Análise e Desenvolvimento de Sistemas não é só programação!

Se para alguns a escolha do curso superior é algo simples e decidido com antecedência ainda no colégio, para outros é um processo constante de autoavaliação e ponderação. Isso porque é comum ter interesse por uma área, como a de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, mas não saber muito a respeito de como é a graduação nem mesmo como é o mercado de trabalho no ramo, o que acaba atrasando essa decisão e prolongando a indecisão.

Pensando nisso, reunimos uma série de informações sobre a faculdade de ADS para você ficar por dentro de como é a rotina acadêmica de um estudante do curso e saber o que esperar na sua trajetória profissional. Acompanhe!

Análise e Desenvolvimento de Sistemas: o que é?

Quando se fala no curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas, o que vem à mente da maioria das pessoas que não conhecem muito a respeito dele é que é voltado, exclusivamente, para a programação de sistemas. Essa é uma ideia equivocada, afinal, a graduação na área está longe de ser limitada!

Isso porque, durante a faculdade – pública ou particular, os alunos aprendem as técnicas, os padrões e os aspectos metodológicos que envolvem não apenas a programação de sistemas, mas também as etapas de criação, implementação, manutenção e otimização deles.

Com esses conhecimentos, tornam-se capazes de proporcionar mudanças significativas no mercado que visam a melhorar a aplicação da tecnologia da informação nas operações empresariais e, em especial, na experiência dos consumidores, seja durante a aquisição de bens e produtos, seja durante a utilização de serviços online.

Grade curricular

A grade curricular do curso proporciona ao estudante o aprofundamento em áreas estratégicas da profissão, por meio de disciplinas que exploram desde a criação até o aperfeiçoamento de diferentes sistemas.

Com isso, o profissional formado na área tem uma visão completa sobre cada etapa e é habilitado para atuar em todas elas, destacando-se no mercado de trabalho. Confira quais são as principais matérias estudadas:

  • Lógica Matemática e Computacional;

  • Inglês para a Informática;

  • Probabilidade e estatística;

  • Análise e Projeto de Sistemas I e II;

  • Algoritmos e Estrutura de Dados I e II;

  • Engenharia de Software;

  • Arquitetura de Computadores;

  • Segurança da Informação;

  • Empreendedorismo em Tecnologia;

  • Engenharia de Interface;

  • Redes de Computadores;

  • Banco de Dados I e II;

  • Sistemas Operacionais;

  • Tecnologia Web;

  • Desenvolvimento de Sistemas Móveis.

Projetos e atividades práticas

Ao longo dos semestres da graduação, os alunos de Análise e Desenvolvimento de Sistemas participam de projetos interdisciplinares e atividades práticas que permitem a eles a execução do que aprendem em sala de aula.

É justamente diante dessas oportunidades de criar trabalhos autorais que eles são capazes de mesclar os conhecimentos obtidos em diferentes disciplinas, testar os próprios limites, aperfeiçoar as habilidades e competências que têm, encontrar novas aptidões e afinidades profissionais etc.

Tipo de graduação

O curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas pode ser ofertado, dependendo da instituição de ensino, como licenciatura, bacharelado ou tecnólogo.

Esse último formato, o tecnólogo, é o mais comum. Em primeiro lugar, porque esse é um curso que conta, como já mencionamos, com uma grande carga de conteúdo prático que demanda experimentação constante por parte dos estudantes. Em segundo lugar, porque a graduação tecnológica tem duração reduzida e foco nas demandas atuais das organizações.

O aluno amplia as habilidades técnicas necessárias para exercer a profissão e é capacitado para atuar tanto em cargos generalistas quanto de nichos. Ele ingressa mais cedo no mercado de trabalho e, assim, adquire experiência profissional em tempo recorde.

Além disso, como a graduação dura apenas dois anos e meio, o profissional pode investir mais rapidamente em uma pós-graduação (como uma especialização ou um MBA) e se qualificar ainda mais para se tornar um expert em determinado ramo.

Perfil do graduando

Os graduandos em Análise e Desenvolvimento de Sistemas costumam compartilhar de um mesmo grupo de características recorrentes — algo que é comum em todas as graduações, das engenharias até a gestão de recursos humanos.

Isso porque são elas que facilitam a afinidade com as matérias estudadas e a adaptação dos estudantes à vida acadêmica. Esses aspectos serão muito importantes no exercício da profissão. Logo, apresentá-los desde já será um grande diferencial na sua formação e principalmente na sua carreira. Veja quais são eles:

  • domínio do inglês, já que a linguagem da programação tem uma grande quantidade de termos técnicos nesse idioma, é exigida familiaridade e fluência no inglês, para mexer com diferentes sistemas;

  • aptidão para lidar com números, visto que os raciocínios lógico e abstrato são trabalhados constantemente na resolução de equações matemáticas que envolvem dados em várias disciplinas;

  • interesse por tecnologia: por mais óbvio que pareça, é indispensável que você tenha interesse em novas tecnologias e, principalmente, nas questões operacionais que as envolvem, desde a elaboração dos algoritmos até o compartilhamento de informações virtuais;

  • curiosidade contínua: essa área é mutável e está em constante evolução. Logo, pessoas acomodadas e sem interesse de aprender, atualizar-se, autodesafiar-se e arriscar-se dificilmente vão desenvolver um bom trabalho e ter atuações de destaque na carreira.

As áreas de atuação do analista de sistemas

Agora que você já conhece e, principalmente, entende mais sobre como é a graduação em Análise e Desenvolvimento de Sistemas, nós vamos nos aprofundar nas possibilidades de atuação para quem segue carreira no ramo.

Diferentemente do que muitos pensam, a área não tem apenas um tipo de atividade. Ao contrário, o profissional de ADS pode exercer diferentes funções e explorar segmentos voltados para etapas específicas do desenvolvimento e do aperfeiçoamento de novos sistemas. Confira alguns deles:

Administração de banco de dados

O administrador de banco de dados é aquele que atua na manutenção e na otimização dos sistemas da empresa, para o correto funcionamento deles e para garantir a preservação de informações de clientes, fornecedores, parceiros e funcionários que são indispensáveis para os setores de vendas, logística, RH e marketing, por exemplo.

Administração de redes

O administrador de redes é quem monitora toda a estrutura da rede e o gerenciamento de servidores, a fim de inibir ataques cibernéticos, contaminações por vírus e programas maliciosos e mau funcionamento de integração de portais internos e externos. Atua, portanto, no combate a problemas que são capazes de dificultar o acesso do usuário e até provocar o vazamento de dados sigilosos da organização.

Otimização de interfaces

Os profissionais que trabalham com otimização de interfaces fazem parte de um nicho bastante específico no desenvolvimento de softwares. São eles que aperfeiçoam os sistemas desenvolvidos, sempre buscando corrigir falhas gráficas, problemas de instabilidade, erros na usabilidade de plataformas operacionais, módulos invasivos de requisição de informações virtuais e por aí vai.

Gerenciamento de projetos

O gerente de projetos é quem coordena as equipes de TI e tem a responsabilidade de administrar o trabalho dos subordinados no desenvolvimento de novos sistemas, na implementação de melhorias em softwares e hardwares que já estão em funcionamento, no diagnóstico antecipado de falhas de segurança etc. Além disso, cabe a ele a resolução de metas do setor, de acordo com os objetivos da companhia.

Quanto ganha um analista de sistemas?

Até aqui, você já leu sobre todos os detalhes do curso de Análise e Desenvolvimento de Sistema e as possibilidades de atuação que o recém-formado encontra. Deve estar se questionando, contudo, sobre os tipos de vagas disponíveis no mercado e sobre qual é a média salarial no ramo, não é mesmo?

A estabilidade financeira, bem como uma carreira ascendente e o reconhecimento profissional, é um dos aspectos mais buscados por quem ingressa no ensino superior e investe na própria qualificação.

Não se preocupe! Abaixo, nós reunimos várias informações a respeito, para esclarecer suas dúvidas e mostrar o que você pode esperar dessa profissão que está em constante crescimento em todo o país. Veja:

Os tipos de vagas para analista de desenvolvimento de sistemas

As vagas ofertadas pelas empresas são categorizadas pelo nível de experiência exigido dos candidatos durante os processos seletivos. Os trainees, por exemplo, são aqueles que saíram da faculdade recentemente ou ainda estão concluindo o curso e não têm mais do que dois anos de atuação no mercado.

Do outro lado da moeda, há os profissionais masters, que têm mais de 8 anos de carreira e um currículo com passagens por diversas companhias. Essa diferença hierárquica será o fator decisivo não só para determinar seus rendimentos, mas, principalmente, para definir suas funções e atribuições dentro das companhias.

Analista de desenvolvimento de sistemas: salários inicial e médio

Segundo levantamento realizado pelo portal Salário com mais de 64 mil cargos em todo o país, os vencimentos iniciais para um profissional que ingressa no mercado é de R$ 3.649,67. Contudo, a média de ganhos nacional é mais elevada e gira em torno de R$ 5.140,37 para uma jornada semanal de trabalho de 42 horas.

É importante destacar que alguns estados se sobressaem e contam com faixas de rendimentos ainda mais elevadas, como é o caso de Brasília (R$ 5.970,78), Rio de Janeiro (R$ 5.729,17) e São Paulo (R$ 5.529,83).

Vale ressaltar ainda que, mesmo em um cenário conturbado de crise econômica e de elevação da taxa de desemprego no Brasil, a sondagem destacou que a evolução salarial para esse ramo foi crescente durante todo o ano de 2018 (com um saldo positivo de 6,18%), e o nível de contratações é superior ao de desligamentos, desde fevereiro.

É, portanto, uma profissão que mostra o seu potencial de expansão e que é cada vez mais requisitada nas organizações, independentemente do porte delas.

Setores que mais contratam profissionais da área

A pesquisa do Portal Salário ainda apontou quais são os setores que mais contratam analista de desenvolvimento de sistemas. São eles: as empresas de consultoria de TI, os provedores de serviço (internet, telefone, TV a cabo etc.), os portais de grandes veículos de comunicação e conteúdo online e as instituições financeiras (bancos, agências, corretoras etc.)

É uma carreira dinâmica e versátil que oferece a você a possibilidade de atuar nos mais diferentes segmentos e de angariar experiências que, certamente, vão enriquecer o seu currículo.

O estágio em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Como você viu no primeiro tópico, os projetos e as atividades práticas são importantes e indispensáveis para os alunos na faculdade. Saiba, porém, que, além deles, há o estágio obrigatório supervisionado como parte essencial da formação. Isso porque é por meio dele que os estudantes têm o primeiro contato com a rotina de um profissional da área.

É esse o momento de identificar se escolheu o segmento de atuação com o qual tem mais afinidade, expandir a sua rede de contatos para além do ambiente acadêmico, adquirir experiência dentro do local de trabalho de uma organização e desenvolver (ou aprimorar) características que são fundamentais no mercado, como:

  • facilidade de trabalhar em equipe;

  • produtividade ao assumir novos projetos;

  • capacidade de adaptação a diferentes cenários de atuação;

  • proatividade em lidar com metas e objetivos mensuráveis;

  • responsabilidade com o cumprimento de prazos.

Diferenças entre Análise e Informática

Uma dúvida muito frequente entre quem tem interesse pelo curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas é qual a diferença entre ele e a graduação em Informática – Sistemas de Informação, uma vez que ambos fazem parte do ramo de TI e oferecem oportunidades para o aluno trilhar uma carreira em tecnologia.

É fundamental saber que o diferencial está no foco de cada um. Enquanto o primeiro, como já mencionamos, desenvolve trabalhos com todas as etapas de criação e implementação de sistemas que visam a beneficiar os dois lados do mercado (empresas e consumidores), o segundo é voltado para otimizar processos internos dentro da companhia. Facilita as atividades de setores mais complexos, que demandam mais esforços do capital humano, e, principalmente, mais investimentos a longo prazo da alta cúpula das organizações, como aqueles que envolvem manufatura e ciclo produtivo.

Como escolher uma faculdade de ADS?

Depois do que já falamos sobre fazer faculdade de ADS e seguir carreira no ramo, você provavelmente está se questionando a respeito de como escolher a melhor instituição de ensino para garantir uma formação completa multifacetada e atualizada, não é mesmo? Reunimos algumas dicas fundamentais sobre o que deve analisar antes de bater o martelo e escolher a faculdade. Confira:

Pesquise sobre o corpo docente

É importante pesquisar sobre o corpo docente que leciona no curso e descobrir quantos deles são mestres e doutores. O motivo disso é bem simples: quanto mais capacitados forem os professores, melhor será o desenvolvimento das aulas, a aplicação do plano pedagógico do curso e a troca de saber entre docentes e alunos. Acredite! Não é exagero afirmar isso.

Basta ter em mente que esses profissionais nunca deixaram de reciclar o próprio conhecimento e se atualizar constantemente. Muitos até têm uma vasta produção científica, com pesquisas, projetos e trabalhos reconhecidos no meio acadêmico nacional e internacional.

Sem falar, é claro, que aqueles com pós-graduação lato sensu (especializações e MBAs) também contam com experiência de campo em empresas dos mais variados portes, o que proporciona disciplinas muito mais antenadas com as necessidades atuais do mercado e com um vasto conteúdo técnico.

Converse com ex-alunos

Outra dica é conversar com ex-alunos e saber mais a respeito da experiência deles durante a faculdade, afinal, ninguém melhor do que eles para tirarem suas dúvidas sobre como é a vida acadêmica e o que você pode, ou não, esperar dela.

Questione a respeito da grade curricular, da atuação dos professores em sala de aula, do formato do vestibular, das parcerias com programas de estágio, dos canais de comunicação com a instituição, dos projetos e das atividades práticas, da infraestrutura do campus e dos incentivos à produção científica.

Além disso, procure ter o máximo de informações sobre programas de formação internacional — caso queira estudar no exterior e valorizar ainda mais o seu currículo — e sobre a oferta de cursos de pós-graduação na sua área — caso queira dar continuidade aos estudos, após conquistar o seu diploma, e se qualificar ainda mais.

Informe-se sobre a nota que o curso tirou no Enade

Não deixe de se informar a respeito da nota obtida pelo curso no Exame Nacional de Desempenho de Estudantes (Enade), que é o método avaliativo usado pelo Inep para analisar os níveis de aprendizado e desenvolvimento dos alunos em relação ao material visto no decorrer da graduação.

Ele compara a pontuação de quem ingressa e de quem conclui a faculdade para encontrar uma média de rendimento e, assim, pontuar cada curso de 1 a 5 no chamado Conceito Enade, que é divulgado anualmente.

Logo, aqueles que alcançam notas mais altas apresentam um índice de qualidade de ensino melhor e, sem dúvidas, são uma escolha mais acertada para uma formação de ponta que vai capacitá-lo adequadamente para a profissão.

EAD/Online em Análise e Desenvolvimento de Sistemas

Para encerrar nosso post, não podemos deixar de falar sobre a graduação EAD/Online em Análise e Desenvolvimento de Sistemas. É cada vez mais comum encontrar jovens que queiram investir na própria formação, mas, por diferentes razões, não têm como acompanhar um curso presencial. Por conta disso, a graduação a distância tem ganhado espaço e atraído um número maior de estudantes, ano após ano.

Foi graças a ela que evitou-se uma grande evasão acadêmica em todo o território nacional, especialmente nas regiões sudeste e sul, que, sozinhas, concentram 64% de toda a oferta dessa modalidade, como aponta o Censo EAD 2016, elaborado pela Associação Brasileira de Educação a Distância (ABED).

“Mas quais são as vantagens de optar pela graduação a distância?”, você deve estar se perguntando. Pensando nessa dúvida, listamos algumas delas. Veja:

Flexibilidade de horários e local de estudo

O aluno pode acompanhar as videoaulas de casa, de uma biblioteca ou mesmo de uma praça, por exemplo, e no período que quiser — independentemente de ser de manhã, tarde ou noite. Logo, você tem mais liberdade e autonomia.

Material didático 24 horas disponíveis

O material didático está sempre disponível na plataforma, o que permite ver e rever os conteúdos quantas vezes precisar, especialmente em caso de dúvidas em matérias mais complexas, que requerem revisões constantes.

Imersão digital

Um curso a distância gera uma maior imersão digital. A razão disso é que, além de entrar em contato com colegas e professores por meio do Ambiente Virtual de Aprendizagem, você estende o contato com eles por meio de outras plataformas e redes sociais — o que o deixa mais atento às tendências online e às mudanças no mundo virtual. Dentre as redes, podemos citar o LinkedIn, o Behance, o Skype, o Hangouts etc.

Melhor custo-benefício

Quando comparada às faculdades presenciais, a faculdade de EAD/Online se destaca por oferecer mensalidades mais acessíveis a todos os alunos — algo que é fundamental para quem tem um orçamento mensal mais enxuto. De quebra, você economiza também com o deslocamento até a instituição de ensino. 

Tutoria EAD/Online

Desde o ingresso do estudante na graduação a distância, ele é acompanhado de perto por um tutor EAD/Online, que o auxilia em relação às eventuais dúvidas, acompanha o desempenho dele e ainda é responsável por indicar atividades e exercícios para fixação do conteúdo.

Como você viu, o curso de Análise e Desenvolvimento de Sistemas vai muito além do conceito de programação. Ele o prepara para entender e ter domínio sobre as diferentes atividades ligadas à concepção, ao aprimoramento e à evolução de diferentes sistemas. Não é para menos que é uma área em constante expansão e com ótimas expectativas! Ao investir nela, escolha uma faculdade que forneça a melhor formação acadêmica para você. O curso da UCL teve nota máxima no Enade 2017.

Para saber mais sobre esse ramo e sobre as novidades relacionadas a ele, assine agora mesmo a nossa newsletter e receba tudo em primeira mão!