Pós-graduação: o que você precisa saber antes de fazer a matrícula

Você pensa em fazer uma pós-graduação? Pois saiba que não é o único com esse propósito! Cada vez mais, os estudantes que se graduam já procuram complementar e principalmente diferenciar a formação que têm.

A razão disso é que, com o aumento do número de concluintes registrados na última década, conforme boletim do Ministério da Educação, se tornou indispensável ter mais do que apenas um diploma para se destacar, seja em processos seletivos, seja no ambiente interno de trabalho.

Afinal, dessa forma, é possível alcançar a realização profissional e um bom retorno financeiro. Contudo, como decidir qual curso realizar? Como entender as diferenças e similaridades entre eles? E mais: como identificar aquele que, de fato, atende aos meus ideais?

Foi pensando nisso que preparamos este post completo para responder as principais dúvidas sobre o tema e ajudá-lo a tomar a melhor decisão para o seu futuro. Acompanhe!

O que é uma pós-graduação?

Para começar, vamos falar sobre o que é a pós e quais são as confusões clássicas a respeito do assunto? Pois bem, seja por desconhecimento ou não, há quem acha que ao se graduar e continuar com a formação superior não há possibilidade de estagiar — o que não é verdade.

Saiba que não apenas é possível, como dá para fazer um estágio tanto no ambiente acadêmico quanto em um corporativo com as mesmas características com as quais você está acostumado. Isto é, jornada diária de seis horas, recesso de férias ao completar um ano e demais diretrizes da lei Nº11788/08.

Também há muita gente que acredita que a pós é uma coisa e o MBA é outra. Já outros pensam o oposto, ou seja, que é tudo igual e não há diferença, por exemplo, entre mestrado e doutorado para além dos títulos de mestre e doutor.

Por isso, é importante saber que todo e qualquer curso realizado após concluir a graduação é considerado, como o nome deixa bem claro, pós-graduação.

Acontece que ela é dividida em dois segmentos: o lato sensu e o stricto sensu. Ambos têm modalidades específicas que contam com características próprias e são destinadas a perfis distintos de alunos. A seguir, vamos nos aprofundar em cada uma delas. Por esse motivo, fique atento para não perder nenhum detalhe!

Lato sensu

Os cursos lato sensu (MBA e especialização) nada mais são do que aqueles centrados no estudo de técnicas e ganho de conhecimento prático — ambos voltados para o mercado de trabalho.

Portanto, são buscados por quem deseja completar a formação com o intuito de crescer profissionalmente, desenvolver habilidades e capacidades específicas e se manter atualizado com as tendências e novidades da área em que deseja se qualificar.

E é justamente por concentrar alunos que já estão trabalhando e ocupando diferentes cargos no ambiente corporativo, que ele conta com uma carga horária mais flexível e “enxuta” — ou seja, concentrada em apenas um ou poucos dias, principalmente o sábado. Assim, não sobrecarrega nem atrapalha a rotina de nenhum interessado.

Abaixo, você vai conhecer um pouco mais de cada uma das duas modalidades e entender quais são as diferenças entre elas.

MBA

O Master of Business Administration (ou simplesmente MBA) conta com duração mínima de 360 horas e exige que o estudante apresente uma monografia no término dele para obter o certificado de conclusão de curso.

Ele é o programa destinado para quem está atrás de uma realocação e/ou uma promoção que alavanquem a própria carreira por meio da aquisição do know-how acerca da gestão de pessoas, projetos e negócios — o que permitirá a atuação em cargos vitais e responsáveis por tomadas de decisão dentro de uma empresa.

Tudo isso, é claro, aliando a experiência dos alunos — que já estão ativos no mercado — ao estudo aprofundado de casos apresentados pelos docentes.

Especialização

A especialização, por outro lado, é um curso que faz jus ao nome que recebe. Afinal, por meio dela, você aprimora o conhecimento sobre uma área específica dentro do seu campo de atuação e se torna um especialista sobre esse assunto.

Logo, o programa auxilia-o a alcançar o domínio sobre as mais distintas abordagens, interpretações e execuções de problemas (e as respectivas soluções deles) relacionados ao conteúdo estudado — sempre, é claro, com paralelos de casos que servem como exemplo da rotina profissional que você já tem ou busca alcançar.

Portanto, ter experiências prévias também contribuem muito para o seu aproveitamento da especialização (assim com ocorre com o MBA).

Aliás, por falar em similaridades, vale mencionar que o formato aqui é muito próximo ao da primeira modalidade já que tem duração mínima de 360 horas e você precisa apresentar a monografia para obter o seu certificado. Essas características são afins, pois são previstas pelo Ministério da Educação na resolução CNE/CES 1/2007.

Stricto sensu

Já os cursos stricto sensu são voltados para a construção e o desenvolvimento do saber teórico que permite com que você se aprofunde em discussões e análises sobre conceitos, teorias e conhecimentos plurais que envolvem diferentes perspectivas sociais, comportamentais, históricas e culturais.

Ou seja, quem opta por realizar uma das três modalidades possíveis (mestrado, mestrado profissional e doutorado) desse segmento busca se qualificar para atuar no ambiente acadêmico e com a produção científica.

E isso não é à toa, já que todas elas ajudam o aluno a desenvolver diferentes abordagens metodológicas e traçar linhas de investigação para o objeto de estudo que possuem. É por conta desses aspectos que a pós-graduação stricto sensu demanda dos alunos uma rotina de estudos mais completa e com mais horas/dias de dedicação (por vezes, diária e até integral).

Abaixo, nós nos aprofundamos sobre cada uma das três alternativas para que você entenda melhor qual se enquadra com seus objetivos. Confira:

Mestrado

O primeiro que será abordado é o mestrado. Com duração média de 18 a 24 meses e necessidade da defesa de uma dissertação ao final do curso para a obtenção do diploma que concede o título de mestre, ele é a opção indicada para quem tem como foco virar professor e lecionar seja em uma escola, seja em uma faculdade.

O motivo disso é que, ao decorrer do programa, você se dedica a um assunto do seu interesse, aprende sobre práticas educativas e desenvolve as competências necessárias para desempenhar o papel de transmissor de conhecimento em uma sala de aula.

Mestrado profissional

O mestrado profissional, por sua vez, mantém a mesma estrutura de tempo, avaliação e metodologia de pesquisa e investigação que o mestrado tradicional. Entretanto, ele conta uma abordagem mais abrangente que vai além do aspecto acadêmico e inclui estudos, conceitos e técnicas que envolvem o mercado de trabalho.

Por essa razão, quem faz e conclui esse curso pode tanto se dedicar à docência quanto se capacitar profissionalmente para atuar em companhias públicas e privadas com a prestação de serviços e/ou produção de produtos.

Doutorado

Por fim, há o doutorado que tem duração média de 24 a 42 meses e demanda que o aluno apresente uma tese ao término dele para a obtenção do diploma que concede o título de doutor. Porém, não se deixe confundir: não existe uma ordem de cursos na pós-graduação!

Isto é, você não precisa necessariamente fazer o mestrado para só então realizar o doutorado. Essa é uma ideia equivocada que muita gente que intenciona entrar ou mesmo já faz parte do meio universitário compartilha sem saber que é um mito.

O que acontece é que, por uma questão de amadurecimento acadêmico e avanço experimental com desenvolvimento, produção e adequação de tipo de pesquisa sobre um determinado objeto, muitos alunos optam por ter a titulação de mestre primeiro.

Dessa forma, sentem-se mais preparados para lidar com a complexidade de contribuir com o meio científico oferecendo um projeto que propõe não apenas o saber, mas também um grupo de propostas de difusão e utilização desse conhecimento dado a relevância dele para a sociedade e principalmente para a comunidade científica.

Após ler sobre todas essas modalidades, é provável que você queira recapitular as principais características de cada uma para compará-las e, só a partir disso, decidir por aquela alternativa que mais beneficia a sua carreira. Para ajudá-lo, montamos, abaixo, um quadro comparativo simples e intuitivo. Confira!

 MBAEspecialização
tipolato sensulato sensu
duração360 horas (mínimo)360 horas (mínimo)
fococapacitação profissional e gerencialqualificação de especialista
tcc¹monografiamonografia
acc²certificadocertificado

1. Trabalho de conclusão de curso.   2. Atestado de conclusão de curso.

 DoutoradoMestradoMestrado profissional
tipostricto sensustricto sensustricto sensu
duração18 a 24 meses18 a 24 meses24 a 48 meses
focopesquisa científicainiciação à docênciadocência/capacitação prof.
tcc¹tesedissertaçãodissertação
acc²diplomadiplomadiploma

1. Trabalho de conclusão de curso.   2. Atestado de conclusão de curso.

Posso fazer pós em qualquer área?

Muitas pessoas, ao decidirem fazer uma pós, acabam compartilhando de uma mesma situação: querem continuar a formação acadêmica, porém, em uma área distinta daquela na qual se graduaram.

Daí surge aquela dúvida cruel acerca da possibilidade de realizar esse intercâmbio multidisciplinar em campos do saber que podem ser afins ou mesmo completamente opostos. Por exemplo, imagine um fulano que se formou em arquitetura e urbanismo, certo? Ele é um profissional que atua com restauração de edifícios e decide que quer fazer uma pós-graduação em engenharia de estruturas.

A razão disso? É que o conteúdo do programa aborda a segurança estrutural, os métodos construtivos e outros temas que têm total relevância para a profissão e, em especial, a rotina de trabalho dele.

Por isso, se você também compartilha desse questionamento e teme não saber qual o próximo passo dar, não se preocupe. Nós vamos saná-lo de uma vez por todas! Portanto, sem mais delongas, a resposta é sim — e ela é respaldada pelo próprio MEC.

Isso porque de acordo com a resolução que já mencionamos (e que traz as diretrizes do órgão), qualquer um que seja graduado está apto a fazer uma pós — independentemente do segmento original escolhido e da opção posterior ser por uma especialização, um MBA, um mestrado, um mestrado profissional ou um doutorado.

Entretanto, é importante ficar atento, pois será a faculdade que vai determinar os requisitos e os termos a serem seguidos para a efetivação da matrícula e o eventual acompanhamento das aulas!

Para finalizar o tópico e mostrar algumas das opções que você tem (e que envolvem as áreas de tecnologia e de gestão), montamos, abaixo, uma seleção com cursos lato sensu que podem ser realizados para aprimorar sua formação. Saiba quais são eles:

Especialização

Master of Business Administration (MBA)

Qual o impacto de uma pós-graduação na minha carreira?

Até aqui, você viu quais são as diferenças e as particularidades entre cursos lato sensu e stricto sensu, em que situação é indicado fazer cada um deles e em que áreas de atuação é possível realizar uma pós.

Agora, é o momento de entender quais são os reais impactos de investir em uma formação mais completa para a sua trajetória profissional. Portanto, leia com atenção como cada um desses aspectos pode influenciar e moldar o seu plano de carreira. Veja:

Maior destaque em processos seletivos

Um dos principais impactos de ter uma pós-graduação é, sem dúvidas, o quanto você se destaca em processos seletivos, em especial para vagas mais disputadas de grandes empresas, como as multinacionais.

Afinal, basta lembrar que para a esmagadora maioria dos segmentos, como arquiteturaengenharia civiladministração e gestão da qualidade, ter um diploma de graduação é o mínimo para poder exercer qualquer atividade relacionada a eles.

Logo, as companhias procuram quem tem um diferencial a acrescentar para o quadro de funcionários delas. Isto é, um currículo mais completo que vá além de experiências anteriores e dos tradicionais cursos de idiomas e informática, por exemplo.

Elas querem aqueles que entendem a importância e o valor de ter um aprendizado constante para se desenvolver e se qualificar para superar os desafios do mercado de trabalho. Portanto, quem tem uma pós-graduação na área em que deseja atuar vai, certamente, sair na frente dos concorrentes e ter mais chances de conquistar a vaga.

Aumento salarial e conquista de promoções e/ou bonificações

Ao fazer uma pós, você não obtém somente mais conhecimento, como também aprende a aliar a teoria à prática de uma forma mais completa e aprofundada de acordo com os processos internos que verá no ambiente de trabalho.

Com isso, você deixa de ser um funcionário regular e passa a ser visto como um especialista. Ou seja, alguém apto a tomar decisões e resolver problemas em um determinado campo ou setor dentro de uma empresa graças ao domínio e entendimento que possui.

Essa mudança, além de gerar status e reconhecimento, traz também um maior retorno financeiro por meio de bonificações ou mesmo promoções.

Mais chances de ocupar cargos de gestão, supervisão e direção

Você planeja entrar em uma companhia e, passo a passo, construir uma trajetória ascendente que o leve até o topo para um cargo de gestão, direção ou supervisão? Então saiba que esse é mais um dos impactos positivos que uma pós, como um MBA, é capaz de causar em uma carreira.

A razão disso é que você se aperfeiçoa e se qualifica durante o curso para entender o cenário corporativo e tomar a dianteira de equipes e setores completos aplicando aquilo que aprendeu em sala de aula tanto para o benefício dos seus colegas e subordinados quanto para o crescimento e lucro da empresa que representa.

É justamente por isso que as instituições desejam colaboradores que não parem de se especializar, pois serão eles que, eventualmente, vão tomar o papel de liderança internamente — já que possuem as habilidades, as técnicas e o know-how para trazer resultados concretos para elas.

Networking mais amplo e sólido

Fazer um dos cursos lato sensu é uma oportunidade única para quem quer ter uma carreira promissora, desafiadora e com diferentes possibilidades de atuação. Isso porque você estuda com colegas que já estão ativos profissionalmente e atuando nas mais diferentes instituições.

Dessa forma, é possível saber de antemão as informações internas de grandes marcas do mercado, fechar futuras parcerias e estabelecer contatos que podem abrir as portas para você em um momento futuro caso queira mudar de emprego ou, até mesmo, de profissão. Ou seja, você tem a possibilidade de construir um networking não apenas mais amplo, como muito mais sólido e eficaz.

Atualização constante dos conhecimentos e das habilidades

Outro impacto positivo na sua carreira é que você desenvolve novas habilidades, amplia seus conhecimentos e atualiza-se em relação às mudanças e às novidades do mercado de trabalho.

Afinal, em um mundo globalizado com uma comunicação cada vez mais interativa e um aumento diário significativo nos avanços tecnológicos, é compreensível que ele esteja frequentemente em mutação.

Portanto, estar apto a se autorreciclar, sair da zona de conforto e continuar a ser um eterno “aprendiz” é de suma importância para acompanhar e se aperfeiçoar para lidar com essas questões no dia a dia da rotina profissional — algo no qual as especializações e o MBA desempenham um grande papel, uma vez que permitem você a se aprofundar nesses temas a cada aula.

Formação contínua necessária para lecionar

Embora a graduação em um curso de licenciatura (ou pedagogia para a educação básica, conforme a lei Nº12014/09) seja o mínimo exigido pelo MEC para quem deseja se tornar professor, a realidade é que as instituições escolares buscam profissionais com pós-graduação para compor os respectivos quadros de docentes delas.

Isso se torna ainda mais evidente no caso de faculdades sejam elas públicas, sejam elas particulares, visto que é exigido que, pelo menos, um terço de todos os que lecionam em ambiente acadêmico tenham titulação de mestre e/ou doutor de acordo com a lei  Nº9.394/96.

E a razão disso é simples: tanto o mestrado quanto o doutorado permitem que você tenha uma formação contínua que amplia sua visão crítica, geram uma maior compreensão sobre os temas que serão discutidos em sala de aula e ainda fornecem a você os meios para que possa se tornar um pesquisador com produção científica ativa.

Portanto, quem tem o sonho de lecionar precisa, sim, investir em uma pós-graduação, pois isso será critério obrigatório para se ter no currículo ou, no mínimo, um diferencial que pode garantir a sua contratação.

Quando é a melhor hora de fazer esse investimento?

Para finalizar, vale ressaltar algo importante e que até já mencionamos (embora sem nos aprofundar na questão): o momento de investir em uma pós. Isso porque é normal o anseio e a vontade de concluir as infinitas possibilidades de curso em um intervalo de tempo menor justamente para colocar o conhecimento obtido em prática e ter o retorno esperado mais rápido.

Acontece que para o mestrado, o mestrado profissional e o doutorado é possível, sim, colocar essa ideia em prática e, literalmente, emendar um no outro após a graduação. Afinal, basta lembrar que eles preparam você de forma ascendente para se tornar um docente e/ou pesquisador — o que não requer uma vivência prévia em ambas as áreas já que é justamente o que você aprenderá a fazer.

Porém, o mesmo não se aplica à especialização e ao MBA e o motivo é muito simples: em cada encontro realizado e trabalho proposto, serão levantados casos de mercado para serem tema de debate entre você, seus colegas e professores.

Acontece que, se você não possui experiência nem esteve ativo profissionalmente algum dia (por ter se dedicado exclusivamente à graduação, por exemplo), vai ser difícil compartilhar da mesma visão lógica, do raciocínio crítico e, inclusive, do entendimento de noções e termos ligados ao meio empresarial da mesma forma que alguém que vivencia no dia a dia aquilo que é debatido em sala de aula.

Por esse motivo, o indicado é que você não faça nenhuma das duas modalidades tão logo obtenha o diploma. Ao contrário, procure ingressar no mercado, se familiarizar com o que é o ambiente de trabalho e, então, invista na pós para potencializar suas habilidades e competências e sanar e galgar novos passos na carreira.

Agora que você está ciente do que precisa saber antes de se matricular em uma pós-graduação, não deixe de refletir sobre os pontos que foram abordados ao longo deste post e como essa continuação da sua formação pode influenciar e moldar completamente o seu futuro profissional.

E se você gostou de saber mais a respeito desse assunto, já sabe: assine a nossa newsletter e fique por dentro de muitos outros temas que envolvem a vida acadêmica!