Ainda não sabe se deve estudar à noite? Confira 7 vantagens!

Uma dúvida que vive rondando a cabeça de algumas pessoas é: estudar à noite é ou não uma boa opção? Na verdade, não há uma escolha certa ou errada, pois isso depende muito das preferências e das necessidades de cada um.

O certo é que uma decisão importante como essa deve ser tomada com muito cuidado e consciência, afinal, nosso tempo é um bem valioso e precisamos pensar bastante, antes de decidir como utilizá-lo.

O ideal é cercar-se de informação, para encontrar a melhor alternativa. Você já pensou sobre isso? Continue acompanhando o post para conhecer as vantagens de fazer um curso noturno!

1. A concorrência é menor em alguns cursos

Um dos fatos que você deve perceber, ao começar a pesquisar cursos do seu interesse, é que muitas opções noturnas apresentam uma concorrência menor. Isso não é uma regra, mas grande parte dos alunos que saiu do Ensino Médio procura vagas no turno diurno.

É até comum, inclusive, que as turmas da noite sejam formadas por pessoas um pouco mais velhas, que provavelmente já trabalham e levaram um tempo até entrar na faculdade.

Sendo assim, o processo seletivo tende a ser um pouco mais tranquilo, pois há menos estudantes lutando pela mesma oportunidade que você. Vale ressaltar que isso não quer dizer que estudar à noite é mais fácil, já que o nível de dificuldade do curso não muda de acordo com a procura.

2. É mais fácil encontrar um estágio

Outra vantagem de deixar os estudos para a parte da noite é ficar com o dia todo livre para trabalhar. Aliás, este pode ser considerado um problema para quem faz cursos diurnos: muitas vezes, é complicado conciliar os horários do trabalho e da faculdade.

Muitas empresas ainda buscam colaboradores para cumprir suas atividades no horário comercial. Logo, quem tem o compromisso de estudar apenas à noite consegue atender a essa demanda, sem grandes prejuízos para a vida acadêmica.

No caso dos estágios, normalmente os contratos são de meio período. Contudo, há também muitas pessoas que trabalham em tempo integral e não poderiam estudar em outro horário.Estudar à noite é, portanto, uma facilidade para quem deseja trabalhar e já começar a construir uma carreira.

3. Seus colegas provavelmente já estão no mercado

Todas as fases e situações da vida oferecem pontos positivos e negativos, não é verdade? Ter uma rotina universitária agitada, cheia de amigos da mesma idade e festas pode ser algo muito legal. Só que não é a realidade de todos.

Uma tendência perceptível nas turmas da noite é de um perfil de alunos que já trabalha e está mais preocupado com a sua trajetória profissional. Por conhecer melhor os desafios do mercado de trabalho, esse grupo busca desenvolver as suas capacidades para crescer — e, possivelmente, não tem tanto tempo para outras coisas.

Além do mais, muitos já estão construindo suas famílias. Tudo isso acaba elevando um pouco o nível de maturidade da turma. Ainda que existam alunos muito jovens, a probabilidade de um estudante noturno já estar mais encaminhado profissionalmente é grande.

A maior vantagem nesse contexto é fortalecer o seu networking. Então, vale a pena dedicar-se a conhecer os colegas, trocar experiências e firmar contatos que podem ser interessantes para o seu desenvolvimento. Os próprios professores devem aproveitar a chance de promover essa troca e enriquecer as aulas.

5. A rotina noturna é mais sossegada

Durante o dia, tudo está aberto e em constante movimento. Os carros se aglomeram e formam filas de trânsito intermináveis, as ruas estão agitadas e barulhentas, enfim, parece que um modo mais “estressante” fica instaurado. Especialmente em cidades maiores, isso costuma ser bem nítido.

Diante disso, estudar à noite pode ser uma alternativa mais tranquila. Os ambientes ficam mais calmos e até o tempo de deslocamento para a faculdade deve ser menor, pois a hora do rush já passou. Para quem prefere a calmaria, esse é certamente um aspecto favorável.

6. Não é preciso acordar tão cedo

Esse é um benefício atrativo para quem gosta de dormir um pouco mais. Aquele compromisso de acordar muito cedo para ir para a escola — que praticamente todo mundo vive desde criança — talvez encontre uma trégua agora.

É claro que o trabalho pode exigir esse tipo de obrigação, mas a flexibilidade de horários também é uma tendência no mercado. Milhares de empresas estão adotando ou já adotaram a ideia de maior liberdade nas jornadas de trabalho — o próprio regime de home office é outro exemplo disso.

Sem contar que muitas pessoas não funcionam tão bem de manhã e encontram dificuldades para levantar com a mente já disposta para os estudos. Identificar essa característica de produtividade é até um fator importante para ajudar na decisão de qual o melhor turno para estudar.

7. Seus dias ficam livres

Deixar a vida acadêmica para o período noturno faz com que os seus dias fiquem mais livres para outras atividades. Quem trabalha de manhã e estuda à noite consegue ter a tarde inteira para encaixar outros compromissos, por exemplo.

Ter os dias ocupados e as noites desocupadas nem sempre é uma vantagem, principalmente porque muitos estabelecimentos não funcionam nesse horário. Para resolver um problema no banco é preciso encontrar a sua agência aberta. Médicos, dentistas e outros profissionais também não trabalham até tarde.Estudar à noite deixa o dia livre para cumprir outras obrigações do dia a dia.

Você vai perceber que ter disponibilidade no horário comercial aumenta as suas possibilidades. É claro que o seu tempo livre deve ser aproveitado para estudar em casa, mas, com organização e disciplina, é possível conciliar várias outras tarefas.

Estudar à noite pode oferecer muitos benefícios para a vida do estudante. Ao mesmo tempo, é óbvio que existem as dificuldades que precisam ser vencidas. Ter uma rotina equilibrada é uma delas, pois a falta de sono prejudica não só a saúde como a capacidade de aprendizado.

O que achou da nossa lista de vantagens? Se você gostou do conteúdo, aproveite para compartilhar o post nas suas redes sociais e informar seus amigos! Quem sabe eles não estão precisando refletir sobre o assunto?

Quer trabalhar com tecnologia? Veja as possibilidades!

A transformação digital já é uma realidade para muitas empresas no Brasil. Os negócios que ainda não se adaptaram a essa mudança certamente estão ameaçados. Dessa forma, trabalhar com tecnologia é o caminho certo para quem busca crescer na carreira.

Por aqui, a indústria 4.0 também vai revolucionar o funcionamento das organizações, com a conectividade e dispositivos inteligentes ditando os modos de produção.

Se você gosta da área de inovação, saiba que há diferentes possibilidades de atuação e, o melhor, com boas perspectivas profissionais. Confira nosso post, entenda como anda o mercado da tecnologia e conheça os cursos de especialização para quem sonha com um futuro promissor!

Por que trabalhar com tecnologia é a melhor escolha?

Trabalhar com tecnologia é a melhor escolha por conta do crescimento desse mercado. Segundo uma pesquisa conduzida pela Neoway — consultoria especializada em big data analytics, foram abertas 13,9 mil empresas de tecnologia no Brasil em 2017.

Se você se impressionou com o número, saiba que o mesmo levantamento apontou que existem 195 mil empresas ativas na área de TI no país, sendo que 69,3% delas estão no Sudeste.

Para 2019, as previsões para esse mercado também são animadoras. Segundo a IDC Brasil, os investimentos em TIC (Tecnologia de Informação e Comunicação) terão um aumento de 4,9% no ano, sendo que o maior crescimento (10,5%) será da área de TI.

A IDC Brasil apontou, também, que a economia digital será responsável por mais de 50% do PIB da América Latina até 2022. Assim, cerca de US$ 380 bilhões serão revertidos em despesas com TI, de 2019 a 2022.

Quais as principais áreas de atuação para esse profissional?

Quem decide trabalhar com tecnologia tem muitos caminhos a seguir. Acompanhe abaixo as principais áreas de atuação.

Segurança da Informação

Os dados são o bem mais valioso de muitas empresas, pois envolvem toda a sua estratégia de negócio, projetos e informações de clientes. Ao mesmo tempo, não é raro surgirem notícias relacionadas a ataques de ransomware.

Isso torna a alta a demanda pelo profissional de Segurança da Informação, responsável por analisar os riscos relacionados ao gerenciamento de informações nos sistemas e na infraestrutura das empresas.

Além disso, é um profissional que terá ainda mais espaço com a Lei Geral de Proteção de Dados Pessoais, que passa a valer em agosto de 2020.

Big Data

Compras online, fotos e vídeos em redes sociais e mais uma avalanche de dados são gerados a todo o momento na internet. Contudo, administrar esse volume de dados é um desafio para muitas empresas.

Assim, o analista em Big Data torna-se um profissional-chave. Ele é o responsável por armazenar, traduzir, analisar e fazer o melhor uso dessas informações — que podem gerar bons negócios para as organizações.

Desenvolvimento web

Outra área que não para de crescer é a de desenvolvimento web. As empresas, de diferentes portes e setores, precisam de um profissional com conhecimentos atualizados na área, para desenvolver seu site e outras funcionalidades para o crescimento do negócio.

Ele deve pensar no design e no arranjo das informações, de modo a promover uma boa experiência para os clientes em qualquer dispositivo.

Marketing digital

Por fim, uma área que também está aquecida para quem busca atuar com tecnologia é a do marketing digital, que tem como objetivo alavancar negócios, destacando marcas, produtos e serviços na web.

O profissional pensa em estratégias com conteúdos e campanhas para posicionar a empresa entre os primeiros lugares dos motores de busca. Atua ainda no planejamento e no gerenciamento de toda a informação que circula nas redes sociais, inclusive no relacionamento com os usuários.

Quais as possibilidades de especialização em tecnologia?

Se você quer trabalhar com tecnologia e conseguir os cargos mais concorridos, terá que fazer uma pós-graduação. Quer algumas dicas de cursos? Veja a seguir.

Especialização em Banco de Dados

Curso voltado para profissionais das áreas de TI, Engenharia e outros segmentos que pretendem trabalhar na criação de projetos e administração em Banco de Dados.

É uma pós-graduação bem dinâmica, com atividades em sala e em laboratório, além de visitas técnicas. Entre as principais disciplinas estão:

  • Engenharia de Software;

  • Modelagem e Projeto de Banco de Dados;

  • Arquitetura e Infraestrutura de Banco de Dados;

  • Segurança em um Sistema de Banco de Dados;

  • Projeto – Integrando Sistema com Banco de Dados;

  • SQL – Básico e Avançado;

  • Implementação e Administração em MS SQL Server;

  • Administração em Oracle;

  • Backup e Restore;

  • Performance e Tunning em Oracle;

  • Banco de Dados No-SQL;

  • Banco de Dados em Cloud.

Especialização em Marketing Digital

No Brasil, faltam profissionais especializados em marketing digital. Por essa razão, esse curso pode abrir muitas portas no mercado de trabalho. Seu conteúdo programático foi formatado para formar gestores na área, ou seja, profissionais criativos e com uma visão estratégica em marketing digital.

Confira a seguir algumas das disciplinas do curso:

  • Comportamento do Consumidor e Design de Interação;

  • Planejamento de Mídia Digital;

  • E-commerce;

  • Gestão de Campanhas em Redes Sociais;

  • Gestão e Análise de Campanhas;

  • Máquinas de Busca;

  • Ferramentas de Marketing Digital;

  • Análise de Dados;

  • Inbound Marketing;

  • Mobile Marketing;

  • Design Interface de Usabilidade.

Especialização em Segurança da Informação

Quem quer conhecer processos, metodologias e técnicas mais atuais da Segurança da Informação deve fazer essa pós-graduação. O profissional também recebe conhecimento sobre normas, legislações e regulamentações dessa área.

Assim, torna-se apto a trabalhar com gestão de segurança, fazendo a análise de riscos e subsidiando a tomada de decisão das empresas na adoção das melhores estratégias em TI.

A matriz curricular dessa especialização inclui temas variados, como:

  • Política de Segurança da Informação;

  • Arquitetura e Protocolos de Redes de Computadores;

  • Análise de Redes TCP-IP;

  • Segurança em Infraestrutura de Rede Cabeadas e Redes sem Fios;

  • Serviços de Criptografia e Autenticação e Serviços de Certificação Digital e Infraestruturas de Chaves Públicas (PKI);

  • Segurança em Sistemas Operacionais Windows e Linux/Unix;

  • Segurança em Aplicações Web e em Banco de Dados;

  • Ferramentas de Segurança da Informação e Sistemas de Firewall / Proxy;

  • Aspectos Éticos e Jurídicos Relevantes em Segurança da Informação;

  • Sistemas de Análises de Vulnerabilidades e Tecnologias de Controle e Monitoramento;

  • Fundamentos de Auditoria de Sistemas de Informação e Regulamentações.

Quais os benefícios de fazer uma pós-graduação nessa área?

Fazer uma especialização vai trazer diversos benefícios para a carreira de quem pretende trabalhar com tecnologia, como:

  • vantagem competitiva — você demonstra estar atualizado e, assim, seu currículo será valorizado. Desse modo, pode concorrer às vagas mais disputadas e das melhores empresas do mercado;

  • aumento de salário — um levantamento da Catho Educação mostrou que fazer uma pós-graduação pode aumentar seu salário em até 118%;

  • possibilidade de promoção — quem pretende conseguir uma promoção, principalmente para cargos de gestão, precisa fazer essa qualificação para demonstrar conhecimentos e habilidades técnicas e, com isso, ter condições de assumir mais responsabilidades;

  • networking — criar uma rede de relacionamentos com colegas e professores pode render parcerias profissionais, troca de experiência e até indicações para vagas de emprego.

Se você quer trabalhar com tecnologia, fique atento às áreas com maior demanda. Além disso, procure uma especialização, para se manter atualizado e ficar por dentro de todo o conhecimento e habilidades técnicas de determinado segmento e, assim, conseguir as melhores oportunidades profissionais.

Se quiser acompanhar outros posts sobre carreira, é só assinar a nossa newsletter!

 

5 dicas de organização pessoal que vão ajudá-lo a atingir suas metas

Seja você acadêmico, recém-graduado ou profissional que já atua no mercado, uma dificuldade é comum a todos: os múltiplos compromissos para conciliar. Quem tem uma rotina corrida e mal-administrada pode até perder o foco em suas metas. Há, porém, um ingrediente que faz toda a diferença na receita para o equilíbrio das atividades e para o alcance de seus objetivos: a organização pessoal.

O bom é saber que, para ser bem-sucedido, ninguém precisa ser naturalmente organizado. Essa é uma habilidade que pode ser desenvolvida por meio de ações diárias. E é exatamente isso que vamos apresentar neste post. Continue a leitura e conheça 5 dicas de organização pessoal que vão impulsionar a realização de suas tarefas e o alcance de suas metas!

Por que se preocupar com organização pessoal?

Chegar ao fim do dia, colocar a cabeça no travesseiro e apreciar a sensação de dever cumprido por ter atingido todas as metas que estavam estabelecidas não é uma missão que todas as pessoas conseguem concluir com facilidade.

Com tantos compromissos diários, que superlotam a agenda e atribulam a rotina, é comum que alguma atividade fique pendente. O problema é que, se isso ocorrer com frequência, você correrá o risco de sofrer com o acúmulo de tarefas.

É por isso que se preocupar com a organização pessoal é uma medida necessária para melhorar a produtividade diária e respirar com alívio, sem o estresse de pensar no tanto de afazeres que ainda faltam.

Você pode até pensar que é difícil conciliar todos os compromissos — trabalho, estudos, família, vida social, autocuidado etc.Sem dúvidas, não se trata de uma missão muito fácil, mas a organização pode ajudar. Ser organizado, assim como qualquer outra habilidade, não é, necessariamente, um talento inato e pode ser desenvolvido com treino diário.

É bastante útil seguir por esse caminho, tanto na rotina profissional quanto em qualquer contexto e etapa da vida. Sabe por quê? A pessoa organizada vive mais tranquila, menos ansiosa e ainda encontra tempo livre para preencher com atividades prazerosas. Veja quantas vantagens a organização pessoal pode trazer para o seu dia a dia:

  • gestão inteligente do seu tempo;
  • melhor desempenho e maior número de tarefas realizadas;
  • menos tempo desperdiçado com atividades improdutivas;
  • menor preocupação com as pendências e, por consequência, menos estresse e ansiedade;
  • poucas chances de que algum imprevisto atrapalhe ainda mais a sua rotina;
  • nada de problemas acumulados;
  • tempo livre e melhora na qualidade de vida.

Olhando por esse lado, você percebe o quanto vale a pena se esforçar um pouquinho mais para ser uma pessoa organizada, não é mesmo? A próxima questão que vamos responder é sobre como colocar em prática a organização pessoal.

Como ser mais organizado no dia a dia?

Na teoria, parece muito eficaz. E, na prática, será que realmente funciona? O que fazer para ter mais organização e equilibrar os múltiplos compromissos? Para facilitar o gerenciamento das suas atividades, separamos 5 dicas que podem fazer toda a diferença no seu dia a dia. Olha só!

1. Aprenda a priorizar as tarefas

Por que pensar em uma escala de prioridades? Simples: temos a tendência de realizar primeiramente as atividades mais rápidas ou prazerosas e nem sempre consideramos o prazo final de cada uma delas.

Isso vale tanto para as tarefas diárias quanto para metas de vida. Somos motivados pelo prazer imediato e não pelos retornos em longo prazo. Por isso, é útil organizar os compromissos e/ou objetivos, seguindo uma hierarquia lógica. Nessa linha de classificação, você deve avaliar precisamente o que é urgente, o que é importante e o que pode ser adiado sem consequências prejudiciais.

Outra dica, nesse sentido, é focar em uma ação por vez. Estar no trabalho preocupado com as tarefas de casa pode prejudicar o seu rendimento. Da mesma forma, tentar resolver problemas profissionais nas horas de ficar em casa com a família é um mau aproveitamento desse precioso tempo.

2. Não se renda à procrastinação

Ah, como é bom procrastinar! Por mais que você conheça os efeitos negativos de deixar coisas importantes para fazer depois, há um leve deleite em adiar compromissos, concorda? Isso porque, com essa atitude, você ganha um pouco de tempo livre para satisfazer outras vontades e necessidades.

Ficou confuso? Vamos ao exemplo: você precisa fazer um relatório para entregar no dia seguinte, no trabalho. Chega em casa cansado, estressado, com sono e sem disposição alguma para pensar em assuntos profissionais. Qual ideia é mais atraente: terminar o tal relatório ou se jogar no sofá, em frente à TV, e deixar o restante para depois?

É preciso, entretanto, pensar nos efeitos do comportamento procrastinador, pois ele pode gerar um acúmulo de funções e resultar no “efeito bola de neve”. Organize-se, foque primeiramente nas atividades urgentes e só depois aproveite o tempo livre, sem preocupação ou peso na consciência.

Para não ceder à procrastinação, também é importante tomar cuidado com as distrações. As redes sociais, por exemplo, estão entre as principais razões para desviar a sua atenção do que realmente precisa ser feito.

Quem nunca interrompeu uma atividade para dar aquela olhadinha nos feeds de notícias ou checar as notificações, não é mesmo? O problema é que isso pode consumir muito mais tempo do que o necessário e prejudicar o seu planejamento.

3. Evite o multitasking

Já conhece esse conceito? O multitasking tem relação com o perfil daquelas pessoas que assumem vários compromissos ao mesmo tempo, também chamados de multitarefas. E isso é comum, já que o novo comportamento social gerou mentes sempre conectadas, que absorvem informações simultâneas constantemente.

É importante, no entanto, tomar cuidado com o alto fluxo de notícias que você assimila ao longo do dia e, principalmente, com o número de atividades que se dispõe a cumprir. Isso porque sua mente pode ficar sobrecarregada e resultar em déficits no rendimento. Afinal, agilidade e eficácia são coisas distintas e realizar múltiplas tarefas nem sempre significa fazê-las com qualidade.

4. Estabeleça metas e defina propósitos

Todos nós temos um caminho, uma direção a seguir. O que nos motiva é justamente saber que há algo pela frente. Somos guiados por objetivos — no dia a dia e na vida, de uma forma geral. Isso quer dizer que, ao estabelecer metas, você dá um novo significado às suas ações. Os compromissos deixam de ser encarados com o peso da obrigação e passam a ser vistos como propósitos para agir.

Então, não apenas estipule as tarefas que precisam ser cumpridas, mas pense no porquê de cada uma delas. Você verá que, ao substituir o “eu tenho que fazer” pelo “eu quero realizar”, fica mais fácil atingir suas metas.

5. Conte com as utilidades da tecnologia

Nossa última orientação é sobre o uso útil dos recursos tecnológicos. Temos que admitir que o desenvolvimento da tecnologia facilitou nossa vida em muitos sentidos. Atividades que antes tomavam muito do nosso tempo podem ser realizadas em questão de minutos e sem sair de casa atualmente, como pagar uma conta no banco.

Além dessa e de diversas outras facilidades, você também pode contar com aplicativos que ajudam na organização pessoal. Ferramentas de gerenciamento de tempo, por exemplo, são ótimos meios para listar suas tarefas, receber alertas de prazo e manter os compromissos em dia.

E, então? Você concorda que essas práticas podem favorecer a organização pessoal e equilibrar a correria da rotina? Não se esqueça de que é só uma questão de treino. É preciso apostar nessas dicas, dia após dia, até que elas se tornem um bom hábito. Afinal, motivação é o que nos leva ao alcance de nossas metas, mas é a disciplina que nos mantém firmes na jornada.

Se esse conteúdo foi útil para você, não deixe de seguir nossas páginas nas redes sociais, para acompanhar as atualizações. Estamos no Facebook, no Twitter, no YouTube e no Instagram.

Engenharia de Controle e Automação: as razões para escolher esse curso

Se você gosta de Exatas e quer um curso com boas perspectivas profissionais, considere fazer Engenharia de Controle e Automação, também chamada de Mecatrônica.

É uma carreira com alta demanda, visto que as indústrias precisam, cada vez mais, automatizar seus processos — com o intuito de diminuir custos, elevar a produção e também a qualidade.

Dessa forma, quem escolhe essa graduação pode ficar tranquilo, pois a empregabilidade é alta, principalmente no setor industrial. O engenheiro pode trabalhar com robôs, desenvolver novos sistemas e maquinários ou aperfeiçoar e fazer a manutenção dos já existentes.

Quer conhecer 5 razões pelas quais apostar nessa carreira? Confira nosso post e entenda também qual o perfil do estudante de Engenharia, como é a grade curricular do curso e como o profissional pode se destacar no mercado!

Qual é o perfil do estudante de Engenharia?

Quem escolheu fazer Engenharia certamente tem habilidades com raciocínio lógico e cálculos. Sentir-se à vontade com os números é um pré-requisito para quem escolhe esse ou outro curso superior na área de Exatas. Isso porque as disciplinas básicas englobam noções de Matemática, Física, Química, Cálculo e Estatística.

O estudante que sonha em se tornar engenheiro tem um perfil analítico e gosta de resolver problemas. Para isso, é importante ser organizado, saber planejar e se valer de estratégias para driblar os desafios. Deve também ter um olhar atento aos detalhes, evitando que pequenos erros prejudiquem seus projetos.

Sem contar que a tecnologia anda lado a lado com a área de Controle e Automação, por isso é importante, desde a faculdade, manter-se atualizado e disposto a aprender sobre as inovações do setor.

No curso você vai se preparar para desenvolver ferramentas e sistemas que otimizam alguma atividade e facilitam a vida das pessoas. Por isso, o aluno dessa área deve ser bem criativo e ter um perfil inventivo.

Curso exige dedicação

Quem quer se dar bem na carreira deve se preparar ainda na graduação. Para isso, precisa estudar bastante, ser participativo em todas as aulas, aproximar-se dos professores e não deixar uma dúvida passar em branco. As disciplinas são complexas — por isso, juntar-se aos colegas e formar grupos de estudos são boas estratégias.

O aluno deve se dedicar também às aulas práticas, em laboratório de pesquisa na faculdade, que vão prepará-lo para o dia a dia da profissão. Ele deve se informar sobre projetos de pesquisa, de iniciação científica e monitoria, além de cursos de extensão e atividades complementares que o curso oferece. Desse modo, terá uma formação ainda mais completa.

É importante também estar presente em eventos, como simpósios, palestras e até workshops, dentro e fora da instituição de ensino.

Se possível, é necessário estudar uma segunda língua durante a graduação. Hoje, existem cursos gratuitos pela internet, que vão preparar você para trabalhar em uma multinacional — cujos cargos exigem níveis avançados ou fluência em um segundo idioma.

Afinal, vale a pena fazer Engenharia de Controle e Automação?

A Engenharia de Controle e Automação ou Mecatrônica é uma área do conhecimento que estuda as novas tecnologias e ferramentas relacionadas aos campos da mecânica, eletrônica e computação.

Desse modo, é um curso bastante completo, que prepara o aluno para atuar com o projeto, análise, desenvolvimento e adaptação de sistemas de automação. A carreira, portanto, pode se voltar para setores variados, como indústria de base, indústria automobilística, bem como as áreas de informática, segurança e até saúde.

A graduação tem origem nas Engenharias Mecânica e Elétrica e na Informática e surgiu diante da necessidade de ter um profissional com conhecimentos e habilidades nessas áreas para atender à demanda do mercado.

Quer saber o que faz um engenheiro de automação? Pense na imagem de uma indústria, como a automobilística, em que robôs realizam uma série de funções que seriam perigosas para o trabalhador. Pois bem, esses sistemas robóticos são desenvolvidos e monitorados pelo engenheiro mecatrônico.

Você pode ver a atuação dele aí mesmo na sua casa: é só olhar o sistema que faz sua impressora funcionar ou a facilidade que o controle remoto da televisão proporciona para você. Toda essa automação é fruto do trabalho desse profissional.

Assim, o engenheiro mecatrônico é a figura ideal para atuar na modernização dos processos industriais, uma transformação pela qual as grandes empresas estão passando para vencer a concorrência e ter mais agilidade e economia na produção.

Além disso, o profissional pode trabalhar em projetos para o aproveitamento de resíduos e voltados para uma produção mais segura e sustentável.

Diante desse contexto, se você gosta de estudar Exatas e quer uma área com alta demanda e crescimento, a dica é cursar Engenharia de Controle e Automação.

Quais as 5 razões para ser um engenheiro de controle e automação?

Quer conhecer 5 razões pelas quais essa carreira é a ideal para você? Veja a seguir:

1. Possibilidades de atuação variadas

A Engenharia Mecatrônica une os conhecimentos e competências de várias áreas, por isso é uma graduação que oferece uma formação muito ampla.

O profissional — de acordo com seu perfil e ambições de carreira — tem vários segmentos a explorar. Acompanhe abaixo as possibilidades de atuação.

Indústria

Um setor que oferece muitas vagas é o industrial, principalmente nas áreas petroquímica, siderúrgica, metalúrgica, portuária, de mineração e automobilística. O profissional pode trabalhar também em sistemas de tratamento de água e esgoto e em usinas de geração de energia.

Serviços

Mas não é só isso! O engenheiro mecatrônico pode atuar ainda na área de serviços, com projetos de automação residencial e predial. Sabe aqueles dispositivos que ligam as luzes e o ar-condicionado de uma casa somente com um simples toque de celular? Pois bem, é um trabalho feito por esse profissional.

Ele também pode atuar no desenvolvimento de sistemas de automação no setor de segurança, voltados para bancos, lojas e supermercados, por exemplo.

Saúde

Você sabia que o engenheiro de automação pode trabalhar também na área de saúde? Isso mesmo: ele atua no desenvolvimento e manutenção corretiva e preventiva de equipamentos hospitalares. É um ramo em crescimento, principalmente com a ascensão da tecnologia na área da saúde, que permite cirurgias remotas com a utilização de robôs.

Informática

O profissional pode trabalhar também na área de informática, projetando sistemas e desenvolvendo softwares. Nesse segmento, ele desenvolve ainda modelos matemáticos para a representação de peças e processos. Com isso, é possível a realização de testes virtuais anteriores à sua produção — o que reduz custos e aumenta a segurança.

2. Boa média salarial

Muita gente que vai escolher um curso superior tem curiosidade de saber qual a média salarial para a carreira até mesmo para decidir se vale a pena. No país, a carreira de Engenharia tem um salário mínimo profissional, regulado em legislação. Dessa forma, é estabelecido um piso de acordo com a carga horária diária de trabalho:

  • 6 horas: 6 salários mínimos;

  • 7 horas: 7,25 salários mínimos;

  • 8 horas: 8,5 salários mínimos.

A média salarial para o Engenheiro de Controle e Automação de acordo com a consultoria de emprego Catho é de R$ 6.198,22. Já na consultoria Love Mondays, o valor médio de salário para a profissão é de R$ 7.004,00.

É uma média salarial, mas como essa carreira tem alta demanda, profissionais que se especializam em algum segmento da área e se mantêm atualizados podem conseguir remunerações maiores.

3. Possibilidade de empreender

O curso é interessante para quem sonha em ter o seu próprio negócio e gerenciar equipes. Isso porque o aluno recebe noções de Economia, Direito, Gestão de Projetos e Marketing.

Dessa maneira, ele estará apto para empreender na área de automação residencial, robótica voltada para o setor da saúde ou ainda no desenvolvimento de softwares para otimizar a produção.

4. Carreira em crescimento

Como dissemos, a área de automação tem um mercado aquecido e boas perspectivas de crescimento. Isso porque qualquer indústria (independentemente do porte) que quer se adequar ao mercado atual vai precisar de um engenheiro mecatrônico.

Quem não quer entrar na faculdade sabendo que não vão faltar empregos na área depois de formado?

5. Profissão do futuro

A indústria 4.0, também chamada de quarta revolução industrial, começa a dar os primeiros passos no país. É uma transformação que vai modificar os modelos de negócios e processos produtivos, com o uso de dispositivos inteligentes — utilizados desde a fabricação até a entrega do produto final ao consumidor.

Desse modo, a tendência é aumentar a demanda por profissionais da área de automação para desenvolver, atualizar e aperfeiçoar os sistemas robóticos — além de adaptar softwares voltados para a produção dessas fábricas mais inteligentes.

Como é o mercado de trabalho para o engenheiro da área?

Depois de formado em Engenharia de Controle e Automação, para poder atuar legalmente na área, o profissional deve fazer o registro no Conselho de Engenharia de seu Estado — autarquia que regula, fiscaliza, controla e orienta o exercício profissional dos engenheiros.

Com o diploma e registro, o recém-formado encontra um mercado de trabalho amplo e aquecido. Isso porque a modernização dos parques fabris diante da economia globalizada e da maior concorrência entre as empresas é constante. Portanto, o engenheiro de automação se torna o profissional-chave nessa transformação.

Além disso, as áreas de automação residencial e predial também estão em crescimento, com dispositivos que trazem conforto e segurança. No segmento da saúde, a robótica tem proporcionado cirurgias cada vez mais precisas e seguras, por isso é considerada um campo em expansão para esses profissionais.

Saiba ainda que a Engenharia de Controle e Automação está entre as profissões em alta no Espírito Santo.

Como é o curso de Engenharia de Controle e Automação?

Ficou entusiasmado com as atividades que o engenheiro de controle e automação pode desempenhar e com as ótimas oportunidades profissionais? Então chegou a hora de conferir como é esse curso superior.

É uma graduação do tipo bacharelado, com duração de 5 anos. O programa do curso é bastante dinâmico, pois une teoria e muitas aulas práticas.

Então se você se sente desmotivado com um conteúdo maçante, com muita leitura, pode ficar tranquilo. Isso porque, nessa formação, o aluno põe a “mão na massa”, pois várias disciplinas são trabalhadas nos laboratórios de pesquisa.

Matriz curricular

As disciplinas básicas da matriz curricular são Matemática (Álgebra Linear, Geometria Analítica, Equações Diferenciais), Física (Física I, II e III e Física Experimental), Química (Química Básica e Química Tecnológica) e Cálculo (Cálculo I, II e III e Cálculo Numérico).

Entre os assuntos mais específicos dessa faculdade estão as disciplinas de:

  • Lógica Matemática e Computacional;

  • Circuitos Elétricos;

  • Eletrônica de Potência;

  • Conversão de Energia;

  • Controle Automático;

  • Materiais e Sensores;

  • Máquinas Elétricas;

  • Fenômenos de Transporte;

  • Sistemas de Energia;

  • Programação Aplicada;

  • Instrumentação Industrial;

  • Sistemas Embarcados;

  • Princípios da Robótica;

  • Projetos de Máquinas;

  • Programação de Computadores;

  • Mecânica Geral;

  • Eletrônica;

  • Mecânica dos Sólidos;

  • Sistemas Digitais;

  • Teoria das Redes;

  • Processos Industriais;

  • Elementos de Máquinas;

  • Hidráulica e Pneumática;

  • Introdução à Visão Computacional.

O aluno tem aulas também de Sociologia e Antropologia, Probabilidade e Estatística, Economia da Engenharia, além de Segurança, Ergonomia e Higiene. As disciplinas de Direito Empresarial, Administração Geral, Empreendedorismo e Gestão de Projetos são interessantes para quem quer trabalhar na área de gestão ou ter o próprio negócio.

Estágio

Como todos os cursos de Engenharia, a de Controle e Automação também tem o estágio supervisionado obrigatório de 300 horas ao final do curso. A dica para o estudante é aproveitar ao máximo essa oportunidade.

É uma etapa importante para conhecer as rotinas da área, aprender com profissionais mais experientes e até mesmo para descobrir algum segmento na Mecatrônica com o qual ele mais se identifica.

Assim, um bom estagiário de Engenharia é alguém proativo e sempre aberto ao aprendizado. É essencial que ele mantenha uma boa relação interpessoal com supervisores e colegas da profissão e peça feedbacks para que consiga entender melhor suas dificuldades e potencialidades.

Muitos alunos torcem o nariz por conta da exigência do estágio, porém é um momento fundamental para preparar o futuro profissional para o mercado de trabalho. Além disso, muitos estágios são remunerados — o que dá aquela forcinha no orçamento.

TCC

Ao final do curso, o aluno precisa fazer também o Trabalho de Conclusão de Curso (TCC). Para esse trabalho, ele recebe a orientação de um professor para pesquisar sobre um assunto da área de seu interesse ou trabalhar no desenvolvimento de algum produto — como a ideia de um sistema automatizado. Depois, defende o TCC para uma banca examinadora.

O que considerar para escolher seu curso de engenharia?

Se você está decidido a fazer o curso de Engenharia de Controle e Automação, precisa saber como escolher a melhor instituição de ensino superior. Estamos falando de um investimento de tempo (5 anos) e dinheiro voltado para o seu futuro profissional, por isso é preciso saber como tomar a melhor decisão.

Saiba que as faculdades não são todas iguais; você deve observar uma série de aspectos que vão fazer a diferença na sua formação. Antes de tudo, verifique se a instituição de ensino e o curso têm autorização do Ministério da Educação (MEC) e como é a avaliação pelo órgão.

É importante também verificar a formação do corpo docente. Professores com boa qualificação conseguem transmitir os conhecimentos e habilidades da profissão, além de orientarem melhor os alunos quanto aos caminhos que a carreira proporciona.

Pesquise ainda sobre a matriz curricular da graduação: é importante que seja equilibrada, ou seja, mescle teoria e prática, e, principalmente, que esteja atualizada quanto às tendências da área.

Em algumas instituições de ensino, existe ainda a possibilidade de estudar Engenharia EAD/Online, uma boa opção para alunos que não conseguem se deslocar até a instituição de ensino com tanta frequência. Porém, a modalidade ainda não está disponível para todas as engenharias.

Infraestrutura

É importante que a instituição de ensino disponha de um espaço confortável e bem estruturado. Avalie, portanto, as condições de sala de aula, biblioteca, bem como os equipamentos tecnológicos oferecidos.

No caso de cursos de Engenharia, é fundamental que a faculdade ofereça laboratórios de pesquisa em diferentes áreas. Assim, você recebe uma formação prática completa e se forma mais preparado para atuar no mercado de trabalho.

Bolsas e financiamentos

Sabemos como é difícil para muitos alunos arcar com as mensalidades da faculdade. Ao mesmo tempo, como construir uma carreira sem fazer o curso de graduação?

A alternativa são as bolsas (de monitoria e pesquisa) ou financiamentos, como o FIES, que muitas instituições oferecem. Pesquise sobre essas possibilidades e não adie o sonho de ter um diploma de ensino superior.

Vivência internacional

Há ainda faculdades que propiciam a vivência internacional. Elas oferecem programas em que o aluno cursa parte da graduação no exterior em instituições de renome. É uma ótima oportunidade para conhecer outras culturas, colegas estrangeiros e até mesmo a forma de trabalho e linhas de pesquisa dos centros universitários de outros países.

São muitos dados que você precisa coletar para saber se a instituição de ensino é de qualidade. O primeiro passo é explorar o site e redes sociais da faculdade e já reunir as principais informações.

Vale também fazer uma visita pessoalmente ao local e conhecer de perto a infraestrutura. Se for possível, converse ainda com coordenadores de curso, professores, alunos e ex-alunos para tirar todas as suas dúvidas.

Como se destacar profissionalmente nessa área?

O diploma na área de Engenharia de Controle e Automação abre diversas portas no mercado de trabalho. Porém, como toda carreira, é importante que o profissional se mantenha atualizado para se destacar da concorrência.

Assim, é necessário ficar por dentro das inovações tecnológicas do setor, acompanhar revistas e sites atualizados e participar de eventos da área. Fazer um curso de pós-graduação, como especialização ou MBA, também conta pontos no currículo.

Além disso, o engenheiro deve se preocupar com sua postura no ambiente organizacional e desenvolver algumas competências para se dar bem na carreira. Confira a seguir:

Flexibilidade

O mercado de trabalho é bastante dinâmico e as empresas buscam profissionais flexíveis, ou seja, que se adaptem a mudanças e não tenham medo de encarar desafios. Por isso, mostre-se disponível para novos projetos, esteja aberto para aprender e para assumir novas funções ou trabalhar com equipamentos diferentes, se necessário.

Resiliência

Você já ouvir falar em resiliência? É a capacidade de não se abater frente a um cenário de muita pressão ou a uma situação desfavorável. Profissionais com essa competência são valorizados pelos gestores, pois, mesmo diante da crise ou de problemas em algum projeto, conseguem seguir em frente.

Na verdade, não quer dizer que são pessoas frias, mas sim que conseguem enxergar além. Para elas, o fracasso não é somente um fracasso, mas uma oportunidade de aprendizado na carreira.

Aliás, profissionais resilientes costumam ter um bom relacionamento interpessoal com os colegas e também têm mais chances de conseguir promoções, principalmente para assumir cargos de liderança e gestão.

Visão sistêmica

Para trabalhar em uma indústria, por exemplo, o engenheiro não pode se fechar somente em sua atividade. É importante conhecer o negócio de forma global, ou seja, ter uma visão sistêmica.

Assim, o profissional consegue entender melhor toda a organização e, dessa maneira, pensar em soluções e estratégias mais eficazes para o sucesso do negócio.

Proatividade

Profissionais preparados para o futuro precisam ser proativos. O que isso significa? Devem fazer acontecer, ou seja, antecipar cenários e buscar soluções para o sucesso da empresa. É importante ter iniciativa, contagiar sua equipe com o trabalho e estar de olho nas tendências do setor.

Boa comunicação

Muita gente tem a ideia de que quem trabalha com números, como os engenheiros, atua de forma isolada. Pelo contrário: é forte a atuação em equipe e, para que o trabalho seja eficiente, é necessário ter uma boa comunicação.

O profissional deve transmitir suas ideias com clareza, seja em uma conversa, e-mail ou reunião. Além disso, deve saber como defender seu ponto de vista e também saber como escutar o outro.

A Engenharia de Controle e Automação é um curso para quem gosta de lidar com tecnologia para otimizar processos produtivos e também para facilitar a vida das pessoas. O mercado de trabalho para a carreira é bastante aquecido e, o melhor, com oportunidades variadas de atuação.

Quer fazer a graduação nessa área em uma instituição de ensino superior de qualidade? Conheça o curso de Engenharia de Controle e Automação da UCL e comece a preparar seu futuro profissional!

 

Já pensou em fazer um MBA em varejo? Saiba mais neste post

O mundo corporativo apresenta desafios contínuos. O profissional que não se atualiza, corre o risco de deixar passar boas oportunidades de crescimento. No setor comercial, essa competitividade é ainda mais evidente. Por isso, quem espera que sua empresa se mantenha sempre à frente deve aprender novas técnicas de gestão. E isso é totalmente possível para quem faz um MBA em varejo.

O profissional que se especializa descobre que o segredo do sucesso no comércio não está somente nos preços baixos e na qualidade dos produtos. É preciso ir além, adaptar-se às mudanças do mercado e aplicar novas estratégias aos processos. Quer ficar por dentro desse assunto, conhecer um pouco mais sobre a área do varejo e entender a importância do MBA nesse setor? Continue a leitura deste post!

A importância do MBA no mercado atual

Quem já está inserido no mercado de trabalho, mas busca ascensão na carreira, deve considerar um ponto essencial para o seu desenvolvimento: manter-se em aprendizado constante!

As vivências no ambiente profissional, as experiências adquiridas e os laços criados também contribuem para o crescimento. No entanto, uma pós-graduação é a chave para abrir novas portas, já que promove capacitação avançada e coloca o aluno no nível das atualizações de sua profissão.

O ramo de gestão e negócios, por exemplo, é um dos que mais passam por inovações, justamente pela necessidade de elaborar estratégias eficazes que melhorem os resultados da empresa, em termos de desenvolvimento humano, qualidade e produtividade.

Por essa razão, o cenário business exige profissionais cada vez mais qualificados e preparados para lidar com a equipe e com os processos gerenciais. Para ocupar posições de maior responsabilidade nesse meio, o candidato com formação em MBA apresenta um diferencial de grande relevância para as empresas.

O MBA, ou Master in Business Administration (Mestre em Administração e Negócios), é uma pós-graduação do tipo lato sensu, que confere ao aluno o título de especialista. A diferença desse formato para as outras especializações é que o MBA é focado na atuação prática e nas exigências atuais do mercado.

Outro ponto que difere o MBA da pós-graduação tradicional é o público-alvo, formado exclusivamente por pessoas que ocupam ou pretendem alcançar cargos de gestão e liderança. Trata-se de uma especialização mais aplicada às carreiras do âmbito corporativo e que hoje é vista pelo mercado como uma fonte indispensável de conhecimento para os executivos que querem se destacar nesse meio.

O varejo e suas possibilidades de trabalho

O que é o varejo, afinal? Trata-se de uma atividade econômica que sempre fez parte das interações que ocorrem em sociedade. Inclui negociação de mercadorias em todas as escalas. O setor varejista faz o intermédio entre fornecedores e compradores, ou seja, compra produtos em grandes quantidades nos distribuidores, ou atacadistas, e vende para o consumidor final, aquele que fará usufruto do item.

Então, o varejo, mais comumente conhecido como comércio, engloba as diversas atividades que fazem parte dos processos de compra e venda, com o propósito final de atender às necessidades do consumidor.

Todos que contribuem em alguma etapa desse processo podem ser considerados profissionais do varejo, desde os fabricantes e atacadistas até o gerente de vendas ou o vendedor que lida diretamente com o cliente. Sem dúvidas, são personagens de extrema relevância para o desenvolvimento econômico de uma sociedade capitalista.

Para continuar a contribuir com a evolução da economia e favorecer o crescimento do varejo, as empresas buscam profissionais qualificados, com know-how, experiência e competências direcionadas.

A procura é mais voltada por pessoas do segmento de Marketing, Economia, Engenharias, Administração e Logística. Para os cargos de gerência e diretoria, o MBA em varejo também é um atributo desejável, ou melhor, é praticamente um requisito obrigatório, pois, entre um candidato com MBA e outro apenas graduado, é certo que os recrutadores dão preferência ao primeiro.

As possibilidades de trabalho no mercado varejista não são poucas e não se restringem às ações exclusivas de compra e venda. As principais áreas de atuação no varejo incluem:

  • setor comercial;

  • finanças e contato com investidores;

  • logística;

  • recursos humanos;

  • marketing, publicidade e relacionamento com o cliente.

Os requisitos para trabalhar no setor varejista

Qualquer área de trabalho exige determinados requisitos para uma atuação mais eficiente. No varejo, não poderia ser diferente. Para trabalhar nesse ramo é necessário apresentar uma série de características que colaboram para a aplicação de estratégias comerciais e para o relacionamento com o público. Veja alguns exemplos de competências que não podem faltar ao profissional do setor varejista:

  • Visão abrangente;

  • Inovação e criatividade;

  • Empreendedorismo;

  • Comunicação clara;

  • Boa argumentação;

  • Facilidade de relacionamento interpessoal;

  • Pensamento estratégico;

  • Rapidez na tomada de decisões.

Além das habilidades comportamentais, é óbvio que uma carreira bem-sucedida nesse mercado exige formação sólida, com conhecimentos avançados na área de negócios e comércio. O varejo precisa de profissionais especializados para melhorar sua rentabilidade, uma vez que todo o nosso sistema econômico depende desse setor.

Nesse contexto, quem ganha espaço é o gestor de varejo, com sua preparação para atuar em transações comerciais, elaborar técnicas de vendas e desenvolver sua equipe para um excelente atendimento ao cliente. Além, é claro, de seus conhecimentos sobre comportamento de consumo, neuromarketing e outras ações que fazem parte da rotina desse profissional.

Então, para conquistar as vagas mais cobiçadas do mercado varejista, a formação ampla é um requisito fundamental. É certo que essa capacitação inclui cursos de pós-graduação, mais precisamente um MBA.

A qualificação do profissional com MBA em Varejo

Por que o MBA em varejo pode fazer diferença na sua carreira? Esse aprendizado especializa o profissional para atuar na gestão do ramo varejista com visão estratégica, de modo a promover a expansão dos negócios, garantir vantagem competitiva e aumentar a lucratividade das empresas.

O MBA em Gestão Estratégica de Varejo tem o objetivo de aperfeiçoar as técnicas do aluno, além de favorecer seu desenvolvimento por meio das experiências e informações compartilhadas com outros profissionais do mesmo ramo, tanto em sala de aula quanto na participação em eventos e congressos da área.

Durante as 360 horas do curso, o conhecimento acumulado é evidente, assim como o aprimoramento de habilidades e competências. Veja alguns dos conteúdos abordados no MBA em varejo:

  • Análise em Varejo;

  • Marketing Varejista;

  • Vendas e Atendimento;

  • Varejo online;

  • Logística e Operações;

  • Inteligência Competitiva;

  • Gestão Financeira;

  • Liderança e Competências Gerenciais.

O MBA em varejo é um passo certeiro na direção do sucesso no universo corporativo. Se você consegue se visualizar como um gestor no setor varejista — um gerente de compras, supervisor de vendas, gerente de operações, entre outros cargos —, esse curso é ideal para a concretização do seu plano de carreira.

Então, não espere mais! Entre em contato com a UCL e saiba tudo sobre esse curso. Aproveite e informe-se também sobre nossas outras opções de graduação e pós-graduação e dê um up na sua carreira!

 

Rompendo a zona de conforto: 6 dicas para você sair da casa dos pais

Para muitos jovens, sair da casa dos pais torna-se um dilema. Ao mesmo tempo em que eles querem mais liberdade e autonomia para gerir a própria vida, ficam inseguros em relação a essa nova jornada cheia de responsabilidades.

É realmente uma decisão importante, mas ninguém precisa ficar assustado. Chega um momento em que você terá que voar sozinho. Para que tudo dê certo, a palavra de ordem é planejamento. Isso porque é um processo que envolve gastos e também um preparo psicológico, então é preciso se organizar com antecedência.

Vai fazer faculdade em outra cidade e já está pensando em ter o seu próprio cantinho? Então confira nosso post e fique por dentro de algumas dicas valiosas para essa nova etapa da sua vida!

1. Guarde dinheiro antecipadamente para a reserva financeira

Para sair da casa dos pais, você deve se planejar e fazer uma reserva financeira antecipadamente. Se você já trabalha, guarde uma quantia por mês na poupança, para ficar mais tranquilo com as despesas de morar fora.

Se você não trabalha, pense em alternativas para juntar dinheiro, como fazer doces e bolos para vender, passear com cachorros ou, se possível, arrumar um emprego temporário.

Essa reserva é necessária, principalmente no início, pois você terá que comprar móveis e objetos para casa. A dica é procurar por itens usados. Você pode anunciar na faculdade que está à procura de fogão, sofá, cama etc. e encontrar algum estudante que esteja se desfazendo dessas coisas.

Em sites de compra e venda de usados e até em redes sociais, como o Facebook, você também encontra móveis e outros itens de segunda mão a um bom preço. O importante é pesquisar.

2. Encontre um aluguel que caiba no bolso

O valor do aluguel pode variar bastante, de acordo com as características e localização do imóvel. Por isso, é importante que você pesquise nas imobiliárias da cidade todas as opções para fazer o melhor negócio.

Nessa hora, é necessário ter em mente que talvez você precisará abrir mão do conforto que tinha ao morar com a família. Assim, no início, a alternativa pode ser um imóvel bem pequeno.

Mas atenção: valores muito baixos podem significar que o espaço vai precisar de muitos reparos, então considere a relação custo-benefício. O mesmo vale para a localização. Casas e apartamentos mais afastados podem ser mais em conta, mas veja o quanto você vai gastar com transporte e coloque tudo na balança.

Se não encontrar um valor que caiba no bolso, pesquise nos murais da faculdade se há vagas em repúblicas já montadas. Dividir os custos com outros estudantes é uma ótima alternativa para reduzir as despesas. Sem contar que esses espaços, geralmente, já estão mobiliados e até contam com internet wi-fi. Verifique com cautela quanto você precisa desembolsar por mês e faça as contas para saber se essa é a melhor opção.

3. Saiba de antemão os documentos necessários para alugar um imóvel

Fique atento aos documentos necessários para alugar um imóvel. Em muitos casos, é preciso encontrar um fiador, alguém que tenha uma renda três vezes superior ao valor do aluguel e um imóvel na cidade que não seja sua própria residência.

Algumas imobiliárias dispensam o fiador, mas pedem um depósito antecipado no valor de três aluguéis ou ainda um seguro-fiança, que é o valor de um aluguel e meio ao ano. Pode ser a alternativa para quem não encontra um fiador.

Ao alugar, fique atento à vistoria e veja se reflete a condição da casa ou apartamento. É importante verificar principalmente as avarias, pois, quando você deixar o imóvel, poderá ser cobrado por algum dano que já estava no espaço quando você alugou.

4. Faça um bom planejamento de gastos

Quem nunca morou fora da casa dos pais fica perdido diante das despesas. É importante colocar tudo no papel, para não ter surpresas desagradáveis. Faça uma planilha e coloque os gastos como aluguel, condomínio (se houver), água, luz, celular, alimentação, transporte, mensalidade do curso superior etc.

Desse modo, você consegue se organizar e dar conta de todas as despesas. Considere, ainda, que podem surgir gastos extras, como a compra de um medicamento ou o conserto do notebook, por exemplo.

Se o orçamento estiver apertado, pesquise na instituição de ensino a possibilidade de bolsas e financiamentos.

5. Prepare-se psicologicamente

Até aqui só falamos em gastos e planejamento financeiro, mas é essencial que você e sua família também se preparem psicologicamente. Você não terá contato com eles a todo momento e precisará assumir novas responsabilidades.

Terá que se acostumar a ficar sem a comida da mãe e se virar para preparar as próprias refeições. No começo, será mais complicado, mas, com o tempo, você começa a valorizar essa autonomia. Para os seus pais também será motivo de orgulho ver que o filho consegue viver sozinho.

Além disso, você estará fazendo um curso superior e se preparando para sua carreira. É um passo importante na vida de qualquer jovem: é uma etapa em que você terá que se organizar e dar conta das rotinas de trabalho, faculdade e também das obrigações de casa. Para isso, é só aprender a gerenciar o tempo direitinho e respeitar as prioridades.

Se a saudade da família bater, a tecnologia está aí para aproximar as pessoas, com as conversas por vídeo quando você quiser, até mesmo para pegar aquela dica certeira na hora de fazer o arroz.

6. Combine as regras na hora de dividir a moradia

Se você vai morar com outras pessoas, é importante estabelecer regras claras de convivência. É preciso estipular como será a divisão de tarefas, quem cuidará das contas, qual dia cada um deve dar sua parte nas despesas.

É importante que cada morador cuide do seu canto, não deixando sujeira ou objetos espalhados pela casa. As pessoas devem se respeitar, evitando muito barulho quando alguém precisa estudar, por exemplo.

O uso racional de água e de luz também deve ser uma regra da casa. Assim, não há surpresas com contas altas no final do mês.

Está preparado para sair da casa dos pais? Encare esse desafio e veja como é gratificante ser dono do próprio nariz. Alguns obstáculos vão surgir, principalmente em relação aos gastos, mas saiba que tudo servirá de aprendizado para o futuro.

E você? O que acha da ideia de morar sozinho ou com outros colegas? Ainda tem alguma dúvida? Deixe um comentário neste post!

 

Aprenda 6 meios de melhorar a sua gestão do tempo e se manter organizado

Você é do tipo de pessoa que consegue se organizar e dar conta de todas as atividades que precisa realizar durante o dia? Ou está mais para o perfil procrastinador, que deixa para fazer tudo aos 45 do segundo tempo e vive perdido em meio às tarefas acumuladas? Se a segunda descrição é mais a sua cara, está na hora de aprender sobre gestão do tempo.

Este post foi preparado com o objetivo de ajudar você a planejar sua rotina, para aumentar a produtividade e ter dias menos estressantes. Quer saber como? Continue a leitura e conheça 6 dicas fundamentais para administrar o seu tempo!

O que é gestão do tempo e qual a sua importância?

O conceito pode variar de nome — administração, gerenciamento ou gestão de tempo —, mas o objetivo é o mesmo: organizar os horários e compromissos diários. Em resumo, é um conjunto de técnicas utilizadas para mensurar e otimizar o período gasto em cada atividade do dia a dia.

A gestão de tempo é um recurso que envolve planejamento, estratégia, avaliação de prioridades, responsabilidade e, claro, uma alta dose de disciplina. Pode ser aplicada para qualquer finalidade: melhorar o rendimento no trabalho; aumentar o aproveitamento acadêmico; manter as tarefas domésticas em ordem e conciliar os compromissos pessoais.

Em todos os casos, gerenciar o tempo favorece a produtividade e a qualidade das atividades executadas. Não é à toa que é um método bastante indicado para quem precisa equilibrar a rotina de estudos e trabalho, sem falar em obrigações familiares e vida social.

Você possivelmente já usou o argumento “não tenho tempo” ou já ouviu alguém se queixar de que a vida é muito corrida. Acontece que ser uma pessoa ocupada não é sinônimo de eficácia. Você pode ter inúmeras tarefas para realizar e não dar conta de fazer nem a metade.

Saber administrar seus afazeres não significa ter mais trabalho. Pelo contrário, gerenciar a rotina quer dizer atingir mais resultados com menos desperdício de horas. Para isso, é necessário usar o tempo a seu favor e agir de maneira planejada, sem precisar apagar incêndios todos os dias.

Assim, você atinge seus objetivos com menos estresse, menos esforço, pouco risco de imprevistos e sem acúmulo de problemas. Por outro lado, ganha em quantidade de atividades realizadas e tem mais tempo livre e mais qualidade de vida.

Como se organizar para gerenciar o tempo?

Até aqui, você já compreendeu a importância da gestão do tempo para melhorar a produtividade e o desempenho no dia a dia, mas como aplicar essa técnica na prática? Qual é o segredo para organizar a rotina e conciliar tantos compromissos? É exatamente isso que você vai aprender agora!

1. Trabalhe com listas

Essa dica já é uma velha conhecida de quem vive mergulhado em dúzias de afazeres. Talvez você até já tenha tentado colocar suas obrigações em ordem com a ajuda de uma lista, mas não foi tão eficiente para cumpri-la.

Algumas pessoas têm mais facilidade para se guiar por uma rotina estruturada, outras nem tanto. Os piadistas de plantão falam que fazer listas é bem típico de quem é da área de humanas.

O fato é que as listas de tarefas ajudam, sim, e muito! Isso porque elas facilitam a organização e a hierarquia das atividades que você precisa executar no decorrer do dia. Assim, fica mais fácil acompanhar o seu desempenho e você não corre o risco de deixar alguma coisa sem fazer.

2. Defina metas todos os dias

Alguma vez você já se deitou na cama, no final do dia, e pensou: “Que bom! Hoje, consegui fazer tudo o que eu precisava”? A sensação de dever cumprido traz um alívio imenso, especialmente se você é daqueles que vive cheio de compromissos, sem saber por onde começar.

Estabelecer metas para alcançar todos os dias é uma ótima maneira de adquirir disposição e se movimentar para concluir suas tarefas. Isso porque nós somos movidos por expectativas e objetivos, e é essa busca por realizações que nos empurra para frente.

3. Faça uma escala de prioridades

Saiba diferenciar importância e urgência — isso é essencial para definir a prioridade dos seus compromissos. Com frequência, invertemos a ordem das atividades, damos preferência ao que poderia ser adiado e perdemos o prazo do que era realmente necessário.

É por isso que, ao listar as tarefas que você precisa fazer ao longo do dia, é importante determinar uma ordem coerente. O ideal é reduzir ao máximo o número de afazeres urgentes, para diminuir também o seu estresse. Concorda?

4. Estabeleça hábitos pela repetição

Você pode até se questionar: “Ah! Na teoria, a gestão de tempo é supereficiente, mas, na prática, dá certo mesmo?”. Tudo é questão de treino! Já ouviu falar que a repetição pode levar à perfeição? Ao executar uma rotina planejada, dia após dia, você adquire novos hábitos, e a organização acontece com naturalidade.

Não se preocupe! O objetivo não é se tornar uma pessoa perfeita e realizar tudo de forma impecável e com pontualidade britânica. Nem carregue essa autocobrança excessiva, porque isso só causa mais ansiedade. O propósito da gestão de tempo é apenas equilibrar seus afazeres diários para ter mais realizações, tranquilidade e tempo livre.

5. Não dê espaço para a procrastinação

Não podemos negar que a sensação de “deixar para depois” é até um pouco prazerosa. Se você, por exemplo, estiver no meio da maratona de um seriado e se lembrar daquele trabalho de escola que precisaria ser entregue na próxima aula, não dá vontade de deixar para fazer às pressas na manhã seguinte?

O problema da procrastinação é que ela vira uma bola de neve. Você passa a acreditar que sempre vai dar conta de fazer tudo na última hora, mas isso pode prejudicar a qualidade das suas atividades e resultar em acúmulo de tarefas, além de gerar um estresse desnecessário.

6. Reserve momentos para relaxar e recuperar a disposição

Agora, sim! Depois de cumprir todas as suas obrigações, pode terminar de acompanhar as temporadas da sua série favorita. Ou aproveite o tempo que sobrar para se dedicar a qualquer outra coisa que queira — sair com os amigos, ler um livro, ir ao cinema, ficar com a família etc.

O importante é que você faça bom uso do seu tempo livre e apenas relaxe. A mente e o corpo precisam de paradas para recarregar a energia e recuperar o foco. Ah! E lembre-se de também fazer pequenas pausas durante os dias atribulados: hidrate-se, respire e continue!

Ninguém é de ferro. Assumir múltiplas responsabilidades e entregar resultados todos os dias não é fácil, mas com dedicação, disciplina e com as estratégias certas de gestão do tempo, você vai conseguir organizar sua rotina e atingir qualquer objetivo.

Gostou das nossas dicas? Então, ajude seus colegas que também precisam de uma forcinha para conciliar os compromissos. Basta compartilhar este post nas suas redes sociais!

 

Para que serve uma rede de relacionamento no mercado de trabalho?

Quais fatores são determinantes para o seu crescimento na carreira? Somente um bom currículo e experiência bastam em um mercado de trabalho tão concorrido? Atualmente, também é importante formar uma rede de relacionamento profissional ou networking.

Conhecer e manter contato com pessoas que estão direta ou indiretamente envolvidas em sua área de atuação pode fazer a diferença nessa jornada. Pode render, por exemplo, uma indicação de emprego ou ainda uma parceira de negócio.

Quer saber o que significa networking, como formar essa rede e a importância da pós-graduação nesse processo? Confira nosso post!

O que significa networking e por que essa rede é importante?

Networking é a rede de relacionamento profissional, muito importante para quem quer fazer novos negócios, estabelecer parcerias, prospectar clientes e até mesmo conseguir um emprego.

A ideia é cultivar um círculo de contatos, principalmente com outros profissionais da mesma área de atuação, que seja saudável e benéfica para ambos os lados. Por meio dessa rede, você:

  • Conhece outros colegas de seu segmento;

  • Acompanha as tendências de seu setor;

  • Troca conhecimentos e experiências;

  • Faz parcerias profissionais;

  • Fecha negócios;

  • Encontra fornecedores e possíveis clientes;

  • Pode ser promovido;

  • Tem mais chances de ser indicado para uma vaga de emprego.

Aliás, muita gente sabe que, para participar de um processo seletivo, muitas vezes somente ter um bom currículo não basta. A concorrência é grande e, quando você tem a indicação de algum outro profissional, ganha pontos a seu favor. Por isso é importante formar essa rede de contatos.

Como formar uma rede de relacionamento profissional?

É claro que o networking não se forma do dia para a noite. Ele pode começar ainda na faculdade e se expandir a cada experiência profissional, participação em cursos e eventos e até mesmo de acordo com sua presença na internet, em redes sociais.

Quer conhecer algumas práticas para formar essa rede de relacionamento profissional? Veja abaixo:

Tenha um LinkedIn atualizado

Muita gente cria uma conta no LinkedIn e deixa a rede abandonada. É importante você ter todos os seus dados profissionais preenchidos e atualizar sempre que necessário.

Acompanhe as postagens de usuários e empresas que tenham relação com seu segmento e, sempre que possível, participe: faça perguntas, comentários e mostre que está presente e engajado com sua área.

Publique posts e compartilhe notícias ou outros textos sobre o seu nicho de atuação. É uma maneira de se aproximar de outros colegas da área e ampliar seu networking.

Compareça a eventos da área

Para ampliar sua rede de relacionamento e também se manter atualizado, você deve participar de eventos da sua área. Esteja atento a feiras, simpósios, workshops e outros encontros e aproveite para conhecer novas empresas e profissionais.

É uma chance de ficar por dentro das tendências, descobrir oportunidades de negócio e, o mais importante, mostrar quem você é e quais são seus objetivos de carreira para gestores e executivos.

Participe de fóruns e espaços de discussão online

O mundo é digital e você também deve marcar presença em fóruns e espaços de discussão online. É uma maneira de acompanhar as novidades, tirar suas dúvidas ou dos colegas e trocar experiência.

Mantenha uma comunicação clara

Para que você consiga fechar parcerias ou encontrar boas oportunidades de carreira com o networking, deve ter uma comunicação clara com os colegas, demonstrando seus objetivos.

Você quer um emprego em determinada empresa, subir de cargo, está precisando prospectar clientes ou tem a ideia de empreender? Traçando seu objetivo, você consegue se aproximar das pessoas certas, permitindo que sua rede tenha ciência de suas intenções.

Invista em marketing pessoal

Para que as pessoas conheçam suas competências e experiência profissional, você precisa saber se “vender”. Estamos falando em investir no seu marketing pessoal.

Para isso, é importante que você valorize seu currículo, esteja atento à sua postura profissional, tenha um bom relacionamento interpessoal, demonstre proatividade, entre outras estratégias que evidenciem suas qualidades. Mas faça isso de modo natural, ou seja, sem parecer arrogante.

Como a pós-graduação pode aumentar e fortalecer esses contatos?

Para aumentar e fortalecer seu networking, é fundamental fazer pós-graduação. Isso porque as pessoas que procuram esses cursos, geralmente, já estão no mercado de trabalho. Sem contar que os professores, em muitos casos, também têm vivência profissional, o que pode ajudar você a encontrar boas oportunidades de carreira.

Quer saber como essa formação pode melhorar sua rede de relacionamento profissional? Acompanhe:

Participação nas aulas

Aproveite os encontros para participar ativamente das aulas. Faça perguntas, tire suas dúvidas, faça parte dos debates e dê sua contribuição em estudos de caso, compartilhando sua experiência.

Assim, você pode aprender, mostrar seu perfil, interesses, além de demonstrar seu conhecimento e experiência nos assuntos em discussão.

Aproximação de pessoas que já trabalham na área

Como dissemos, com as aulas da pós-graduação você terá contato com colegas e professores que são profissionais da área. Eles podem ter sua própria empresa, estar à procura de algum sócio ou ocupar cargos de gestão em grandes corporações.

Quem sabe você não é o profissional que eles tanto procuram para contratar ou fazer uma parceria?

Por isso, não se isole: puxe conversa, prefira fazer trabalhos em grupo e procure manter esses contatos em longo prazo, mesmo depois de finalizado o curso. Hoje, a tecnologia pode ajudar, por meio dos aplicativos de mensagens — que permitem uma interação saudável.

Possibilidade de se tornar um profissional mais valorizado

Por fim, diante da concorrência tão acirrada no mercado de trabalho, fazer uma pós-graduação vai valorizar o seu currículo. Assim, fica mais fácil fazer seu marketing pessoal e ser notado pelos outros profissionais.

Com um curso de MBA ou especialização, você mostra que se preocupa em aprimorar seus conhecimentos e habilidades e que, portanto, tem um plano de carreira sólido.

Comece a formar a sua rede de relacionamento profissional e fique a par do que ocorre em seu segmento, principalmente quanto às oportunidades que possam surgir. Mostre-se presente, participe, peça auxílio e também auxilie outros colegas para cultivar esse networking. Para fortalecer essa rede, considere ainda fazer um curso de pós-graduação.

Gostou do nosso post? Quer entender como formar essa rede de contatos profissionais? Então confira nosso Guia prático para fazer networking!

 

MBA em Gestão: tudo que você precisa saber para começar o seu

Se você deseja garantir seu lugar no mundo corporativo e desenvolver uma carreira promissora, sabe muito bem que só o curso superior não basta, principalmente se o seu objetivo for ocupar um cargo gerencial. Nesse caso, uma pós-graduação é um forte ponto a favor, ainda mais se for um MBA em Gestão.

Na concorrência por uma vaga, o candidato pós-graduado apresenta um diferencial competitivo e participa com vantagem sobre aqueles que trazem somente o título da graduação. Em um cenário em que as boas chances de trabalho são limitadas, o título de especialista é um grande aliado.

Ao longo deste post, vamos falar com detalhes sobre a importância da educação continuada para o mercado e apresentar as vantagens de investir em uma pós-graduação. Você também entenderá como são os cursos de MBA e qual é a hora certa para buscar uma especialização. Fique atento a todas as informações!

O mercado de trabalho no Brasil

Até bem pouco tempo, conquistar o diploma de graduação era uma vitória para um público seleto. Os cursos eram quase inacessíveis para a população de classe média. Entrar em uma faculdade pública também exigia um esforço elevado por parte dos candidatos.

As chances eram maiores para aqueles que tinham condições de se preparar — fosse com o respaldo de uma boa formação no Ensino Médio ou com o investimento em cursinhos pré-vestibular.

Hoje, fazer um curso superior ficou muito mais fácil. A quantidade de pessoas graduadas aumentou consideravelmente nas últimas décadas. Agora, podemos contar com um grande número de instituições de ensino que oferecem cursos com preços mais acessíveis, inclusive na modalidade EAD.

Além disso, há vários programas de bolsas e financiamentos, tanto concedidos pelo governo quanto pela iniciativa privada, que facilitam muito a entrada dos estudantes em universidades, como ProUni e FIES, entre outros. Há também o Sisu, que utiliza a pontuação do Enem para que os alunos consigam vagas em instituições públicas.

Em resumo, são muitas as possibilidades de ingresso no ensino superior. O resultado disso é uma vasta gama de profissionais preparados para atender às demandas do mercado de trabalho, mas, apesar do alto número de graduados, os recrutadores sinalizam que é difícil encontrar candidatos realmente qualificados para ocupar as vagas de maior complexidade.

Por que isso acontece? A resposta é simples: boa parte dos profissionais paralisa sua jornada acadêmica após a graduação, seja pela falta de tempo para se dedicar à educação continuada — devido à rotina intensa de trabalho, compromissos familiares etc. — seja pela acomodação em um emprego razoável.

O que alguns profissionais não analisam é que a falta de atualização tende a mantê-los em uma carreira estagnada. Enquanto isso, aqueles que se dedicam continuamente ao seu crescimento, que partem em busca de novos conhecimentos e investem em uma pós-graduação, ganham destaque em qualquer processo de seleção e garantem as melhores oportunidades.

Não se trata apenas do diploma. Trata-se também dos resultados que o profissional mais capacitado pode trazer para empresa, devido ao seu alto nível de conhecimento técnico e das competências que ele desenvolveu ao longo de seu aprendizado.

Afinal, o que é MBA?

Já ficou claro que uma pós-graduação é fundamental para quem almeja reconhecimento no mercado de trabalho e evolução profissional, certo? Agora, provavelmente há outras dúvidas que você precisa esclarecer. Preste atenção!

Quais são os tipos de pós-graduação?

Os cursos de pós-graduação se dividem em lato sensu e stricto sensu. O primeiro grupo compreende as especializações e os MBAs, que são opções mais focadas nas exigências e inovações do mercado. Os profissionais que procuram esse tipo de aprendizado se preparam para atuar em ramos específicos de sua profissão.

Já a pós stricto sensu abrange mestrado e doutorado e habilita os alunos para o campo de pesquisa e docência. São cursos de maior duração, que demandam mais comprometimento de tempo por parte dos estudantes. Quem opta por esse caminho acadêmico deve ter o perfil e o objetivo de se tornar pesquisador ou professor universitário — embora as empresas também valorizem essa titulação.

Qual a diferença entre especialização e MBA?

Você já sabe que tanto a especialização quanto o MBA são tipos de pós-graduação que fazem parte do padrão lato sensu. Qual a diferença entre esses dois formatos?

Ambos têm o mesmo peso acadêmico e certificam o grau de pós-graduado ao estudante, mas os cursos têm perfis e propósitos distintos. A especialização tem o objetivo de aprofundar o conhecimento teórico e desenvolver novas técnicas em uma direção específica da área de formação. Um exemplo é um profissional que se formou em Marketing e se especializa para trabalhar com Marketing Digital.

Já o MBA — Master Business Administration ou Mestre em Negócios e Administração — é focado no desenvolvimento de lideranças e na área de gestão e negócios, ou seja, é o caminho ideal para quem planeja se desenvolver no âmbito administrativo e gerencial.

Importante acentuar que, apesar do termo “mestre” no título, o grau concedido é o de especialista e não deve ser confundido com a certificação do mestrado. Os cursos de MBA capacitam o profissional para atuar exclusivamente na área Business, no meio corporativo, bem longe do campo de pesquisa.

Outra diferença entre os dois tipos de pós está na base teórica. Na especialização, os conteúdos apresentados trazem o respaldo dos estudiosos que contribuíram, ao longo da história, para o desenvolvimento de determinada ciência/profissão. No MBA, as práticas e os conceitos abordados são baseados em cases de sucesso do mundo corporativo atual e na experiência dos próprios professores.

Para quem o MBA é mais indicado?

O MBA é indicado para pessoas que querem estabelecer carreira como gestores e líderes. Também é muito procurado por profissionais com anos de experiência, que já ocupam posições elevadas dentro de uma corporação — gerentes, supervisores e diretores — e pretendem desenvolver novas habilidades para aumentar sua performance.

Se na hora de se especializar surgir a dúvida sobre qual caminho seguir para dar um novo rumo à sua profissão, pense primeiramente em quais são os seus objetivos de carreira: ser especialista em um assunto específico ou atuar na área de gestão e liderança? Essa escolha também deve levar em conta suas aspirações e características pessoais.

8 vantagens de se fazer uma pós-graduação

Se você ainda não está convencido de que uma pós-graduação é um degrau necessário para sua ascensão profissional, entenda agora quais são as vantagens de prosseguir com os estudos, mesmo que você já esteja inserido no mercado.

1. Diferencial competitivo

Voltamos ao ponto-chave desse tema: investir nos seus estudos é garantir um lugar de destaque no mercado de trabalho. Em um processo de seleção para uma vaga mais complexa, em que os requisitos incluem uma formação sólida, certamente o candidato pós-graduado terá pontos extras em relação aos demais.

Aqueles que interromperam sua jornada acadêmica após a graduação correm o risco de permanecer no mesmo cargo por tempo indeterminado. Isso porque o crescimento na profissão é proporcional à vontade de chegar mais longe e aos esforços para que isso aconteça.

Então, tanto no peso do currículo quanto na capacidade técnica e na avaliação de habilidades e competências, o candidato com pós-graduação tem possibilidades mais expressivas de preencher boas vagas.

2. Chances de ocupar posições elevadas

O profissional pós-graduado não apenas chega com vantagem ao mercado de trabalho como também adquire mais chances de alcançar as melhores colocações dentro da empresa em que já atua. Diante da oportunidade de subir de cargo, certamente os colaboradores mais qualificados serão considerados em primeiro plano.

Como dissemos, não se trata apenas de apresentar o certificado da pós-graduação para atender a requisitos e cumprir protocolos. Essa formação deve, de fato, contribuir de forma produtiva para os resultados da organização.

O conhecimento adquirido e as habilidades desenvolvidas em uma especialização permitem que o profissional tenha visão ampla e pensamento estratégico. Por consequência, suas ações são direcionadas tanto em prol do seu próprio crescimento quanto a favor da evolução da equipe e da corporação como um todo. E é justamente esse tipo de talento que as empresas querem em suas posições de frente.

3. Salários mais altos

Certamente, as melhores oportunidades de trabalho vêm junto com boas remunerações. Se o estudo avançado abre caminho para as colocações mais almejadas, uma das consequências é o aumento salarial. Pesquisas indicam que a pós-graduação pode elevar os ganhos em até 118%. É um número bastante significativo, concorda?

Então, se os seus planos de desenvolvimento incluem um bom retorno financeiro, saiba que o investimento em educação continuada é um passo necessário para aumentar sua renda. Dependendo da corporação, as gratificações vão além do salário-base e incluem diversos benefícios e recompensas, além dos que já são previstos pelas leis trabalhistas.

4. Atualização de conhecimento

Em todos os ramos de trabalho e em quaisquer campos do saber, é importante se atualizar e se requalificar para acompanhar as inovações da profissão, seja no mundo dos negócios, na área da saúde, na educação, no setor comercial e de empreendimentos, seja no segmento da tecnologia. Sempre há novas informações para absorver!

A pós-graduação permite essa aquisição de conhecimento atualizado. A modernização dos conceitos e técnicas leva ao aperfeiçoamento das práticas diárias da profissão e visa a otimizar os resultados do trabalho.

Lembrando que a especialização fornece as ferramentas necessárias para essa evolução, mas é preciso ainda potencializá-las com curiosidade e empenho. Uma dose elevada de dedicação durante os estudos tende, portanto, a produzir efeitos ainda melhores.

5. Autoridade em um ramo específico

Um critério que seguramente chama a atenção das organizações é o domínio dos especialistas em uma área específica de atuação. As altas habilidades técnicas e as competências profissionais evoluídas conferem um nível de autoridade e permitem que o trabalho seja desenvolvido com facilidade.

O efeito de ter colaboradores especializados é visto na redução de custos e de tempo dedicado aos processos dentro da empresa. Isso porque uma ação que levaria horas para ser realizada, ou que demandaria muitos recursos para sua execução, pode ser concluída de maneira bem mais simples por um especialista bem preparado e comprometido com os resultados de seu trabalho.

6. Possibilidade de mudar de carreira

Outra vantagem da pós-graduação é a pluralidade de caminhos que se desenham à frente do profissional. A graduação oferece uma formação abrangente, a partir da qual é possível atuar em diversas áreas. Com as especializações, os ramos de atuação aumentam  e permitem, inclusive, que a pessoa dê um rumo totalmente novo à sua carreira.

O pós-graduado ganha a opção de se desenvolver com profundidade em um campo específico, no qual já trabalha ou pretende ingressar. Por outro lado, ele também se depara com a possibilidade de mudar de profissão e iniciar uma nova jornada.

Um graduado em Engenharia Mecânica que trabalha no suporte à área de manutenção pode, por exemplo, fazer um MBA em Gestão Estratégica de Pessoas e se preparar para assumir um cargo de liderança dentro da empresa. Nessa nova etapa, ele mudará o foco dos processos operacionais para o aspecto comportamental da equipe, desenvolvendo ações bem diferentes daquelas que realizava anteriormente.

7. Ampliação da rede de contatos

Além de todos os benefícios que já foram aqui enumerados, fazer uma pós ainda favorece a criação de uma nova rede de relacionamentos. O convívio acadêmico com outros profissionais da mesma área — alunos e professores — tende a ser bastante produtivo, principalmente porque muitos deles já têm experiência e renome no mercado.

O networking promove um conjunto de vantagens que contribuem para o crescimento do profissional, o que inclui: troca de conhecimentos e compartilhamento de vivências, dicas de desenvolvimento, participação em eventos ligados ao seu campo de formação, indicações de trabalho etc.

8. Desenvolvimento pessoal

De todas as consequências positivas da educação continuada, o crescimento pessoal é a maior certeza. Todos os outros benefícios que apresentamos também são reais, mas a evolução como pessoa acontece independentemente de fatores externos.

O conhecimento adquirido e as vivências enriquecedoras ao longo do curso reformulam a visão de mundo do aluno. A mente recebe um novo aparato de ideias e pensamentos, as habilidades se expandem e até o padrão de comportamento pode sofrer alterações no sentido construtivo.

Em resumo, o aprendizado ocorre em totalidade e de maneira transformadora na vida da pessoa. Os estudos representam um caminho para alcançar autorrealização e ter acesso a todo potencial que cada um tem guardado dentro de si.

MBA na área de gestão vale a pena?

A área de gestão abrange as ações de administração e gerenciamento em uma organização. Podemos entendê-la como o cérebro da empresa, ou seja, o órgão responsável por mover e direcionar todos os sistemas que estão interligados a ele.

Onde há um grupo de pessoas reunidas por um objetivo em comum é necessário que existam estratégias de gestão. Isso significa que sempre há um líder, alguém que assume a missão de inspirar e guiar os demais. Ao gerir uma equipe, o propósito principal é o de promover crescimento para a instituição como um todo, com organização e enfoque no esforço humano.

Apesar de sempre haver alguma ligação com as pessoas e com as atividades desempenhadas por elas, a gestão também pode ter o foco no gerenciamento de negócios ou recursos, sempre no intuito de atingir determinadas metas.

Os conhecimentos aplicados na área de gestão englobam uma soma de normas, princípios e técnicas administrativas definidas para organizar os processos da corporação. Como consequência dessas ações, a empresa obtém mais produtividade, qualidade e lucratividade.

Para ter alto desempenho e eficiência como gestor, o profissional precisa de uma sólida preparação, afinal, suas responsabilidades não são poucas. Em suas mãos está o compromisso de administrar procedimentos complexos e conduzir pessoas a empregarem o melhor de si em prol da corporação.

No sentido de obter uma capacitação global e desenvolver suas atividades gerenciais com excelência, um caminho seguro para o gestor é o MBA. Esse tipo de curso une teoria e prática e, em geral, conta com professores com vasta experiência no mercado.

Dessa forma, não apenas os fundamentos teóricos clássicos são expostos em sala, mas, principalmente, metodologias e ferramentas que potencializam o trabalho do profissional atual. E essa base é imprescindível para quem pretende apresentar uma atuação de destaque e conquistar espaço no mundo corporativo.

Quanto à empregabilidade, não há dúvidas de que o MBA é a escolha certa. Isso porque o curso é voltado para as exigências do mercado e desenvolve o profissional no sentido exato que ele precisa. Habilidades de liderança e comunicação, por exemplo, são amplamente trabalhadas ao longo de toda a pós-graduação.

Seja para alcançar uma posição executiva de alta responsabilidade, seja para aprender novas técnicas e impulsionar os resultados da empresa ou ainda para iniciar o próprio empreendimento, o MBA é um meio garantido de sucesso.

Conheça 5 MBAs em gestão para evoluir sua carreira

Agora que você já obteve todas as informações necessárias para compreender que o MBA é o caminho certo para avançar profissionalmente, conheça 5 cursos na área de gestão que são oferecidos pela Faculdade UCL e têm sido bastante valorizados pelo mercado.

1. Gestão da Produção e da Manutenção

A formação recebida nesse curso amplia o repertório técnico do aluno e desenvolve seu potencial didático. Assim, os profissionais saem capacitados para atuar tanto como gestores de negócios — nos setores de produção e manutenção e em todo o campo da Engenharia Mecânica — ou para seguirem como professores e transmitirem todo o seu conhecimento na área.

O MBA em Gestão da Produção e da Manutenção foi criado justamente devido à alta demanda de trabalho que existe na região e da necessidade de profissionais com vasto conhecimento nesse ramo. No Espírito Santo, estão localizados grandes projetos industriais, como os da Companhia Vale do Rio Doce, da Samarco e da Suzano, entre outros.

2. Gestão Estratégica de Pessoas

Esse é um dos cursos de especialização mais procurados, uma vez que é destinado a pessoas de todas as profissões que desejam gerenciar equipes e trabalhar com o elemento mais rico e mais complexo das organizações: o capital humano.

Por meio do MBA em Gestão Estratégica de Pessoas, o aluno adquire o domínio de importantes técnicas que sustentam o bom desempenho dos líderes. O curso prepara os gestores para realizarem um planejamento organizacional efetivo, de forma a possibilitar o desenvolvimento humano da equipe com precisão e objetividade.

Esse aprendizado é indispensável para a qualificação de um bom executivo. Lidar com pessoas requer a compreensão dos diferentes posicionamentos e a capacidade de engajar os colaboradores e incentivar novos comportamentos. E esse certamente é um dos maiores desafios do trabalho de um gestor.

3. Gestão Integrada em Qualidade e Certificações

O curso é indicado especialmente para os profissionais que trabalham com implantação de normas de referência como ISO 9001, ISO 14000, NBR 16000, entre outros sistemas integrados.

Ampla experiência na formação de alunos, foco na aplicação prática e conteúdos diversificados são alguns dos diferenciais do MBA em Gestão Integrada em Qualidade e Certificações da UCL.

4. Gestão Estratégica de Varejo

As organizações do setor varejista precisam reformular a visão de negócios e as estratégias comerciais, diante das constantes inovações e da crescente competitividade do mercado. O atendimento personalizado ao cliente, a gestão de pessoas e o uso da tecnologia passaram a ser alguns dos pilares do gerenciamento moderno no varejo.

De olho nas mudanças desse cenário, o MBA em Gestão Estratégica de Varejo da UCL foi desenvolvido com o objetivo de especializar os profissionais da área, a fim de acompanhar as novas demandas e contribuir para a lucratividade de suas empresas.

5. Gerenciamento de Projetos

O propósito do MBA em Gerenciamento de Projetos é qualificar os alunos para que se tornem especialistas capazes de realizar projetos de forma correta em instituições de qualquer ramo de atividade, com base no Project Management Institute – PMI®.

No curso, o profissional aprende a utilizar as ferramentas necessárias para gerenciar todas as etapas de seu trabalho, desde o escopo e a definição do cronograma até o controle de custos e a administração de recursos.

Qual é o momento para começar sua pós-graduação?

Algumas pessoas argumentam que é melhor juntar alguns anos de experiência após a graduação, antes de iniciar uma pós. Outros acreditam que esperar o tempo passar é dar chance para a estagnação.

O momento certo para prosseguir com os estudos depende de um conjunto de fatores, como atualizações do mercado, quantidade de candidatos disponíveis e, sobretudo, suas próprias expectativas e objetivos de vida.

Agora, se os seus planos incluem a ascensão profissional, é preciso ter um certo senso de urgência para correr atrás dos seus ideais e se movimentar para que as coisas aconteçam. Lembrando que a pós-graduação abre portas, eleva suas chances, possibilita altas remunerações e proporciona o contato com outros profissionais do ramo. Enfim, são muitas as vantagens para sua carreira.

Diante de tudo o que você leu neste post, já deve ter ficado claro o quanto um MBA em Gestão pode ajudar no seu crescimento. Não se deixe limitar por ideias equivocadas, como pensar que o curso é difícil, que o investimento é alto ou que não se trata de um aprendizado necessário neste momento. Tenha uma visão mais abrangente, olhe lá na frente da sua trajetória e visualize todas as recompensas que virão!

Então, não perca mais tempo! Entre em contato agora mesmo com a UCL e saiba mais sobre os nossos cursos de MBA em Gestão. Nós podemos facilitar a sua jornada de sucesso!

 

Entenda como o inglês instrumental pode ajudar em sua pós-graduação

[GUEST POST] Entenda como o inglês instrumental pode ajudar em sua pós-graduação

Quando se busca pelos diferentes modos de estudo da língua inglesa, geralmente, encontra-se o tópico “inglês instrumental”.

Mas afinal, o que é isso? Quais as diferenças entre ele e o inglês convencional? E, principalmente, quais as vantagens do inglês instrumental para pós-graduação? Continue a leitura do nosso post e entenda mais sobre o assunto!

O que é o inglês instrumental?

Primeiramente, é necessário mencionar que existem diversas formas de estudar o inglês, umas são mais voltadas ao diálogo de trabalho, outras a conversas do cotidiano, além daquelas que priorizam a leitura de textos e artigos. O inglês instrumental se encaixa na terceira opção. Dessa forma, ao se estudar inglês instrumental, você se deparará com um estudo que facilitará a leitura rápida e a compreensão de textos complexos ou simples que estejam em inglês.

Sendo muito útil para pessoas que buscam referências em artigos científicos ou que precisam fazer exames que demandam leitura e interpretação. Desse modo, o inglês instrumental não trabalha o diálogo, a pronúncia, nem elementos nesse estilo, focando apenas naquilo que ajuda na leitura, como vocabulário e leitura dinâmica.

Quais as diferenças entre o inglês instrumental e o inglês tradicional?

Muitas são essas diferenças, porém, a principal e mais marcante está no foco dado nos dois cursos. O inglês tradicional visa formar falantes e leitores que precisam do inglês em seu cotidiano, seja para trabalho, seja para conversações casuais. Sendo assim, o inglês tradicional trabalha tanto a leitura quanto a escrita e a fala, não dando atenção maior a nenhum dos três.

Já, por outro lado, o inglês instrumental foca somente na leitura, ensinando técnicas e vocabulários essenciais para que os alunos desenvolvam uma leitura em que eles não percam tempo e absorvam tudo que o texto passa. Ou seja, caso o desejo do estudante seja desenvolver sua leitura, o inglês tradicional não será eficiente, visto que o aprendizado será mais lento e a leitura não será o principal. Enquanto no inglês instrumental o aprendizado é direcionado exatamente nesse ponto, logo, o curso será eficaz e de rápido aprendizado.

Quais as vantagens do inglês instrumental para pós-graduação?

O inglês instrumental apresenta diversas vantagens para o aluno de pós-graduação, visto que este muitas vezes se deparará com textos e mais textos em inglês, para ler e tomar como referência em seu mestrado ou doutorado. Porém, as vantagens não se iniciam aí, já que uma das utilidades práticas desse estudo específico são as provas de interpretação.

Dessa maneira, o inglês instrumental dá ao seu aluno uma grande vantagem para ingressar na pós-graduação. Isso porque para começar um mestrado ou doutorado, antes, é necessário passar em uma prova de proficiência em inglês. Nesse sentido, o inglês instrumental faz com que o estudante tenha uma grande vantagem no teste, considerando que o processo seletivo tem a proficiência na leitura como fase eliminatória.

E após ingressar na pós-graduação, dificilmente o estudante escapará dos diversos artigos no Google Acadêmicos e textos enormes em inglês, podendo ter grandes dificuldades na leitura caso não faça um estudo focado nisso.

Assim, um estudante que realizar um estudo específico na leitura em inglês terá grandes vantagens em relação aos outros concorrentes em provas importantes e ao se deparar com textos complexos. Desse modo, não deixe de estudar inglês instrumental para pós-graduação e para a vida.

Caso tenha se interessado pelo assunto, siga-nos no Facebook e confira nosso trabalho!