine uma situação em que seu superior chega até você e dá um feedback negativo a respeito de um projeto. O que você faria? Caso não tenha equilíbrio emocional, pode se descontrolar e falar o que não deve, colocando seu emprego em risco. No entanto, se souber como controlar seus impulsos, pode tentar entender o erro e melhorar em um próximo projeto.

Assim, você passa a ver os problemas de maneira mais positiva e também consegue “respirar fundo” antes de dar uma resposta atravessada, que pode pôr em risco sua carreira.

Pessoas que utilizam a inteligência emocional mantêm bons relacionamentos interpessoais no ambiente corporativo, o que facilita o trabalho em equipe e a troca de ideias.

Flexibilidade

A flexibilidade é, talvez, uma das soft skills mais importantes para o profissional do futuro. É necessário entender que, ao contrário de antigamente, em que a pessoa começava e terminava a vida profissional na mesma função, hoje é necessário sair da zona de conforto e enfrentar desafios.

O que queremos dizer é que o profissional deve estar preparado para atuar em novos projetos, trabalhar com novas tecnologias, assumir áreas diferentes e até estar disposto a trabalhar com colegas de gerações diferentes — o que pode propiciar uma rica troca de experiência.

Boa comunicação

Não dá para ter um desenvolvimento de carreira sem uma comunicação eficiente. O profissional deve saber como expressar suas ideias e opiniões com clareza e ter capacidade de saber ouvir o próximo.

Isso é importante em reuniões, bate-papos com colegas, no momento de redigir um e-mail para seu superior sobre um assunto importante e até para fazer networking.

Empatia

Saiba se colocar no lugar do próximo — pode parecer estranha a recomendação de ter empatia no local de trabalho, porém saiba que ela vai fazer a diferença na sua conduta profissional. Isso porque é necessário cultivar uma relação de respeito com os colegas da empresa para, dessa maneira, ter harmonia no ambiente organizacional, o que certamente vai melhorar o trabalho em equipe e a produtividade.

Proatividade

Ser proativo é, em linhas gerais, uma competência do profissional antenado com o futuro. Trata-se da capacidade de antever cenários, buscando soluções antes que os problemas venham a tomar grandes proporções.

A proatividade é essencial também para que o engenheiro consiga enxergar oportunidades que podem ser decisivas para sua ascensão profissional. 

Criatividade

As empresas querem crescer e, para isso, precisam desenvolver produtos e serviços inovadores ou ainda aperfeiçoar seu sistema de produção com novas tecnologias. Nesse sentido, vão valorizar os engenheiros mais qualificados e que também sejam criativos, apresentando soluções diferenciadas para o negócio.

Os cursos com maiores oportunidades de crescimento

Se você busca uma profissão com alta empregabilidade, precisa entender como funcionam os cursos de Engenharia. São graduações da modalidade bacharelado, com duração de 5 anos, e que apresentam um conteúdo bem variado e atualizado, mesclando disciplinas teóricas e práticas, com muitas aulas em laboratório.

São formações que exigem do aluno, além do cumprimento da grade curricular, o estágio supervisionado e o desenvolvimento do trabalho de conclusão de curso (TCC).

Quer conhecer as opções para ter uma carreira de destaque na Engenharia? Acompanhe a seguir os cursos que estão em alta.

Engenharia Civil

Apesar de ser um ramo bem tradicional, a Engenharia Civil também oferece boas perspectivas ao profissional que quer se preparar para o futuro. É que as tecnologias também chegaram aos projetos e canteiros de obra, otimizando a gestão do cronograma, de materiais e da produtividade das construções.

As inovações estão presentes ainda nas questões de segurança dos empreendimentos e no controle de qualidade, atividades importantes para o bom andamento das obras. Há softwares, inclusive, que otimizam desde o estudo de viabilidade até a pós-entrega.

Se você quer criar, planejar, gerenciar e fazer a manutenção de obras residenciais, prediais ou ainda de rodovias, hidrovias, pontes e aeroportos, pode apostar nessa carreira. Os profissionais que acompanham as novidades, que aprendem a lidar com as ferramentas tecnológicas e se valem da criatividade em seus projetos vão construir uma carreira de sucesso nessa área.

Engenharia da Computação

A Engenharia da Computação é uma área estritamente ligada às tendências tecnológicas, visto que o profissional está apto para atuar com sistemas, software e hardware. Assim, encontra espaço em empresas de todos os tamanhos e setores, ou seja, é um mercado aquecido e só tende a aumentar com a transformação digital.

As atribuições do engenheiro de computação são variadas e incluem a criação e gerenciamento de projetos de redes de computadores, a área de automação industrial e até o desenvolvimento de sistemas digitais, robôs e aplicativos.

Engenharia de Controle e Automação

Quando se fala nos desafios da engenharia com as novas tecnologias, o engenheiro de controle e automação assume um papel especial. Como ele atua no desenvolvimento e gerenciamento de projetos de automação industrial, é bastante requisitado por companhias que buscam se adaptar à Indústria 4.0.

A graduação em Engenharia de Controle e Automação, também chamada de Mecatrônica, prepara o profissional para o desenvolvimento e o gerenciamento de máquinas e equipamentos que participam das etapas automatizadas do setor industrial. Assim, esse profissional está apto a trabalhar com sistemas de controle, robótica e adaptação de softwares para otimizar os processos produtivos, melhorando a segurança e a qualidade e reduzindo os custos.

Além de trabalhar na indústria, ele encontra oportunidades na área da saúde, com equipamentos hospitalares, automação residencial e, ainda, na área de desenvolvimento de softwares.

Engenharia de Produção

As empresas que estão se preparando para o futuro de modo a inovar e superar a concorrência buscam profissionais da Engenharia de Produção. É que essa área se volta para projetos com o objetivo de aumentar a produtividade e a qualidade de serviços e produtos e de reduzir custos.

O profissional assume, dessa maneira, um papel estratégico, já que ele tem o conhecimento para lidar com a gestão de equipes, finanças, projetos e materiais — sem contar que pode assumir ainda cargos na área de logística. Ele tem, portanto, uma visão sistêmica do negócio, o que permite atuar em várias frentes e propor melhorias para o processo produtivo.

Engenharia Biomédica

Os grandes avanços da Medicina se devem ao desenvolvimento tecnológico de sistemas e de equipamentos que permitem diagnósticos mais precisos, tratamentos cada vez mais eficazes e menos invasivos e ferramentas voltadas para os cuidados preventivos. No entanto, como a área da saúde pode ter alguma relação com a Engenharia? São segmentos que estão interligados na Engenharia Biomédica, um ramo novo e bastante promissor.

Quem escolhe essa área pode atuar em desenvolvimento, gerenciamento e manutenção (preventiva e corretiva) de equipamentos médicos, biomédicos e odontológicos. Pode trabalhar ainda com a criação de softwares voltados para esses aparelhos.

Dessa maneira, o engenheiro biomédico pode atuar em hospitais, clínicas médicas, centros de saúde, laboratórios farmacêuticos e de análises clínicas, bem como em empresas especializadas em manutenção hospitalar. No setor industrial, o profissional pode trabalhar no projeto e desenvolvimento de soluções e de equipamentos para a área da saúde. 

Engenharia de Petróleo

O petróleo é um produto central na economia, dessa forma é uma área em alta quando se trata da Engenharia do futuro.

O profissional desse segmento atua nos processos de exploração e produção de petróleo e gás. Desse modo, sabe lidar com:

  • novas tecnologias do setor;
  • exploração de derivados de petróleo;
  • gerenciamento de sua comercialização e transporte;
  • avaliação dos riscos ambientais das etapas de produção.

O engenheiro encontra espaço em refinarias, petrolíferas, indústrias petroquímicas e pode ainda atuar como consultor ambiental nesse segmento.

Engenharia Química

A Engenharia Química é uma área ampla e que tende a crescer ainda mais. É responsável pelos processos de extração e transformação de matérias-primas em produtos, como cosméticos, combustíveis, tintas, tecidos, alimentos, entre outros segmentos.

É um engenheiro que participa ativamente dos processos produtivos e suas tecnologias, garantindo sua otimização e controle de qualidade. O profissional ganhou ainda mais destaque porque pode atuar para que a indústria produza sem agredir o meio ambiente. Desse modo, estão entre suas atribuições:

  • elaboração de requisitos técnicos para manipulação e descarte correto de produtos químicos;
  • medidas de controle de poluição;
  • tratamento de resíduos industriais.

As principais tendências para o futuro da Engenharia

Se você quer se formar como engenheiro e busca se preparar para o futuro, precisa ficar por dentro das principais tendências da área. Veja a seguir.

Questões ambientais

Não há como negar que o desenvolvimento trouxe junto a degradação dos recursos naturais. Mas será que precisa ser assim, com tantas tecnologias desenvolvidas? Esse é um assunto em alta na Engenharia, visto que a sustentabilidade ambiental é uma preocupação não só dos governos, mas também de empresas de diferentes setores.

Dessa maneira, terão destaque os engenheiros que se dedicarem às questões relacionadas ao meio ambiente, como:

  • desenvolvimento de equipamentos e processos que reduzam o uso da água;
  • criação de sistemas de controle de poluentes;
  • projetos relacionados a tratamentos de resíduos;
  • recuperação de áreas degradadas;
  • gestão de recursos hídricos;
  • legislação e licenças ambientais.

Eficiência energética

Seguindo ainda a pauta de sustentabilidade ambiental, uma tendência no futuro da Engenharia é pensar em ações estratégicas para otimização do uso da energia. Nesse contexto, ganham destaque os engenheiros que desenvolvem processos, sistemas e tecnologias que reduzem o consumo energético ou que passam a utilizar fontes alternativas de energias, como a solar e a eólica.

Para as empresas, há interesse na contratação de profissionais qualificados nessa questão, pois significa redução de custos, além de uma produção ecologicamente correta.

Aquecimento da construção civil

A construção civil, que sentiu as oscilações na economia nos últimos anos, teve uma retomada no Brasil. Com o aquecimento do setor, houve aumento a contratação de pessoal qualificado, como os engenheiros.

Segundo uma pesquisa da Michael Page, a procura por determinados profissionais da área teve um crescimento de 300% de janeiro a setembro de 2019. Assim, vagas como gerente de novos negócios, gerente de vendas e outras voltadas para o gerenciamento de obras estão movimentando as contratações no setor.

Produção automatizada e inteligente

Com a transformação digital, cada vez mais as empresas terão que contar com uma produção mais automatizada e inteligente. É o avanço da robótica, que vai permitir um controle autônomo das etapas da cadeia produtiva por meio de sistemas que conseguem identificar falhas, possibilitando fazer adaptações e manutenções quando necessário.

Estamos falando da expansão da inteligência artificial, na qual máquinas podem aprender funções humanas. É, portanto, uma área com boas oportunidades para os engenheiros, que vão desenvolver e gerenciar esse tipo de processo para trazer mais eficiência na produtividade.

Tecnologia na área da saúde

Os engenheiros podem fazer carreira também buscando qualificação em tecnologias na área da saúde. É um mercado com boas possibilidades e que busca se expandir com o desenvolvimento de soluções em equipamentos e sistemas voltados para o diagnóstico, prevenção e tratamento na Medicina e na Odontologia.

Multidisciplinaridade

É importante ainda ter em mente que o futuro da Engenharia será marcado pela multidisciplinaridade. Dessa maneira, não é por que o profissional é da área civil, por exemplo, que não pode empreender, gerenciar pessoas e até mesmo se envolver em questões relativas ao meio ambiente.

Então, quem busca crescer deve ter uma visão mais aberta sobre os diferentes processos que envolvem sua atuação para buscar cursos de capacitação que possam complementar a formação e valorizar seu currículo. Por isso, mesmo depois de graduado, fique de olho em cursos de especialização e MBA para dar um salto na sua carreira.

Como escolher o curso que mais combina com você

Falamos sobre as boas perspectivas na Engenharia e sobre os cursos que estão em alta para quem almeja uma carreira de sucesso. No entanto, não basta apenas ter afinidade com essa área, é necessário saber como escolher a graduação que mais combina com seu perfil e que atenda às suas expectativas profissionais.

Reflita sobre o nicho com o qual você gostaria de atuar

Em geral, nas Engenharias, você vai trabalhar com cálculo e raciocínio lógico. Entretanto, cada área tem um direcionamento diferente. Dessa maneira, é necessário refletir sobre seus objetivos profissionais, o local que gostaria de atuar e quais funções têm mais a ver com você.

Em muitos cursos, por exemplo, existe ainda a possibilidade de empreender, ou seja, de criar e gerenciar um negócio próprio. Se você tem espírito de liderança, pode apostar nesse direcionamento para sua carreira.

Pesquise sobre a grade curricular do curso

Pode ser difícil entender como é o trabalho de cada área dentro da Engenharia. Uma dica é pesquisar a grade curricular dos cursos de seu interesse nos sites das próprias faculdades. Como o conteúdo traz muitas disciplinas práticas, fica fácil saber o que você vai encontrar na rotina profissional.

Converse com os profissionais que já atuam no segmento

Falando em rotina profissional, um bom jeito de descobrir como é a de cada curso é conversando com quem já atua na área. Tire suas dúvidas com esses engenheiros e descubra sobre os principais desafios e perspectivas de carreira.

Busque orientação em uma instituição de ensino de referência

Por último, não deixe de entrar em contato ou de visitar instituições de ensino superior de referência em cursos de Engenharia, como a UCL. É uma maneira de conhecer cada graduação e conversar com professores e coordenadores.

Na UCL, por exemplo, você vai descobrir uma infraestrutura completa para uma formação de qualidade. A instituição conta com laboratórios equipados, tecnologias na área e tem o diferencial de oferecer uma matriz curricular que acompanha as novidades do mercado.

Mesmo diante de tantos desafios, saiba que o futuro da Engenharia oferece boas oportunidades para profissionais que fazem a graduação em uma instituição de ensino de qualidade, acompanham as tendências e estão sempre em busca de novos aprendizados.

E aí? Ficou interessado em saber mais detalhes sobre os cursos de Engenharia? Conheça todas as opções da UCL e comece a construir sua carreira!

Saiba como as técnicas de leitura podem ajudá-lo nos estudos

Todo acadêmico ou profissional no mercado de trabalho precisa ler bastante para se atualizar com as melhores práticas da sua área. Desse modo, você ganha mais autoridade com seus empregadores e clientes. Portanto, quanto mais textos absorve, melhor. Para melhorar sua agilidade e seu aproveitamento, há algumas técnicas de leitura que podem ajudar bastante.

Neste post, separamos as estratégias mais relevantes nesse sentido. Assim, você poderá adequar cada uma delas de acordo com cada situação e se destacar dos seus colegas. Quer saber mais? Acompanhe!

Como as técnicas de leitura podem ajudá-lo?

Há dezenas de técnicas de leituras diferentes, porém nem todas elas são efetivas para a sua rotina de estudos. A seguir, separamos as mais reconhecidas por estudiosos no assunto. Confira!

Skimming

O skimming consiste em fazer uma leitura rápida de um texto sem se ater aos detalhes. É literalmente só escanear o texto com os olhos com a finalidade de verificar os assuntos mais frequentes e se familiarizar com a estrutura do texto.

Geralmente, os autores deixam muito claros os temas centrais, então uma lida rápida ajuda a aprender alguns pontos mais gerais e importantes. Em alguns casos, para melhorar a fixação desse conhecimento inicial, alguns leitores fazem um pequeno resumo ou guia de leitura após o skimming.

Assim, após utilizar essa técnica, ficará muito mais fácil ler um determinado texto. Isso é especialmente útil para livros acadêmicos com uma densidade de informação muito grande. Em alguns casos, muitos detalhes não serão realmente importantes para você, pois a escrita pode ser muito prolixa. Então, é sempre bom já ir preparado para absorver somente os dados centrais.

Scanning

Frequentemente, lemos determinado texto com a finalidade de encontrar uma informação muito específica. Desse modo, geralmente não lemos grande parte do conteúdo com muita atenção a acharmos. A isso, damos o nome de scanning — que é traduzido como escanear em português.

Essa é uma ótima estratégia, por exemplo, quando vamos estudar para algum teste com assuntos determinados previamente. Da mesma forma, é importante para quando vamos fazer alguma tarefa com perguntas específicas. Assim, procuramos no texto somente aqueles dados que contribuirão para a resposta.

O scanning também pode ser uma estratégia para fazer bons resumos de um texto. O leitor pode escanear um conteúdo e fazer uma síntese daqueles trechos mais importantes, o que facilita para uma revisão futura. 

Leitura ativa

A leitura ativa tem como objetivo trazer uma compreensão mais profunda de um determinado texto. Nesse caso, o leitor terá uma participação ativa durante a leitura em vez de simplesmente absorver o conteúdo de forma passiva.

Para isso, podem ser adotadas várias estratégias, como:

  • questionar-se constantemente o porquê de determinada informação apresentada;

  • pensar em aplicações práticas dos conceitos explicados;

  • tomar notas dos pontos mais importantes;

  • pensar em formas de como explicaria o conteúdo para um colega;

  • fazer imagens mentais dos assuntos etc.

Portanto, essa técnica deve ser utilizada sempre que você precisar ter um conhecimento profundo e duradouro de determinada temática. Além disso, ela estimula a criatividade e o senso crítico.

Leitura detalhada

O foco dessa técnica é extrair informações precisas de um texto, ou seja, precisamos dominar os conceitos com maestria, sem nenhum erro de interpretação. Para isso, a maioria das pessoas busca ler palavra por palavra, mas essa não é a estratégia mais eficiente.

Na leitura detalhada, o primeiro passo é fazer um skimming de todo o texto para ter uma ideia geral. Depois disso, será a hora de ler em detalhes parando para reler frases com compreensão difícil, reler conceitos importantes, fazer anotações, consultar dicionários, entre outras práticas. 

Leitura dinâmica

Essa é uma estratégia frequentemente citada por especialistas em leitura, pois ajuda a aumentar a quantidade de palavras que uma pessoa consegue ler por segundo sem comprometer o entendimento do texto.

Portanto, é necessário bastante treinamento cujo objetivo final é reduzir a vocalização mental durante a leitura. Para isso, pode-se utilizar as seguintes técnicas com grau de dificuldade crescente:

  • identificação de palavras sem focar nos sons de cada sílabas;

  • não fazer a representação vocal de algumas palavras de uma frase;

  • deixar de subvocalizar algumas frases;

  • gastar menos tempo com algumas frases do que outras;

  • evitar a vocalização de pequenos parágrafos;

  • não vocalizar grande parte de uma página.

Estrutura-Proposição-Avaliação

Essa é uma técnica criada pelo autor de “Como ler um livro”, Mortimer Adler. A ideia é compreender a estrutura lógica utilizada em cada texto rapidamente e, assim, evitar a idas e vindas em um parágrafo. Para isso, deve-se seguir três etapas:

  • estudar a estrutura do texto;

  • analisar as proposições lógicas feitas e a organização das cadeias de inferência;

  • avaliar os méritos dos argumentos propostos e conclusões que daí derivam.

Desse modo, é possível também obter uma memorização mais permanente do assunto, pois você terá se envolvido com o texto de fato. Ou seja, método muito útil para estudar um tema de grande relevância.

Pesquisa-Pergunta-Leitura-Recitação-Revisão

Por fim, temos uma técnica cujo objetivo é uma leitura estruturada de todo e qualquer texto importante para sua vida acadêmica. Assim, pode-se ter uma compreensão mais clara dele e uma memorização mais profunda. 

Para isso, devem-se seguir cinco etapas consecutivas:

  • pesquisa — buscar informações, como resumos ou introduções, antes de iniciar a leitura do texto;

  • pergunta — antes mesmo de iniciar a leitura, elaborar perguntas sobre o assunto para fazer uma leitura mais dirigida do texto, isso evita apenas interpretar passivamente o significado das palavras;

  • leitura — é o ato propriamente dito, guiado pelas perguntas da fase de pesquisa;

  • recitar — o leitor deve responder às próprias perguntas mentalmente por meio de palavras-chave;

  • revisão — devem-se repassar os principais pontos mentalmente.

Como elas funcionam na prática?

Para ter sucesso com as técnicas de leitura, o primeiro passo é escolher aquela que mais se adéqua aos seus objetivos no momento e ao seu perfil. Além disso, é essencial ter persistência, pois todas elas exigem treinamento. Desse modo, não será nas primeiras semanas que você conseguirá dominá-las. Além disso, é importante seguir as dicas que explicamos a seguir.

Leia em um lugar silencioso

A leitura exige muita concentração, pois é uma habilidade cognitiva muito complexa. O excesso de estímulos sonoros vai desviar a atenção da sua mente para o ambiente, procurando a origem dos sons e interpretando potenciais ameaças. Por conseguinte, é essencial procurar um lugar silencioso, sem muitas interrupções, característica de uma boa organização pessoal na hora dos estudos.

Não insista quando estiver cansado

Outro erro muito comum é insistir na leitura quando estamos muito cansados. Afinal, nessa situação, nosso cérebro está fisiologicamente esgotado e não tem a capacidade de absorver muitas informações. Desse modo, se você insistir, é muito provável que você não aprenda muito e ainda crie uma aversão pela leitura, o que pode comprometer seu rendimento no futuro. 

Com essas técnicas de leitura, você terá destaque tanto no ambiente acadêmico quanto profissional. Afinal, uma carga teórica sólida é essencial para o reconhecimento no mercado e nas universidades.

Quer continuar recebendo as melhores dicas para se destacar nos estudos e na vida profissional? Então, siga as nossas páginas no Facebook, Twitter, Youtube e Instagram!